História Peeta e Katniss - Safe and Sound... - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Alma Coin, Annie Cresta, Beetee Latier, Caesar Flickerman, Cressida, Delly Cartwright, Effie Trinket, Enobaria, Gale Hawthorne, Haymitch Abernathy, Johanna Mason, Katniss Everdeen, Madge Undersee, Paylor, Peeta Mellark, Personagens Originais, Plutarch Heavensbee, Pollux, Rye Mellark
Exibições 90
Palavras 1.838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii Tributos! Tudo bem? Espero que sim! ♥

Capítulo 13 - E por que não faz isso?


Saímos da casa de Johanna, andamos aproximadamente 5 minutos e já estamos no Salão, tudo estava muito tranquilo e bem organizado. Assim que entramos várias pessoas vieram nos cumprimentar. Eu entrei com Peeta, usando a desculpa de que iria ajuda-lo, mas na verdade eu estava sem graça perto daquele monte de pessoas desconhecidas.

— Algum problema Katniss? – Pergunta Peeta, passando a mão direita sobre meu ombro.

— Não, eu só estou me sentindo um pouco estranha perto desse monte de desconhecidos. – Digo, olhando mais ao redor.

— Se quiser pode me fazer companhia, assim não estará mais perto de muitos desconhecidos. – Ele diz e me estende o braço.

— Obrigado... – Sussurro em seu ouvido e vejo por alguns pelos de sua nuca que ele ficou arrepiado. “Bobagem, ele deve apenas estar com frio”. Penso andando junto dele por todo salão. Finalmente achamos uma mesa vazia e nos sentamos.

— Onde será que Haymitch e Effie estão? – Peeta me pergunta com um ar curioso.

— Não sei, aqueles dois estão muito estranhos.

— Posso te contar um segredo? – Ele pergunta me chamando com o dedo para me aproximar dele. E assim o faço. — Eu acho que eles estão juntos.

— Sério? – Pergunto entusiasmada.

— Eu creio que sim. – Ele diz e por seu sorriso sei que ele está me escondendo algo.

— Nem vem com esse “creio”, você sabe de algo que eu nem imagino. Me conte! – Digo puxando seu braço e ele sorri, virando sua cabeça para trás, como hoje mais cedo.

Minutos e para mim até horas se passam, garçons trazem e levam bebidas para todas as mesas do Salão, que por sinal está bem cheio.

— Depois o Haymitch me disse que era só um jantar para os mais íntimos. – Digo para Peeta, que parece procurar algo.

— Pois é... Talvez fosse, antes de todo o Distrito 7 ficar sabendo que Johanna Mason está fazendo aniversário. – Ele diz simplesmente.

— Senhoras e senhores, se aproximem para podermos cantar os parabéns. – Diz Gale subindo sobre o pequeno palco que colocaram aqui.

— Katniss, eu tenho que fazer algo. Nos vemos depois dos parabéns. – Ele diz, depositando um beijo em minha bochecha e saindo.

Levanto-me sem sair de perto da mesa e vejo Johanna de frente para o bolo, logo estamos todos cantando os parabéns e Johanna agradece a todos pela presença. De repente Haymitch aparece tomando o microfone da mão de Johanna.

— Eu queria aproveitar o momento tão especial e dizer algumas coisas. Eu tenho pouco mais de 30 anos, já vi de tudo nessa vida, principalmente se tratando das crueldades dos Jogos, mas uma coisa boa, aquela desgraça me deu. Bons drinks, e o amor da minha vida. – Haymitch vai até Effie e pega em sua mão, se ajoelhando diante dela. Em sua outra mão ele segura o microfone e um lindo anel. — Effie Trinket, quer me dar a honra de se tornar a minha esposa?

Assim que Haymitch pergunta, Effie cai em seus braços, desmaiada. Todos se juntam ao redor dos dois, eu vou até uma das garrafas de bebidas e pego uma delas, passo pelas pessoas e destampo a garrafa ao chegar perto de Effie. Deixo o bico um pouco perto do seu nariz, até que ela vai recobrindo os sentidos.

— Effie! – Exclama Haymitch.

— O-o que a-aconteceu? – Ela diz tentando se levantar e Haymitch a ajuda.

— Bom, depois que eu perguntei se você queria casar comigo. Você desmaiou. – Diz Haymitch e ela sorri.

— É claro que eu quero me casar com você. – Effie diz e se joga nos braços de Haymitch.

Devagar eu me afasto do meio das pessoas, indo em direção a sacada. Fico lá por alguns minutos ouvindo o barulho das pessoas conversando lá dentro e encarando a lua.

— A noite está linda não está? – Pergunto ao sentir alguém atrás de mim. Podia jurar que era Peeta, mas não queria atirar no escuro.

— Não mais do que você. – Talvez eu já reconheça seu cheiro, ou saiba distinguir a sua presença. Mas não pude deixar de sorrir quando Peeta se pôs ao meu lado se debruçando na sacada.

— Não começa...

— Ok, ok, não vai dar os parabéns para o mais novo casal? – Ele pergunta sorrindo.

— Quando eles não estiverem mais rodeados de tantas pessoas. – Digo.

Um incomodo silêncio se estende. Era mesmo uma pena, mas eu simplesmente não tinha assunto para falar com Peeta, olho para trás quando escuto passos caminhando até nós.

— Olha se não são os Amantes Desafortunados do Distrito 12! – Diz Plutarch Heavensbee com um cínico sorriso no rosto. — Como vocês estão?

— Tirando uma vontade repentina que me deu de matar você, eu estou ótima. – Digo, voltando para o grande salão. Sento-me na mesa, onde Johanna, Gale, Haymitch e Effie conversam descontraídos.

— Katniss, quantas vezes vou ter que dizer que eu queria tirar Peeta da arena primeiro? – Diz Plutarch se sentando no banco a minha frente.

— E quantas vezes vou ter que dizer que eu não acredito? – Pergunto juntando as mãos sobre a mesa.

— Katniss ainda tem ressentimento com você Haymitch? – Plutarch pergunta tomando uma taça de vinho.

— Digamos que de vez em quando ela ainda me ameaça. – Ele diz sorrindo.

— Poupem-me, algo assim a gente não esquece do dia para o outro. É traição. – Diz Johanna.

— Eu estou meio perdido aqui. Do que vocês estão falando? – Peeta pergunta já sentado ao meu lado.

— Da grande revolta de Katniss Everdeen quando deixamos você na arena. – Diz Haymitch sorrindo.

— Não exatamente Peeta, Johanna e Annie também. – Digo tentando não corar.

— Sabemos... – Haymitch sorri para mim, me deixando extremamente constrangida por sua insinuação.

— Hora de dançar. Você vem comigo Katniss? – Diz Peeta se levantando e dando-me a mão.

— Vou. – Digo, pegando sua mão sem pensar duas vezes.

Peeta nos guia até o centro do salão onde vários casais dançam agarradinhos. A música não é bem lenta, mas mesmo assim é bem romântica. Peeta deposita sua mão em minha cintura e assim começamos a dançar levemente.

— I fell in love with a beautiful girl/ She still takes my breath away. – Peeta começou a cantar acompanhando a música. E eu o olhei surpresa, ele prende o ar por alguns segundos e eu entendo a referência.

(Eu me apaixonei por uma menina linda/ Ela ainda me deixa sem fôlego)

— I fell in love in the morning sun/ While the hours slipped away. — Peeta continua cantando e isso me surpreende. Ele canta bem.

(Eu me apaixonei sob a luz do sol da manhã/ Enquanto as horas escapavam)

Encaro seus olhos e ele sorri me girando.

— Sometimes when I hear your name/ A smile creeps on my face/ And for reason I can't explain/ It's never out of place. — Agora eu me lembro, essa é uma das músicas preferidas de Peeta, ele me disse isso uma vez, enquanto estávamos deitados em seu quarto.

(Às vezes, quando ouço seu nome/ Um sorriso aparece em meu rosto/ E por um motivo que desconheço/ Nunca é fora de hora)

— 'Cause I love you/ More than you think I do/ And I love you/ Now you don't want me to/ 'Cause I love you/ More than you think I do/ And I love you/ Now you don't want me to — Peeta encara meus olhos enquanto canta e passa sua mão pelo meu rosto.

(Pois eu te amo/ Mais do que você acha que amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais/ Pois eu te amo/ Mais do que você acha que amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais)

Eu pensei um pouco e tive uma ideia.

— You run your finger down my back/ And you spelled out your name/ While we laid down on the soft warm ground/ For a week and thirteen days – Eu comecei a cantar e ele sorriu como se estivesse surpreso. Agora está na cara que eu sempre fui interessada por suas coisas, essa também era minha música preferida.

(Você correu os dedos por minhas costas/ E soletrou o seu nome/ Enquanto nós deitávamos no chão suave e quente/ Por uma semana e treze dias)

Peeta desce sua mão por minhas costas e soletra seu nome, eu sorrio com isso.

— And I know that it's all so wrong/ And you heard all this before/ I didn't call back and I wasn't there/ I won't trouble you no more.

(E eu sei que tudo é tão errado/ E você já ouviu isso tudo antes/ Eu não liguei de volta, eu não estava por perto/ Não vou te perturbar mais)

Canto me afastando dele e ele me puxa de volta me girando e sorrindo.

— 'Cause I love you/ More than you think I do/ And I love you/ Now you don't want me to/ 'Cause I love you/ More than you think I do/ And I love you/ Now you don't want me to. – Canto olhando em seus olhos e vejo eles brilharem. Suponho que cantei mais do que devia.

(Pois eu te amo/ Mais do que você acha que amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais/ Pois eu te amo/ Mais do que você acha que amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais)

— Everytime I try to fight it/ Everything just turns out alone/ Maybe if I got my time/ I wouldn't end up alone. – Ele começa e eu o acompanho.

(Todas as vezes que tentei lutar/ Tudo fica tão solitário/ Talvez, se eu tivesse aquele tempo/ Eu não estaria só)

— I fell in love with a beautiful boy/ And he still takes my breath away. — Eu cantei e na última frase segurei um pouco meu ar, Peeta aperta mais a minha cintura me dando um sorriso.

(Eu me apaixonei por um menino lindo/ E ele ainda me deixa sem fôlego)

— When you left, it was the end of my world/ 'Cause I'm never proud to say.— Peeta canta devagar em meu ouvido me fazendo arrepiar.

(Quando você se foi, foi o fim do meu mundo/ Pois não me orgulho de dizer).

— That I love you/ More than you think I do/ And I love you/ Now you don't want me to/ 'Cause I love you/ More than you think I do/ And I love you/ Now you don't want me to./ 'Cause I love you/ And I love you/ 'Cause I love you/ And I love you/ Now you don't want me to. – Cantamos juntos,

(Que eu te amo/ Mais do que você acha que amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais/ Pois eu te amo/ Mais do que você acha que amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais/ Pois eu te amo/ E eu te amo/ Pois eu te amo/ E eu te amo/ Agora, que você não se importa mais)

E quando a música acaba Peeta me dá um abraço apertado e sussurra em meu ouvido:

— Você faz ideia do quanto estou me segurando para não te beijar aqui mesmo. – Ele diz e depois volta a encarar meus olhos.

— E por que não faz isso? – Pergunto em um sussurro sorrindo.


Notas Finais


COMENTEM! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...