História Pedophilia: dores, magoas e traumas. (2 parte Gaara). - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hashirama Senju, Kankuro, Karura, Kiba Inuzuka, Madara Uchiha, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Shino Aburame, Temari
Tags Assassinato, Drama, Leegaa, Superação
Exibições 127
Palavras 2.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E preciso aprender a confiar nas pessoas
mas como se faz isso
tendo a certeza da traição dentro da alma.

Capítulo 15 - Treinamento selvagem.


Fanfic / Fanfiction Pedophilia: dores, magoas e traumas. (2 parte Gaara). - Capítulo 15 - Treinamento selvagem.

Cinco da manhã.

- moranguinho, moranguinho acorda.

- o que é chato? Me deixa dormi.

- você tem que acorda são cinco horas, daqui a meia hora o sargento aparece anda acorda.

- me deixa em paz.

- moranguinho você vai acorda por bem ou por mal.

Zzzzzzzzz

Rock Lee percebeu que Gaara realmente não levantaria daquela cama e decidiu então apelar, o moreno levantou o colchão com toda sua força derrubando Gaara no chão frio, o ruivo levantou indignado com a ousadia do moreno, mesmo Lee dizendo que o sargento apareceria a qualquer momento e chamaria os aspirantes para o treinamento físico do dia, Gaara juntou o colchão e antes que desse as costas para Lee voltando a tentar dormi o moreno lhe fez uma ameaça.

- se você se atrever a dormi de novo, eu pego um balde no banheiro encho com água do bebedouro e jogo em você.

- você não tá doido.

- acha mesmo?Quer pagar pra ver?Vai pro banheiro moranguinho, agora!

Mesmo injuriado Gaara se levantou pegou seu uniforme de treinamento e foi para o banho, o medidor de temperatura ficava para fora do banheiro, então assim que Rock Lee ouviu o barulho do chuveiro abrindo o moreno colocou a temperatura para bem frio, o que fez Gaara gritar alguns xingamentos para com o seu colega de quarto.

- desgraçado.

- um dia você vai me agradecer moranguinho.

TOC! TOC!

- estão acordados?

- SIM SARGENTO! (Lee)

- muito bem, agora em formação, MARCHEM!

Todos os aspirantes com exceção de alguns como Lee que já eram militares estavam com cara de porres de sono, alguns cochilavam na fila, para aquecer todo mundo fez cinquenta flexões, duzentas e vinte abdominais, e cinquenta polichinelos sem descanso, quem não aguentava tinha que repetir o exercício até conseguir o número de vezes correto, ou desmaiar e terminar no ambulatório o que perdia ponto e poderia até causar a reprovação e saída da escola policial.

- HOJE NOS VAMOS FAZER TREINAMENTOS QUE ESTIMULEM OS MUSCULOS, ENTÃO PREPAREM-SE!

Começaram com uma corrida, não qualquer corrida, era na rua três quilômetros inteiros, para quem não está acostumado com maratonas aquilo era quase impossível, o importante desse exercício não era chegar à primeiro ou em segundo lugar, tinha que completar a prova, depois os aspirantes entrariam num campo repleto de obstáculos. Vencer a corrida era lutar contra seu próprio corpo, o inimigo é você mesmo, sua exaustão e sedentarismo, vários aspirantes começavam a perde o ritmo antes mesmo de completar o primeiro quilometro, entretanto perseguições a criminosos costumam ser na corrida de várias ruas, o criminoso está preparado a fazer qualquer coisa por sua liberdade e o policial em prender o bandido?

Duas horas e meia depois os primeiros aspirantes chegavam com um palmo de língua para fora, a camisa branca pregada ao corpo suado, e as pernas bambas de tanto correr, assim que iam chegando deitavam no chão e batiam as coxas contra o solo na tentativa de desestressar os músculos. No entanto o descanso era de apenas meia hora os aspirantes já tinha que ir para os obstáculos, Gaara foi o vigésimo sétimo da corrida, Lee foi o primeiro, Neji foi o quarentesímo.

- PRESTEM ATENÇÃO MARICAS VOCÊS TEM QUATRO CORDAS, EU QUERO QUE ESCREVAM SEUS NOMES NO TOPO DA PAREDE ONDE TERMINA CADA CORDA, PRECISAM TER FIRMEZA NESSES GRAVETOS QUE CHAMAM DE PERNAS E FORÇA NAS MÃOS, TEM QUE CONSEGUIR PASSAR POR TODAS AS CORDAS, CASO NÃO CONSIGAM VÃO CAIR NA LAMA, E SE SUJOS DE LAMA FICA ESCORREGADIO EM SUBIR NA CORDA NOVAMENTE.

Todos os aspirantes começaram a subir nas cordas, subir em quatro cordas não seria tão dificultosa para alguns ali, se não tivessem primeiro ter participado de uma maratona de três quilômetros, as pernas ainda estavam bambas, a força nas mãos era o que os impulsionava, todavia a maioria esmagadora acabava caindo na lama em algum momento, o que dificultava demais a subida novamente.

- eu vou desistir capitão.

- VOCÊS PODEM DESISTIR A VONTADE, MAS VÃO PERDE PONTOS, SE CHEGAREM A DEZ, ESTÃO FORA!

Para alguns aquilo era humanamente impossível, Lee completou as quatro cordas, o moreno acabava de subir na primeira e esperava um pouco para subir na segunda, e assim sucessivamente nas outras cordas, Gaara conseguiu subir com dificuldade na primeira, na segunda seus braços pareciam queimar, na terceira caiu e foi lama pra tudo que é lado, não desistiu e mesmo caindo outras oito vezes completou a prova, Neji conseguiu também, mas caiu dezesseis vezes quase desistiu.

- NADA DE DESCANSO, VAMOS CONTINUAR.

Escalada foi o terceiro exercício da manhã, uma bela montanha foi escolhida, o começo foi um pouco complicado pelas partes escorregadias da montanha, segurar e puxar o próprio corpo depois de uma extensa corrida, subida de cordas, era como carregar um corpo que parecia ter o quíntuplo de sua real massa corporal, era muito pesado, havia bandeirinhas no topo da montanha que deveriam ser trazidas pelos alpinistas assim que eles descessem do topo, Lee foi novamente o primeiro e já estava liberado, porém quis esperar por Gaara, apesar de que tinha certeza que Neji não faria nada completamente exausto.

- você está bem?

- estou, eu vou desmaiar.

- não moranguinho, você vai perde ponto precisa aguentar, anda levanta a cabeça.

- eu vou vomitar, meu corpo tá muito pesado.

- olha pra mim, o capitão tá louco pra te fazer perde ponto, vai dá esse gosto pra ele, quer que todo mundo confirme que você é um fraco?

- eu não sou fraco.

- então levanta essa porra dessa cabeça, e vamos logo.

Gaara se ergueu e foi caminhando ao lado de Rock Lee o capitão ficou só olhando para ver se Gaara em algum momento viria ao chão, mas para seu total desgosto o rapaz entrou no dormitório sem cair, porém quando chegou lá praticamente desabou na cama, Lee percebendo o estado de Gaara pegou seus pés e começou a desamarrar os coturnos, o que perturbou o ruivo assim que ele se deu conta do que Lee estava fazendo, Gaara era bastante desconfiado por tudo que já havia passado na vida.

- o que está fazendo?

- tirando seus coturnos, você não vai conseguir tira-los sozinho e nosso descanso e até o meio dia, pronto! Agora vai tomar banho, seu corpo precisa relaxar, anda logo!

- não mexa na temperatura da água.

- eu prometo.

Gaara tomou um banho que o fez se sentir como se tivesse renascido, dormiu que nem uma pedra até meio-dia quando Lee o acordou, levantou sem chiar dessa vez, e foi com seu colega até o refeitório, Lee estava preocupado com Gaara, já que às catorze horas começaria as aulas teóricas da promotoria, e Lee não estaria na mesma sala que Gaara para protegê-lo de Neji, apesar de Neji também está em outra sala, às aulas eram divididas da seguinte forma, escrivão, investigador, papiloscopista, delegado e promotor, então a sala ao lado da que Gaara estudaria seria a de Neji, e Lee estaria a três salas antes da do ruivinho.

- duas horas começa a aula, pelo menos nessa eu sei que ninguém vai tentar acabar comigo.

- moranguinho, presta atenção, o Neji com certeza vai tentar alguma coisa contra você depois da aula.

- eu não tó nem ai pra ele.

- não é questão de você tá ou não ai pra ele, Neji e um cara cruel, e um narcisista sem escrúpulos e ele já marcou tua cara.

- e quer que eu faça o que?

- toma.

- o que isso?

- um spray de pimenta.

- o que?

- olha o Neji não pode bater em você, somente podemos bater em alguém nas lutas oficiais, que vão acontecer no final desse mês, se você tentar se defender batendo nele e você que vai ficar na lista negra do coronel, então a única forma de se defender e com o spray, o Neji e muito orgulhoso pra chegar à sala do coronel que nem um molequinho de pré-escola dizendo que você espirrou alguma coisa nos olhos perolados dele.

- eu não sei.

- ele vai atacar você vai fazer o que? Gritar e chorar que nem uma mocinha?

- está bem, mas só vou usar se ele realmente me pressionar.

E foi exatamente o que aconteceu assim que a aula da promotoria acabou, Neji ficou furioso por Gaara ter espirado spray de pimenta no seu rosto, Neji tinha o maior orgulho de ter seus olhos perolados um marca de superioridade de seu clã, se o moreno já queria o coro do ruivo agora o seu desgosto era questão de honra, e Lee não marcaria no ponto.

Por uma semana inteiro os exercícios foram os mesmos, o número de desistentes cresceu diminuindo aos poucos os aspirantes a carreira na justiça, todos os militares estavam surpresos com a perseverança de um certo ruivo, nem Lee acreditou que Gaara suportaria uma semana de exercícios puxados, para Gaara as dores musculares eram somente a ponta do iceberg que ele enfrentava naquele lugar, Lee era seu principal transtorno, o moreno era sempre atencioso, cuidava dele como um amigo, e realmente Lee só queria ajudar, mas Gaara não acreditava mais em pessoas que fazem alguma coisa sem interesse algum.

- não! Não! Não! Hn! Han! Hn! Não! Não!

- moranguinho, moranguinho, moranguinho.

- NÃÃÃO! O que isso? Por que você tá na minha cama?

- você estava tendo um pesadelo, fiquei assustado, tudo bem?

- está, sai daqui, me deixa em paz.

- calma, respira devagar, pausadamente, com cuidado, isso, já sei vou te contar uma piada.

- o que?

- qual o nome do peixe suicida que se joga do topo do prédio?

- hãn?!

- A- TUM!

- ?????????

- entendeu a- tum! Pula, tum! Lá vai outra, dois tomates atravessaram a rua.

- misericórdia.

- um deles olha e diz: olha o carro ploft! E o outro responde: onde? Ploft!

- Lee.

- entendeu? Eles foram esmagados pelos carros da avenida.

- Lee, eu já tó melhor.

- gostou das piadas?

- adorei, engraçadíssimas.

Pela manhã.

- hoje e segunda-feira de uma nova semana então eles vão mudar os exercícios, se prepara.

- espero que não sejam tão horríveis.

- ASPIRANTES! HOJE VOCÊS VÃO PASSAR POR UM CIRCUITO DE CINCO MODALIDADES, CICLISMO, NATAÇÃO, CORRIDA, TIRO E HIPISMO. NAS SUAS MARCAS ATENÇÃO! JÁÁÁÁÁ!

O ciclismo para muitos dos aspirantes parecia ser fácil, no entanto depois de algumas ruas percorridas, o cansaço prova que não seria assim tão bom aquele exercício, Lee chegou a primeiro lugar, o moreno era realmente o melhor quando se tratava de exercícios físicos, o segundo lugar chegou uma hora depois, alguns obstáculos foram colocados propositalmente justamente para dificultar ainda mais as coisas, alguns tinham quedas feias e precisavam ir ao ambulatório, todas as idas ao ambulatório descontava pontos, se o aspirante caísse precisava voltar para o inicio da prova, desistir era mais perda de pontos.

A natação revelou um dado preocupante, cinco aspirantes não sabiam nadar, e foram reprovados instantaneamente, Gaara nadou com garra e chegou a quinto lugar, se sentia bem na água confortável, de todas as provas essa foi a mais fácil para ele, Neji chegou em decimo quinto, pois estava bem cansado do ciclismo, o mauricinho não era acostumado a pedalar e sim andar de moto e carros caros.

A corrida novamente tirou o coro dos aspirantes, correr fazia todo o corpo doer, eles se sentia esmagados, o peso parecia triplicar, o suor era tanto que todos deixavam uma pequena poça por onde tentava recuperar um pouco de fôlego, o olhar atento de cada capitão de prova sentenciava vários aspirantes que já deixariam a escola no final daquele mês.

No tiro Gaara em fim foi o primeiro colocado, o ruivo sabia atirar como ninguém, o que surpreendeu a todos, principalmente Neji que percebeu naquela hora algo perigoso em sua presa, o ruivo não era tão inofensivo e frágil como Neji esperava, Gaara não errou nenhum alvo e acertou todos em pontos vitais, a maioria Gaara atirava na cabeça, aprendeu isso com Fuu, a moça dizia: se tiver que atirar em alguém seja pra matar.

O hipismo foi um show para os militares, era cavalo dando coice em aspirante desajustado, era aspirante montando do lado errado e ficando ao contrario, aspirante subindo e caindo por falta de equilíbrio, aspirante prendendo o pé na sela e sendo arrastado, uma comédia sem fim, Lee pegou o cavalo e conseguiu completar o percurso com muito estilo, até passou sem derrubar nenhum dos obstáculos que o cavalo teria que pular, correu na água e chegou em primeiro novamente esperou por Gaara, que caiu do cavalo em um dos obstáculos machucando suas costas.

- PODEM IR PARA O QUARTO MOÇAS, AMANHÃ TEM MUITO MAIS.

- ai! Ai! Que dor!

- você levou um tombaço, moranguinho, deixe me ver suas costas.

- não está tudo bem, eu vou ao ambulatório.

- se for perde ponto.

- ninguém merece.

- eu tenho um emplasto aqui que com certeza vai tirar essa dor, vai tomar banho.

Gaara até pra tomar banho teve dificuldade sentia muita dor nos músculos que foram judiados pela montaria, terminou e foi andando devagar até conseguir sentar na cama, Lee apareceu com dois emplastos em forma de grandes adesivos, o ruivo estava tenso em mostrar suas costas, não confiava em Rock Lee, ele tinha certeza que se abaixasse a guarda em algum momento Rock Lee mostraria quem era de verdade.

- anda tira a camisa me deixa colocar isso.

- não.

- por que você tem medo de mim? Eu não sou o Neji, e o mais importante eu gosto de buceta não de macaxeira, ok?

Gaara resolveu tirar a camisa, mas colocou o spray de pimenta embaixo de sua coxa esquerda no caso daquele esquisito subestima-lo de alguma forma, quase morre quando Lee ajeitou sua postura. AAAAAAAAAAH! Depois que Lee fez isso colocou os dois emplastos onde ficaria a coluna lombar, e pediu que Gaara se deitasse aos poucos o emplasto faria efeito e o ruivo se sentiria melhor.

Há terceira semana chegou e com ela um anúncio os aspirantes teriam que participar de um torneio de luta livre que seria aberto ao público que quisesse assistir dentro do quartel, durante aquela semana seria treinamentos de luta para saber qual o nível de cada competidor, Neji estava louco para lutar com Gaara, o ruivo até poderia ser bom de tiro, mas com certeza absoluta era um merda com os punhos, era o que Neji pensava.

- quer lutar com o Neji?

- quero, eu quero dá uns bons socos naquele filho da puta.

- olha o moranguinho sabe xingar.

- me deixa Lee.

- tenho certeza que você vai arrebentar a cara dele, aposto em você, moranguinho.


Notas Finais


M., 35 anos, empresária – Recife-P
...Não sei ao certo quando começou, aliais fiz questão de esquecer.
Tinha mais ou menos 10 anos de idade.
Era de manhã quando brincava pela casa, subi no 1º andar, meu irmão (nove anos mais velho estava deitado em uma cama de campanha, me chamou e pediu para que eu tirar (espremer) espinhas que ele tinha nas costas.
Ele estava de, short, sem camisa, espremi 02 ou 03 espinhas meio sem jeito e ele me pediu para fazer o mesmo em mim.
Disse-lhe que não tinha e ele me pediu para ver, insistindo.
Eu permiti.
Percebi que ele desceu a mão e alisou por entre as minhas pernas de maneira rápida.
Eu me assustei e aproveitei algumas pessoas falando e corri enquanto ele dizia:
“Peraí, peraí, vem cá!”.
Desci os degraus mais que depressa quando cheguei em baixo, minha irmã (seis anos mais velha) foi entrando em casa e eu resolvi que ia contar tudo a Ela.
Não consegui, as pernas tremeram, esbarrei em minha timidez, fiquei com medo de que achasse que eu o tinha provocado.
TIVE MEDO!
Ai começou meu inferno que dura até hoje.
Em 1972, após 21 anos de casamento e 9 filhos meus pais se separaram, sou a oitava.
Três (03) ou quatro (04) anos depois passei a trabalhar para ajudar minha mãe.
Ela dizia que os filhos eram o maior transtorno da vida dela.
Tenho certeza até hoje de carregar um complexo de culpa muito grande, junto com o de rejeição.
Naquela época eu muitas vezes trabalhava sozinha em cima de um banco para poder ficar maior e atender melhor os clientes.
Minha vida era da escola para loja e da loja para casa almoçava muitas vezes dentro da loja como lá também fazia os meus deveres, de casa.
Não tinha brinquedos, não me permitiam ter amigos ou colegas, pois poderiam me colocar contra minha mãe, senhora absoluta e ditadora de normas e regras.
Meu único divertimento quando ela me deixava era assistir TV.
Minha mãe inventou de estudar à noite para encobrir seu comportamento pornográfico para uma
Empresária, mãe de 09 filhos que muitas vezes varava a noite em boates de quinta categoria - e eu a via chegando as 5:30hs. da manhã, na hora que eu estava indo para missa levar minha tia que morava conosco.
Minha vida tornou-se um inferno quando meu irmão então envolveu-se com roubo de toca-fitas e arruaças em um Estado vizinho, ele foi preso, não sei quanto tempo ele passou.
Acho que não chegou há 01 mês, ele voltou e começou a me perseguir à noite, quando as pessoas dormiam.
Ele vinha se chegando, começava a pegar nos meus peitos, passava a mão em minha bunda, introduzindo o dedo em meu ânus fazendo eu masturba-lo.
Em seguida ele se trancava no banheiro e lá passava horas, com umas revistas de sacanagens.
0 meu relacionamento com minha mãe era um abismo. Ela queria a liberdade e os filhos eram naturalmente um empecilho ao processo que ela queria vivenciar.
Nunca recebi nem uma forma de carinho dela, e não a perdôo pelo "presente de grego" que ela me proporcionou, para que sobrasse dinheiro para suas “putarias", farras e para gastar "com bebidas e homens.
Ela permitiu que o verme do meu irmão dormisse em minha cama.
Desejei tantas vezes morrer.
Não sabia como se engravidava, as vezes achava que estava grávida só por ele colocar o dedo em meu ânus.
Bloqueei todos os tipos de reação ou sensação que isso pudesse causar.
Me sentia suja, imunda, nojenta, achava que só ao olhar para mim as pessoas iriam descobrir.
Entristeci-me para vida, para o mundo.
Minha Mãe ocupada demais para qualquer coisa inclusive para se dar conta que meu irmão era um pervertido e na calada da noite até mesmo com ela dormindo na cama ao lado ele me molestava.
Em uma das noites malditas, esse pervertido foi mais além: introduziu seu pênis em meu ânus, aumentando mais ainda minha repulsa, minha revolta e o nojo que sentia de mim mesma.
Durante todo o tempo que isso aconteceu não existia diálogo, ele simplesmente atacava-me nas portas da geladeira, do banheiro ou vendo TV e o mais cruel era saber que na cama ao lado dormia minha mãe, que ela consentia ele dormir comigo em uma cama de solteiro.
Tentei inúmeras vezes criar coragem para falar pois sempre tive a certeza que minha mãe não iria acreditar.
Estava certa.
Quando eu tinha 19 anos ela soube e disse:
“Não acredito que houve isso e se houve foi culpa sua”.
Um certo dia houve um surto de doença venérea entre meus irmãos e foi assim que eu mesma passei toda vez que ele chegava eu repetia continuadamente: doença venérea, doença venérea, doença venérea... até ele sair de junto de mim.
Parece que isso lhe dava medo e ele só respondia:
“Cala boca, não fale isso, eles vão descobrir. "
Sinto-me hoje melhor de poder dividir em palavras escritas, como foi que tudo aconteceu, sabendo que este fato pode ajudar outras pessoas a se livrarem, se libertarem do abuso sexual.
Eu queria ter sido uma criança, uma adolescente e uma adulta normal, sem precisar ter passado por isso.
Estou recomeçando a minha terapia, pois tornei-me uma pessoa agressiva e incrivelmente defensiva ao- ponto de dificultar minhas relações sociais e amo- rosas.
Minha maior revolta e ver que até hoje passados 25 anos minha mãe continua acolhendo-o e ele continua aliciando menores, meninos e meninas com menos de 10 anos de idade, que como eu cedem por medo ou sei lá o que, e satisfazem os prazeres sórdidos de um aliciador profissional.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...