História Pequena vingança - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Exibições 26
Palavras 2.468
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!!!!
Espero que gostem!!!
:)

Capítulo 1 - Capítulo Único


Meu nome é Lívia, tenho 15 anos e estou no primeiro ano do ensino médio. Sabe aquela dificuldade de se enturmar? Bem...eu não conheço. Sou a aluna mais popular de todo colégio, a odiada líder daquele grupinho de três meninas que todas querem ser.

- Bom dia meninas! - digo para elas assim que chego, não para ser simpática, mais para mostrar que é hora delas fazerem seu trabalho: me obedecer.

 - Oi Lívia, estávamos te esperando! - elas vem em minha direção com um grande sorriso.

 - Sei...-falo arqueando as sobrancelhas.

 - Lívia, posso falar com você? - Jimim está se dirigindo a mim? Quem ele pensa que é para falar comigo?! Ele é um nerd fissurado em ser o melhor em todas as matérias e que ama essas coisas de super-heróis.

 - O que você quer? -falo grossa.

 - Preciso te contar uma coisa.

 - Fala logo de uma vez. - digo impaciente.

 - Bem é que...- ele olha pro chão - eu gosto de você.

 -quem não gosta?! -sorrio sarcástica.

 - não, eu gosto mesmo de você.

 - O que?! - começo a rir de forma descontrolada. Como ele teve coragem de se declarar pra mim?

 - Escuta querido, eu não me misturo com gente como você! Agora sai daqui e me deixa em paz. -viro as costas pra ele e saio sendo seguida pelas minhas "seguidoras" deixando o garoto pra trás.

 Depois disso nunca mais vi Park Jimim.

<< Um ano depois >>

 Tenho certeza que esse será mais um dia de aula como todos os outros. Eu vou humilhar alguns nerds, quebrar corações e ser bajulada é claro.

 - Oi meninas! - digo me aproximando da mesa onde elas estão.

 -Oi. - como elas ousam me responder dessa forma? Sem nenhuma animação.

 - Isso é forma de me receber?!

- Eu conto ou você conta? - elas olham uma para outra com a mesma cara de tacho.

 - Deixa que eu conto. Olha Lívia, você já era, é passado, morreu no mundo das populares. Entendeu?

 - Não. - Digo cruzando os braços indignada.

 - Chegou uma garota nova na escola. Ela é do intercâmbio, de Paris. Ela é mais bonita, mais legal é mais rica que você. Por isso vamos andar com ela agora. Adeus pra você! - Elas dizem isso é saem mandando um tchauzinho sínico me deixando com um enorme "O" estampado na cara.

 Achei que seria passageiro, que logo tudo voltaria ao normal, mas aquelazinha fazia questão de me humilhar de todas as formas.

Eu estava sentando na mesa dos nerds, e nem por eles eu era aceita. Da pra ser mais humilhante que isso?

- Mãe, pai. Quero sair daquela escola. - grito estas palavras assim que chego em casa.

- Mas porquê? - minha mãe pergunta.

- por que eu odeio todos daquela escola. - digo quase gritando.

- filha, vou lhe dar duas escolhas. - meu pai diz calmamente. -ou você continua nessa escola ou vai para uma escola pública, pois outra, não temos condições de pagar. 

Ele sabe exatamente qual vai ser minha resposta, então subo soltando fogo pelas ventas para meu quarto.

- preciso resolver isso. -digo para mim mesma.

Me encaro no espelho por um bom tempo até que uma ideia surge.

Já sei o que fazer só preciso aguentar esse inferno até o começo do próximo ano.

<< Início das aulas do 3º ano>>

Finalmente posso por meu plano em prática. Vou me disfarçar. Meu cabelo que antes era loiro agora estão em sua cor natural preto e minhas lentes azuis substituídas por um par de óculos quadrados.

Estou odiando me ver dessa forma, mas se esse plano funcionar elas nunca mais vão pegar no meu pé, se não funcionar no entanto, a zoação vai ser dobrada.

Só preciso contar com a sorte para que ninguém lembre do meu primeiro nome: Ana. Mas era um nome que eu nunca usava, duvido que alguém lembre.

Chego na escola e dou de cara com a Michele, a transferida da França que acabou com minha vida. Tento me desviar mas ela continua caminhando em minha direção.

- Ei você! - por favor não me reconheça, por favor!

-Oi - respondo fingindo ser tímida.

- Você é novata ou eu só nunca enxerguei você na sala?

- Sou nova. - aí meu kokoro eu quase tive um ataque agora.

- Ótimo! Você faz meu dever de casa então. - ela sai rindo da minha linda cara de filhote de "cruz credo" enquanto eu me seguro pra não dar um soco em seus dentes perfeitos.

Me sento na última cadeira da sala pra não chamar atenção, mas um indivíduo acha de sentar no meu lado.

- Oi Lívia. - olho para ele com os olhos saltados. Eu nunca o vi na vida como poderia me conhecer.

- Não está me conhecendo? Sou Park Jimim, o garoto que você desprezou no primeiro ano.

Oi? Como assim? Park Jimim, aquele nerd, cresceu e virou um Deus Grego?

- Não sou a Lívia. Você deve estar me confundindo com outra pessoa.

-Eu nunca me confundo. -ele fala e apoia seu braço na mesa onde estou.

- Porque está se disfarçando? - ele sorri de uma forma que não entendo se é simpatia ou cinismo.

- O que os dois alunos novos estão conversando aí no fundo? -Michele chega apoiando os braços no ombro de Jimim e as minhas antigas "amigas" logo atrás dela.

-Na verdade só temos um aluno novo aqui. - Jimim fala e olha pra mim.

Ferrou! Ele vai me dedurar.

- Não sou exatamente um aluno novo, já estudei nessa escola. - ele fala e eu não consigo conter um suspiro de alívio.

- não me lembro de você. - uma das minhas ex-amigas examina seu rosto.

- Sou Park Jimim! - ele diz sorridente.

- Park Jimim. Park Jimim. -ela repete o nome dele várias vezes até se lembrar.

- Ah! Você é o garoto que a Lívia deu um fora. Mas você tá bem mais bonito.

- A Lívia te deu um fora é!? Eu não faria essa desfeita. -Michele sorri maliciosa pra ele passando o olho por todo seu corpo.

Alguém me dá um tijolo pra eu meter na cara dessa garota por favor!

-Obrigado! -  Jimim responde.

Eu nunca fiquei tão feliz vendo o professor entrar na sala como agora. Michele finalmente foi pro seu lugar e não vou ter que ouvir a voz dela por um bom tempo.

- você precisa me explicar isso. - Jimim cochicha de uma forma que eu só ouvi por sentar ao lado dele.

- Me encontre na biblioteca na hora da saída.

Hoje só teremos as 3 primeiras aulas então não vai demorar muito pra essa conversa acontecer.

Ele apenas confirma minha proposta com um aceno de cabeça e volta a prestar atenção a aula.

Quando o sinal toca eu vou direto para biblioteca, sei que lá é um lugar calmo pois foi onde fiquei me escondendo nos últimos tempos.

Espero por Jimim mas aquele garoto não chega. Onde esse moleque se meteu?

Saio para procurar ele na sala mas foi a pior escolha que já fiz. Nem precisei chegar lá para encontra-lo. Ele estava no corredor se atracando com a Michele. Só sei de uma coisa, aquilo não pode ser descrito como um beijo.

Volto para biblioteca bufando de raiva. Não acredito que só porque aquela sirigaita soube que ele havia se declarado pra mim ela deu em cima dele. Ela quer realmente acabar com toda minha dignidade.

- Oi Lívia, desculpa a demora eu estava...ocupado. - Jimim finalmente chega.

- Tanto faz. Só que primeiro...me chame de Ana não de Lívia.

- Por que se disfarçou, Ana?

- Porque minha dignidade foi por água abaixo desde que aquela garota que você tava devorando chegou. - souto isso sem perceber.

- Você ficou incomodada por me ver com a Michele. - ele sorri parecendo estar satisfeito.

- Não. Só queria deixar bem claro que ninguém quer ver isso, então na próxima vez procure um lugar mais reservado. - Ele sorri balançando a cabeça em negação.

- Não vai ter outra vez. - ele olha pra mim.

- Por que?

- Assunto meu. Amanhã continuamos essa conversa. Tchau!

Ele foi embora e eu acabei não perguntando como ele me reconheceu. Como sou burra!

Quando tentei falar com Jimim no dia seguinte ele estava ocupado, e no outro dia também, e no outro, enfim, se passou uma semana e eu não consegui falar com ele.

 Cada dia ele tá ocupado com uma garota diferente pra em seguida dar um fora nela. Michele ainda não superou o fato de ter sido desprezada. Devo admitir que ver a cara dela depois que ele lhe deu um fora foi um tanto satisfatório.

Ao acabar as aulas eu fui para biblioteca, como faço todos os dias, mas dessa vez ela estava mais barulhenta.

- Então você voltou por isso?! Pra se vingar. - escuto uma voz falando por trás da estante, então tiro um dos livros para enxergar quem fala.

- Sim vou me vingar de cada uma dessas patricinhas que nos humilharam. -Jimim?! Ele voltou pra se vingar?! Então é por isso que ele está ficando só com as garotas populares!

-Mas como você vai fazer pra se vingar da Lívia? Ela foi quem fez você começar com isso, mas ela não estuda mais na escola.

Aí meu God! É agora que ele vai contar tudo e acabar com minha vida.

- Eu dou meu jeito.

Oi? Ele não contou? Por que? Deve tá preparando uma forma mais cruel e dolorosa. Eu não queria ser eu nesse momento.

Espero que eles saiam da biblioteca para ir pra casa e a conversa que ouvi ecoou em minha mente pelo resto do dia. 

 

<< Dia seguinte >>

-Atenção alunos que agora eu vou dividir as duplas para o trabalho.     

Ah não! Trabalho em dupla não! Se eu levar alguém lá para casa vão descobrir tudo. Espero o professor sortear as duplas com o coração na mão.

 Ao ouvir o nome da minha dupla meus sentimentos se misturaram entre alívio e raiva. Alívio porque minha dupla será Park Jimim, e ele já sabe meu segredo, e raiva porque sei que ele está buscando uma forma de se vingar.

- Eu gostei muito da minha dupla. - ele fala apoiando a cabeça nas mãos.

- Não posso dizer o mesmo. - viro o rosto para frente mais rápido que um piscar de olhos e percebo que ele sorri da minha ação.

Saio correndo da escola. Se eu não encontrar com ele talvez ele desista e eu faço tudo sozinha mesmo.

- Li...Ana! - Olho pra trás pra ver quem está me chamando e percebo que meu plano acaba de dar errado.

-Vamos. - digo sem ao menos olhar pra ele e seguimos o caminho até em casa sem trocar nenhuma palavra.

-Mãe cheguei.

- Oi filha, quem é esse?

-Um colega da escola, vamos fazer um trabalho. Onde você vai? -pergunto vendo que ela não parava de arrumar sua bolsa e colocar coisas dentro dela.

- Sua vó está passando mal, nada que você deva se preocupar, mas eu vou lá me certificar de que está tudo bem. Você vai ficar bem sozinha?

Olho pra Jimim que parece confuso vendo toda a agitação da minha mãe e acabo soltando uma risada

- Vou.

 - Então eu vou indo. Tchau meu anjo. - ela beija minha testa.

 -tchau mãe. - reviro os olhos e fecho a porta assim que ela sai.

 - Vamos Fazer logo esse trabalho que eu quero ficar livre de você.

-Pois eu não estou com um pingo de pressa. - ele aproxima seu rosto do meu, tão próximo que posso sentir sua respiração.

Eu poderia acabar cedendo se não soubesse do seu plano, mas eu sei, por isso vou me manter firme. Empurro ele e vou em direção a mesa da sala colocando os livros em cima da mesma.

Ele Parece não ficar satisfeito com o que fiz, mas apenas senta na cadeira a minha frente.

 - você quer ficar com o início ou o fim do trabalho?

- tanto faz. - porque ele ficou tão sério de repente?

 - O que foi?  -pergunto cruzando os braços.

- "O que foi "o que?

 - você ficou emburrado do nada. - ele apenas dá de ombros.

 - Eu queria te perguntar uma coisa. Como você me reconheceu?

- você acha mesmo que eu iria me apaixonar por uma garota metida como você era. - não consigo reagir a nada que ele fala, apenas escuto paralisada.

- Eu era apaixonado por você desde o primário, antes de você ser uma patricinha, quando você ainda era assim. -ele aponta pra mim. - mas você mudou, achei que você tivesse mudado de escola, mas um dia uma foto caio das suas coisas. - ele me entrega uma foto.

 Sou eu, eu na quarta série, com cabelos pretos assim como estão agora, a única diferença é que eu não usava os óculos ainda. Eu nem lembrava que ainda tinha essa foto no meu armário no primeiro ano.

- Quando eu descobri que era você fiquei muito feliz. - ele continua. - mas você me desprezou da pior maneira possível.

 Eu nunca me senti tão mal, eu queria pedir desculpas, mas não tenho coragem, não posso voltar no tempo e mudar o que fiz.

 - O tempo ficou ao seu favor- finalmente falo- agora eu sou a desprezada e você o popular.

 -Mas você continua me odiando. Eu observei você, sei que voltou a ser o que era, mas continua me odiando.

 - Espera, você disse que estava me espionando?

 - Não, eu disse observando. É diferente. - ele arqueia as sobrancelhas.

 - Já chega! Eu ouvi quando você disse que voltou pra se vingar, sei que essa conversa é só papo furado. - me levanto irritada lembrando do seu verdadeiro objetivo.

- Você estava me espionando? - ele diz sorrindo e vindo em minha direção.

 - Não, só estava observando. -  imito suas palavras.

 - Vou te mostrar minha vingança.

 Ele vem se aproximando de mim e aos poucos vou sentindo minha respiração se alterar. Ele me dá um selinho rápido e mantém sua testa colada na minha.

 - Essa será minha pequena vingança: fazer você me amar.

 Ele me beija novamente mas dessa vez um beijo mas demorado. Tento resistir, mas logo estou retribuindo seu beijo que ganha mais intensidade. Nós separamos por falta de ar e quando minha respiração se normaliza eu tomo uma decisão.

- Tá legal, se você continuar assim talvez consiga sua vingança.

Sorrio para ele e ele sorri de volta. Talvez ter alguém querendo se vingar de você seja algo... Interessante.


Notas Finais


Gostou? Quer que vire uma Fanfic mais extensa?
Deixe sua opinião aí nos cometários.
Se possível deem uma olhada em minha outra Fanfic:
https://spiritfanfics.com/historia/let-me-know-6794979


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...