História Pela última vez, que o caos comece ( Interativa ) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Interativa
Exibições 24
Palavras 1.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aí está galera espero que gostem!
Nesse capítulo existe uma pista para quem é o filho do Insanidade

Capítulo 15 - Recrutamento Part. Final


Fanfic / Fanfiction Pela última vez, que o caos comece ( Interativa ) - Capítulo 15 - Recrutamento Part. Final

Laito e Erick estavam rapidamente entraram em posição de batalha quando viram Insanidade trás deles.
- Quem é você? – perguntou Erick.
- Cuidado para quem aponta essa espada garoto – falou Insanidade andando na direção dele – pode acabar se machucando – fala ele parando bem na frente de Erick.
- Melhor se afastar – falou Laito colocando sua Katana no pescoço de Insanidade.
- Hahaha, não precisa se preocupar garoto – fala Insanidade se afastando um pouco – só vim conversar com vocês e com a fantasminha ali atrás – fala virando para Kiah a fantasminha camarada.
- O que você quer com a gente? – perguntou Erick, algo nele o dizia que o homem a sua frente era perigoso.
- Não com você, com eles – falou Insanidade olhando para Kiah e Laito – você pode ir embora, xo, xo – falou ele fazendo sinal para Erick ir embora.
- Ora seu maldito – fala Erick ficando um pouco irritado – eu sou um membro da legião vermelha é melhor ter respeito!
- Ah, então você é membro da legião vermelha, e dai? – falou Insanidade com um tom de zoação.

Erick ficou irritado e tentou usar sua habilidade para desferir um ataque poderoso em Insanidade, mais ela não funcionou, ou melhor sua habilidade nem sequer ativou.
- Mas o que? – falou Erick surpreso – Porque não funciona?
- O que? Sua habilidade? Acontece quando fica perto de mim – falou ele aparecendo atrás de Erick – é de família – Insanidade dá um golpe no pescoço de Erick o fazendo desmaiar.
- O que está fazendo?!?! – falou Laito entrando em posição de ataque novamente.
- Ei, ei, calma aí – fala Insanidade levantando os braços para cima – ele vai ficar bem, é que eu estou com pressa e tenho que falar com vocês dois tipo agora.
- Ok, mas fale rápido – falou Laito relaxando sua postura de combate por 1 segundo.
- Troslei! – falou outro Insanidade surgindo atrás de Laito.
- O qu... – Laito não pode completar sua frase porque Insanidade acertou sua cabeça com um taco de baseball o fazendo cair no chão desmaiado.
- 1... 2... 3, tá fora! – falou o Insanidade com o taco.
- Eu acho que ele morreu – falou o outro Insanidade cutucando Laito com um graveto.
- Não ele tá bem! Hahahaha – falou o Insanidade com o taco – eu acho.
- É quanto a ela, acho que o taco não funciona com ela – fala o outro Insanidade apontando para Kiah.
- Se você vier com nóis eu deixo você desenhar na cara dele enquanto ele tá “dormindo” – falou Insanidade apontando para Laito com o taco – que tal?
- Adorei! Vamos lá! – falou ela começando a marchar até eles.
- Eai quem vai levar o peso morto aqui? – falou Insanidade com o taco para onde deveria estar o outro Insanidade – Ah, para onde ele foi? Maldito, deixou a parte chata para mim – resmungou Insanidade pegando Laito pela gola da camisa e o colocando em suas costas – bem vamos lá!

Um uma outra vila não muito longe dali 

Era mais ou menos meio de tarde e a vila estava bem movimentada, todos os aldeões estavam no centro comercial, e no meio deles podia ser visto um homem de 1.85 metros de altura, ele usava uma armadura de couro com algumas placas de metal em lugares estratégicos, como no peito e antebraços, usava também uma grande capa vermelha com o símbolo da legião vermelha estampado, seu rosto era coberto pela touca da capa que ele usava, em suas costas havia um arco e algumas flechas, em sua cintura havia sua espada de uma mão no lado esquerdo e 3 adagas no lado direito.

Por onde o homem passava todos abriam espaço porque sabiam que não era bom irrita-lo afinal o povo daquela cidade já sabe do que ele é capas de fazer, o homem passou por toda aquela multidão sem ser tocado ou encarado todos tinham medo dele, até que um garoto veio correndo e esbarrou nele sem querer.
- Desculpe senhor não está vendo para on... – o garoto não terminou de falar por ficar paralisado de medo quando viu em quem havia esbarrado.
- Não se preocupe garoto – falou o homem colocando a mão na cabeça do garoto e arrepiando os cabelos castanhos do garoto – mas fique mais atento enquanto corre pode se machucar – falou o homem se retirando e continuando seu caminho.
- Que cara legal – falou o garoto com seus olhos brilhando.

Depois de andar por mais alguns minutos ele finalmente havia chegado em casa, era uma casa simples mas bela, tinha 2 andares, ela era fina e comprida, na sua frente havia um pequeno canteiro de flores que era muito belo e com certeza bem cuidado, ele bateu na porta de madeira que mesmo simples ela era visivelmente bem trabalhada, e entrou.
- Elizabeth! Cheguei! – gritou ele tirando sua touca revelando seu rosto, ele tinha cabelos negros meio azulados, tinha uma pequena franja que cobre seu olho esquerdo, seus olhos são acizentados, e sua pele era levemente bronzeada.
- Dênis! Venha até a cozinha temos visita. – falou uma voz calma e suave.

Dênis ficou curioso, será que era alguém da legião, ou talvez foce mais um assassino enviado para lhe matar, então ele foi até a cozinha que ficava no primeiro andar, e já sacou uma de suas adagas e escondeu em sua manga.
- Hahahaha! Você é muito engraçado! Hahaha, aí minha barriga não tá doendo tanto rir! – Dênis ouviu Elizabeth falar.
- Não é para tanto, geralmente minhas piadas não são tão boas – falou uma voz masculina.

Dênis então chegou na cozinha e viu Elizabeth e Insanidade sentados na mesa, ela estava rindo e ele comendo alguns biscoitos.
- Ah Dênis esse é Insanidade – falou Elizabeth olhando para Dênis, ela era uma mulher de cabelos loiros quase dourados, olhos verdes esmeralda, pele levemente pálida e delicada, dona de um corpo estrutural com belas curvas e seios fardos – ele veio até aqui para falar com você sobre algo muito importante.
- Eai, finalmente te conheci – falou Insanidade virando a cabeça para Dênis – venha se sente ali com sua namorada.
- Na... namorada! Não... Eh... nós ainda não estamos nesse... nesse nível – falou Elizabeth viçando corada. 
- Hahaha, estou brincando, não precisa ficar assim – falou Insanidade com um sorriso no rosto.
- Então o que você quer? – perguntou Dênis desconfiado, o homem a sua frente tem uma aura perigosa e provavelmente não tem boas intenções.
- Ah nada de mais, só vim convidar você para me ajudar a invadir o céu – falou insanidade come do mais um biscoito – esses biscoitos são muito bons.
- O QUE? COMO ASSIM INVADIR O CÉU?!?! – perguntou abismado Dênis, ele não poderia estar falando sério.
- Olha você é representante do Orgulho e eu sei que você tem o número 4 tatuado nas suas costas – falou Insanidade sério – o que eu vou falar para você agora é de extrema importância, então escute bem pois não irei repetir.

No topo de uma montanha muito longe dali 

Um rapaz de 1,73 metros, cabelos negros de cortes medianos e olhos da mesma tonalidade, não aparentando ser do tipo atlético mas ainda tem a musculatura bem definida, em sua  orelha esquerda tem duas argolas pretas na região da hélice, possui também, uma marca na área da nuca, que é uma marca que alguns demônios de alto patente recebem, um círculo com duas espadas cruzadas dentro, estava usando uma regata branca e jeans preto e estava descalço, e ao seu lado havia um corvo.

O rapaz estava observando o céu quando percebeu alguém se aproximando e então ele se virou para ficar frente à frente com Insanidade.
- Ola! – falou Insanidade fazendo o sinal de paz com a mão direita – você deve ser Razihel certo?
- Sim eu mesmo – falou Razihel de forma educada – e o senhor é? – falou o mesmo estendendo sua mão.
- Eu sou Insanidade – falou Insanidade apertando a mão de Razihel – e estou aqui para lhe oferecer a chance de retribuir seus pecados,

Razihel ao ouvir aquilo rapidamente se afastou e puxou seu pincel, a ultima vez que alguém lhe disse ele foi atacado e quase acabou com 5 balas no peito.
- Quem enviou você? Lucifer, os Caçadores ou foram os Russos? – perguntou Razihel calmo, sem demonstrar sequer qualquer sinal de irritação ou surpresa.
- Nenhum deles não se preocupe – falou Insanidade com um pequeno sorriso no rosto – Russos? Sério, como você conseguiu essa?
- Longa história –Razihel então guardou seu pincel ele conseguia ver que o homem a sua frente não queria o seu mal – então que história é essa de redimir meus pecados?
- Digamos que você pode compensar as vidas que você tirou salvando o mundo – disse Insanidade se aproximando e estendendo sua mão – venhamos deixar você entrar na minha mente um pouco.

Razihel apertou a mão de Insanidade, ele ficou vários segundos sem reação até que ele olhou nos olhos de Insanidade.
- Me convenceu, irei com você – falou Razihel com um olhar muito sério.
- Perfeito! – falou Insanidade com um enorme sorriso – vamos então!


Notas Finais


Votação
- Entre esses personagens qual deles deve morrer no próximo capítulo?
1) Smael, o prodígio
2) Ludd, o cruel


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...