História Pensando em Você - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Originais, Shounen Ai, Yaoi
Exibições 16
Palavras 1.622
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oiii!! Desculpem pela demora okay? Muito obrigada pelos comentários^^(Lembrando que não é obrigado a comentar e não quiserem). Espero que estejam gostando da história e dos personagens, apesar de alguns me irritarem também *-*

Capítulo 8 - O namorado do meu tio


 - Você vai ficar suspenso por três dias. – O vice-diretor da escola diz o olhando seriamente.

- O que? Mas esse cara me irritou. – Yuta diz muito irritado me olhando.

- Você não deveria ter respondido por agressão. – O vice-diretor olha para nós dois. – Agora Izumi, você pode ir para a enfermaria.

Eu me levanto devagar, percebendo o olhar matadouro de Yuta sobre mim. Ele provavelmente vai querer me matar quando a suspensão acabar, me deu até um calafrio.

Eu vou andando procurando a enfermaria, droga, como vou saber onde está? Eu viro um corredor e acabo esbarrando em alguém.

- Oh, me desculpe. – Eu escuto uma voz um pouco grave e quando levanto a minha cabeça, me deparo com lindos olhos azuis.

- Eu que não olhei por onde andava, estava tão distraído olhando para os lados que me esqueci de ver se não tinha ninguém passando. – Coloco a minha mão na cabeça

- Você um aluno novo?

- Sim. – Eu falo olhando para a sua roupa, ele está usando vestes bem simples, uma blusa azul comum debaixo de uma jaqueta branca e uma calça jeans. Ele ser um professor, talvez? – Eu estou procurando a enfermaria, você poderia me ajudar por favor?

Ele começa a rir baixinho e fala:

- Você falou com a pessoa certa.

~

Chegamos na enfermaria, eu me sento na cama, ele limpa o meu pequeno corte e enquanto faz o curativo, pergunta:

- O que aconteceu para você fazer esse machucado?

- Nada de mais. – Eu o olho, seus cabelos castanhos claros estão caindo sobre seus olhos, seus olhos estão brilhando, refletindo a luz da janela que está aberta, ele é muito bonito, esses olhos azuis e seu cabelo castanho claro combinam muito com ele.

- Sei, você pode me falar. Eu prometo não contar á ninguém. – Ele acaba com o curativo e se senta ao meu lado, me olhando atenciosamente.

- Um garoto me deu um soco e eu acabei batendo minha cabeça na parede. – Falo o olhando.

- Ah, e esses outros machucados foram feitos também por ele?

- Também, mas seus amigos também ajudaram. – Eu falo colocando meu dedo sobre o curativo.

- Sabe, quando eu tinha a sua idade, eu também sofria coisas assim, mas você não deve se deixar intimidar.

- Eu sei, eu não tenho medo deles, eu só não quero envolver os professores nisso, é só uma coisa de escola, machuca muito ás vezes, mas eu não poderia incomodar os outro com isso sabe?

- Mas é a obrigação deles manter os alunos em segurança, sofrer bullyng, pode levar uma pessoa ao suicídio.

- Eu sei, mas está tudo bem, eu realmente não me importo com isso. – Eu sorrio para ele.

- Okay, mas se acontecer mais alguma coisa você pode me contar viu? – Ele coloca sua mão em meu ombro.

- Pode deixar. – Eu falo me levantando

- Seus pais sabem sobre isso?

- Eu não moro com os meus pais, eu moro com o meu tio, ele sabe que uns garotos me bateram, mas eu não falei nada mais para ele, eu acho que ele sabia que eu provavelmente não gostaria de falar sobre isso. – Eu falo saindo pela porta,

- Ah, eu poderia saber o seu nome?

- Claro, é Miyama Izumi. – Quando eu falo meu nome, ele fica com uma cara surpresa e começa a rir.

- Nos veremos de novo.  – Ele me olha sorrindo. Indo para a minha sala eu franzi a minha sobrancelha, esse cara é estranho, mas okay.

- Izumi, você está bem? O professor disse para a classe sobre o que aconteceu. – Aki fala preocupado.

- Eu estou bem, fiz só um pequeno corte – Dou um sorriso o olhando.

- Você é um idiota, pensa que é brincadeira? – Ele falou com raiva enquanto entramos na sala e os alunos começaram a nos olhar, o que me faz ficar desconfortável.

 - Claro que não, mas eu realmente não me importo com as coisas que eles fazem.  – Eu me sento no meu lugar e Aki no seu, eu olho para Yuki que está me olhando também, desvio o olhar e volto a atenção para Aki novamente.

- Meu Deus, qualquer pessoa estaria com medo deles.

- Por isso eu não sou igual a eles. Machuca? Claro, mas eu não posso deixa-los me deixarem com medo, eu já deixei que fizessem isso quando eu era mais novo e eu ficava muito mal por isso, então eu só preciso pensar que isso um dia vai acabar não é? Se eu pensar nisso, eu não ficarei mais com medo. – Eu fico olhando para ele.

- Okay. – Ele diz se virando pra frente e prestando atenção na aula, enquanto eu fico perdido em meus pensamentos. Será que estou certo quanto a isso?

~

- Finalmente as aulas acabaram. – Eu falo pegando minha mochila e esperando Aki guardar o seu material.

- Você ficou distraído a aula toda, então não pode falar nada.

- Eu sei, não estava com vontade de prestar atenção no que o professor estava falando. – Falo mexendo em meus cabelos negros.

- “Não estava com vontade” não é algo que um aluno deve falar.

- Como você é irritante, eu sou um ótimo aluno, se eu for ruim na prova você pode falar um monte para mim okay?

- Eu vou amar. – Ele disse sorrindo, pegou sua mochila e fomos  até o portão da escola.

- Até amanhã Aki. – Falo acenando.

- Até amanhã.

Eu começo a andar até o pequeno parque que tem perto da escola. O Aki vai para o lado oposto do meu, então não podemos voltar para a casa juntos, eu odeio isso porque eu gosto de conversar enquanto ando. Apesar de Aki contrariar tudo o que eu falo, ele é muito legal e fala comigo numa boa.

Me sento no balanço e fico me balançando devagar, jogo minha mochila no chão porque já está me cansando. Coloco meus fones e fico escutando música enquanto observo as crianças brincando de pega-pega, elas são tão fofas e pequenas, elas estão rindo, elas parecem tão felizes. Eu tento me lembrar de alguns dias assim, mas não consigo, deve ser porque não tenho não é? Eu só me lembro de poder rir assim com Yukine.

~

Depois de uns quarenta minutos, eu me levanto ainda com o fone, pego a minha mochila e vou para a minha casa.

Abro a porta e meu tio está arrumando a mesa, ele está com seu cabelo preso colocando três pratos na mesa, pera, três pratos?

- Tio? – Ele me olha imediatamente. – O que você está fazendo?

- Lembra que eu falei que eu ia te apresentar ao meu namorado? Então, ele vai vir hoje, já deve estar chegando, se você quiser, pode ir tomar um banho.

- Não precisa, eu vou comer primeiro. Eu tenho dever de casa, então eu vou subir e fazer ele em meu quarto, então aproveito e vou tomar banho.

- Ah, okay. – Ele começa a colocar a comida na mesa.

Eu coloco minha mochila no chão, perto do sofá, eu escuto a campainha e meu tio fala:

- Izumi, pode abrir para mim?

Eu aceno com a cabeça, abro a porta, vou até o portão e quando o abro, me deparo com lindos olhos azuis e cabelos castanhos claros, então é ele, isso me fez lembrar do que ele disse depois que eu falei meu nome “Nos veremos de novo”, então ele sabia.

- Oh! Nos encontramos de novo Izumi. – Ele diz rindo, o que me faz rir junto com ele.

Entramos em casa e explicamos o que aconteceu para Hyura, que ficou surpreso, mas ele sabia que Yahiko trabalhava em meu colégio. Nos sentamos e comemos enquanto conversávamos.

- Eu já vou subir okay? Eu tenho muita lição e ainda preciso tomar banho. – Eu digo me levantando.

- Okay, boa noite. Vê se descansa bem viu? Esses dias parece que você não está bem, deve ser porque os garotos estão batendo em você não é? – Meu tio fala me olhando. Eu não tenho o porquê de mentir para ele.

- Sim, mas não é nada de mais, é só eu descansar um pouco que eu fico melhor. Realmente não dói tanto, aposto que depois de um tempo eles irão esquecer de mim.

- Se é o que você acha... Então vai logo dormir, boa noite. – Ele dá um lindo sorriso, ele e o seu namorado realmente combinam.

Eu subo pelas escadas, entro no meu quarto, começo a tirar a minha roupa e tomo um banho. Saio do banho, me enxugo e coloco minha calça xadrez cinza com preto e uma blusa preta simples.

- Ah, eu esqueci de uma coisa. – Hyura entra em meu quarto segurando um pacote na mão e joga na minha cama. – Aqui está o seu uniforme.

- Eu não sabia que chegaria hoje. – Eu falo abrindo o pacote.

- É, eu também não, até que foi bem rápido. – Ele sorri.

- Verdade.

Ele sai pela porta e fecha a mesma. Eu pego o uniforme e é bem bonitinho, eu não tinha reparado direito nos outros estudantes. A calça é preta, tem uma blusa branca com botões, uma blusa cinza de manga cumprida que é para ser colocada em cima da blusa branca e tem uma gravata, um típico uniforme japonês.

Eu coloco o uniforme na minha cômoda, me deito na cama, pego o meu caderno e começo a fazer o dever de casa, eu ouço os risos dos dois daqui de cima. Eu começo a fechar os meus olhos lentamente, mas tento ficar acordado e termino a lição, fazer lição é um saco. Eu me deito na cama e finalmente me desligo desse mundo sem graça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...