História Pequenas esperanças ( Emison ) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Courtney DiLaurentis, Emily Fields, Hanna Marin, Spencer Hastings
Tags Emison, Ezria, Haleb, Jaria, Pll, Sashay, Spaleb, Sparia, Spoby
Exibições 172
Palavras 3.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Sair comigo?


Pov's Alison

Depois de passar horas explicando para o meu pai onde eu fui, com quem eu fui, o que fui fazer, para o que eu fui fazer, ele me deixou dormi.

Eu cheguei tarde ontem, umas 12:11.

Sim, isso para mim como se eu saísse na sexta e voltasse na segunda.

-

Eu tenho que pensar em um projeto para Chanel,  talvez elétrica, ou física...

-Hey alison.  Ao olhar par o lado vejo aria

-Oi aria, como está? 

-tudo bem, esta fazendo o que aí?  Ela pergunta curiosa

Eu estava na frente de uma parede lotada de papéis,  onde são os clubes e atividades extra, que eu sou obrigada a fazer pelo menos 1.

-eu estou pensando em qual desses clubes vou fazer. Digo

-por quer não entra para as cheer? Pela pergunta e eu acabo caindo na gargalhada

-olha ... Não me leve a mal, mas eu acho que fico melhor no clube de matemática. Digo pegando uma caneta

-você quer se matar? Tu é louca garota? Já não basta ter aulas de matemática é você ainda quer mais? Ela falava escândalorosamente.

-Não precisa grita no meu ouvido, e sim eu vou e gosto, vou entra até para o clube do coral. Digo escrevendo meu nome em dois clubes.

-alison,  você bateu cabeça,  te vejo na sala. Ela beija minha bochecha e sai.

Eu olho e vejo outros papéis,  percebi que Jason se escreveu para o time de futebol,  tomara que ele passe.

Eu vou logo para a sala.

Eu não sei se eu sento na frente, ou se eu sento atrás ... 

Pov's ali of

Pov's emily on

Bi, Bi, Bi, Bi.

Barulho dos infernos.

Eu desligo o mesmo.

Eu estou morta.

Me levanto e quase caiu em uma garrafa de vodka. Eu nem sei como eu cheguei em casa. Minha cabeça já começa a latejar.

-

Peguei um casaco de couro e já fui embora.

Minha mãe nem me chama mais para tomar café da manhã.  Eu também nem ligo, faço nem questão. 

Coloco meus óculos de sol, mesmo não tendo sol, eu tenho que esconder a minha ressaca e as olheiras.

-

Muito barulho.

Muito barulho mesmo. 

Eu escuto um garoto falando e acabo jogando meu caderno em sua cara. Ele não fala nada, e nem iria ousar em pensar em falar alguma coisa. 

Eu vou logo para a sala, como já estou atrasada.

Eu já vou logo entrando e eu vejo que é a senhora pilsburgy. 

Ele é lezada,  não tem moral para ninguém. 

-Esta horrível em. Escuto Spencer debochar

Eu taco meu caderno em sua cabeça já que foi a única coisa que eu trouxe para esse inferno.

-um tapinha não dói,  mais uma cadernada sim. 

-ah vai te foder. 

Eu me jogo na minha cadeira.

Eu percebi que todos estavam em duplas.

Hanna estava com a mona perdedora, Spencer com aria, as duas vivem juntas credo, parece até que nasceram da mesma buce...

Eu olha a minha frente com aquele gostoso cheirinho de shampoo de maracujá. 

Alison está sozinha.

-alison.  Eu a chamo

-Oi. Ela vira e eu me deparo com aqueles olhos azuis.

O óculos dela estava na sua cabeça,  seu rosto e perfeito,  em uma delicadeza e beleza única ... O QUE?

-Quer fazer dupla comigo? Pergunto ainda em transe.  Seus óculos são como uma máscara, onde escondem toda a beleza dela ... mas os óculos deixam seus olhos um pouco maiores,  o que faz com que seus olhos sejam mais e mais cativantes. 

-Cla-Claro. Ela acaba gaguejando.

Eu junto às nossa mesas e eu a olho.

Ela coloca os óculos de novo em seus olhos o deixando maior. E eu acabo soltando um riso

-que foi? Ela me olha tímida

-nada ... e só que ... Você é linda. Digo e ela fica vermelha. Muito vermelha

-AM ...e ... obrigada? 

Ela começa a fazer a atividade e eu apenas fico olhando ela fazer os cálculos rápidos. 

Ela é uma boa pessoa. Ela não merece o que eu ia fazer. 

Eu posso até repeti de ano de novo ... Mas eu não vou iludi essa menina.

Olha só ela é meiga tímida e toda fofinha, e além do mais e gata que só. Ela apenas se esconde atrás desse óculos. 

-emily venha aqui fora. A velha me chama.-tira esses óculos,  nem está fazendo sol. Ela fala e eu tiro o mesmo rolando os olhos

-o que foi?

-quero você na direção depois que tocar. Ela fala já andando pelo corredor

Sério? 

Eu volto para a sala e me jogo na cadeira ao lado de alison.

-aí que dor de cabeça.  Digo deitando minha cabeça na cadeira.

Alison tira uma garrafinha e uma bolçinha

-pega. Ela fala

-que diacho e isso? Pergunto

-e água,  e isso é um comprimido para dor de cabeça.  Ela me entrega a garrafinha rosa e o comprimido.  -Pode beber,  eu não vou te matar. Ela fala soltando uma risada

Eu pego a garrafinha e o comprimido 

-obrigada. Eu digo após tomar os dois.

Pov's alison. 

Nunca na minha vida eu tive uma dupla.

Eu também nunca na minha vida ganhei um elogio de alguém ... que não seja meu pi ou Jason. 

Emily e fofa,  e uma ótima pessoa, só é um pouco irritadinha. 

O intervalo toca e todos da sala saiem. 

-sério alison,  obrigada mesmo, minha dor de cabeça passou num estante. Ela fala me dando um lindo sorriso.

Eu poderia derreter só dela sorri desse jeito para mim.  Emily anda querendo falar mais comigo, não vou mentir eu fico muito feliz.

Chegando na cantina! Eu vejo courtney, ela tinha uma expressão que eu não consigo identificar. 

Pego meu lanche e vou me sentar com as meninas, eu acho que já tinha pelo menos intimidade de me sentar com elas! Sem nem uma me chamar.

-ALISSSOOOON! eu escuto a voz de Jason.  Quando eu olho ao redor todos estão com seus olhares para mim.

Aí que vergonha

-Oi Jason. Chego nele calma.

-quero que você chegue cedo hoje viu. Ele fala sério

-tudo bem, já posso ir? Pergunto

-tem vai lá. Eu olho para os amigos dele e um de olhos azuis acaba me mandando um aceno. Que eu me lembre o nome dele é Tobias,  eu mando outro e vou para a mesa das meninas.

-Oi.  Digo

-chega mais loirinha inteligente. Hanna brinca

Eu gosto do jeito divertido da hanna. 

-gente por que vocês não vão lá em casa amanhã?  Pergunta hanna

-fazer o que? Pergunta emily olhando para mim, e eu acabo desviando o olhar.

Eu não sei mais emily me deixava com vergonha, não sei se é o modo de como ela me olha, como sorri,  só sei que eu fico.

-maratona de game of thrones. Hanna fala

-até que eu posso ir. Emily disse comendo um hambúrguer. 

E só isso que ela come, um hambúrguer e um copo de refrigerante. 

Não sei como é que ela consegue ter esse corpo lindo ... e claro que eu reparei,  Emily e linda e eu não preciso de óculos para ver.

-Alison?  Escutei a voz de hanna

-E-eu não vou poder ir, tenho uma consulta.  Digo

-vai para o médico?  Pergunta Spencer

-quase. Digo um pouco incomodada com o assunto, elas perceberam e trataram logo de mudar.

Pov's Emily

Eu já estou na sala do diretor esperando a velha.

Eu e que deveria chegar atrasada e não ela.

-desculpem a demora. Ela fala ao entrar

-atrasadíssima. 

-Fields. O diretor reclama

A velha começou a reclamar das minhas notas, e ainda disse que não é só na matéria dela, e começou a fazer um grande discurso.

-Então é isso Fields.  O diretor fala 

-isso o que? Eu nem prestei atenção na conversa

-ou você melhoras suas notas, no vai ser reprovada logo no primeiro bimestre.  A velha fala

Isso é impossível,  ser reprovada no primeiro bimestre. Meus pais me matariam,  cortaram o dinheiro e tudo

Adeus dinheiro, adeus festa, adeus dinheiro,  adeus garotas,  adeus dinheiro ... Adeus tudo

-O QUE?  Dou um grito

-vou te dar duas opções Fields,  ou você melhora, ou eu chamo seus pais.

Meus pais nunca, nunca vinheram para a escola. Por mais que eu seja um pouco indisciplinada  e bagunçeira,  eles nunca vinheram. O diretor sorriu maldoso

-tudo bem ... eu até que posso tentar melhorar.  Digo com desdém

-ótimo,  até o próximo bimestre Fields. 

Eu acabo saindo da sala totalmente tonta.

O plano em que eu joguei no lixo, vou ter que pega lo de volta. 

A alison não merece isso ... mas ou é a minha mesada,  ou é o coraçãozinho dela. 

-

Eu volto para sala.

Aqui está tudo calmo.

Até meu caderno em uma folha em branco como sempre. 

Eu olho para o lado e vejo o caderno de alison.

Ela já está terminando a tarefa de história. 

Eu não sei para o que serve história ... sério , já passou! Não vai mudar o nosso futuro.

-Alison.  Eu a chamo baixinho

Ela olha para mim com um sorriso doce

-você tem a resposta da primeira? Pergunto

-emily,  eu já estou e na última questão.  Ela fala e eu solto um sorriso sem graça. Esse menina e tão inteligente. 

-Há

-não pesca. Ela pisca para mim .

Eu a vejo afastar seu caderno,  o deixando mais próximo a mim, me deixando ver as resposta.

Ela fica olhando para o teto, o que é muito engraçado.

E eu acabo fazendo toda a atividade.

-obrigada santa alison.  Eu Beijo sua bochecha por ... nem sei o porquê mas ela fica corada. Alison sempre fica corada.

 

Pov's alison

Hoje a Emily foi tão atenciosa comigo.

Eu não vou mentir, isso mexe comigo.

Eu sei que ela não é muito diferente do meu irmão,  mas ... o que importa? Eu não estou gostando de Emily ... Não estou? 

Ela só está sendo legal comigo porque ajudo ela nas tarefas.

Cheguei em casa e Jason já foi logo cobrir os meus olhos,  o que esse menino quer en? 

-Alison querida se acalme. Escuto a voz do meu pai

-eu estou calma. Digo segurando o riso

Escuto um barulho de uma porta se abrindo. 

-um, dois, três.

Jason tira as mãos dos meus olhos.

Aí meu Deus. 

Eu não acredito no que eu estou vendo.

-i-i-isso, isso é se-sério?  Pergunto surpresa e com os olhos já cheios de lágrimas. 

-muito sério.  Disse Jason com um grande sorriso. 

Eu corro e o Abraço. 

-obrigada, obrigada, obrigada. Digo após lhe dar vários beijinhos. -obrigada ao senhor também.  Digo abraçando meu pai. 

-isso tudo foi idéia do Jason. 

Eu poderia está mais feliz? Eu cabo de ganha um quarto. Digo ... um de verdade.

Jason acaba de trocar de quarto comigo.  A felicidade não cabe mais eu meu peito.

Para algumas pessoas devem achar isso muito infantil. Mas devem ser porque ele sempre tiveram um quarto. Eu nunca tive um ... tirando o sótão e porão. 

-

Hoje é quintal feira. O primeiro dia de muitas quintas que vou vim.

Eu olhava a casa a minha frente. Eu não sei o que eu sinto.  Ansiosa? Feliz? Triste?

Eu acho que um psicólogo legal.  Tipo ele até que me entende. 

Eu já passei a minha vida toda vivendo com psicólogo do lado, que comecei a admirar essa profissão.  Se eu não estiver interessada em nem uma profissão,  talvez eu possa fazer psicologia. 

 

-tudo bem? Meu pai pergunta.

-sim ... eu acho. Digo ao abrir a porta de seu carro. Jason também veio. Ele queria presenciar esse momento.

-me conte como foi viu sua danadinha.  Ele fala depois de me abraçar. 

Respira fundo alison. De hoje em diante e aqui que todas quintas as 17h você vai vim.

Eu toco  campainha e depois de 4 minutos aparece uma mulhe. Ela é alta cabelos .. morenos quase ruivos.

-Oi! Você deve ser a alison? Ela pergunta

-sim, sou eu. Eu digo com meu sempre jeito tímida.  Eu acho que isso irrita as pessoas digo... courtney já é irritada com isso.

-Bom alison, eu sou Ashley Marin,  a sua nova psicóloga. Ela dar passagem em sua casa para mim entra. Eu olho para atrás e vejo que meu pai já tinha ido em boa. 

-prazer. Digo

-vem vamos na minha sala. Ela me guia até a escadas.

-Você trabalha em casa? Pergunto subindo os degraus.

-sim, eu decidir ter os meus próprio negócio ao invés de trabalhar para alguém.  Ela fala.

Ao passar por uma das porta eu escuto um som alto. 

-e só a minha filha com umas amigas. Ela fala.

Ashley me leva até a última sala do corredor. Ela abre as portas revelando seu escritório. 

Ele me lembra o antigo lugar em que eu fazia as minhas sessão. 

Um sofá,  e ao lado uma poltrona. Uma mesa onde ela deve fazer sua papelada e conhecer seus pacientes,  uma prateleira de brinquedos, no consultório do doutor flags , eu brincava nos brinquedos quem que a prateleira deixa os brinquedos.  Eu me sento no sofá e lá vai ela pegar um caderno. 

-me fale um pouco sobre você alison. 

-Como a senhora já sabe, meu nome é Alison Dilaurentis. Tenho 16 anos, moro com meus meus pais, meu irmão,  minha irmã gêmea e minha prima.

-Você se dar bem com eles? Ela pergunta

--hm... com meu pai e com meu irmão e cece sim. Eu me deito no sofá

-e sua mãe e a sua irmã? 

-com elas não. Minha mãe não gosta muito de mim, eu tenho certeza que ela prefere courtney, por ela ser a filha perfeita. Já courtney eu não sei ... ela não gosta de mim.

-me conte um pouco sobre você alison.  Ela escreve em seu caderno

--não tenho muito o que dizer. Eu sou quieta, gosto de estudar, não tenho muitos amigos ... e tenho uns probleminhas. 

-quais são?  

-eu tenho xenofobia,  que é quem tem medo de desconhecidos eu de pessoas estranhas, pocrescofobia eu tenho muito medo de ganhar peso, eu até acho que minha irmã também tem.

Flash Black

 

esta, vendo aquela menina ali?  Pergunta courtney

Nós só tiramos 6 anos de idade.

-O que tem ela? Pergunto. Courtney apontava para uma garota de aproximadamente uns 11 anos de idade

-ela tem uma coisa horrível chamada gordura, e ela vai morrer. Disse courtney. 

Nós duas estávamos no pátio da escola. 

-serio? Por que ninguém avisa ela? 

--você deveria avisar. Courtney fala. Eu paro de brincar com o balde de areia olhando a garota no balanço

-falar o que?

-que ela é muito gorda, e que vai morre, e isso é feio. Ela continua.  Eu ainda fico meio indecisa até courtney continua insistindo.

Eu acabo tomando coragem até ir na garota. Ela era o 5x do meu peso ou quem sabe até mais, e 2X do meu tamanho

-Oi.  Digo ao me aproximar da garota

-Oi.  Ela responde lambendo um picolé

-isso é feio. Digo

-o que é feio?  Ela pergunta. Eu olho para trás e vejo courtney na caixa de areia me mandando um joinha,  o que não sei da onde me dar mais coragem.

-ser gorda, você é muito gorda, e vai morre. Digo tentando ajuda-lá

Mas eu acho que deu errado. Pós a garota me olha com um certo ódio. 

-ela está com ódio de mim. Digo depois de corre  chegar mais courtney. 

-ela não está,  pegue o picolé dela e diga para ela não comer mais nada.

Eu volto para a menina e jogo o picolé dela no chão. Ela deveria está feliz, mas a única coisa que ela fez foi em empurra no chão e começou a bater em mim.

Flash Black of

esse dia ainda me causa arrepios.  Aquela garota fez ainda muita coisa . E courtney continuava só olhando. 

-eu tenho oclofobia,  e nada mais nada menos quem tem medo de multidão. 

-e como você ganhou essa fobia? 

-eu acho que não é um prêmio, e um pesadelo.  Um dia minha mãe me perdeu no Shop, mudando, astrofobia,  e um dos mais comuns, e eu posso falar dos outros depois? Pergunto. 

-

A minha primeira sessão foi ótima com Ashley. Ela é uma boa profissional. Ela não é igual o flags, ela dar sua opinião e conversa comigo.

Eu também soube que Ashley e mãe de hanna.  As meninas pediram para mim ficar mas eu não queria ... Se pelo menos a emily pedisse ... 

Mudando, eu queria passar o primeira noite em meu novo quarto. Jason vai dormi no sótão,  eu não sei o porque dele trocar. 

Pov's alison of. 

Pov's emily on. 

Ontem foi a festa do pijama na casa de Marin.  Descobrir que alison ia mesmo fazer uma consulta ... mas a um psicólogo.  Ela é doida???

Eu já estava na cozinha. Era umas duas horas da madrugada.

Eu pensava no que eu realmente iria fazer.

Eu preciso falar com alguém.  Mas alguém que não me julgue,  alguém que não me apóie e nem discorde, apenas que me escute

Quando eu vejo aria aparecer na cozinha

-aria, posso falar com você?  Pergunto

-claro, me conta, ó que foi? Ela parecia curiosa

-eu ... eu tenho uma dúvida na minha cabeça. 

-vai miga.

-eu preciso de alguém para me ajudar a passar de ano, e eu estou pensando de  iludir a pessoa só para mim passar.

-só isso? Emily, você já iludiu tantas meninas, que nem nos meus dedos da para contar, vamos contar nos dedos do mundo inteiro,  aí talvez dar para chegar pelo menos perto. Ela brinca

-não mas é sério,  eu não sei se eu devo colocar meu plano em prática ou deixar de lado.

-continua,  vai ser só mais uma. Ela beija minha bochecha e vai para o quarto.

Com aria me apoiando,  nem o papa vai me impedir.

Se prepare Alison DiLaurentis para ter seu pequeno coraçãozinho cheio de amor para me dar.  E sua cabecinha cheia de inteligência para me ajudar a passar.

-

Eu acordo de manhã já com a barulheira das meninas.

-calem a boca suas imundas.  Digo e todas rirem. 

-emily nós já estamos atrasadas. Disse aria

-como sempre.

-

Todas nós chegamos na sala com copãos de cafés.  Eu estou com dois um e chocolate quente. 

E hoje que eu vou por meu plano em prática. 

-trouxe café.  Eu digo na orelha de alison. Eu vir usa pele de seus pescoço se arrepiar. 

-mas eu já tomei meu café.  Ela fala ao se virar para trás. 

-pega e só chocolate.  Digo piscando e ela cora e pega o mesmo. 

-obrigada. 

-de nada linda, alison eu estava pensando ... o que achar de sair comigo? 


Notas Finais


????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...