História Peça-me o que quiser - Capítulo 94


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Aspen Leger, Carter Woodwork, Celeste Newsome, Kriss Ambers, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave, Personagens Originais, Rainha Amberly, Rei Clarkson
Tags Americasinger, Aseleção, Maxonschreave, Pmoq
Visualizações 164
Palavras 1.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E AI MEUS BENDY'S
COMEÇAMOS A MARATONA!
AMANHÃ TAMBEM VAI ESTAR VALENDO!

Capítulo 94 - Capítulo 19 - ST


Com um lindo vestido vermelho que comprei esta tarde, me olho no espelho do quarto. Fiz um coque alto, e minha aparência é sofisticada.

Chove horrores. Está caindo um temporal tremendo, e os trovões fazem eu me encolher.

Não sou medrosa, mas nunca gostei dos trovões.

Ligo para meu pai em Jerez e falo com ele e com minha irmã. Ouço, ao fundo, as risadinhas de minha sobrinha, e meu coração se aperta. Enquanto falamos, todos parecem felizes, apesar de sabermos que morremos de saudade. Muita saudade.

Depois de desligar, um tanto emocionada, decido retocar a maquiagem. Chorei, meu nariz está igual a um tomate. Preciso dar uma arrumada geral. Quando acho que já estou totalmente apresentável, vou para a sala, descendo a escada presidencial. É a última noite do ano e quero me sentir feliz com Maxon e Tiago. Maxon, ao me ver, se levanta e caminha até mim.

Está maravilhoso com um conjunto azul.

— Você está linda, Ames. Linda.

Me beija, e seu beijo tem sabor de desejo e amor. Durante uma fração de segundos, nos olhamos nos olhos, até que uma vozinha protesta.

— Parem já com esses beijos! Que nojo!

Tiago não suporta nossas demonstrações de afeto, e isso nos faz sorrir, embora o menino não ache graça nenhuma. Tiago está vestido da mesma cor de Maxon, e o terninho é igual ao blazer dele Faço um gesto de aprovação.

— Tiago, vestido assim, você se parece muito com sua tio. Está muito bonito.

O menino me olha e esboça um sorrisinho. Gostou do meu comentário, mas, mesmo assim, me apressa para jantar.

— Vamos de uma vez. Você está atrasada, e estou com fome.

Olho o relógio. Não são nem sete! Santo Deus, como podem jantar tão cedo?  Este horário de gringo vai me matar. Maxon sorri — parece ler meu pensamento. Quando me recomponho, contemplo a bela e enfeitada mesa que Simona e Norbert prepararam e pergunto, enquanto Maxon me guia a uma das cadeiras:

— Bom, e na Alemanha, o que se janta na última noite do ano?

Mas antes que possam responder, a porta se abre e aparecem Simona e Norbert com formas que deixam sobre a bonita mesa. Surpresa, observo que numa delas, um grande assado de carne, e uma pequena panela com Black-Eyed Peas, um grão que me lembrava o feijão branco.

— Feijões? — digo rindo.

— Eca! — careteia Tiago

— É uma tradição muito comum aqui. E isso não é feijão. — responde Maxon, feliz.

— O assado é de maminha, com ervas finas e batatas— diz Simona. — Sirvo um pouquinho?

— Sim, obrigada.

Simoma me serve, e todos ficam me olhando. Esperam que eu prove o Black-Eyed-Peas que realmente está muito bom. Sorrio, e todos os outros sorriem também. Sem conseguir ficar quieta, enquanto Norbert brinca com Tiago e Simona lhe enche o prato da sopa, olho Maxon e cochicho:

— Por que não diz a Simona e Norbert que se sentem com a gente pra jantar?

Minha sugestão o surpreende, mas concorda, depois de entender o que pretendo.

— Simona, Norbert, querem jantar com a gente?

O casal se olha. Pela cara, imagino que é a primeira vez que Maxon propõe algo assim.

— Senhor — responde Norbert —, agradecemos muito, mas já jantamos.

Maxon me olha. Como estou disposta a atingir meu objetivo, digo sorridente:

— Gostaria que se sentassem com a gente pra sobremesa, combinado?

O casal se olha de novo e, por fim, diante de minha insistência, Simona sorri e concorda.  Dez minutos depois, terminada a sopa, Simoma e Norbert entram com mais pratinhos. Fico olhando um delas com atenção.

— Isso é verdura. Se chama sauerkraut — explica Maxon. — Chucrute, repolho avinagrado.

Prove.

— Sim. Tá sensacional — diz Jin.

Pela cara dele dá pra ver que não gosta, e a aparência do prato não me atrai. Decido recusar a oferta com o melhor dos meus sorrisos e pego um pãozinho com algo que parece um queijo branco. Logo, Norbert deixa umas bandejas sobre a mesa. Aplaudo. Lagostins, queijo e Olé!! Maxon, ao ver minha reação, pega minha mão.

— Não esqueça que minha mãe é Espanhola e temos muitos dos costumes que ela nos passou.

— Nossa, adoro presunto! — exclama o baixinho.

O presunto está de lamber os beiços. Santo Deus, que maravilha! E quando trazem o pato assado, já não me aguento. Mas como não quero fazer uma desfeita, me sirvo um pouquinho, e a verdade é que está delicioso! Também provo um queijo alemão fundido e fundue de frutas.

O jantar transcorre tranquilamente, embora perceba que levo a conversa sozinha. Maxon se contenta em me olhar e sorrir. Jin tenta me evitar, mas, como tenho mais experiência, falo de jogos como de Wii ou PlayStation, e o garoto acaba entrando na conversa. Maxon sorri e sussurra:

— Você é incrível, querida.

Quando decido que não vou comer mais nada para não explodir, aparecem Simoma e Norbert com a sobremesa que tem um aspecto maravilhoso. Só de ver, já dá vontade de devorar.

— Torta de morango de Simona. Delícia! — aplaude Jin, emocionado.

Sem tirar os olhos da torta com a cara tão boa, pergunto:

— O que é isso?

— É uma torta alemã típica, senhorita — diz Norbert —, que minha Simona prepara que é uma maravilha.

— Sim, sim! É a melhor torta que você vai comer na sua vida — me garante Maxon, achando graça.

A mulher, emocionada por ser o centro das atenções, sorri e se dirige a mim:

— É uma receita que minha avó passou pra minha mãe e minha mãe, pra mim. Essa tortinha é feita por camadas. A de baixo é massa podre com fermento; a segunda é uma géleia de morango, manteiga e creme de morango com chocolate, e a chantilli com morangos e cerejas caramelizados

— Mmm, que delícia! — Determinada, levanto e digo: — Como é a sobremesa, agora têm que se sentar com a gente. — Simona e Norbert se olham, e antes que possam dizer alguma coisa, lembro: — Vocês prometeram!

Maxon segue meu exemplo; se levanta, puxa uma cadeira e diz à mulher:

— Simona, tenha a gentileza de se sentar.

A mulher, quase sem respirar, senta, e junto dela, seu marido.

— Muito bem, sou eu quem vai servir a todos esta delícia. — Em seguida, olho o menino e peço a ele: — Tiago, poderia trazer dois pratinhos mais pra Simona e Norbert?

O menino, feliz, corre à cozinha e volta com os dois pratos. Decidida, corto cinco pedaços e os distribuo. Quando sento em minha cadeira, Maxon me olha, satisfeito.

— Vamos atacar logo antes que eu coma tudo — murmuro, provocando uma risada geral


Notas Finais


Nessa madrugada haverá capítulos também
Acabei de chegar de viagem e estou postando para vocês ❤
Até daqui a pouco


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...