História Pelo meu irmão. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail, Naruto
Personagens Acnologia, Erza Scarlet, Kagura Mikazuchi, Lucy Heartfilia, Minerva Orland, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Ultear Milkovich, Wendy Marvell, Zeref
Tags Minertsu, Naca, Naer, Nagura, Nalu, Natsu Dragneel, Natsuoverpower, Nawen
Visualizações 297
Palavras 2.801
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ecchi, Harem, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shounen
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eae galero, tentei escrever um hentai decente. ;-;

Capítulo 10 - Naca!


Abriu os olhos lentamente, porém aquele teto lhe era familiar... sim, era o quarto que eles haviam alugado para os jogos.

Cana – Você acordou! – A voz doce da morena foi ouvida ao lado direito do rosado.

Natsu – O que aconteceu? – Perguntou surpreso e confuso, enquanto virava um pouco a cabeça para encontrar a morena sentada em uma poltrona ao lado da cama, a última coisa que se lembrava era ter derrotado Tempester.

Cana – Hmmm...

FlashBack On

Erza havia acabo de chegar no bar que a guilda havia alugado, logo foi em direção ao balcão onde se encontravam Makarov, Cana e a equipe dos jogos mágicos.

Gray – Ué, cadê o foguinho? – Perguntou confuso, Natsu normalmente era o primeiro a chegar nos locais de encontros, e em um evento como os jogos onde sempre havia lutas Natsu dificilmente se atrasaria.

Erza – Ele está doente. – Mentiu enquanto pedia um bolo de morango ao atendente.

Makarov – É algo sério? – Indagou preocupado.

Erza – Nada grave.– Erza até que mentia bem em alguma situações.

Cana – Vou ir cuidar dele. – Ela disse calmamente colocava um copo ,- que antes estava cheio de sake, - já vazio no balcão porém Erza se engasgou com seu bolo.

A afirmação da morena foi rápida de mais pra ruiva.

Wendy – Erza-san! – A azulada disse preocupada enquanto dava leves tapas nas costas da ruiva.

Após se recuperar do susto um sorriso mínimo brotou nos lábios da ruiva, aquela podia ser a chance pra um certo rosado.

Erza – Só não de bebida a ele. – Ela disse já voltando a comer seu bolo normalmente.

Cana – Até eu sei que pessoas doente não devem beber, bebidas alcolicas. – Respondeu enquanto uma gota se formou em sua cabeça.

*

Cana estava em frente a porta do quarto de Erza, segundo a ruiva Natsu havia ficado no quarto dela, ela também havia pegado as chaves do quarto. Porém quando abriu não havia ninguém.

Cana – Ele deve estar no quarto dele. – Disse para si mesma enquanto passava pela porta do quarto dá ruiva, já a fechando e indo em direção ao quarto ao lado.

Incrivelmente a porta estava aberta.

Cana – Natsu sempre descuidado... – Ela abriu a porta lentamente, mas o quarto também estava vazio. – O Natsu não está aqui! – Disse para si mesma após analisar todo quarto.

Logo após ela escutou o barulho de uma forte explosão.

Só uma pessoa se passou por sua cabeça.  Logo já estava na rua correndo em uma velocidade razoavel em direção aonde escutou a explosão, já que não tinha com ver dá onde veio, teria somente aquele barulho como dica para chegar ao local.

Cana – Wow. – Foi a única coisa que saiu da boca da morena. Destruição total! 

Metade da floresta congelada. Árvores cortadas, quebradas, estraçalhadas. Alguns rastros de coisas quemaidas, o que diabos aconteceu ali?

Cana – "Isso só pode ser coisa do Natsu." – Mesmo tendo muito gelo, a única pessoa que ela sabia que destruia tanto as coisa era o rosado.

Andou um pouco em meio ao local que até algum tempo era uma floresta e achou uma cratera que lhe chamou atenção.  

Cana – Natsu! – Foi a única palavra que saiu da boca morena antes de correr em direção ao rosado.

Flash Back Off

Cana – Depois eu armazenei você em um carta e aquela coisa que você chama de espada em minhas cartas e trouxe pra cá. – Ela terminou enquanto enfiava a mão dentro de uma blusinha branca basica, que a mesma vestia, e retirou uma carta de lá. – Sua espada. – Ela disse enquanto jogava a carta para o rosado que ainda estava deitado.

Natsu – Desculpa. – Ele pediu após pegar a carta e voltava a fitar o teto.

Cana – Pelo o que? – Ela disse confusa e com uma sombrancelha arqueada.

Natsu – Provavelmente você iria beber com aquele cara hoje, então eu atrapalhei seu planos. – Respondeu com um leve rubor nas bochechas, franziu o cenho quando escutou uma gargalhada de cana. 

Cana – Parece que alguém está com ciúmes. – Alfinetou com um leve rubor nas bochechas, estava feliz. Muito feliz!

Como não estaria? Aquele que sempre cuidou de todos, aquele que a incentivou a dizer pra Gildarts que era filha dele, aquele que após retornar conversava com ela todo dia, estava com ciúmes dela.

Logo ela.

Nunca se julgou uma mulher atraente, afinal, estava sempre agarrada a um barril.

Natsu – Desconheço essa palavra. – Ele disse calmo enquanto se colocava sentando na cama. – Oito horas. – Concluiu enquanto olhava o lacrima relógio em cima do criado mudo, Cana ainda ria baixinho.

Cana – Vai fazer alguma coisa ? – Ela perguntou enquanto parava a risada aos poucos. Mais o sorriso não saia de sua face.

Natsu – Tô com fome. – Passou a mão levemente sobre a barriga fazendo a morena conter o riso novamente.

Cana – Vamos comer no bar que a guilda alugou! – Exclamou já se pondo de pé. Movimento que o rosado acompanhou.

Natsu – Certo, só preciso me trocar.

Cana – Você dizendo parece que elas são diferentes. – Ela disse com uma gota em sua cabeça.

(Sad : Nem preciso lembrar que o Natsu tá com as roupas iguais o Sasuke no filme do boruto.)

A brisa da noite era gelida, a cidade estava Incrivelmente calma. Não era barulhenta como a manha.

Cana tremia de leve enquanto se praguejava por não guardar um caso em duas cartas. Claro, tinha uma vontade de andar agarrada a Natsu, mais não queria parecer uma garota atirada.

Natsu a olhava de canto com um mínimo sorriso, a morena era orgulhosa de mais para adimitir que estava com frio, mesmo que fosse pouco.

Natsu – Francamente. – Se pronunciou enquanto puxava a morena, que caminhava ao seu lado, para si.

Cana – O-O que está fazendo? – Perguntou quanto o braço quente do rosado rodeou sua cintura.

Natsu – Te impedindo de pregar um resfriado. – Ele respondeu com um dar de ombros, como estava focado no caminho ele não percebeu um rubor nas bochechas na morena. E também um mínimo sorriso.

Ela até cogitou a ideia de Natsu ler pensamentos.

*

*

Cana – Vira! Vira! Vira! – A morena ria loucamente enquanto observava Natsu virar mais um copo de sake. Hábito que ele havia aprendido com Zeref, beber.

Haviam chegado no bar e muitos já haviam ido embora, a maioria dos que restaram eram os membros mais velhos, como Macao, Wakaba e o próprio mestre. A equipe dos jogos já haviam ido embora.

Makarov – Que bom que já  melhorou filho. – O velhinho comentou sentado em cima do balcão, ele também bebia.

Macao – Cem Jewels que o Natsu pega a Cana. – Murmurou para Wakaba que estava em uma mesa junto a ele.

Wakaba – Apostado. – Ele respondeu com um sorriso convencido, Natsu havia mudado, mais não era tanto assim. Pelo menos era o que ele achava.

Mal eles sabiam que o rosado escutava tudo graças a sua audição apurada.

Cana – Ei Natsu! – A morena o chamou preocupada. – Você está bem? – Perguntou vendo a vermelhidão no rosto do garoto. – "Erza vai me matar." – Ela pensou enquanto choravam lágrimas de anime

Natsu – E-Estou. – Ele respondeu voltando ao normal. – "Velhos..." – Suspirou. – Vamos? Eu te deixo no seu hotel. 

Cana – Vamos. – Respondeu meio a contragosto, se ela já amava beber, imagina com Natsu?

*

*

Natsu – Por que diabos você tem uma casa em Crocus? – Perguntou com uma gota na cabeça enquanto olhava a casa na qual ele e a morena estavam parados em frente.

Cana – Gildarts comprou uma nos últimos jogos, então eu fiquei com ela. – Respondeu com um sorriso de canto.

Não era nada de mais, uma casa simples, Gildarts não gostava muito de hotéis então acabou comprando uma para ver os jogos mágicos de dois anos atrás.

Dinheiro não era problema para ele, afinal era o Ace da guilda.

Natsu – Bom... até amanhã então. 

Cana – E-Espera... – Ela o chamou, a morena tinha um leve rubor nas bochechas. – Não quer entrar? 

Natsu já sabia onde aquilo iria dar, ele estava vibrando por dentro, mais ainda tinha uma coisa a dizer.

Natsu – Cana... Eu e a Erza... – Antes que ele terminasse a morena o interrompeu.

Cana – De-Desculpa, eu n-não... – A morena estava tão envergonhada que não sabia o que dizer. Erza era linda não havia como alguém como ela competir com a ruiva.

Natsu soltou um riso baixinho com a situação da maga das cartas, nunca havia a visto assim,  as bochechas da morena estava em um tom vermelho forte.

Cana – De qualquer, me desculpe! – Ela gritou e estava se preparando para correr para dentro da casa, porém antes que pudesse correr ela sentiu seu braço ser agarrado e acabou sendo puxada. – N-Natsu ? – O rosado colou o corpo de ambos.

O que diabos Natsu queria com ela a final ? Ele havia acabado de declarar que estava com Erza.

Cana não sabia o que era amor, no máximo paixão e paixão era o que sentia por Natsu atualmente, não sabia se amava Natsu, mais se fosse para se entregar para alguém não se importava que fosse ele. 

Só ela sabia o quanto sofreu com a perda dele. Mesmo que não demonstrasse. Quantas noites chorou sentindo falta das brigas do rosado com Gray, Gajeel e companhia? Então ele havia voltado, e ele estava diferente... Mais não era algo ruim, ele estava atencioso com todos. Porém ela acabou não percebendo e achou que ele estava a tratando de modo especial. 

Patética... ela sentia vontade de chorar, espernear, então era aquilo que era amor? A dor que se instalou no seu coração quando o rosado praticamente disse que estava com Erza?

Então amar doía.

Mais afinal Natsu queria o que? Ele a encarava com um olhar indecifrável. A verdade era que aquilo a estava a irritando também, se ele estava com Erza o que queria com ela.

Cana – O que você quer af... – Não conseguiu terminar quando o Dragneel colocou uma mecha do seu cabelo para trás. O rubor nas bochechas acabou voltando, já não bastava estarem com os corpos colados. A forma como o braço esquerdo do rosado estava em sua cintura a segurando contra o mesmo, parecia posessovo. E a mão direita do Dragon Slayer brincava com o cabelo da maga. Imediatamente ela passou a fitar o pés como se fosse a coisa mais interessante de todos.

Natsu – Cana... – Ele a chamou, ela se sentiu forçada a olha-lá nos olhos. – Aceita me dividir com a Erza? 

Era isso?

Cana quando se deu conta, já estava beijando Natsu. Seu corpo se moveu sozinho. Realmente não se importava em dividir o rosado com a ruiva.

Natsu estava de olhos arregalados, Cana havia o beijado, então aquilo era um sim! Imediatamente tratou de corresponder o beijo da morena.

O rosado não tardou em levantar a morena pelas coxas, Cana rapidamente se agarrou ao quadril do rosado com suas pernas.

Se separaram ofegantes, ambos tinham os olhos brilhando, Natsu não tardou em atacar o pescoço da morena, a mesma estava soltando suspiros cada vez mais prazerosos com isso.

Canas – V-vamos... entrar. – A voz da maga das cartas saiu por um fio.

*

*

Entraram esbarrando em tudo, se é que como eles entraram no local podia ser chamado de entrada.

O gosto de menta com um leve toque de sake que os lábios da morena tinha estava enlouquecendo o rosado.

No momento ela estava sendo prensada contra a parede, Natsu a beijava com luxúria, ela não era diferente.

O gosto dos lábios do rosado era algo que não podia se descrever, ela podia dizer até que era uma espécie de afrodisíaco feminino devido a umidade presente em sua intimidade.

Canas – O quarto... fica na primeira a esquerda. – Ela disse entre os beijos.

Natsu nada respondeu apenas seguiu rumo ao quarto, Cana não se desenroscou do rosado por nada. O rosado se sentou na beira da cama com a morena em seu colo.

Se beijaram novamente, suas línguas travavam uma árdua batalha, a sincronia estava perfeita, só se separaram devido a falta de ar, Natsu não tardou em chupar o pescoço da Alberona. A morena gemeu ao sentir o membro do rosado cutucando sua intimidade por cima das roupas.

A mão da morena começou a passear pelos músculos do rosado por baixo da camisa, porém o contato foi rompido pois Natsu se virou e a deitou calmamente na cama, com ele por cima.

O Dragneel atacou os lábios da moça novamente, as mãos de Natsu foram para debaixo da camisa onde ele acariciava o corpo da morena, tiveram de se separar mais uma vez, dessa vez para retirar a camisa simples que a maga vestia, dali revelou se um lindo sutiã preto rendado.

Natsu beijou Cana novamente enquanto sua mão acaraciava os seios da mesma, eles estavam durinhos, isso acabou aumentando a excitação do rosado.

Cana – Ti-Tire-os – A morena disse após se separaram do beijo, o Dragneel os tirou com maestria, os seios da maga saltaram para fora.

Os mamilos rosas pularam para cima e para baixo, acompanhavam o ritmo da respiração ofegante da morena. O rosado parecia ipnotizado com a visão.

Natsu – Lindos... – Foi tudo o que ele disse antes de mover os lábios em direção ao mamilo do seio esquerdo. O rosado prendeu o mamilo entre os lábios e o "puxou" os seios da morena "esticaram" isso só fez sua ereção aumentar.

A mão direita do rosado desceu em direção a calça da morena, e a desabotoou habilmente, Cana se remexia, e gemia, embaixo do rosado, estava enlouquecendo.

Sem aviso prévio ele invadiu a intimidade da maga das cartas com um dedo enquanto sugava os seio da mesmas, Cana gemia loucamente, seu corpo estava em chamas!

Natsu colocou outro dedo na intimidade da morena, e logo sentiu seus dedos serem levemente apertados, Cana havia se despejado nos dedos do rosado.

A Alberona ficou constrangida com tal situação, mais ela deu lugar ao desejo quando o Dragneel levou os dedos a boca e os lambeu.

Natsu – Deliciosa. – Ele disse e logo depois  desabotoou  sua camisa social  e a tirou, logo depois tirou a blusa de tecido fino que ficava abaixo da camisa.

Cana olhava Natsu como Erza olhava um bolo de morango, ou como ela mesma olhava um barril de sake. Com extremo desejo e paixão!

Natsu desceu até os pés da morena onde tirou delicadamente o salto que a mesma usava, logo depois desceu a calça que a morena trajava, dando visão a calcinha também preta. O rubor naa bochechas de Cana a entregava, estava envergonhada, nunca fora vista assim por um homem.

Já Natsu a olhava maravilhado, o corpo da morena era perfeito, queria sentir novamente os lábios da morena novamente e assim o fez. Cana aproveitou para desabotoar a calça de Natsu entre o beijo, já que o mesmo já havia tirado o próprio calçado, ela não queria ficar naquela situação sozinha.

Natsu termirnou de retirar a própria calça e voltou a olhar a morena abaixo de si. Logo seu olhar se voltou a intimidade da morena, já escorria um pouco do líquido da mesma pelo canto da calcinha. Como bom galanteador que era retirou a calcinha da morena com a boca.

Logo caiu de língua na intimidade da morena que soltou um gemido alto. A língua do rosado a invadiu sem dó, levou os dedos aos clitóris dam morena e começou a acariciar os mesmos.

Cana – Você v-vai... me enlouquecer s-seu cachorro. – Foi a única coisa que ela conseguiu dizer, o prazer era de mais, o rosado continuou brincando com a intimidade da garota até que a mesma teve um orgasmo. Ele não desperdiçou uma gota, do líquido da morena.

Natsu retirou sua cueca e Cana o olhou com um olhar safado, ela não tinha mais medos, não quando estivesse com aquele rosado.

Natsu – Pronta ? – Perguntou após se posicionar na entrada da morena, ela apenas assentiu, o Dragneel a penetrou lentamente, logo sentiu algo impedindo a continuação. – Vai doer. – Ele disse.

Cana – Chegue mas perto. – Ela pediu e ele obedeu, logo ela o abraçou. – Pode ir. – Susurrou em seu ouvido.

Ele continuou e o hímen da garota foi rompido, Cana mordeu o ombro do rosado com força, tanto é que sangrou, mais o mesmo nem se importou.

Ficaram cerca de três minutos assim, abraçados, sentindo um ao outro, Cana se remexeu embaixo do rosado e ele entendeu que ele podia começar.

Ele começou em um ritmo lento, como se fosse uma dança lenta, Cana naquele momento teve certeza, amava Natsu, havia escutado que a primeira vez doía, mais com o jeito romântico do Dragneel não houve dor, apenas amor.

Cana – Mais rápido. – Ela pediu.

Com o pedido da Alberona o ritmo das estocadas aumentaram, o cheiro de sexo estava impregnado no quarto. 

Logo as estocadas já estavam em um ritmo frenético, Cana gemia abaixo do rosado, as costas do rosado estavam com diversos arranhados, e o pescoço da morena continha algumas marcas roxas.

Ela não havia o soltado do abraço desde o começo...

Natsu sentiu seu membro ser apertado dentro da intimidade da morena e o abraço dá mesma afroxou um pouco, logo ela se despejou no membro do mesmo.

Cana se sentiu nas nuvens, porém voltou a realidade, Natsu ainda a estocava... Mais não durou muito, logo ele também se despejou dentro dela.

Cana finalmente o soltou, e Natsu apoiou os braços no colchão somente para se levantar um pouco e encarar a morena. Ambos tinham um brilho no olhar, ainda estavam "conectados um ao outro".

Em um movimento rápido Cana girou conseguiu ficar por cima do Dragneel, as mãos dele viajaram as nádegas da morena, essas que ele achava perfeito.

Sorriram um para o outro. A noite ia ser longa.


Notas Finais


Quem apoia a Minerva no harém?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...