História Penumbra - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys (bts), Incesto, Jungkook, Suga, Twitx, Yoongi, Yoonhi
Visualizações 129
Palavras 2.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AHHHHHH, EU AMEI TE VER! AMEI VER VOCÊS ME RESPONDENDO NO "CAPÍTULO" ANTERIOR!

E A FANFIC SEGUE DO MESMO JEITO! SEM 2 TEMPORADA!

Aiai, eu também amei escrever esse capítulo.

Preparem o core.

PERDOA OS ERROS GRAMATICAIS.

Boa leitura e até as notas finais 🗡

Capítulo 20 - 19 - O céu nos une


Fanfic / Fanfiction Penumbra - Capítulo 20 - 19 - O céu nos une


Mirella estava imóvel na cama. Ela mirava o teto e absorvia cada detalhe dele; desde o material até um inseto qualquer andando por ali. Min havia adormecido após passar um tempo chorando e murmurando ‘desculpa’, e ela não iria mandá-lo sair só porque ficaria mais confortável.

O rapaz, no final das contas, tinha um coração cheio de tristeza e amargura. Algo que não podia ser calculado ou sentido na mesma intensidade. Choi nem conseguiu dizer palavras de consolo, pois não sabia o que poderia ser dito naquele momento. A única coisa que pensou em fazer, foi afagar os fios negros de Yoongi e abraçá-lo. Pensava que, mesmo que fosse pouco, talvez ele se sentisse menos sozinho se ela o consolasse dessa forma. E no final das contas, ele pareceu ficar mais confortável.

A jovem, além dos seus problemas internos e de Min, também se preocupava com Jungkook. Se tudo o que ele fazia com ela, desde os xingamentos até a agressão, fosse porque estava sendo obrigado, então poderia haver uma chance dele não odiar ou ter um sentimento ruim de Mirella. Se fosse esse o caso, ela poderia tentar abrir seus olhos, e tentar dizer que ele era um rei agora, e não deveria ficar abaixando a cabeça para o que Jiyon fala ou para o que os anciãos de outro reino diz. Não era certo.

Havia também a preocupação com seu pai. Ela nem havia chegado a ler a carta que Erwin com certeza havia enviado para ela após chegar em seu reino. Sentia que ele deveria estar nervoso com seu sumiço, já que ele havia perdido sua mãe para a doença e só restava ela como sua família.

O curandeiro Kim e Namjoon, ambos deveriam estar preocupados também. Mesmo que ela só tenha tido apenas um diálogo longo com o guarda, sentia que, mesmo com esse curto tempo, ele se preocupava com sua rainha.

E claro, não havia como esquecer de Lyn. Quando Mirella finalmente conseguiu achar um nome para a moça, isso lhe aconteceu. Mas disse em forma de pensamentos que, quando voltasse, daria a ela o nome que escolheu. Imaginava que a morena iria gostar muito desse presente.

Quando voltasse...

Era cansativo pensar no quanto estava ferrada a alguns dias e no quanto levaria para estar cem por cento recuperada. Afinal, querendo ou não, ela sentia falta do castelo e das pessoas que viviam nele.

Porém, ver Yoongi neste estado a fez pensar que não iria morrer se ficasse mais um pouco. Não custava nada, e ela devia muito a ele. Isso jamais iria pagar sua dívida com o rapaz, e ela imaginava que não conseguiria negar as coisas para ele por um bom tempo.

— Hm... — Min murmurou algo e se moveu, passando a ficar com a cabeça do outro lado do pescoço de Mirella — Me desculpa. — A voz dele estava baixa e rouca, mas dava para ser ouvida com clareza.

— Por que está pedindo desculpa? — Perguntou respirando fundo.

— Adormeci em cima de você. — Mirella olhou pelo canto do olho e suspirou.

— Não está me incomodando, se é o que está pensando. — Ele não disse nada, mas ela sabia que uma hora ou outra Yoongi iria pedir desculpas novamente — Como está se sentindo?

— Aliviado.

— Isso é bom, não é?

— Eu acho que é bom.

— Como assim você acha que é bom? — Essa era uma pergunta retórica, e por isso ela disse mais baixo que o normal — Então, eu queria te perguntar algo.

— Mais perguntas? — Ele riu.

— Só queria perguntar se eu não vou poder sair dessa casa. Sabe, é como se fosse uma prisão este quarto, e está começando a me sufocar. — Ela ouviu Min suspirar, e esperava pela negação.

— Não pode sair durante o dia. Mesmo que eu tenha explicado toda a situação para o senhor que vive nesta casa, não garanto que os outros iram entender muito bem se virem a rainha do reino inimigo perambulando por aí.

— Entendo.

— Podemos sair de madrugada, se quiser. — Choi virou a cabeça e ele se afastou para olhá-la — As estrelas são bem bonitas, você irá gostar. — Fazia tempo que ela não sentia tamanha empolgação — Está com fome? — Perguntou com seus olhos avermelhados e inchados.

— Estou bem. — Na verdade ela estava com fome, e foi denunciada pelo estômago que roncou alto — Me desculpe. — Yoongi deu uma pequena risada e se levantou da cama. Não era errado se sentir aliviada por ele ter saído de cima, era?

— Já volto. — Passou a mão no rosto e saiu do quarto.

Mirella se sentou na cama e respirou fundo. O local onde o rapaz havia molhado com suas lágrimas estava úmido, mas não era algo tão ruim assim. Seu corpo doía um pouco por causa do peso de Min, que mesmo sendo magro, ainda era mais pesado que ela. Alguns movimentos para se espreguiçar e parar com a dor ajudaram, e ela se colocou de pé passando a voltar o que estava fazendo antes de tudo isso acontecer: Olhar as montanhas pela janela.

Se perguntava se era naquele local que Yoongi a levaria para olhar as estrelas. Mas era meio impossível, já que era bem íngreme e poderiam se machucar muito feio se escorregassem. Então, talvez deitariam na grama e passariam a olhar aquele céu estrelado.

Distraída demais com seus pensamentos, Choi não percebeu que Min estava no mesmo cômodo até ele dar uma batida em seu ombro, a fazendo dar um pulinho de susto.

— Você está bem? — Perguntou e ela balançou a cabeça positivamente — Trouxe algo para comermos. — Ela se sentou na cama e olhou para a comida, não identificando nenhum deles — Eu também não sei o que é.

— Quando a gente está com fome, comemos de tudo. E, se isso aqui for comestível, então não tem problema.

Min, por algum motivo, achou graça no que ela havia acabado de falar. Mirella não o questionou sobre isso, pois sua fome necessitava de uma atenção muito maior.

{.}

— Acho que todos já foram dormir. — Yoongi havia acabado de voltar da sua vigia, e Choi estava aflita — Podemos ir. — Um suspiro de alívio saiu por entre seus lábios e ela se colocou de pé — Não faça barulho. — Concordou e vestiu um capuz que Min havia arrumado para ela.

Saíram do quarto e atravessaram o corredor, tentando fazer o mínimo barulho possível. Com muito cuidado passaram pela porta de entrada e a fecharam lentamente.

Choi sentiu a brisa gélida tocar seu rosto e parou por alguns instante para senti-la. Yoongi entendia que ela estava sem sair por um certo tempo, mas ficar ali na frente da casa não dava.

— Vamos. — Pegou em seu pulso e a arrastou para longe dali. Longe até mesmo de todas as casas.

Ela não fazia ideia da onde estavam indo, ou para ser mais exata, para onde o rapaz estava a levando.

Após andarem até seus pés pedirem socorro, pararam e Mirella pôde ver o imenso céu noturno recheado de estrelas. Não estavam no topo da montanha, mas de qualquer forma, a vista era muito bonita.

— Yoongi, você gosta de estrelas? — A rainha estava sentada e, com seus olhinhos brilhantes, mirava o céu.

— De certa forma elas me trazem paz. — Respondeu se sentando ao lado dela.

— Minha mãe costumava dizer que, quando eu estivesse triste ou a saudade de casa aparecesse, eu deveria olhar as estrelas. — Um pequeno sorriso se formou em seus lábios — Não importa a onde esteja ou por onde anda, o céu vai ser sempre o mesmo onde quer que você vá. Por isso mamãe dizia que se eu sentisse saudade, eu deveria olhar as estrelas. Independente do lugar, eu sei que há alguém me esperando. Até mesmo nosso inimigo está vendo esse manto noturno.

— É um pouco confuso. — Confessou e passou a mão na nuca — Eu não entendi muito bem o que quis dizer com isso. — Mirella lançou um doce sorriso para o rapaz, que ficou constrangido por ter sido patético ao ponto de não entender as simples palavras da mulher a sua frente.

— O céu nos une, Yoongi. Podemos estar a léguas de distância, mas se estivermos olhando para o céu, de alguma forma, estaremos conectados. Algo como uma força que nos faz sentir assim. — Ela balançou os ombros e voltou a observar as estrelas — Obrigada por me trazer neste lugar.

— Eu estava te devendo, afinal de contas.

— Mesmo assim, eu o agradeço.

Naquela noite, Mirella não pensou em coisas tristes ou quis ir embora. Para falar a verdade, ela queria permanecer ali para sempre.

— Amanhã a noite eu irei te levar embora. — Choi olhou um pouco espantada para o rapaz ao seu lado — Eu sei que já está bem, e que não posso ficar te prendendo só porque não estou bem aqui. — Apontou para seu coração e suspirou — Então, após isso, nós nunca mais iremos nos ver.

As palavras atingiram Mirella em uma intensidade absurda. Ela estranhou o sentimento que estava fazendo com que um nó se formasse em sua garganta, era, sem sombra de dúvidas, o sentimento da tristeza. Mas o porquê de estar assim, ela não sabia.

— Eu dei mais trabalho do que você deu para mim. Então, esse vai ser meu único jeito de te compensar. — As palavras de Min saiam pesadas, carregadas de tristeza — Não posso dar trabalho para uma rainha, não sendo quem sou. Um ladrão.

— Você diz tanta bobagem, jovem ladrão. — Ele a olhou incrédulo e ela suspirou — Não diga esse tipo de coisa, até porque não faz seu tipo ficar se lamentando por minha causa.

— Eu tenho sentimentos, Choi. Não tenho um coração oco.

— Eu sei disso. — Disse num sussurro e se virou para ele — Ficarei aqui até que se sinta bem.

— Até ontem estava querendo ir embora de tudo quanto é jeito, e agora quer ficar até eu me sentir melhor? — Um riso de deboche surgiu por parte de Yoongi — Você é estranha.

— A situação mudou. E eu preciso retribuir o que fez por mim. — Min fez uma careta e logo sorriu sem graça — Eu, Choi Mirella, prometo que irei ficar com você até que uma flor nasça no seu coração oco! — Ela esticou a mão fechada e ergueu seu dedo mindinho.

— O que está dizendo? — O rapaz ria da garota, que agora tinha uma expressão enfezada e balançava sua mão para que ele fizesse a mesma coisa — Está bem. Eu, Min Yoongi, tentarei deixar com que a rainha faça nascer uma flor no meu coração, que por sinal não é oco. — Entrelaçou os mindinhos e Mirella comemorou — Você não acha que é melhor voltar para ver como seu reino está? Sabe, seu marido, ou irmão, bom, o rei está preocupado. Seu pai também deve estar. — Choi nem ao menos havia lembrado deles naquele momento, e sentiu uma flecha de culpa atravessar seu peito — Você só precisa manter a promessa, rainha. Não precisa tentar fazer uma flor nascer agora.

— Mas...

— Eu irei te levar de volta amanhã. E, assim que tudo no seu reino estiver resolvido, eu irei te procurar para que cumpra a promessa. — Ele se levantou e estendeu a mão para ela — Vamos? — Mesmo a contragosto, ela segurou e se levantou, onde olhou pela última vez aquele manto estrelado.

{.}

Min a levava no mesmo cavalo. Levaria mais tempo se estivessem em animais separados, então aquilo bastou para que chegassem mais rápido.

— Acorde, nós estamos chegando na fronteira dos reinos. — Mirella abriu os olhos, logo levando as costas das mãos para coça-los — Veja a estrada. — Choi se ajeitou e pôde ver a estrada que separava os reinos. Com mais algumas galopadas, chegaram na fronteira — Este é o meu limite. — A rainha desceu do cavalo e foi para o meio da estrada, onde passou a observar Yoongi em cima do cavalo.

— Você irá voltar para que eu possa cumprir a promessa, não é? — Min lançou um sorriso triste e balançou a cabeça em sinal positivo.

— Eu só não sei quando voltarei, já que todos em seu reino querem minha cabeça. Mas um dia eu retornarei, prometo para você.

— Eu estarei esperando! — Falou um pouco mais alto — Se você não voltar, eu juro que irei atrás e eu mesma te matarei! — Yoongi gargalhou.

— Até mais, rainha Jeon! — Pegou nas rédeas do cavalo e voltou a galopar.

— Até mais, ladrão Min. — sussurrou acenando.


Quando a imagem do rapaz sumiu por completo, a jovem olhou para a estrada e passou a correr. Ela estava de volta. Choi Mirella havia voltado para casa.


Notas Finais


AHHHHHH EU QUERO ESSE MIN YOONGI!

Mas ela precisava voltar para casa, de um jeito ou de outro >.<

Mano, eu não quero nem imaginar o reboliço que vai dar no decorrer da fanfic. Nossa, vai rolar muitas coisas. Lembrando que, ainda vai ocorrer a morte lá que eu falei para você.

Uma dica: Pode não ser a Jiyon que irá morrer 🌚🍸

BEIJOS E ATÉ O PRÓXIMO CAPÍTULO 🏹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...