História Peeta e Katniss - Safe and Sound... - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Alma Coin, Annie Cresta, Beetee Latier, Caesar Flickerman, Cressida, Delly Cartwright, Effie Trinket, Enobaria, Gale Hawthorne, Haymitch Abernathy, Johanna Mason, Katniss Everdeen, Madge Undersee, Paylor, Peeta Mellark, Personagens Originais, Plutarch Heavensbee, Pollux, Rye Mellark
Exibições 88
Palavras 1.946
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Você se machucou?


Peeta me pega pela mão me guiando até o lado de fora do salão, assim que chegamos lá ele me prensa contra a parede e me beija de supetão, de início eu hesito um pouco por causa da surpresa, mas logo me rendo levando minhas mãos até seus cabelos e os puxando de leve, quando o ar nos falta, Peeta desce seus beijos por toda a extensão do meu pescoço me fazendo arfar e puxar seu cabelo com um pouco mais de força do que eu gostaria. Se as pessoas podem ver o amasso que estamos dando? Não, com certeza não. Já é de madrugada, as únicas pessoas que estão acordadas aqui no 7 estão dentro daquele salão, entretidas demais para sair aqui fora para tomar um ar. De repente Peeta me empurra para longe dele, suas expressões estão sérias e tenho um mau pressentimento.

— Saia daqui Katniss. – Ele diz virando as costas para mim.

— Peeta, o que deu em você? – Digo me colocando em sua frente e encarando seus olhos, suas pupilas estão tão grandes que cobrem quase por completo a íris azul.

— SAIA, por favor Katniss. – Ele grita e seus olhos se enchem de lágrimas. Só aí entendo: Ele está tendo um daqueles malditos flashbacks.

Saio correndo para dentro do Salão, era doloroso demais ver ele daquele jeito, assim que entro pela grande porta avisto a mesa dos nossos amigos, na mesma hora Haymitch me encara e seu sorriso desaparece.

— Haymitch... – Sussurro chorando assim que chego próximo a nossa mesa.

— Katniss? Você está bem? – Haymitch diz vindo até mim. — Onde está o garoto? – Sua expressão fica séria.

— Eu estou bem, Peeta, ele... – Tento dizer, mas sou dominada pelas lágrimas.

— Fique aqui, e não vá lá fora por nada nesse mundo. – Diz Haymitch beijando o topo da minha cabeça e saindo.

— Isso é tudo minha culpa. – Digo me jogando sobre a cadeira e afundando meu rosto nos meus braços.

— Não diga isso Katniss... – Ouço a voz de Plutarch e sinto uma imensa vontade de matá-lo.

— Caro Plu-Plu, sinto que esse não é o momento certo para dizer isso a ela. – Diz Johanna.

— Johanna, eu sei que essa é a sua festa de aniversário. Mas será que eu posso ir embora? – Digo dando uma pousa no meu choro.

— Claro que sim Katniss. Gale dê a sua chave para ela. – Ela diz sorrindo para o namorado.

— Não quer que alguém lhe acompanhe? – Pergunta Effie e eu nego com a cabeça.

Pego a chave da mão de Gale e saio pela porta dos fundos, a culpa que sinto é tão grande que sinto que vou explodir, só quero chegar em casa e chorar até não aguentar mais. Assim que chego tranco a porta e subo correndo para o quarto. “Isso é tudo sua culpa Katniss.”. Digo para mim mesma e isso só me faz chorar mais. Sinto raiva, até ódio de mim mesma, não era para Peeta sofrer assim. Ele é bom, é generoso, eu deveria sofrer isso em seu lugar. Por que eu mereço.

Pov Peeta.

Assim que Katniss sai, poucos minutos depois Haymitch chega, ele conversa comigo me dizendo palavras de conforto até que eu volte ao normal.

— Haymitch, eu a machuquei? – Pergunto sentindo uma dor enorme no peito.

— Não, ela está bem. – Ele diz sorrindo fraco, porém assim que nos aproximamos da nossa mesa Haymitch fica sério. Só então sinto a falta de alguém. — Onde está Katniss?

— Bom, depois de quase inundar esse Salão de tanto chorar, ela foi embora. – Diz Johanna com tranquilidade.

— Ela foi para sua casa? Sozinha? – Pergunto.

— Sim, e se vocês querem saber. Hoje ela se mata. Ela estava péssima. – Johanna diz e eu sinto meu sangue gelar.

— Eu vou para sua casa. – Digo apressado.

— Nem pensar, você acabou de ter um flashback, ficar sozinho com Katniss pode ser perigoso. Eu vou junto. – Diz Haymitch.

— Então vamos todos embora. – Diz Johanna se levantando.

— Não Johanna, é a sua festa. Você tem que ficar. – Digo sem graça.

— Mas... – Ela tenta dizer, porém eu a corto.

— Katniss ficaria ainda mais magoada se você fosse embora agora e abandonasse sua festa. – Digo com razão.

— Está bem... – Ela se senta novamente e me entrega sua chave.

Logo, eu Haymitch e Effie estamos andando até a casa de Johanna, assim que entramos pela porta ouvimos um barulho no andar de cima. Subimos correndo e Haymitch tenta entrar no quarto de Katniss, porém, a porta está trancada.

— Katniss, abre a porta. – Ele diz.

— Me deixa em paz. – Ele diz com a voz embargada, e parece atirar um copo contra a porta.

— Katniss, por favor. Precisamos conversar. – Haymitch pede.

— SAIA HAYMITCH! – Ela grita e mais alguma coisa se quebra lá dentro.

— É inútil. Ela não vai abrir. – Ele diz se dando por vencido.

Eu me deixo escorregar ao lado da porta me sentando no chão, abraço minhas pernas encosto a cabeça na parede fechando os olhos.

— Vão passar a noite aí? – Pergunta Effie.

— Pode ir se deitar Haymitch, eu não vou sair daqui até que ela saia desse quarto. – Digo e ele assente.

— Tem certeza? Ela não vai sair daí hoje. – Ele diz apontando para a porta.

— Não tem problema. Eu fico até ela sair. – Digo abaixando os olhos.

*-*

As horas passam rápido, logo Johanna e Gale aparecem seguidos por Annie, eles perguntam o que aconteceu e eu lhes conto tudo. Logo todos estão dormindo o mais profundo dos sonos, enquanto eu estou aqui, sozinho e tudo o que eu desejo é que Katniss saia desse quarto e me diga que está bem. Afinal eu sei que ela não está, será que eu a maltratei? Será que fui grosseiro ou até mesmo a agredi? Só pode ser isso, por outra coisa ela não teria ficado tão chateada. Com esses pensamentos eu passo a noite em claro, ouço barulhos vindo do quarto de Katniss a noite toda, e suponho que ela também não consiga dormir. Quando vejo o dia clarear e os pássaros cantando do lado de fora da casa de Johanna, decido ir me arrumar para ir para a cozinha preparar o café da manhã.

Pov Katniss.

Quando o dia amanhece decido ir tomar um banho, passei a noite toda em claro pensando em todo mal que fiz a Peeta desde que o conheci. Entro na banheira deixando meu corpo relaxar. “Como vou encarar Peeta depois de ontem?” Penso saindo da banheira, encaro os cacos de vidro espalhados pelo chão, eu me lembro de quebrar tudo o que via pela frente ontem, minha raiva estava tão grande que se eu não descontasse em algo, iria explodir. Visto-me e tomo coragem para descer. 

Assim que desço as escadas sinto o cheiro de café feito na hora, ele está na cozinha, assim como todos os outros presumo eu. Assim que entro na cozinha todos me encaram, inclusive Peeta. E só para constar sua aparência está péssima. Seus olhos estão vermelhos e com olheiras de quem passou a noite sem dormir, seus cabelos estão bagunçados e ele mantem uma expressão séria. 

— Bom dia docinho. – Diz Haymitch forçando um sorriso.

Eu me mantenho em silêncio me sentando na ponta da mesa.

— Você está bem Katniss? – Pergunta Effie e eu olho para ela.

— Estou. – Afirmo sem muita certeza.

O pessoal continua tomando café em silêncio, levanto meu olhar algumas vezes e vejo que Peeta me encara, na mesma hora desvio o olhar.

— Voltamos para o 12 depois do almoço. Estejam prontos. – Haymitch avisa antes de sair acompanhado por Effie.

Eu me levanto e rumo ao meu quarto, assim que passo pela porta a fecho atrás de mim e começo a limpar minha bagunça da noite anterior. Batidas na porta faz com que eu murmure um “Pode entrar” sem nem mesmo olhar quem é.

— Katniss? – Sinto meu corpo tremer por completo quando escuto a voz de Peeta dizer o meu nome. Ele parece fechar a porta e caminhar para perto de mim.

— O que você quer? – Digo num fio de voz.

— Conversar. – Ele diz e sua voz sai triste.

Ponho-me de pé e encaro seus olhos. Peeta está com um semblante de culpa e tristeza explicita em seu olhar e eu realmente não entendo nada disso. Se tem alguém que tem motivos para sentir culpa aqui, esse alguém sou eu.

— Pode falar. – Digo me encaminhando para a poltrona e sentando-me nela.

— Katniss, eu queria te pedir perdão. – Ele diz se sentando na cama a minha frente com os olhos cheios de lágrimas e isso faz um nó se formar em minha garganta.

— Me pedir perdão? – Repito com incredulidade.

— Sim, bom. Quando eu tenho os flashbacks, eu meio que fico fora de mim, como você sabe. E eu não sei o que eu fiz com você ontem, eu tentei perguntar ao Haymitch, mas ele me disse que não viu nada. E pela forma que você ficou ontem depois que chegou da festa e como você está hoje... – Peeta tenta dizer, mas eu o interrompo me atirando em seus braços e o abraçando com força.

— Me perdoa você... Peeta tudo o que eu faço é te trazer dor e sofrimento. Eu, eu já tinha visto uma crise sua antes, mas... Como você ficou ontem, foi horrível. Eu me senti tão culpada e sei que eu sou a culpada por tudo isso que está acontecendo com você. Eu não tenho perdão... – Dou uma pausa quando me dou conta de que estou chorando, Peeta acaricia meus cabelos enquanto balança a cabeça em negação, como se descordasse de tudo o que eu disse.

— Nunca mais diga isso Katniss, você não tem culpa de nada. Eu sofri o que sofri por amar você, não posso me arrepender de nada. – Ele diz baixinho. Eu me afasto e encaro seus olhos, Peeta se aproxima ainda mais, quando nossos lábios estão a centímetros de se tocarem alguém abre a porta.

— Katniss? – Haymitch chama fazendo eu dar um pulo para trás de afastando de Peeta.

— O que foi Haymitch? – Peeta pergunta calmamente.

— Hum, interrompi algo? – Haymitch pergunta.

— Não! – Eu e Peeta respondemos em uníssono.

— Bom, eu vim avisar que a viagem foi adiantada. Sairemos daqui em 40 minutos. – Após dizer isso, Haymitch sai fechando a porta. Não antes de eu poder ver um risinho se formando em seus lábios.

— Bom, é melhor você ir. – Digo para Peeta. É impossível não reparar que estou desconfortável.

— Tudo bem... – Peeta diz caminhando até mim e me dando um suave beijo nos lábios, logo me soltando e saindo pela porta.

Apesar da nossa breve conversa e do beijo que ele me deu, não posso deixar de me sentir culpada. Arrumo minhas coisas o mais rápido possível e desço correndo para a sala.

— Todos prontos? – Effie pergunta e todos assentimos. — Ótimo, hora da despedida. Por hora!

Eu vou até Johanna lhe dando um abraço amigável e agradecendo por sua hospitalidade.

— Você não tem nada que me agradecer, volte sempre que quiser. – Ela diz me abraçando novamente. — E vê se abre teu olho e fisga logo o Peeta. – Após dizer isso ela vai até ele e lhe dá um abraço piscando para mim.

— É uma despedida por hora. Vamos nos ver em breve. – Diz Gale me dando um abraço apertado.

— Claro que sim, ninguém pode faltar ao casamento do Haymitch e da Effie. – Digo sorrindo.

— Tudo bem docinho, agora vamos ou iremos ficar para trás. – Diz Haymitch abrindo a porta e saindo.

Assim que eu desço os pequenos degraus e piso na neve, levo um escorregão e caio sentada no chão, logo sinto braços fortes atrás de mim me ajudando a ficar de pé.

— Você se machucou? – Peeta pergunta segurando meus ombros.

— Não, quer saber? O gelo é inimigo dos desatentados. – Digo, sorrindo um pouco e pegando minha mala.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...