História • Pequena Nerd • - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 112
Palavras 859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 19 - 19° conspiração


O sr. Wilder pegou a câmera e deu pro paparazzi, cara ele não tem noção da merda que ele fez, vo matar esse professor.

Beca: Ho seu escroto, você tem noção da merda que você fez?! Vai ter fotos da minha bunda rodando por aí.

Sr. Wilder: Não fiz mal, até por que todos aqui merecem um pouco de fama.

Beca: Vocês são insignificantes pra eles, eles borram a cara e só deixam a de quem realmente importa, você é um tremendo de um filho da puta.

Sr. Wilder: Me respeita sua resto da porra, eles não vão borrar, por que EU pedi.

Beca: Seu filho da puta, arrombado, VAI TOMAR NO CU, VOCÊ ESTÁ ACABADO.

Sr. Wilder: E por que eu estaria? Hum? Você não pode fazer nada.

Beca: Ela não pode, mas eu sim, você é muito egoísta seu resto de aborto, pensou só em você, pedófilo do caralho, é hoje que você e essa pose acaba.

Minha voz estava saindo como duas, deu certo, a outra Beca saiu, mas minha voz normal ainda sai por que eu estou dividida no meio, as duas formas estão comandando.

Sr. Wilder: Ma-mas que porra é essa?! Deixa esse monstro aqui, vamos todos.

Beca: O único monstro que eu vejo é você, então faça o bem pra sociedade e se mate. -minha voz quando esta desse jeito tem um poder sobre os outros, se eu mandar alguém se fuder, essa pessoa vai literalmente se fuder-

Danilo: Beca, para por favor, esquece isso, você pode processar ele e o paparazzi.

Beca: Não, ele precisa pagar, ele precisa morrer.

Danilo: Pequena, olha pra mim, por favor esquece isso.

O Danilo estava... Chorando, por que ele estava chorando? Eu machuquei ele, hó meu Deus, eu machuquei ele.

Beca: Girafa, eu machuquei você? Me diga, por favor.

Danilo: Ho meu Deus você volto, não faz mais isso, por favor. -disse chorando e me abraçando-

Beca: Calma, eu não vou deixar ninguém te machucar..

Deve estar estranho pra vocês, mas eu tenho um apego muito grande com o Danilo, o bom é quem as duas Becas gostam dele, não tem conflito nessa parte, graças a Deus, não vou ter que voltar a tomar o remédio.

Danilo: Ninguém me machucou, eu só estava desesperado.

Beca: Mas mesmo assim, não vou deixar ninguém te machucar.

Danilo: Deveria ser ao contrário, eu proteger você, e não você me proteger.

Beca: *risos* Não se preocupe, você também pode me proteger.

Danilo: Ok, agora vem, precisamos trocar de roupa ou você vai ficar doente.

Fomos pro vestiário, me troquei, passei um perfume e sai, claro, ninguém mais da minha sala tava de maquiagem, tava todo mundo parecendo um zumbi.

Bárbara: Beca, o que é isso no seu braço?

Beca: São os machucados que o Lucas fez em mim, não é automático princesa.

Bárbara: Ok, foi mal, há o Lucas vai voltar semana que vem, e provavelmente ele vai tá de muletas.

Beca: Bom pra ele, fez aquilo agora tá pagando.

Ela saiu, e eu segui meu caminho, como o professor sai e não volto, eu vo embora, não vou ficar aqui sem fazer nada, cheguei no meu carro, quando abri a porta saiu um monte de bolinha pula-pula, o que tá acontecendo???

Arthur: *risada alta* Você caiu direitinho, bem que falaram que você é um tonta.

Beca: Eu te conheço? Não, então tchau, e se prepare, não é todo mundo que sai vivo depois de me conhecer.

Arthur: Ok, estou no aguardo, agora pode ir pra sua casa.

Beca: Se você acha que essas bolinhas vai né impedir você está enganado. Seu carro é um posher vermelho?

Arthur: É sim, por que? Vai ter que trabalhar muito pra conseguir.

Beca: Não, é por que ele tá sendo rebocado, enquanto você falava comigo, ele já virou a esquina faz um tempo.

Arthur: Merda, meu pai vai me matar.

Beca: Melhor ele do que eu.

Entrei no carro e fui embora, na verdade o carro dele ainda estava lá, mas ele viu outro posher vermelho indo embora, espero que ele não descubra tão cedo. Cheguei em casa e pedi pro Tobhias tirar aquelas bolinhas, eu peguei umas pra mim, taca na cabeça do professor, quem sabe.

Subi pro meu quarto, mas a porta tá trancada, eu tranquei? Acho que não, será que meus pais tiveram que trancar?

Beca: CLOTILDE, VEM CÁ.

Clotilde: Sim Sra. Beca?

Beca: Sem senhora por favor, você sabe o por que meu quarto ta trancado?

Clotilde: Ele estava aberto até agora, eu praticamente acabei de sair daí, eu estava fazendo a faxina.

Beca: Ok, obrigado, pode voltar a fazer o que estava fazendo.

Clotilde: Ok, se.. Beca.

Botei minha mochila na porta e desci as escadas, fui pra debaixo da janela, peguei uma escada e subi, tinha uma cadeira lá, entrei bem quietinha, quem está aqui já deve saber que eu estou aqui, tirou a cadeira e pego minha mochila, quando viu jogar ela emcima da minha cama eu vejo quem eu não vejo faz anos, e talvez eu nem queira mais ver..

Não seja medrosa, eu posso te defender.. Seja lá quem for !

To be continue.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...