História Peça-me o que quiser - Camren - Capítulo 109


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien, Fifth Harmony, Logan Lerman
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Hot
Exibições 2.051
Palavras 804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello, amores. Aqui está uma bagunça, mas roubei o wi-fi da minha vizinha hahaha E bom, o capítulo está curtinho. Mas vou recompensar, cês sabem.

Eu tô apaixonada por todos os comentários do capítulo anterior, vocês são tão incríveis. Eu só não os respondi pois são muitos kkk são 64 comentários, uau!


Enfim, aproveitem e até mais tarde, eu acho!

Capítulo 109 - Capítulo 109


Meu coração vai estourar. Que coisas mais bonitas Lauren está me dizendo! Mas... não. Não devo ouvi-la. Então murmuro com um fio de voz:

— Não me faça isto, Lauren.

Sem me soltar, suplica, colando sua testa na minha.

— Por favor, meu amor, por favor. Me escute, por favor, por favor. Uma vez você me cobrou que eu me abrisse com você, mas eu não sei fazer isso. Eu não tenho nem sua magia, nem sua graça, nem sua doçura para demonstrar os sentimentos. Sou apenas uma alemã sem sal que se põe diante de você e te pede... te suplica uma nova oportunidade.

— Lauren...

— Ouça — me interrompe rapidamente —, já falei com os donos do pub onde você trabalha e já ajeitei tudo. Não precisa ir trabalhar. Eu...

— O que foi que fez?

— Pequena...

Furiosa. Fico furiosa de novo.

— Espera aí. Quem você pensa que é pra... pra...? Ficou louca?

— Querida. O ciúme está me matando e...

— Não é o ciúme que vai te matar, sou eu — insisto. — Acabou de ferrar o único trabalho que eu tinha. Mas quem você pensa que é pra fazer isso? Quem?

Espero que minhas palavras a irritem, mas não.

— Sei que isso parece abusivo de minha parte, mas quero... preciso ficar com você — teima minha Icegirl. Vou resmungar qualquer coisa, quando acrescenta: — Não posso permitir que continue distribuindo seus maravilhosos sorrisos e seu tempo a outro que não seja eu. Te amo, pequena. Te amo demais pra te esquecer e farei tudo o que for preciso pra que você me ame de novo, pra que você precise de mim tanto quanto eu preciso de você.

Meus olhos se enchem de lágrimas. Estou enfraquecendo. Agora complicou para o meu lado! À mulher que amo está me dizendo as coisas mais maravilhosas da minha vida. Mas me agarro a minha decisão.

— Me solte.

— Então é verdade? Já não me ama? — pergunta com voz tensa e carregada de emoção.

Minha cabeça vai explodir.

— Eu não disse isso. Tenho que falar com David.

Continua sem me soltar.

— Por quê?

Apesar de aturdida, cravo um olhar duro nela.

— Porque está me esperando, porque veio me buscar, porque merece uma explicação.

Lauren concorda. Noto o desconforto em seu rosto, mas me solta. Finalmente, saio da cozinha atrás de Lauren.

Na sala, ao me ver, David assobia.

— Está espetacular, Camila.

— Obrigada — respondo, sem muita vontade de sorrir.

Sem querer pensar em mais nada, agarro David pelo braço, diante do espanto de meu pai e da minha irmã, e o levo ao jardim para falarmos a sós.

Reconheceu Lauren como a mulher de ontem à noite no pub. Entende o que explico, concorda e, depois de me dar um beijo no rosto, vai embora. Eu volto para casa. Todos me olham. Meu pai sorri, e Lauren estende a mão para mim para que a pegue.

— Você vem comigo?

Não respondo.

Apenas olho para ela, olho e olho.

— Tia, você tem de perdoar a tia Lo — diz minha sobrinha. — Ela é muito boa. Olha, me trouxe uma caixa de bombons do Bob Esponja.

Então vejo que Lauren pisca um olho para minha sobrinha.

Ela a está subornando?
Clara lhe dá um sorriso cúmplice e meloso. Essas duas!

Olho meu pai, que, emocionado, aprova. Olho minha irmã, que, com um de seus sorrisinhos bobos, também aprova com a cabeça. Meu cunhado pisca pra mim. Fecho os olhos, e meu coração diz que sim. É o que desejo. É o que preciso.

— Por enquanto, você e eu vamos conversar — digo, olhando para Lauren.

— O que você quiser, querida.

Minha sobrinha pula, feliz.

— Me dê um segundo.

Entro no meu quarto, e minha irmã vem atrás. Vendo o quanto estou perturbada, me abraça.

— Deixe o orgulho de lado, sua teimosa, e aproveite a mulher que veio buscar você. Vocês discutem? Claro, querida. Discuto com Nathan dia sim, dia também, mas as reconciliações são a melhor parte. Não negue seus sentimentos e se deixe amar.

Chateada comigo mesma por ficar mudando tanto de ideia, me sento na cama.

— É que ela me tira do sério, Sofia.

— E daí?! Nathan também me tira do sério. Mas nos amamos e é o que importa, fofinha.

Por fim sorrio e, com a ajuda dela, começo a meter minhas coisas na mochila. O que sinto por Lauren é tão forte que, definitivamente, não posso ir contra. Eu a amo, preciso dela, a adoro.

Ao voltar à sala com minha bagagem, Lauren sorri, me abraça e consegue me deixar arrepiada, quando proclama diante do meu pai e de toda a minha família:

— Vou te conquistar todos os dias, meu amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...