História Peça-me o que quiser - Camren - Capítulo 81


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien, Fifth Harmony, Logan Lerman
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Hot
Exibições 2.128
Palavras 2.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me perdi no número de capítulos que postei, esse é o quarto né? Se não for, já corrijo kkkk

Muita gente tá prevendo treta hein kkk

4/8

Capítulo 81 - Capítulo 81


Quando vou protestar, ela abaixa as alças da minha camisola, põe meus seios para fora, e isso me deixa sem palavras. Meus mamilos ficam arrepiados e eu a vejo sorrir. Ela então os lambe e os chupa. Eu me mexo, agitada. Não gostaria de admitir, mas a situação está me deixando excitada. Sua boca se fecha sobre meus seios e ela os morde com avidez, até que me solta.

— Gostou? — pergunta.

Faço que sim com a cabeça. Não consigo falar.

— Na academia, toda vez que te vejo nua no vestiário, sinto vontade de te chupar assim. Aliás, Belinda mandou lembranças.

Quando estou me preparando para dizer uns desaforos, ela abaixa as alças de sua camisola e deixa à mostra seus maravilhosos e firmes seios siliconados. Pega minhas mãos e coloca sobre eles, fazendo-me acariciá-los.
E continuo, mesmo quando ela solta minhas mãos. Toco os mamilos dela do jeito como eu gosto que toquem os meus, e aperto em seguida. Ela olha para mim, morde os lábios e solta um gemido.

Aproxima seu rosto do meu. Não me mexo e, quando acho que ela vai me beijar e não tenho mais como recuar, Marisa murmura:

— Lauren já me avisou que não posso provar esses lábios tão apetitosos que você tem, mas vou devorar seus outros lábios e o que eles escondem, exatamente como eu desejo cada vez que te vejo. Vou te morder e te chupar de um jeito que vai te levar a querer fazer o mesmo em mim.

— Não... eu não... — sussurro, tentando marcar um pouco meu território.

— Você não o quê?

Pronta para lhe dar um chute se ela for longe demais, explico:

— Eu nunca fiz isso numa mulher. Eu só fui provada assim, mas...

— Não quer fazer em mim?

— Não.

Mexe-se sobre mim. Dá um giro até sua vagina ficar bem na minha cara, e a minha ficar embaixo da sua boca. Não roça em mim, apenas a exibe e sussurra enquanto sinto seu cheiro:

— Faz só uma vez. Se não gostar, prometo que me retiro.

Nunca tinha visto uma vagina tão perto do meu rosto. Está limpa, depilada como a minha, reluzente e tentadora. Concentrada, eu fico olhando para ela até que escuto Marisa respirar ofegante.

— Camila... põe sua língua uma vez... Só uma vez. Olha, assim...

Sinto sua língua passar lentamente sobre os lábios externos. Estremeço.
Enfeitiçada pelo momento e pela excitação que toma conta de mim, faço o que ela pede. Experimento.

— Isso, assim... — eu a ouço dizer.

A sensação me agrada e eu volto a passar minha língua ali. Ela faz o mesmo e quem respira ofegante agora sou eu.

— Vamos fazer uma coisa. Repita o que eu fizer em você.

Sem esperar mais, a mulher abre meus lábios externos e pousa sua boca quente bem ali. Solto um gemido... e em seguida faço o mesmo que ela. Abro minha boca e chupo seu interior. Por alguns segundos tento reproduzir o que ela faz, mas não consigo...

Quero mover minha língua de outra forma e morder seus lábios internos.
Deixo de lado meus preconceitos e começo a dar mordidinhas. Noto que ela estremece.

Ela se abre para mim, e eu vejo o clitóris. Curiosa, levo minha língua até lá e começo a roçá-la. Seu clitóris responde imediatamente, inchando-se, e eu fico excitada.

— Ai... Camila... você está me deixando louca... É sério que você nunca tinha feito isso?

— É.

Estimulada pela visão do clitóris, faço o que Lauren costuma fazer comigo. Eu coloco a ponta da língua no clitóris, descrevendo círculos, e, quando fica inchado, prendo entre meus lábios e puxo.
Marisa se contrai e geme.

Tenta se desvencilhar, mas seguro firme suas coxas e chupo seu clitóris para estimulá-lo mais e mais.
Pensei que eu teria nojo disso, mas não. Passeio minha boca por sua vagina perfeitamente depilada e dou mordidinhas em seu clitóris. Me sinto poderosa com isso.

Marisa se esfrega em mim e eu a ouço gemer. Nesse momento eu desejo mais... muito mais, só que ela quer me possuir e me interrompe. Volta a ficar de quatro sobre mim.

— Agora que você já sabe o que eu quero de você, me deixa ter prazer com o seu corpo.

Agarra meus seios, junta os mamilos e enfia os dois na boca. Ela os deixa eriçados e brinca com eles. Quando escuta meus gemidos, Marisa os larga.

— Vou tirar sua camisola. Fecha os olhos e se entrega.

Faço que sim, excitada. Vejo Lauren e Mario entrando no quarto. Cada um senta num lado da cama, e ambos nos observam.

Marisa tira minha roupa. Com suas mãos suaves, abaixa a camisola e a retira pelas minhas pernas. Me acaricia desde os tornozelos até chegar às minhas coxas. À minha cinta-liga. Com delicadeza, morde a parte interna das minhas coxas e sobe... sobe até dar mordidinhas nos meus seios.

— Gosto do que estou vendo... — sussurra Lauren no meu ouvido.

Marisa continua sua festa e, quando meus mamilos estão absurdamente estimulados, ela desce até minha cintura e brinca com o umbigo. Estremeço.
Sua boca ardente chega ao meu púbis e se detém. Percorre minha tatuagem com a língua e diz em voz alta e provocante:

— Camila, essa tatuagem é muito sedutora. Tenho certeza que desperta paixões.

Olho para Lauren. Ela sorri. Eu sei por que ela diz isso, mas fico quieta. Não abro a boca.

Marisa ergue o olhar por um instante, e uma torrente de emoções se apodera de mim quando sinto suas mãos brincando entre minhas pernas. Estou encharcada. Molhada. Receptiva.

Ela me toca por cima e, sem esforço, enfia um dedo em mim enquanto roça meu clitóris com a palma da mão. Excitada, começo a me mover contra sua mão, buscando meu prazer.

— Vamos, pessoal... — eu a ouço dizer. — Venham participar da minha brincadeira.

Mario toca meu seio direito e Lauren leva sua boca até o esquerdo. Cada um a seu modo, eles me estimulam e me sugam. Marisa abre minhas pernas e me chupa.

— Ah... — solto um gemido enquanto três pessoas me tocam e me chupam.

Ardente e escancarada aos desejos de Marisa, reajo imediatamente e me contorço cheia de tesão. Gosto do que estão fazendo comigo. Gosto de ser o brinquedinho deles.

Sua língua habilidosa se move dentro e fora de mim e se detém no meu clitóris para fazer o que acabei de fazer com ela. Ela o chupa. Descreve círculos e o puxa. Me mexo extasiada.
Calor... calor... muito calor.

Lauren abandona meu seio, procura minha boca e logo a encontra e me beija. Sua língua me domina, excitada e possessiva, enquanto Marisa me arranca gemidos que deixam Lauren enlouquecida.

Beijos... carícias... palavras sussurradas que desejo escutar.

— Assim, pequena... assim... se entrega e goza todinha pra mim.

— Só pra você — repito em meio a gemidos.

Durante um tempo que me parece uma eternidade, Marisa brinca entre minhas pernas enquanto Mario dá mordidinhas nos meus mamilos e Lauren me beija. Até que sinto Mario segurar uma das minhas coxas, e Lauren a outra. Me sentam na cama, me abrem para Marisa e me oferecem a ela.

A mulher, enlouquecida por ter conseguido o que estava querendo fazia tempo, chupa meu clitóris com habilidade. Eu me contorço.

Me agarra pela bunda e me aperta sobre sua boca. Me saboreia de mil maneiras possíveis e sinto prazer com tudo isso. Ondas de prazer intenso e ardente percorrem meu corpo uma vez... depois outra.... e mais uma...

— Molhada e pronta pra mim — eu a ouço dizer.

Não sei a que se refere, mas seu marido me solta, se levanta e desaparece do quarto.

Lauren não fala nada. Apenas me observa extremamente excitada ao mesmo tempo que me segura para Marisa. A mulher introduz dois dedos bem fundo em mim, move-os ali dentro e depois retira. Ergo meus quadris em busca de mais. Ela volta a enfiá-los e retira outra vez, e então percebo que a lubrificação dos seus dedos é minha própria lubrificação. Seu marido aparece, senta-se num lado da cama e nos mostra um vibrador
preto de duas cabeças.

— Estou louco pra ver como vocês vão foder uma à outra.

Olho para Lauren e ela aproveita e me beija. Morde meus lábios e sussurra palavras carinhosas. Os dedos de Marisa continuam me invadindo enquanto eu respiro ofegante e me delicio com o momento. Instantes depois, ela para o que estava fazendo e leva sua boca safada de novo ao centro do meu desejo. Me deixa mais e mais molhada. Eu solto uns gritos, até que ela põe o vibrador de duas cabeças entre nós duas e diz:

— Você está muito caliente... Vamos foder.

Lauren fica atrás de mim. Não me abandona. Está o tempo todo atenta a mim e ao que estou fazendo. Pega o vibrador e, após chupá-lo, vai metendo ele aos poucos me mim.

Centímetro a centímetro, enquanto eu sinto aquele objeto me abrindo a carne, e solto um gemido.

— Sim... assim... — sussurra Lauren no meu ouvido.

Quando Lauren para, Marisa abre as pernas, pega a outra ponta do vibrador e se encaixa nele. Morde os lábios e geme enquanto o enfia em seu corpo e com isso se aproxima ainda mais de mim.

— Cuidado, pequena... — murmura Lauren.

Me fixo em Marisa e em como, com seu olhar provocante, ela se move em busca do orgasmo. Mexe os quadris. O brinquedo entra em mim e nela, arrancando ondas de prazer em nós duas. Marisa faz um movimento com a pélvis, aproximando-se de mim, e eu grito, mas não me acovardo, e agora sou eu quem pressiona a pélvis contra o corpo dela. Esse jogo faz o vibrador entrar e sair de nós, proporcionando um prazer
maravilhoso.

Sentadas uma diante da outra, Marisa me segura pelos braços e se move um pouco para a frente. Me olha, aperta os dentes e respira ofegante. Eu grito enlouquecida, mas, instantes depois, sou eu quem agarra seus braços e os aperta para ela gritar. Gritos... gemidos... tudo isso, somado às palavras de Lauren em meu ouvido, faz nós duas gozarmos, sentadas na cama e unidas por um vibrador. Exaustas, nos deixamos cair para trás.

Fecho os olhos. O jogo me deixou esgotada. Ao sentir alguém retirando o vibrador de dentro de mim, abro os olhos e vejo que é Marisa. Sorrio e então ouço Mario dizer enquanto põe uma camisinha:

— Vamos, garotas... agora é nossa vez.

Olho na direção de Lauren. Vejo que ela rasga a embalagem de um preservativo e o coloca. Em seguida pega minha mão.

— Vou te amarrar na cama e te oferecer a Mario pra ele te comer. Deita de bruços.

Sem hesitar, faço o que ela pede e vejo Marisa fazendo o mesmo. Mario e Lauren amarram nossos pulsos com os lenços de seda na cabeceira da cama. Pouco depois, a cama balança um pouco e eu sinto um tapa no traseiro. Tão forte que chega a arder.

Reconheço a mão de Lauren me agarrando e me fazendo empinar a bunda.

— Abre as pernas pra ele poder meter em você e eu conseguir ver. Entendido, querida?

Faço que sim com a cabeça, e a excitação pelo que ela diz percorre meu corpo inteiro.

Instantes depois, duas mãos que não reconheço me seguram pelos quadris e me introduzem sua ereção aos poucos. O pênis é largo, mas não tão comprido como o de Lauren. Não chega com profundidade. Eu quero mais. Quero que me penetre várias vezes e respiro ofegante de prazer a cada vez, enquanto escuto os gemidos de Marisa ao meu lado e sei que Lauren me olha enquanto lhe dá muito... muito prazer.

Imaginar a cena me deixa mais excitada. Me estimula. Mexe comigo. Nós duas amarradas à cama com a bunda empinada e nossos parceiros nos comendo e exigindo mais.

Uma... duas... três... quatro... cinco... seis penetrações e seis gritos de prazer, na sétima escuto Lauren soltar um gemido rouco, olho para ela e vejo que gozou. Mario me segura e me ergue, se movimenta mais algumas vezes dentro e fora de mim, me aperta de um jeito brusco e finalmente nós dois gozamos. Exausta, respiro com a boca em cima dos lençóis, até que sinto Lauren me tocar e me desamarrar. Beija meus pulsos e diz:

— Vamos... querida. Você precisa de um banho de banheira.

Me pega entre seus braços e eu me aninho nela. Beija minha testa.

— Te amo.

Sorrio.

— Também te amo.

A experiência que acabo de ter me deixa exausta, mas suas palavras fazem meu coração bater mais forte. Vejo a jacuzzi preparada, Lauren me leva até lá e diz:

— Abaixa e se segura na borda.

Faço tudo o que ela pede. Me agacho e a água chega até a cintura. Que delícia! Ouço-a abrir o chuveiro. Deve estar tomando banho. Quando fecha a torneira, Lauren entra na jacuzzi e começar a me ensaboar.

Lava meu cabelo, faz uma massagem na cabeça e a enxágua com delicadeza. Depois pede que eu me vire. Seus olhos cruzam com os meus.

Continua ensaboando meu corpo e, enquanto o enxágua, me dá um beijo no ombro.

— Pronto, querida...


Notas Finais


Qualquer erro, corrijo depois. Tô correndo pra postar todos os capítulos ainda hj kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...