História Pecado Supremo - Livro Um - A Busca - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Assassinato, Crime, Família, Gabriella, Homicidio, Investigação, Lucas, Morte, Ódio, Pecado, Policial, Romance, Sequestro, Sofrimento, Suicidio Etc, Supremo, Vingança
Visualizações 11
Palavras 1.314
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Policial, Romance e Novela, Shounen, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - A Ferro Fogo


            Uma semana depois de terem se conhecido Lucas e Gabriella não se falavam muito, mesmo com as salas uma do lado da outra apenas o contato visual era feito. O tipo de contato que causava raiva em Pedro, além de curtirem uma as coisas do outro nas redes sociais.

Terça-Feira – 9:45 da manhã

Lucas chegou no colégio no carro de seu pai, desceu indo em direção do portão do pátio principal, Gabriella chegou logo atrás foi em direção dele. O pai de Lucas olhou pelo retrovisor avistando a bela mulher no carro de trás uma bela SUV preta. A mesma sorriu e buzinou saindo em seguida, depois o homem acelerou o carro buzinando também. Antes que atravessasse o portão Gabriella gritou – Lucas espera! – Ele não deu atenção de longe Pedro observava tudo, Natália passou por ela e gritou – Lucas seu imbecil me espera! – Ele se virou olhando a expressão de raiva de Gabriella que se virou e saiu andando, Natália deu um soco em seu braço e disse – Imbecil o que aconteceu entre vocês? – Sem dizer nada ela já entendeu qual seria a resposta e inflou as bochechas – Você é um idiota, sabia? – Eu sei! – Respondeu dessa vez apertando a bochecha esquerda dela, ela se grudou em seu braço e juntos entraram no colégio, enquanto subiam as escadas um rapaz alto os esperava ao lado de Allan e Allison, ao ver o belo rapaz branco de olhos azuis e cabelos negros, deu uma leve tremedeira e apertou o braço de Lucas – Caramba, Natália. O Ben é seu crush e eu que me machuco? Inferno! – Praguejou bravo ela deu um leve puxão no braço – Fica quieto, idiota! – Se cumprimentaram seguindo para a sala. Lucas sentiu um vento passar por sua espinha acompanhada por um vulto. Natália sentiu algo que algo não estava certo – Hey, Lucas você está estranho... – Ele sentado em sua frente se virou com um sorriso e respondeu – Eu estou bem, não se pre... – Foi interrompido pelo som de mãos batendo contra sua mesa com muita força. Virou-se lentamente perdendo o sorriso. Um rapaz alto, loiro com o rosto cheio de espinha o olhava fixo – Então você é o tal, Lucas que ainda dando em cima da namorada do meu irmão... – Droga! – Sussurrou Natália, Lucas juntou as mãos na mesa e respirou fundo – Bom, eu sou o “Tal, Lucas”, entretanto não dei em cima da namorada de ninguém. Além disso, seu irmãozinho é muito macho para mandar você aqui entregar um recado, invés de vir ele mesmo... Interessante é que ele não parece confiar em si mesmo... – Os olhos fixos do rapaz não causaram nenhum tipo de reação de medo em Lucas – Você deve ter cuidado com o que fala! – Lucas ergueu uma das sobrancelhas – Não! – Exclamou em alto e bom som, os outros alunos que ali estavam pararam para observar, Natália o puxava para que parasse e Bem interveio – Não vai tocar nele. O olhar direcionado a Bem era mais agressivo, Lucas se levantou, colocando a mão no peito do amigo o afastando – Amigão, não se meta nos meus problemas. Ben recuou o passo – Olha vou ser bem sincero com você, Felipe. Se Pedro não tem coragem de vir falar comigo eu já não posso fazer nada, mas acho que ele está bem grandinho para ficar metendo o irmão mais velho no meio. Logo você estará na faculdade e ele não terá á quem defendê-lo! – Felipe baixou o olhar sorrindo de canto e deu as costas indo embora. Lucas virou para Natália que o abraçou com força, murmurando xingamentos em seus ouvidos, Allison e Bem o cumprimentaram orgulhosos e os demais alunos voltaram a conversar enquanto esperavam o professor chegar.

Após a ultima aula Gabriella, andava pelos corredores indo em direção a saída principal com suas amigas, Tamiris, alta, cabelos castanhos claro e olhos castanhos escuros. Daphinie, corpo forte, cabelos cheios e cacheados, olhos castanhos escuros e pele parda e Jessica, branca, cabelos quase loiros mesclados com preto, olhos castanhos escuros e aparecia próxima a asiáticas, com os braços dados desciam as escadas quando avistaram outros alunos correrem para a quadra atrás do colégio; um, dois, três, no quarto bateu em suas mochilas quase as jogando escada a baixo. O quinto não teve sorte foi agarrado por Tamiris que o prensou contra a parede – Que diabos, está acontecendo? – O jovem negro, de olhos claros mal conseguia falar – Vocês não estão sabendo da briga que está tendo atrás do colégio? – Tamiris o soltou – Briga? – Disse calma, Gabriella arregalou os olhos – Droga, vamos! – Jessica a olhou assustada – Para onde? – Ela segurou a mão da amiga e saiu correndo – Acho que eu sei quem está brigando! – Elas foram correndo até que chegaram na quadra e um grupo de pessoas em circulo atrapalhando se aproximarem os berros conhecidos de Natália pedindo para que parassem, Ben e os gêmeos sendo segurados para não se mover, esgueiraram pelas pessoas até a briga, Gabriella deu um passo para trás ao ser surpreendida por Pedro socando o rosto de Lucas, indefeso por conta de estar sendo segurado por Túlio, o supercílio cortado, os lábios inchados e sangrando – Pedro! Para com isso! – Ela correu em direção dele que parou antes de um último soco – Gabriella o que está fazendo aqui? – Ela olhou severamente para ele que tentou esconder a mão ensangüentada:

            - O que você acha que está fazendo? Túlio solte-o agora! – Soltou Lucas que caiu sem forças no chão. Gabriella abaixou colocando a mão em seu ombro – Você está bem, Lu? – Aquilo causou uma fúria interna em Pedro que cerrou o punho com força:

            - Estou, não precisa se preocupar – Disse cuspindo sangue, olhou para Pedro que sorria – Você é fraco seu babaca! – Lucas tremeu de raiva, Natália deu um passo à frente e foi segurada por uma menina morena e de seios fartos – Me solta, Carol! – Junto com um balanço de cabeça, ela puxou Natália para trás – Não se envolva, ele assumiu uma personalidade que não é dele... A brincadeira e Destino Por Destino começou...

            - Mas eu não posso deixar meu amigo nessa situação...

            - Nana, vai por mim... Lucas agora vai ficar sério... – Lucas franziu o cenho inchado e sangrando – Afaste-se Gabriella...

            - Não! Já chega dessa...

            - Afaste-se Gabriella! – O grito veio de ambos os lados, Lucas se levantou, sorrindo – Preparado para apanhar mais, Lucas? – Indagou Pedro esfregando as mãos – Minha vez! – Lucas saiu correndo e socou Pedro, Túlio foi acertar um soco e Lucas abaixou passando a rasteira – Onde foi que ele apendeu a fazer isso? – Perguntou Natália com os olhos arregalados. Gabriella se aproximou de costas – Ele aprendeu assistindo animes e principalmente lendo Destino Por Destino. Natália fez uma careta de raiva e sussurrou nos ouvidos dela – Isso é tudo culpa sua... – Deixando Gabriella tremendo. Lucas deu dois socos em Pedro e segurou pela camisa, girando e o lançando longe, Tulio veio em sua direção e foi segurado pelo pescoço. Uma mulher se aproximou aplaudindo – Parabéns Lucas, é para isso que você assiste animes? – Alta, longos cabelos negros e olhos castanhos claros, sua pele negra lisa e sedosa fazendo jus a sua beleza – Mãe? – Ela parou de braços cruzados.  Empurrou Túlio para cima de Pedro. O olhar assustador de repreensão caiu sobre ele, sem dizer nenhuma palavra seguiu de cabeça baixa em direção ao carro, os outros alunos começaram a ir embora, Gabriella parou com suas amigas em frente ao namorado – Não acredito que chegou ao ponto de atacar uma pessoa usando seu melhor amigo para ajuda-lo – E seguiu para saída, antes que pudesse entrar no carro, Lucas olhou para ela de uma estranha de seus lábios sem sons saiu Eu sinto muito, com um leve sorriso no rosto bem machucado respondeu sem som também Não sinta! Aquilo causou um calafrio extenso. Lucas entrou no carro e ao olhar pro lado oposto viu um homem parado próximo a uma árvore, que desapareceu em seguida.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...