História Peça me o que quiser(Namjin) - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~Querido_Dragon

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts blackpink monsta X got7
Visualizações 96
Palavras 1.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá fanfiqueiras de plantão tudo certo com vcs? Aqui é a Lorde Alice trazendo mais um lindo e delicioso capítulo pra vcs.
Sem mais enrolação
Boa leitura
Flw 😏✌

Capítulo 15 - Algumas loucuras


Fanfic / Fanfiction Peça me o que quiser(Namjin) - Capítulo 15 - Algumas loucuras

No sábado à tarde decido sair de novo com meus amigos. Bebemos umas cervejas no bar do Cotton Club, jantamos numa pizzaria e depois seguimos para a boate Vue. Dou uma
olhada à procura do detetive que Namjoon com certeza pôs na minha cola. Mas, claro, não descubro ninguém. Apenas gente se divertindo como eu.
Quando já faz mais de uma hora que estou lá, Lee aparece. Olho para ele
surpresa e ele sorri para mim.
— O que você está fazendo aqui?
—  Gwacheon sem você é muito chato.
Estranhando sua presença, volto a olhar para ele.
— Lee... você está se iludindo comigo. Nunca menti pra você e...
Põe um dedo na minha boca para me fazer ficar quieto.
— Eu sei, mas não consegui me segurar. Vamos... venha ao meu hotel. Temos que
conversar.
Me despeço dos meus amigos e de Azu e prometo voltar logo. Sei que voltarei. A
conversa que vou ter com Lee vai ser rápida e na certa não muito agradável.
Quando chegamos ao hotel, podemos sentir a tensão no ambiente. Me recuso a subir
até seu quarto. Vamos ao bar e pedimos uma bebida. Conversamos durante uma hora,
discutimos,deixamos claros nossos sentimentos. E, quando por fim tudo parece
esclarecido e eu me preparo para ir embora, ele me pega pelo braço.
— Me dá uma chance, por favor. Você mesmo acabou de dizer que não sabe se quer
algo mais. Deixa eu te mostrar de uma vez por todas o que sou capaz de te dar. Você é
lindo, eu te adoro, sua animação para fazer as coisas me enlouquece, e quero que saiba
que eu faria tudo por você.
Preciso de carinho e suas palavras são, nesse momento, um alívio para minhas feridas.
Não posso deixar de pensar no desgraçado safado do meu chefe. Fecho os olhos, e o
olhar possessivo e misterioso de Kim Namjoon aparece. Sem saber por quê, eu beijo Lee. Eu o beijo com tanto erotismo e vontade que até eu mesmo me surpreendo.
Sem hesitar, Lee me arrasta até o elevador. Sei o que ele quer. Sei aonde me
leva e eu deixo. Subimos até seu quarto. Por alguns minutos nos beijamos, enquanto eu
o deixo percorrer meu corpo com as mãos. Mas me sinto um traidor, não consigo parar
de pensar em Namjoon. Quando ele começa a tirar a minha bermuda  eu suspiro e, para sua surpresa, pego sua mão e o incentivo a me tocar.
Excitado com minha empolgação, Lee me joga na cama, deita em cima de mim
se esfregando. É cauteloso. Sempre foi assim. Seu jeito de fazer amor não tem nada a ver com o de Namjoon . No sexo, Lee é devagar e delicado. Namjoon é rude e possessivo.
Dois homens diferentes, com duas formas diferentes de fazer amor.
Meu coração bate com força. Penso em Namjoon  e isso me excito. Tenho certeza de que, se ele visse o que estou fazendo, ficaria tão excitado quanto eu. Seu jogo se transformou no meu. Neste momento, embora seja Lee quem me toca, é Namjoon quem me possui.

Pego o celular e, disfarçadamente, tiro algumas fotos enquanto ele me beija.
Enlouquecido pela minha entrega, ele tira minha cueca e se surpreende ao me ver
de pernas abertas para ele. Sem demora, me lambe e, instantes depois, meu gemido
toma conta do quarto enquanto deixo que ele me coma, me chupe, me penetre com seus
dedos.
Estou de olhos fechados e sinto o olhar de Namjoon. Seus olhos ardentes me censuram,
mas ao mesmo tempo são cheios de desejo. Não quero abrir os olhos. Não quero ver Lee Jooheon . Quero continuar de olhos fechados e sentir a presença de Namjoon sobre mim.
De repente, Lee Jooheon para e abro os olhos. Abriu a calça e está colocando um
preservativo.
— Tem certeza?
Faço que sim com a cabeça. Não consigo falar.
Ele sorri, mas não diz nada. Instantes depois, com delicadeza, começa a entrar em
mim. Um pouco... mais um pouco... mais um pouco, mas a impaciência me domina e sou
eu quem vai em sua busca. Pressiono meus quadris e me encaixo nele, desejando que
goze em mim. Esse ataque o pega de surpresa. Escuto-o suspirar. Ele me agarra pela cintura e move-se para dentro e para fora. Gosto disso. Isso... continua... continua... mas preciso de mais. Meu cu se abre para recebê-lo, mas esse pênis não é o que eu desejo. Meus músculos se contraem, à espera de mais profundidade, mais voracidade, mas  Lee Jooheon, após várias investidas, goza e cai sobre mim.
Fecho os olhos e sinto vontade de chorar. Quero Namjoon. Quero fazer sexo com ele e que ele me faça estremecer. O que até um mês atrás era ótimo com   Lee Jooheon ou qualquer outro homem; agora, depois de Namjoon, ficou sem graça e monótono. Preciso de mais, e só Namjoon sabe me dar o que quero.
Sinto a cabeça de  Lee Jooheon em meu pescoço. Ouço-o respirar forte pelo esforço.
Quando se afasta de mim, pergunta se estou bem. Minto e digo que sim. Não quero
magoá-lo.
Ele me ajuda a me levantar e vou até o banheiro. Fecho a porta e jogo água no rosto,
me olho no espelho e sussurro ao pensar em Nam:
— O que você fez comigo, seu babaca?
Depois de me lavar, saio do banheiro e encontro Lee sentado numa cadeira. Nos olhamos.
— Estou indo.
Sua expressão se contrai.
— Não, Seokjin... fique aqui.
Consciente de que estou me comportando como uma pessoa sem caráter, como um
idiota filha da puta, me aproximo e lhe dou um beijo na boca.
— Por favor, Lee Jooheon, continue com sua vida e me deixe continuar com a minha. Nos
vemos na Coréia.
Dito isso, me viro e saio. Quando fecho a porta atrás de mim, fecho os olhos e suspiro.
Sinto-me péssimo. Ando até o elevador e, já na rua, ligo para minha amiga Azu. Me diz
onde estão e eu corro para lá. Preciso encher a cara e esquecer o que acabei de fazer .


Quando chego à boate Vue, meus amigos me perguntam por  Lee Jooheon.Minha cara
demonstra que não quero falar disso. Respeitam meu silêncio e não perguntam mais.
Meu querido amigo Nacho me oferece uma Coca-Cola.
— Bebe... Vai se sentir melhor.
Uma hora depois, já estou mais relaxado. Nacho conseguiu me fazer sorrir e só me
deixou tomar Coca-Cola. Segundo ele, o álcool não é bom para curar a tristeza. Enquanto todos conversamos, fico observando seu braço. Sua tatuagem me chama a atenção.
Então eu o seguro perto de mim.
— É nova?
— É, sim. Gostou?
Concordo com um gesto.
Sempre gostei de tatuagens e dos homens tatuados.
Algo que Namjoon não tem de jeito nenhum. Sua pele é suave e sem marcas, ao contrário
de Nacho, que é tatuador e adora ter a pele cheia de desenhos. De repente, tenho uma
ideia.
— Nacho, você me faria uma tatuagem?
Ele me crava seus olhos amendoados.
— Claro. Quando você quiser.
— Quanto você me cobraria?
Nacho sorri.
— Nada, meu amor. Pra você eu faço de graça.
— Sério?
— Claro que sim, seu bobo.
— Você faria agora?
Surpreso, deixa sua cerveja no balcão e repete:
— Agora?
— É.
— São cinco da manhã.
Sorrio. Mas, muito a fim de ter uma tatuagem, chego mais perto dele.
— Não acha que é uma hora perfeita pra isso?
Não preciso dizer mais nada. Nacho pega firme na minha mão e saímos. Subimos na
moto e vamos até seu estúdio. Ao entrar, acende as luzes e olho ao redor. Centenas de
desenhos pendurados nas paredes, o trabalho de Nacho ao longo de todos esses anos.
Tribais, nomes, caricaturas, dragões...
— Bem, Senhor Impaciência. Que tatuagem você quer?
Sem me mexer, continuo observando as fotos até que vejo algo e então sei
exatamente o que quero. Ele se surpreende quando digo o que é, mas procuramos em
seus moldes o que eu quero. Decidimos o tamanho. Não muito grande, mas o suficiente
para ser notada. Nacho começa a trabalhar no molde. Vinte minutos depois, olha para mim.
— Já está pronto, meu gigante.
Nervoso, faço que sim com a cabeça. Ele me mostra.
Observo seu desenho e sorrio. Me convida a me sentar na maca onde faz seus
trabalhos.
— Onde você quer a tatuagem?
Hesito por alguns instantes. Quero que a tatuagem seja algo muito íntimo, que só
quem eu queira possa ver e que sempre... sempre me faça lembrar dele. De Namjoon. Por fim, convencido do que quero, aponto o dedo para meu púbis depilado e sussurro:
— Aqui, quero que você tatue aqui.
Nacho sorri. Eu também.
— Menino, vai ser uma tatuagem muito sensual. Você sabe disso, né?
— Sim, eu sei — respondo.
Nacho faz que sim e pergunta, enquanto pega uma agulha:
— Tem certeza, Jin?
— Tenho — afirmo determinada.
— Tudo bem, lindo. Então deite aí.
Enquanto conversamos e escutamos Nicki Minaj, Nacho trabalha sobre meu corpo. As
picadas da agulha são dolorosas, mas nada se compara com a dor que sinto em meu
coração por culpa de Namjoon. Por volta das sete da manhã, Nacho larga a agulha na mesinha e lava minha pele com água.
— Prontinho, lindo.
Levanto, ansiosa para ver o resultado.
De cueca, ando até o espelho e meu coração se contrai quando leio em meu púbis:
“Peça-me o que quiser.”
Ao chegar em casa, em torno das oito da manhã, estou exausto e um pouco dolorido
por causa da tatuagem. Mas abro o notebook. Passo as fotos que tirei com o celular e fico
decidindo qual delas enviar. Depois abro meu e-mail e escrevo:
De: Kim SeokJin
Data: 22 de julho de 2012 08:11
Para: Kim Namjoon
Assunto: Noite agradável
Para que você veja que estou me divertindo e fazendo o que te prometi.
Atenciosamente,
Kim SeokJin
Anexo à mensagem uma foto em que estou deitado na cama e  Lee Jooheon me beija.
Nem menciono a tatuagem. Ele não merece. Quero que se sinta mal. Que veja que minha
vida continua mesmo sem ele. Após ler a breve mensagem umas cem vezes, aperto
“enviar”. Fecho o computador e vou dormir.

Notas Finais


Eai meninas gostaram...
Sim esse foi bem diferente não acham😏😏😏
Se gostaram não esqueçam de favoritar,comentar e me mandar nudes é claro 😂😂😂 zoas.
Até o próximo capítulo.
Flw ✌😏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...