História Pela Janela - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Hidan, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Kakuzu, Kisame Hoshigaki, Konan, Mikoto Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Yahiko
Tags Akatsuki, Itachi, Kakukisa, Kakuzu, Kisaita, Kisame, Kisamexitachi, Romance
Visualizações 434
Palavras 5.122
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii meus Lindos e Lindas, aqui esta mais um capitulo, espero de coração que gostem <3

Capítulo 6 - Você é importante para mim


Fanfic / Fanfiction Pela Janela - Capítulo 6 - Você é importante para mim

Pov’s Kisame On.....

A chuva começou a cair fraca, olhei para o céu enquanto caminhava, que noite foi essa, sorri ao lembrar do Uchiha, que ao mesmo tempo que estava calmo, corava fácil, -Bobo, olhei para frente atravessando a rua, lembranças me vinha a mente direto, aquele momento no banheiro, oque deu em mim, oque deu no meu corpo, passei em frente a uma vitrine olhando  meu reflexo, oque aconteceu naquele banheiro, porque não consegui continuar, meu corpo pedia para me afundar daquele corpo, sangrar aquele pequeno buraquinho, mas minha mente me parava, os gemidos que saia daqueles lábios, me lavava ao nirvana, mas só de imaginar que iria o machucar se transa-se a seco, me arrepiei ao lembrar, -Ts que merda e essa, cheguei no prédio do meu apartamento, o mesmo era simples, tinha um estacionamento na frente, e varias portas já do lado de fora, havia duas escadas onde uma dava para o corredor do primeiro andar, e a outra para o segundo, me aproximei  notando minhas roupas pesadas, balancei a cabeça nem reparei que a chuva havia engrossado, subi as escadas do segunda andar, caminhei ate a porta 226, levei a mão no bolso pegando as chaves, destranquei  já entrando.

Hidan: FINALMENTE, achei que havia sido morto.-Diz se aproximando.

Kisame: Ts, sem gracinha Hidan, oque ouve?

Hidan: PORQUE TA PERGUNTANDO PRA MIM, pergunto ao animal prostrado no seu banheiro!-Diz abrindo a porta.

Kisame: Vai sair nessa chuva?, passa a noite aqui!-Diz neutro.

Hidan: Não prefiro ir, e melhor pra esfriar a merda da cabeça.

Hidan estava agitado, inquieto.

Kisame: Hun...você esta bem?-Diz desconfiado.

Hidan: Qual é Kisame, já passamos por isso não e mesmo....além do mais, a ficha já caiu pra mim.-Diz amargurado.

Olhei para ele franzindo o senho, infelizmente Hidan e apaixonado pelo Kakuzu des do colegial, balancei a cabeça minimamente para ele, as coisas poderiam ser diferentes, mas a vida sempre tenta complicar, ele deu um sorriso amarelo pra mim passando pela porta.

Hidan:Cuida dele?-Diz angustiado.

Confirmei o vendo fechar a porta, meu peito doía ao velo assim, mas para ser sincero, acho que nunca os dois ficariam juntos, Kakuzu o usa de uma maneira abusiva, coisa que não acho muito certo, mas quem sou eu para dar tal exemplo, tirei meu tênis o deixando na entrada, passei a mão na blusa tirando a deixando no chão, pois  já estava pingando, entrei melhor no apartamento que não era nada exagerado ou luxuoso, passei pelo pequeno corredor já dando direto na sala, havia um sofá grande cinza escuro, uma poltrona preta, um aquário mediano com meus 2 peixes, Kira e Zeus, uma TV de 35 polegadas, ao fundo havia uma porta pequena  de vidro que dava para uma sacada, passei pela sala, indo para a cozinha que era divida por um balcão com 3 pequenos bancos , a cozinha era toda branca, com armários simples e uma geladeira pequena, andei no pequeno corredor que tinha duas porta, do lado esquerdo era o banheiro, do lado direito meu quarto, olhei para o banheiro o vendo vazio, adentrei meu quarto que tem uma cama de casal com lenções brancos, uma janela grande ao fundo, um guarda roupas mediano na cor preta, e uma pequena porta, que era o banheiro nada muito exagerado a mesma estava entre aberta, me aproximei acabando de abri-la.

Kisame: Ts....

Kakuzu estava sentado embaixo do chuveiro todo molhado de cabeça abaixada, me aproximei do mesmo o vendo se remexer.

Kisame: Você esta horrível!-Digo sincero.

Kakuzu: Hun....

Kisame: Oque ouve?-Digo me agachando.

Ele levantou a cabeça me mostrando um machucado em sua boca, franzi o senho estranhando aquilo, levei a mão em seu rosto mas foi impedido com um tapa.

Kisame: Oque ouve Kakuzu?-Digo preocupado.

Kakuzu: Esquece! Só me deixa aqui, daqui a pouco vou embora.

Kisame: Para de falar besteira, oque aconteceu?

Kakuzu: Já disse não e nada!-Diz frio.

Kisame: Como nada, porque sua boca esta assim?

Kakuzu: Qual a parte do NADA, você ainda não entendeu, seu idiota!

Kisame: Ts.... não vou discutir com você, da para você ao menos sair dai?

Kakuzu: PARA DE FINGIR!-Diz serio.

Kisame: Fingir?, oque estou fingindo Kakuzu?

Kakuzu: Fingindo que se importa comigo.

Kisame: Acha que isso e fingir? QUAL E KAKUZU, ACHA MESMO QUE EU ESTARIA AQUI SE ESTIVESSE FINGINDO?????

Kakuzu: Não..... deixa eu adivinha...... o moreninho te rejeito foi?-Diz sarcástico.

Passei a mão na nuca me impedindo de soca-lo, odeio quando ele bebe desse jeito.

Kisame: Não Kakuzu....

Kakuzu: Então esta fazendo oque aqui?-Diz ríspido.

Kisame: Estou aqui, porque me preocupo com você imbecil!

Kakuzu: kkkkk não me faça rir, des de quando o grande KI.SA.ME para um foda pra se preocupar!!!!!!!!

Kisame: Cala essa boca...

Kakuzu: Porque, disse algo que te incomodo? Ou quando o levo pro banheiro foi ruim?!!!!!!-Diz ríspido.

Seus olhos estavam dilatados, sorri anasalado o encarando, seu estado estava lastimável, por causa de um ciúme bobo, Kakuzu fechou ainda mais o semblante com minha atitude, me aproximei deixando nossa distancia bem pequena, o vi recuar um pouco mais como ele estava rente ao azuleja não fico muito longe.

Kisame :Meu  ciumentinho... -Digo sussurrando.

Kakuzu: VAI SE FUDER KISAME!!!!!

Me aproximei mais, sentindo sua mão em meu peito.

Kakuzu: Não precisava vir aqui!

Kisame: Para com esse ciúmes....

Kakuzu: Ciúmes?, vai pro inferno, você fica saindo com um cara que nunca viu, acha mesmo que me importo!-Diz sôfrego.

Ele perdeu a força da mão que estava em meu peito, passei minha mão em seu rosto vendo o mesmo o virar, tirei seu cabelo que escondia boa parte de seu pescoço, me aproximei passando meu nariz devagar, o cheiro do seu perfume sempre era doce.

Kisame: Para de bobeira Kakuzu!

Kakuzu: Rs.... bobeira......                      

Kisame: Você sabe que é importante pra mim....

Kakuzu: Ts.......

Kakuzu deslizou a mão em meu abdome, passei a mão na barra da  blusa a subindo, o mesmo me ajudou a tira-la, parei por um momento o observando, seu corpo era igual o meu, mais o diferencial e que suas tatuagens são bem mais dolorosa  do que a minha, passei meu dedos em uma que estava acima do seu estomago, deslizei devagar ,ela estava avermelhada, essa foi a ultima que ele havia feito, Kakuzu mordeu seu lábio se arrepiando.

Kisame: Sensível rsrsrs

Kakuzu: Cala a boca.....-Diz acanhado.

Passei a mão no seu braço o puxando, joguei o mesmo no meu ombro, o ajudando a se levantar, Kakuzu ficou de pé levando a mão na parede.

Kakuzu: Ta.... gi..ra....n...do...

Kisame: Oque?

Tentei entender qual idioma ele estava tentando falar, o vi levar a mão na cabeça olhando para mim.

Kisame: N......

Senti o liquido quente escorrer pelo meu abdome, trinquei meus dentes não querendo ser o Kakuzu agora, juro que quero muito soca-lo ate não aguentar mais, o vi sorrir de leve, o cheiro horrível começou a impregnar o banheiro, mandei ele ir para o quarto enquanto iria tomar um banho e lavar aquela bagunça toda, olhei aquela nojeira no chão sentindo meu estoma revirar, -Oque não fazemos pelos irmãos, liguei o chuveiro deixando a água levar aquela mistura de bebidas que estava no chão agora, tirei a calça junto da box entrando, comecei a me ensaboar tirando aquele cheiro de mim, acabei rapidamente passando a mão na toalha ao lado, me sequei em seguida há enrolei na cintura, sai do banheiro vendo que o quarto estava vazio, olhei na direção do outro banheiro, o vi aberto com um moreno na borda do vazo,-Isso vai longe, foi ate o guarda roupas pegando uma box branca junto com uma bermuda verde escuro, vesti as mesmas  jogando a toalha no meu pescoço, caminhei ate o banheiro não querendo sentir aquele maldito cheiro, mas não tenho escolha, me escorei no portal da porta o vendo me encarar.

Kisame: Acabo?-Diz sorrindo.

Kakuzu: Oque você acha?-Diz fazendo careta.

Sorri indo para a cozinha, procurei uma chaleira junto com alguns saches de chá, ou esse ai não levantaria amanha, foi ate a geladeira, especificamente acima dela pegando alguns biscoite com gotas de chocolates, sorri ao lembrar que comprei aquilo apenas para ele, seu paladar ainda ira acabar com tantos doces, peguei alguns colocando em um pequeno prato, peguei duas xicaras colando os saches, voltei ate no banheiro não o encontrando, olhei para o quarto o vento tirar a calça, escorado na parede, ruim e apelido para a situação dele, voltei para a cozinhar acabando de fazer o chá coloquei todo em uma pequena bandeja a levando para o quarto, cheguei no mesmo vento Kakuzu entrar no banheiro.

Kisame: Quer ajuda?-Diz sereno.

Kakuzu negou entrando no banheiro, me sentei na cama começando a tomar o chá, olhei para a janela vendo a chuva engrossar mais a cada minuto, me desanimei lembrando que hoje voltaria a trabalhar, ao menos ser gerente tem suas preferencias, poderia chegar um pouco mais tarde, logo ouvi a porta ser aberta, Kakuzu saiu cambaleando vestindo apenas uma box vermelha, o mesmo se aproximou acabando de secar os cabelos desajeitado, jogou a toalha no ombro e se sentou na cama, ele pegou a xicara e um biscoito, me escorei na cabeceira da cama olhando a cena.

Kakuzu: Kisame....

Kisame: Esquece!-Digo sereno.

Kakuzu me olhou sereno, acabei de tomar o chá colocando a xicara no chão, me deitei na cama debaixo das cobertas, me virei de lado me sentindo mal, sei muito bem que o Kakuzu só bebeu assim por minha causa, mas e complicado, o considero um irmão, e ainda o melhor, sorri fraco pensando bem, não queria o ver assim, muito menos tão ruim, senti a cama ficar vazia, mas logo ser preenchida novamente, o movimento do cobertor indicava que o teimoso ao menos iria ficar, pelo visto se sentir culpado e pouco, ele sabe que odeio velo assim.

Kisame: Resolveu ficar?

Kakuzu: Sabe que não posso chegar....em casa assim....

Kisame: Dona Naomi  iria me matar rs.-Diz descrente.

Kakuzu: Matar?, esfolar..... e o mais certo a se dizer rs...-Diz sem graça.

Kisame: Hun.....

Kakuzu: Kisa....eu.....

Kisame: Esquece!-Diz ríspido.

Kakuzu: Ts… droga….

Kisame:S ó me diz, como conseguiu esse machucado.

Kakuzu: Hidan......

Fechei o semblante estranhando aquela resposta, aquele idiota podia fazer de tudo mas nunca machucaria o Kakuzu, me virei, vendo ele do lado oposto ao meu.

Kakuzu: Falei a verdade, e tomei a realidade!-Sorri descrente

Kisame: Não entendi!

Ele apertou a coberta na mão, pelo visto coisa boa e que não foi.

Kisame: Oque ouve?

Kakuzu: A verdade Kisame, Hidan não e nada pra mim, e apenas uma foda boa, por causa disso ele me deu um soco, merece essa!-Diz descrente.

Kisame: Idiota!

Kakuzu: .....é eu sei!

Kisame: Qual e Kakuzu precisava dizer isso?

Kakuzu: Tanto faz!-Diz baixo.

Olhei para o teto levando as mãos atrás da cabeça, isso e loucura, em um mundo que uns amam outros não.....oque estou pensando, levei meu braço tampando meu rosto, oque estou sentindo, porque depois que fiquei com esse cara minha mente esta confusa, senti a coberta deslizar pelo meu corpo, logo o peso em minha cintura se fez presente, senti o hálito quente em meu pescoço.

Kakuzu: Transa comigo?-Diz sussurrando.

Um arrepio percorrer meu pescoço com o seu timbre, tirei o braço da frente do meu rosto o vendo-o me encarar, seus lábios rosaram nos meus, Kakuzu selou nossos lábios pedindo passagem, consenti sem excitar sentindo o gosto de chocolate em sua boca, sua língua deslizava na minha me fazendo arrepiar, acabamos por travar uma batalha em nossas bocas, mordi de leve sua língua o ouvindo gemer baixo, levei minhas mãos ate suas coxas, as apertando, ouvi um gemido manhoso sair de seus lábios, me sentei com o mesmo em meu colo sentindo sua ereção sobre a minha, sessamos o beijo pela maldita falta de ar, levei minha mão em seus cabelos entrelaçando meus dedos nos fios, o puxei com um pouco de força o obrigando a tombar a cabeça para traz, Kakuzu deixou seu pescoço a amostra, passei minha língua ali de leve, o ouvindo arfar, parei soltando seus cabelos.

Kakuzu: Não faz isso!-Diz sôfrego.

Kisame: Sabe que não  consigo fazer isso!-Diz serio.

Kakuzu: TS....Porque não?-Diz ríspido.

Kisame: Kakuzu você e como um irmão pra mim...

Kakuzu: Rs..sempre isso...

O mesmo saiu de cima de mim voltando a se deitar na cama, o ver emburrado é divertido, e meio gracioso para não pegar bem gay, sorri ao velo assim, levei a mão em sua cintura o juntando com a minha, o abracei por traz, o ouvi suspirar.

Kakuzu: Odeio você...

Kisame: Também te amo.

Senti sua mão vir por cima das minhas,  em uma caricia silenciosa, sorri anasalado o vendo se contorcer, beijei sua nuca suave, acabei por sentir o sono me abater, suspirei sentindo cada musculo do meu corpo relaxar, meus olhos começarem a arder, um incomodo me obrigou a abri-los rapidamente, me vi deitado no chão, meu rosto ardia, meu corpo doía, coloquei a mão no chão tentando me levantar mais minhas pernas estavam duras, olhei para baixo vendo que as mesmas estavam amarradas, olhei para as minhas roupas vendo que havia sangue, me sentei com um pouco de dificuldade, sentindo cada musculo do meu corpo protestar, comecei a ouvir vozes a minha volta

???: Ridículo.

???: Ele não tem pai nem mãe.

???: Ele e feio.

???: Moleque nojento.

???: Ele fede.

???: Coisa estranha .

Levei minhas mãos nos meus ouvindo não querendo ouvir nada naquilo, o que fiz para eles me odiarem tanto, senti as lagrimas descerem pelo meu rosto, oque fiz a vocês, porque me odeiam se nem me conhece.

???: CALEM A BOCA!

Abri meus olhos rapidamente vendo uma sinueta a frente, logo vi algumas sombras a minha volta, tomarem formas de crianças, as mesma do meu antigo colégio, vi elas se aproximarem dele ameaçando bater, o menino bateu em todos, dando socos e chutes, alguns correram já outros ainda tentavam o enfrentar mais sem êxito, logo não havia mais ninguém apenas ele com sangue em sua blusa branca de uniforme, sangue que não era dele, o vi olhar para mim, fechei os olhos e abaixei a cabeça entre as pernas, comecei a chorar pedindo a todos os santos para que a surra que ele iria me dar acaba-se logo, algo quente deslizou sobre  minhas pernas, levantei a cabeça olhando para as mesma que estavam desamarradas, olhei para frete o vendo me encarar.

???: Qual seu nome?

Kisame: Ki..Kisame....

???: Prazer meu nome e Kakuzu, porque fizeram isso?

Kisame: Eles não gostam de mim, dizem que eu não deveria ter nascido.....

Senti sua mão vir em meu rosto, limpando minhas lagrimas, pela primeira vez senti meu corpo quente, uma sensação única, que não queria deixar sumir.

Kakuzu: Isso não vai acontecer mais, quer ser meu amigo?-Diz sereno.

Sorri ao ouvir aquilo, nunca tive um amigo, mais logo sessei o sorriso me sentindo mal, se ele fosse meu amigo os outros iriam começar a brigar com ele.

Kisame: é......e melhor não......-Diz fitando o chão.

Kakuzu: Hun... porque?

Kisame: Se for meu amigo os outros vão começar a te xingar...

Kakuzu: Que xinguei nem um deles tem coragem de me enfrentar, vou perguntar de novo quer ser meu amigo? –Diz com um beicinho.

Olhei para ele que deu um sorriso único, confirmei com a cabeça sentindo meu peito se encher, retribui o sorriso, jurei para mim mesmo, a partir desse  dia farei de tudo para ver esse sorriso novamente. Abri meus olhos sentindo o suor descer pela minha testa, fitei o telhado atordoado, sorri ao lembrar do sonho, não um sonho e sim uma lembrança, o dia que conheci o Kakuzu, olhei para o meu lado o vendo dormir profundamente, passei a mão em seu rosto afastando seu cabelo que caia sobre seus lábios,  me levantei devagar, olhei para a janela  vendo as nuvens claras e a chuva cair mais calma, foi ate o banheiro fazendo minha higiene matinal, peguei meu celular em cima do lavatório olhando a hora, já era 8:34 da manha, sai do banheiro indo ate a cozinha, peguei o pó de café colocando na cafeteira, voltei para o quarto indo ate o guarda roupas, procurei no mesmo meu  novo uniforme, peguei uma sacola preta, a jogando na  cama, tirei da mesma uma calça social preta, uma blusa de mangas curtas branca com o logo da Over Sweet  em dourado com detalhes em preto, e o blazer preto, olhei o mesmo estendido na cama, hoje e o grande dia da inauguração, depois da reforma que durou um mês, admito que meu estomago não esta dos melhores, comecei a vestir a calça passando um cinto, em seguida a blusa, a mesma ficou justa no meu corpo, peguei uma par de meias branca na gaveta, foi ate a cama calçando as mesmas junto dos sapatos, andei ate o guarda roupas passando um perfume e ajeitando meu cabelo, me olhei de cima a baixo, passei a mão na boca tirando o pirsing do canto,-De o exemplo Hoshigaki.

Kakuzu: Vai assim?-Diz sonolento.

Olhei para traz, vendo-o coçar os olhos como se fosse uma criança.

Kisame: É meu uniforme.

Kakuzu: Não, isso ai e o uniforme de um garoto de programa, não tem blusa maior?-Diz serio.

Kisame: Há Kuzu hoje não.....

O mesmo vez bico, caminhei ate a cozinha, indo ate a cafeteira, peguei um xicara servindo um pouco, me virei seguindo ate o quarto o mesmo havia enfiado debaixo das cobertas novamente.

Kisame: Levanta mula, você também precisa ir trabalhar.

Kakuzu: VAI A MERDA!!!!! Quer explodir minha cabeça....

Kisame: rsrsrs você que quis beber!-Diz sapeca.

Kakuzu: Diz como se a culpa fosse toda minha.....

Kisame: Mas e toda sua kkk anda levanta.

Me aproximei dele colocando a xicara no chão,-Anotação mental preciso comprar um criado mudo, passei a mão no cobertor arrancando de cima dele, o joguei no chão, vendo o mesmo me fuzilar, senti minha blusa ser puxado, Kakuzu levou sua outra mão na minha cintura me jogando sobre a cama, logo suas pernas estavam de cada lado da minha cintura, levei minha mão no seu peito, tentando o tirar de cima de mim, oque foi em vão, suas mãos passaram pelos meus braços os levando acima da minha cabeça.

Kisame: SEU IDIOTA, TA MALUCO VOU ME ATRASAR!!!

Kakuzu: E dai?-Diz sussurrando.

Senti sua respiração na minha orelha, o mesmo mordeu de leve me fazendo arrepiar.

Kisame: Kakuzu por Kami, não posso me atrasar hoje....não mas do que já estou.

Kakuzu: Shi......

Sua língua começou a descer pelo meu pescoço mordendo o mesmo com força,-Marca não filho de uma mãe.

Kisame: Kuzu ..... eu vou ser demitido assim......

Kakuzu: Manda seu chefe ir a puta que o pariu-Diz baixo.

Meu corpo inteiro pedia por mais, Kakuzu sabe meus pontos fracos, seus lábios rosaram nos meus de leve.

Kisame: Porfavor.....-Diz sôfrego.

Kakuzu: E eu sou o sensível depois....

Kakuzu me soltou se sentando do meu lado, olhei para o meu uniforme que agora estava amaçado, fuzilei o mesmo que sorriu de lado, e raro o ver sorrir sem maldade, ou com uma malicia violenta, passei minha mão em seu rosto o vendo fechar os olhos, me aproximei selando nossos lábios em um selinho, como meu corpo podia vibrar só de sentir seus lábios, me afastei o vendo me olhar surpreso.

Kisame: Oque?

Kakuzu:.....nada......e que já faz um tempo que não sinto isso.-Diz sorrindo.

Kisame: Oque?....

Kakuzu: Você assim, com esse carinho todo.

Kisame: Bobo, só tive um sonho bom.-Diz se levantando.

Kakuzu: Sonho?-Diz desconfiado.

Kisame: Sim.

Vesti o blazer o ajeitando no meu corpo, foi ate o lavatório pegando meu celular colocando no bolso, andei ate o guarda roupas pegando as chaves do Over Sweet.

Kakuzu: Seu patrão e sortudo.-Diz malicioso.

Kisame: Kami-sama tenho ate medo de perguntar.

Kakuzu: Com um gerente desses, penso varias coisas que me mandaria direto pro inferno.-Diz mordendo a boca.

Kisame: Mas meu patrão e um idiota, então ele não vai fazer isso.

Kakuzu: Não muda de assunto qual sonho Kisa!

Kisame:kkkk você quem mudou de assunto, e......depois te falo.

Sai do quarto o ouvindo o me xingar, passei pelo pequeno corredor, indo ate a sala, peguei uma maleta preta indo ate a porta.

Kisame: Vê se não volta a dormir, ate mais tarde.

Kakuzu: INFERNO, NÃO GRITA!!!!

Passei pela porta fechando a mesma, e quase impossível não amar esse jeito dele, um durão que perto de mim, parece mais uma criança, sorri descendo as escadas, ao menos a chuva havia parado, foi ate o ponto de ônibus do outro lado da rua, o mesmo estava vazio, logo o vi, acenei para que parece, subi vendo que havia apenas 4 pessoas,-Ao menos chegaremos rápido, me sentei em um dos bancos no fundo, passei a mão no celular o desbloqueando, precisa saber se esta tudo bem na empresa, selecionei a lista de contatos procurando o numero da Hinata, a secretarias do meu patrão, vi no inicio da lista o numero dele,-Hun..... selecionei pondo para chamar, fiquei um pouco ate que caiu na caixa postal, -Estranho, será que fiz alguma coisa de errado, -Obvio Kisame, passei a mão na nuca me lembrando de ontem, deixei aquele gatinho manhoso na mão, senti uma fincada no peito ao lembrar do rosto dele triste quando virei a esquina, passei a mão no peito me sentindo estranho, sufocado, comecei  ouvir uma musica estridente, olhei para baixo vendo que era meu celular, sorri ao ver quem era.

Kisame: Hay.

Itachi: Oi...

Kisame: Como esta?

Itachi: Bem e você, desculpa não ter atendido antes estou na faculdade.

Kisame: Gome, não sabia, irei deixa-lo em paz.

Itachi: Não....esta tudo bem.....precisa de alguma coisa?

A voz do mesmo estava baixa, mordi minha boca, a tentação de ouvi-lo igual a ontem tomou conta do meu corpo.

Kisame:Sim.... você!

Ouvi um suspiro do outro lado.

Itachi: Também.....

Kisame: Também oque?

Itachi:Rs......também.....preciso....de você......

Sorri que nem um bobo ao ouvir que ele estava acanhado mesmo por telefone.

Kisame: Meu gatinho manhoso, me deseja sorte?

Itachi:.........claro......boa sorte Kisa......

Sua respiração estava pesada, provavelmente o mesmo estava corado.

Itachi: Mas...porque?

Kisame: Depois te conto.

Itachi: Ontem ficou.....tudo bem com o seu amigo?

Kisame: Há, sim só bebeu além da conta.

O ônibus logo chegou no meu ponto, desci do mesmo rapidamente atravessando a rua.

Kisame: Preciso desligar, quando chegar em casa se prepara para o seu castigo.

Itachi:.....ca...castigo.....

Kisame: Te avisei Uchiha sou possessivo, e corar em plena faculdade não e algo que tolero.

Itachi: Te.....espero.

Kisame: Ate.

Desliguei o celular andando mais um pouco, -Oque ele tem, porque esse sentimento, meu corpo estava quente, minha boca não parava de sorrir, estou parecendo um idiota, passei a mão na nuca, me aproximando do local, olhei para cima vendo a nova fachada da loja, a placa estava com as letras iguais ao nosso uniforme, os vidros da entrada estavam decorados com as laterais em dourados, dos lados da entrada havia dois vasos pequenos de rosas vermelhas, lindas, levei a mão no bolso colocando a chave na porta a destrancando, entrei já há trancando a reinauguração só seria  as 11, olhei em volta vendo as mesas em madeira na cor tabaco, o piso era de azulejos pretos, as vitrines estavam cheias de doces, bolos capcakes, tortas, roscar, donuts todo oque uma confeitaria tem o direito, vi as meninas em seus novos uniformes, eram uma pequena saia com bluza sociais na cor preta com dourado, tinha um pequeno avental branco na saia, e as mesmas estavam com sandálias de salto baixo.

Yoko: Bom dia Kisame-san como esta?

 Yoko e a caixa, uma das meninas mais lindas que já vi, seu cabelo e branco e estava preço em um coque, seus olhos um azul vivo lindo, o corpo-Kami, como queria leva-la ao delírio admito, mas infelizmente a mesma carrega uma aliança dourada exagerada em seu dedo, uma aria limitada, a blusa deixou seus seios bem mais avantajados do que o normal.

Kisame: Bom dia, estou bem e você?

Yoko: Melhor agora com sua chegada senhor, precisamos ver quem ficara por conta das entregas a tarde.

Kisame: Hun... porque oque ouve com o Jugo?

Yoko: Não sei ao certo, mas ele falou que iria ao medico.

Kisame: Ts.... havia me esquecido, fiquei tão empolgado com a reforme que me esqueci, não se preocupe darei um jeito.

Caminhei deixando aquelas belas curvas para traz, que pena, porque casou tão cedo menina, dei a volta no balcão que agora era mais espaçoso, entrei em uma pequena porta que havia perto das geladeira de bebidas.

Deidara: Kisame seja muito bem vindo.

Olhei o mesmo com o novo uniforme, seu cabelo combinado com o uniforme estava dando um contrate interessante ao meu ver, chamava a atenção todo oque preciso agora, mas o sorriso sapeca em seu rosto me indicava que la vem merda.

Kisame: Não estraga meu dia....-Diz desanimado.

Deidara: Vai se fuder, vim te avisar que vou cobrir o Jugo atarde!

Kisame: Pera ai, de livre e espontânea vontade, e não me xingue no meu trabalho sou seu superior animal!-Diz curioso.

Deidara: HÁ você pode e eu não?-Diz indignado.

Kisame: Sim, agora desembucha oque você quer?

Deidara: Sabado depois das quatro posso ser liberado?-Diz sorrindo.

Kisame: Sínico porque?, Ira estar ocupado com o Sasori?

Sorri malicioso ao velo corar, Deidara e outro apaixonado, oque esse povo tem, se apaixonar apenas para sofrer, e estranho, o vi dar as costas e ir pegar algumas comandas com o Ycaru um dos confeiteiros da cozinha, passei pela cozinha que agora estava bem maior, os fornos maiores, as bancadas com mais espaços, os cozinheiros e confeiteiros usavam domas brancos com detalhes em preto, andei ate o fundo subindo uma escada, onde dava ao escritórios, abri a porta vendo uma pequena sala era toda branca, com 3 poltronas vermelhas, uma mesa a frente de vidro com um notebook branco, logo vi uma moça sair da sala do meu querido patrão.

Hinata: Senhor Kisame-san bom dia.

Kami brinca com minha sanidade, a mesma era dotada de tudo oque mais amo em uma mulher, seios, bunda, coxas, cabelo, sorri sem jeito a imaginando nua dela na minha cama,-Kisame o exemplo.

Kisame: Bom dia Hinata-san ele já chegou?

Hinata: Não senhor, liguei para ele mas o celular só da na caixa postal!-Diz meiga.

Kisame: Relaxa dará todo certo.

A deixei com um pequeno sorriso, segui ate minha sala que tinha uma mesa em tabaco, com uma cadeira preta, e duas pequenas poltronas a frente, uma janela mediana ao fundo, e uma estante ao lado, que havia alguns livros, andei ate a mesa, me sentando na poltrona, coloquei minha pasta em cima, começando a tirar algumas papeis, comecei a fazer anotações antes de descer lá em baixo, fiquei um tempo anotando alguns e fazendo algumas ligações, parei com batidas em minha porta.

Kisame: Entre!

A mesma as abriu não dei o trabalho de olhar ou perderia a linha de raciocínio.

???: Mal dia Hoshigaki Kisame!-Diz serio.

Olhei para a voz grave, vendo meu querido chefe com serias olheiras, o cabelo ainda bagunçada e a gravata mal posta, sorri com malicia vendo o descaso em pessoa na minha frente.

Kisame: Bom dia Kakuzu-san.-Digo sorrindo.

Kakuzu: Não me chama, nem pra almoçar, vou descansar na minha sala, que graças a um amigo estou com dor de cabeça.-Diz frustrado.

Kisame: Sim senhor.

O mesmo mostrou o dedo do meio pra mim, saindo da sala, Kuzu você e muito teimoso, há hora passou rápido, acabei os papeis e quando dei por mim, já era quase onze, sai da minha sala descendo as escadas, vi o alvoroço na cozinha.

Kisame: Oque ouve?

Deidara: Tem uma fila enorme la fora.-Diz animado.

Passei pela cozinha indo ate a porta que dava ate a recepção, passei vendo que realmente era verdade, havia varias pessoas esperando, havia 6 garçonetes e 3 garçons, todos olharam para mim sorrindo.

Kisame: Esta quase na hora, e sei que todos vocês iram conseguir, confio em vocês, e se der tudo certo todos ganharam um dia de folga remunerado.

Vi os mesmos sorrirem, olhei no relógio vendo que todos estavam apostos, logo Yoko foi ate a porta a destrancando.

Yoko:Sejam todos bem vindos, espero que gostem da nova Over Sweet !-Diz sorrindo.

Todos aplaudiram começando a entrar, fechei a porta indo ate a cozinha, todos estavam sorrindo, a animação era algo que não faltava naquele lugar, subi as escadas deixando avisado a Hinata que qualquer coisa poderia me chamar, o telefone da minha sala não parava de tocar, entrei na mesma acabando de resolver algumas coisas, precisava acabar com aquele papéis rápidos, havia vários pedidos novos de bolos de casamento, ou bolos em formato real, alguns levariam mais de uma dia para fazer, atendia agendando, e agradecendo pela preferencia, acabei por olhar o quadro de funcionários, fiquei um tempo apenas nisso ate ouvir batidas em minha porta novamente.

Kisame: Entre.

Hinata: Senhor Kisame-san, desculpe incomoda-lo mas Yoko pediu para o senhor descer.-Diz sorrindo

Olhei no relógio vendo que já passara duas horas que a loja abriu, Isso não era nada bom, geralmente e sempre reclamação, confirmei para ela que saiu, me levantei saindo do meu escritório, desci as escadas vendo Deidara com um sorriso sapeca, fechei o semblante o repreendendo, passei pela porta me espantando um pouco, o lugar estava lotado, as mesas todas cheias, alguns clientes estavam no balcão fazendo seu pedido, já outros esperavam na fila do lado de fora, sorri para os que estavam no balcão uns elogiavam já outros apenas aguardavam, foi ate Yoko que me deu um sorriso longo.

Kisame: Algum problema?-Digo serio.

Yoko: Sim Kisame-san mas....o cliente da mesa 12 queria falar com o gerente.

Confirmei para a mesma saindo daquela aria, passei pelos clientes que elogiavam o lugar, outros me cumprimentaram, andei mais um pouco vendo uma pequena cabeleira loira, com um sorriso sapeca.

Kisame:Boa Tarde, queria falar comigo?-Digo sorrindo.

???:Claro meu nome e Naruto, só gostaria muito de dizer que estou apaixonado com todo aqui!

Kisame:Fico muito feliz em saber Naruto-san.

???:Não acredito, você e o gerente?-Diz sorrindo.

Olhei pra o lado não acreditando, aquele garoto irmão do Itachi, vi que ao lado havia uma pessoa de cabeça baixa, com as bochechas coradas, um cabelo que eu conhecia muito bem a textura, o mesmo levantou a cabeça devagar, a boca entre aberta, sorri de lado o vendo morder seu lábio devagar, Kami-sama preciso de muito auto controle para isso, como queria beija-lo, joga-lo contra essa mesa, ouvir seu gemido manhoso, respirei fundo tentando ao máximo afastar essas ideias, estou no meu trabalho.

Itachi: Oi.....Kisa..me....

Kisame: Itachi-san como esta?-Digo sorrindo.

Naruto: Uau que química!-Diz sorrindo.

Sasuke: Química?, tão quase se comendo aqui, você chama isso de Química?-Diz malicioso.

Sorri para ele que olhou para seu irmão, Itachi desviou o olhar me vendo pelo reflexo do vidro, alto controle, não me abandone agora.

Pov’s Kisame Off....

 

Continua.............


Notas Finais


Oii meus amores que amo de mais, estou amando cada comentários que vocês deixam, me da um animo fora do normal, ai oque acontece, aparece capítulos grandes, eu juro que tentei *mentira* escrever um capitulo pequeno mais ai vocês empolgaram a tia, e deu nesse, gigante, gome nasai rsrs, continuem comentando por favor estou amando saber se estão gostando ou não.

Beijos Roubados:* *banana split*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...