História Percorse Perso - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, EXO, Got7, Hello Venus, HyunA, Mamamoo, Pentagon (PTG), Red Velvet, Samuel Seo, Super Junior
Personagens Alice, Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, Cho Kyuhyun, Choi Siwon, D.O, D-Lite (Daesung), E'Dawn, G-Dragon, Han Geng, Heechul, Henry Lau, Hong-seok, Hui, Hwasa, HyunA, Irene, Jackson, JB, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jin-ho, Jinyoung, Jisoo, Joy, Jungkook, Kai, Kangin, Kim Jongwoon, Kim Kibum, Kim Ryeowook, Kino, Lay, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin, Lime, Lisa, Mark, Moonbyul, Nara, Park Jungsu, Rap Monster, Rosé, Samuel Seo, Sehun, SeoYoung, Seulgi, Seungri, Shin Donghee, Shindong, Shin-won, Solar, Suga, Suho, T.O.P, Taeyang, V, Wendy, Wheein, Woo-seok, Xiumin, Yan An, Yeo One, Yeoreum, Yeri, Yesung, Yooyoung, Youngjae, Yugyeom, Yuto, Zhou Mi
Tags Bts, Got7, Hwamon, Mamamoo, Pentagon, Red Velvet, Samuel Seo, Strip Club, Super Junior, Traição, Violencia
Visualizações 24
Palavras 1.095
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie galero 💗
Então gente, eu acho que não vou fazer mais capas de capítulo, pois TODOS os meus renders foram apagados, e eu acabei fazendo esse da Hyejin de última hora.
Acontece que eu apenas uso o celular para escrever, pois o computador andou pifando muito.
Então desde já, pessoa minhas imensas desculpas por alguns errinhos que passaram despercebidos por mim nesses tempos em que a fanfic estava no ar.
Mas enfim, boa leitura💗

Capítulo 16 - Seo e Hyunah


Fanfic / Fanfiction Percorse Perso - Capítulo 16 - Seo e Hyunah

Capítulo 16 - Seo e Hyunah



E se eu disser, que eu decorei seu RG


só pra se precisar


Você vai pra um chalé em Macaé?


Eu queria tanto que você não fugisse de mim


Mas se fosse eu, eu fugia


E se eu disser que foi por amor


que eu invadi o seu computador


Você pega um avião?


E se eu contar de uma vez, que eu descobri sua senha do cartão


Você foge pro Japão esse verão?


Eu queria tanto que você não fugisse de mim


Mas se fosse eu, eu fugia



Macaé - Clarice Falcão




       Wheein estava inconsciente em cima da cama levemente desconfortável do hospital, enquanto Hoseok a encarava com o medo estampado em seu rosto.


     O Jung estava com medo de Wheein não acordar, mas também tinha medo da reação da menor ao saber que a criança não estaria mais em seus braços.


     Hoseok havia falado com os médicos anteriormente, e todos disseram que o bebê já havia morrido no primeiro impacto do carro. Porém com a queda de Wheein, o bebê perdeu completamente tudo que havia consigo.

"Não se preocupe em avisar a Sra.Wheein, Sr.Jung. Nós iremos avisar sobre a perda da criança, assim que ela acordar de sua coma."

      Hoseok sentiu as mãos macias de Wheein acariciarem o rosto do mesmo levemente, Hoseok só conseguiu sorrir levemente enquanto apreciava o leve carinho enquanto podia.


- Finalmente você acordou. Pensei que não iria acordar hoje. - Hoseok segurou as mãos de Wheein, enquanto a mesma sorria encarando o rosto do mais alto.


- Não se preocupe tanto. Eu estou bem. - Wheein sorria levemente, e depois deixou de fazer o carinho no rosto de Hoseok. - Os médicos tem notícias do nosso filho? Por algum motivo, eu me sinto vazia.


     No momento em que o Jung iria abrir sua boca, um médico entrou na sala, e sorriu a ver Wheein acordada.


- Ah, finalmente a senhora está acordada.  - A doutor sorriu, encarando o rosto aflito de Hoseok. - Bem, eu tenho algumas notícias para dar a senhora, e talvez ao seu marido.


- O que aconteceu? Está tudo bem? - Wheein olhou aflita para o médico, que estava por um fio de soltar um longo suspiro.


- Bem, creio que a senhora se lembre que foi atropelada certo? - A Jung concordou em um gesto com a cabeça. - Pois bem... acho que a senhora não irá se lembrar, mas o carro atingiu sua barriga em cheio, e não sobrou chances para o seu filho.


       As palavras duras do médico atingiram Wheein e Hoseok em cheio. Wheein não queria acreditar que havia perdido o seu bem mais precioso, e Hoseok esperava que a pequena Jung não entrasse em pânico.


- I-isso não pode ser verdade, certo? - Wheein estava com a voz chorosa, e as lágrimas estavam inundando seus olhos. - Meu filho está bem, não está? - Os olhos marejados de Wheein estavam fixados nl homem de jaleco branco em sua frente, que apenas olhava em seus olhos fixamente, e logo em seguida, o mesmo se curvou em respeito.


- Eu sinto muito.


      Wheein não tinha expressões em seu rosto. Seu coração estava completamente despedaçado em milhões de pedaços. O choque de ter perdido o seu filho foi tão grande, que nenhum dos dois fez questão de perceber se o médico ainda estava  dentro da sala.


     Wheein agarrou o rosto de Hoseok, encarando o mesmo com os olhos cheios de lágrimas.


- Por favor, me diz que ele está bem... -Wheein apertava as maçãs do rosto de Hoseok - ou pelo menos tentava, e fracassava. -, que já estava em lágrimas.


- Eu estaria mentindo se eu dissesse que está tudo bem. - Hoseok sorria amargamente, enquanto as lágrimas rasgavam seu rosto.


      Wheein largou o rosto de Hoseok, e se curvou em seu peito largo. As lágrimas e os soluços chegavam em uma velocidade quase anormal.


      Era assim que era perder um filho? Se sentir completamente vazia e incompleta, sem um objetivo agora, sem uma razão para viver?


       Apenas queria sair dali, e estar junto ao seu filho, mesmo que fosse algo que saberia que não poderia ter.





- X -





          Seo estava mexendo em seu celular, observando a foto de Hyejin que ele havia tirado antes dela ter ido embora

       Hyejin era linda, mas foi uma pena que ela se revoltou contra o mesmo.


       Desque que Hwasa havia partido e deixado aquele bilhete inútil em sua bancada - inútil na vista de Donghyeon, pelo menos -, o Seo sempre a procurava em algumas casas de aluguel, mas nunca a achava em lugar algum.


      Graças a esse sumiço de Hyejin, Seo resolveu contratar uma máfia por alguns Wons, que para quem visse, seria considerado um grande quantia apenas para procurar alguém.


- Querido, cheguei! - Hyunah abriu a porta lentamente, e deu um sorriso grande ao ver Seo sentado no sofá pequeno.


- Ah, Hyunah! - Seo exclamou desinteressado, enquanto apagava a foto de Hyejin. - Conseguiu o emprego?


- Sim. Em uma boate. Vou ser coreógrafa de algumas meninas. - Hyunah colocava seu celular para carregar, enquanto sentia o olhar de Seo em suas costas.


- Isso é bom. Qual o nome do lugar? - Seo já estava com raiva de Hyunah, pelo fato de a imaginar dançando para outros.


- Podoju's Club. É uma boate de strippers. - Hyunah citou, enquanto, sentia o olhar de Donghyeon em suas costas. Arrepiou-se.


      Donghyeon se levantou, e segurou a mão de Hyunah, que segurava o copo de vidro.


- Você virou algum tipo de puta para trabalhar em uma boate?


       A mais baixa encarava o chão com medo, enquanto sentia seu coração se apertar. Desde o começo desse "amor", sabia que Donghyeon era violento, e queria mudá-lo, e iria conseguir.


- Vadia mal educada.


     Seo estendeu a outra mão que não prendia a mão de Hyunah, que logo depois deu um tapa estralado na bochecha esquerda de Hyuna, que segurava o choro, esperando que ele não visse suas lágrimas.


- A próxima vez que não me responder, eu baterei em mais partes, e não apenas no seu rosto. - Seo empurrou Hyunah com força, o que a fez bater em um armário da cozinha americana, enquanto a mesma segurava o braço esquerdo.


      Por mais que não quisesse admitir, aquilo era completamente comum em seu dia a dia. Não conseguia se desprender de Donghyeon, pois ainda o "amava" e queria ser feliz com ele, e se sentia culpada quando ele a agredia tão bruscamente.


      Isso não podia continuar assim, mas queria continuar...



Notas Finais


Obrigada por ler até aqui~
Plágio não é legal
Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...