História Pelo nosso mundo - Interativa - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Aliens, Esperança, Fins Dos Tempos, Interativa
Exibições 12
Palavras 957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Capítulo especial narrado em terceira pessoa

Desculpem a demora ^^

Capítulo 12 - Os últimos 5 minutos Parte III


 Um ano depois.

Nas ruas de Tóquio, Japão.

 

— Eu disse para virar a esquerda Anthony – diz Derrick

— Eles esperam que viremos a esquerda, por isso vamos seguir em frente – Responde o loiro no volante de um carro conversível

— Não entendo porque esse garoto é tão importante – diz o moreno frustrado – hey, você disse que ela estaria lá… Não mentiu né

— Claro que não. Vallerry estará lá com toda certeza. Vai poder vê-la através de uma tela de computador – responde Anthony rindo

— Droga você mentiu pra mim. Já estou cansado de vê-la através da webcan… CUIDADO

Ao aviso do moreno, Anthony se desvia de um cachorro na rua

— Isso te lembra alguma coisa? - incentiva o loiro

— Deveria? - pergunta Derrick estranhando a pergunta. Toda vez que vê um cachorro o outro tenta incentivá-lo a lembrar de algo, mas não consegue. As únicas lembranças são as do último ano, em que passou no Japão, procurando um homem, que parece ter informações sobre os aliens. Mas nunca conseguiram o encontrar. Agora Anthony disse que está na hora de encontrar com um velho amigo — Elizabeth vai estar lá também?

— O convite foi feito… mas depois que ela me reconheceu, nunca mais quis falar comigo – ele diz num tom triste

— E quanto a Kenny e Kaya? - pergunta o moreno se lembrando apenas dos nomes

— Você não deveria se lembrar deles – Fala Anthony estranhando – mas infelizmente eles estão mortos. Foram capturados pelos alienígenas. O último que os viu, foi o nosso amigo que estamos indo encontrar. Chegamos

Os dois amigos descem do carro e correm para dentro do prédio. Já se passa das 23 horas, não deveriam se arriscar desse jeito. Sobem o lance de escadas, até o apartamento 221B. Batem na porta, logo o alien abre:

— Entrem, rápido – ele ainda usa a armadura, observa Anthony

— Hoje fez um ano. Cadê ele? - pergunta o loiro

— Vou descongelá-lo assim que ela chegar – responde o alienígena

— Ela? - pergunta Derrick cheio de esperança

Alguém bate na porta, e abre como se já fosse de casa, a batida só serviu como informação “eu cheguei”. Elizabeth está mais linda do que nunca, observa Anthony.

— Oi Beth – cumprimenta Derrick, ela sorri para ele, aperta a mão do alien, e ignora completamente a presença de Anthony

— Até quando vai me ignorar? - pergunta ele indignado

— Pra sempre – responde ela secamente – estou aqui por causo do Jonathan

— Vou iniciar o processo – informa o alienígena

— Eu não entendo – diz Derrick

— Já disse pra se afastar do Anthony – ela fala

Os três seguem o alien até o vidro onde está Jonathan congelado. Enquanto o alienígena aperta alguns botões, Anthony liga para Rousny

— O processo está sendo iniciado – informa o loiro

— Tenho um aquecedor, vai acelerar o descongelamento – avisa o alien

— Oscar, não conseguimos encontrar o homem que faz armas capazes de matar um alien. Poderia checar nos registros dos alienígenas se conhecem um cara assim? - Pergunta Rousny

— Claro – responde o alien – vou adorar ajudar

— Depois de um ano e não conseguimos nada… - reclama Elizabeth

— Logo, logo meu filho vai acordar. Vamos esperar na sala? - sugere Oscar

Os quatro indivíduos, seguem para a sala e se sentam.

— Como ele deve estar? Estou morrendo de saudade – fala a morena

— Está congelado – diz Anthony com desdém

— Quando ele descobrir quem você é, também nunca mais vai olhar na sua cara – diz quase gritando a menina

— Porque eu não entendo? Porque vocês não me explicam nada? - pergunta Derrick cansado de ninguém contar nada pra ele

— Ah, Rick – fala Elizabeth com voz mansa – isso não deveria ter acontecido com você – ela segura a mão do moreno e Anthony intervem

— Vellerry não vai gostar disso – com medo Derrick afasta a mão da outra menina

— Como você pode ser tão idiota… - ia gritando Elizabeth

— Escute – diz o loiro

— Não venha me mandar ficar… - ela continua gritando

— É sério! Escute – Anthony fica de pé e vai até a janela – temos companhia

Do lado de fora, um helicóptero se aproxima a toda velocidade, iluminando a janela do apartamento em que eles estão

— Precisamos de quanto tempo? - pergunta Anthony para Oscar

O alienígena se dirige para o quarto. Elizabeth vai até um quartinho no corredor e volta com uma arma de cano longo e mira. Na janela procura o ângulo certo para acertar o piloto, o som do tiro ecoa pelo apartamento. Logo o helicóptero cai na rua explodindo

— Como fez isso? - Pergunta Derrick surpreso

— Nesse último ano melhorei minhas habilidades. Sabia que um dia seriam úteis – ela responde sorrindo

— Espero que tenha uma bazuca no seu estoque – comenta Anthony olhando sério para fora.

Além de mais dois helicópteros, sete viaturas e cinco carros forte se aproximam. E como se não bastasse alguns aliens vem andando, esses entram no apartamento

— Rendam-se, temos uma denúncia comprovada que vocês desrespeitaram nossas leis – uma voz saí de um helicóptero

— Preciso de mais 5 minutos – grita Oscar do quarto

Anthony corre para tentar bloquear a porta do apartamento. No mesmo instante em que os alienígenas alcançam a porta e a arrombam. Elizabeth dá uns tiros, matando alguns deles, isso possibilita que o loiro conclua seu trabalho. Ele coloca os dois sofás na frente da porta.

Os helicópteros começam a atirar pela janela, os três se escondem enquanto os tiros fazem buracos pelas paredes. Esses tiros não são injeções… estão atirando para matar imediatamente.

— O que vamos fazer? - grita Elizabeth para que os outros dois escutem

— Nos entregar – sugere Derrick

— Lutar até o fim – diz Anthony

— Como diria um velho amigo… - começa Elizabeth, mas é Derrick quem termina a frase

— Não desista, persista

 

Nesse exato momento, no outro cômodo Jonathan acorda, depois de um ano confinado no frio. Suas primeiras palavras são:

— Beterraba azeda 


Notas Finais


Até terça que vem ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...