História Percy jackson a hora chegou - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo
Personagens Personagens Originais
Tags Percy Jackson & Os Herois Do Olimpo
Exibições 49
Palavras 2.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - ''dor de cabeça''


Nós estávamos muito longe do acampamento quase chegando em Nova York mas parecia que eu ainda estava lá talvez seja por causa de todos esses anos inesquecíveis,todos os verões e também foi lá que eu conheci todos os meus amigos e principalmente a Anabe...

- Percy, hey Percy!

- Ah me desculpa, a gente já chegou Annabeth?

- Não, é só que você tava com uma cara de cachorro abandonado. - ela soltou um sorriso debochado.

- Hahaha, muito engraçadi...

De repente eu comecei a ouvir uma voz na minha cabeça a dor era insuportável,era a mesma voz da mulher do meu sonho, só que agora eu não estava dormindo.

- Percy, eu soube que derrotou Gaia, Cronos, uma coleção de monstros e muitos outros.

- O que você quer?

- De você, muitas coisas inclusive uma delas é me casar com você, sabe nada pessoal mas você possui a maldição do meu marido...

- Aquiles ele não é seu marido!

- Não, ele não mas sim Khonsu.

- Então essa, claro como eu nunca percebi e deixe-me adivinhar você deve ser a esposa Anukis antiga deusa do Nilo e das águas.

- Sim, sim meio óbvio.

Agora a dor estava insuportável eu mal conseguia falar sem gritar de dor,estava lutando para ficar acordado minha vista estava embaçada e a sensação da morte estava tomando conta de mim.

- MAS PORQUE EU ME CASARIA COM VOCÊ?

- Deixe-me ver, eu posso te matar sem estar nesse vamos dizer, coisinha minúscula chamada vã, é esse o nome não?

- AH TÁ BOM.

 Agora eu podia sentir cortes tomando conta do meu corpo e Annabeth gritando meu nome, eu juro que queria falar pra ela que eu ia ficar bem mas parecia que eu estava preso na minha mente.

- Sabe como vamos nos casar vou lhe contar uma coisa, eu sou muito paciente mas quando me irritam vamos dizer que eu machuco quem está me irritando e você está começando a me irritar, mas como hoje eu estou amigável irei te contar mais uma coisa um dos meus mais poderosos poderes e que poucos sabem é que eu posso fazer as pessoas ficarem presas em suas mentes.

- AH CLARO, JURO SE VOCÊ NÃO ME FALASSE EU  NEM PERCEBERIA.

- Sempre com o tom de ironia.

- COMO VOCÊ SABE DESSE MEU, VAMOS DIZER HÁBITO?

- Há sim vamos dizer que tenho meus informantes. E me desculpe pela dor que está sentindo nesse instante.

- CLARO, QUE NÃO.

- Nossa não precisa agir como, como é o nome dele há claro Léo, é assim que você chama o Leonardo não é, ele adora dizer ''claro que não''.

-Como você sabe dele?

- Agora diminuiu o tom, bom, muito bom.

- BOM!

- Sim, sim. Você se preocupa muito com seus amigos é de uma lealdade impressionante mas isso pode atrapalhar você em uma batalha ou guerra porém favorece muito o seu adversário.

- Quer dizer, não, não você não...

- Ah sim, eu estou com ele em uma das minhas prisões assim como a Calipso aquela ''tal'' que foi apaixonada por você e claro seu irmãozinho Tyson.

- Então não era um sonho.

- Bom na teoria da ciência sim mas na minha não, afinal eu fiz com que você visse aquilo.

- ISSO É UMA ARMADILHA PORQUE EU IRIA IR ATRÁS DE VOCÊ?

- De mim não, não de mim mas sim dos seus amigos.

- E como vou saber que está com eles?

Uma imagem apareceu em minha mente era Léo e Calipso sentados em um calabouço eles estavam com ferimentos seríssimos.

- Viu ainda estão vivos, feridos sim, mas vivos.

- Quem me garante que você não vai matar eles?

- Nada.

- E onde você quer que eu vá? - Qual é eu não tinha outra coisa melhor pra falar agora ela sabe que pode fazer o que quiser comigo.

- Ah é com certeza você poderia ter falado algo melhor, enfim você acha mesmo que eu vou facilitar pra vocês?

- Eu tinha uma esperança. - Agora a voz estava sumindo mas uma sensação de estar desmaiando broto em mim e aquela voz sussurrando  na minha mente.

- Percy Jackson meu futuro marido se for esperto irá se apressar  seus amigos tem cinco dias de vida e você já sabe o caminho... pense, pense.

Meus olhos se fecharam já não conseguia mexer um músculo só ouvia meu nome e alguém me dando algo para comer deveria ser néctar, depois disso eu abrir os olhos e todos os meus amigos estavam em volta de mim, mas logo eu desmaiei. Isso me fez lembrar de quando eu cheguei ao acampamento e se me perguntarem o que isso tem haver minha resposta é ''nem eu sei''.

Quando acordei estava deitado em uma cama espera era o meu quarto e Annabeth estava ao meu lado, claro com certeza já tínhamos chegado em Nova York  provavelmente eu tenha ficado desacordado por horas porque eu podia ver a lua pela minha janela.

- Percy!

- Oi...- me sentei na cama com dificuldade e pude ver os cortes no meu corpo - tudo bem?

- TUDO BEM, PERCY VOCÊ AGE COMO LOUCO DEPOIS DESMAIA E QUANDO ACORDA DIZ  ''OI TUDO BEM''.

- Eu não agi como louco e esperava uma recepção melhor.

- Não, claro que não só começo a falar sozinho de repente e pode deixar da próxima que meu namorado falar sozinho, misteriosamente vários cortes aparecerem nele, depois ele desmaiar e acordar depois de horas eu vou esperar com uma caixa de biscoitos azuis .

- Não seria nada mal e eu não estava falando sozinho porque não é possível que só eu tenha ouvido aquela voz.

- Que voz Percy?

- A voz de Anukis.

- Percy Anukis está morta e enterrada no Monte Olimpo.

 - Mas e se quando aconteceu a guerra contra Cronos o túmulo dela tenha meio que despedaçado e ela tivesse ressuscitado só que demoro todo esse tempo para ela se regenerar.

- Não ela não conseguiria fazer isso sozinha a não ser que ela queira que você faça isso por ela.

- Ah o que ela quer de mim é uma coisa bem diferente.

- Percy o que ela te disse?

- Onde estão os outros?

- Percy você não me respondeu!

- Eu vou responder quando todos estiverem juntos.

Annabeth não tinha gostado muito disso mas ela me ajudou a levantar da cama e descer as escadas, quando chegamos na sala todos estavam sentados no sofá ou em cadeiras reparei que minha mãe e nem Paul estavam lá mas preferi não comentar, logo Rachel veio me abraçar, os outros me cumprimentaram com um aceno de mão ou de cabeça eu e Annabeth mal nos encostamos na parede e as perguntas começaram de repente ninguém ouvia ninguém porque todos estavam falando ao mesmo tempo.

- CRIANÇAS!! - eu estava tão concentrado na conversa que eu não entendi nada que nem reparei que Paul estava atrás de mim.

- Paul cadê a minha mãe?

- Percy, aconteceu uma coisa. - a expressão de Paul demonstrava medo, pavor.

- O que aconteceu e cadê a minha mãe?

- Percy...

- Paul eu conto pra ele. - Nathalia estava atrás de mim e foi ela quem falo ''eu conto pra ele'' então o que iria me detonar que nem minha namorada se ofereceu pra me contar

- Será que alguém pode me explicar o que esta acontecendo?

- Percy a sua mãe...

- O que aconteceu com a minha mãe Nathalia?

- Eu preciso que você tenha calma.

- CALMA, AHAM CLARO ASSIM QUE ME CONTAREM O QUE TÁ ACONTECENDO.

- Percy, quando nos chegamos a Nova York você ainda estava desmaiado.

-Tá e?

- Dai a gente te trouxe pra sua casa e a sua mãe não queria sair do seu lado porque ela disse que sabia o que tinha acontecido com você e se te deixassem sozinho essa coisa que ninguém ainda sabe o que é iria voltar só que agora pessoalmente.

- Como ela sabia?

- Ela disse que teve uma sensação e de repente ela viu o que tava acontecendo na vã e também conseguiu ouvir a conversa, mas enfim o Paul disse que a Annabeth iria ficar com você e que ela podia voltar pra confeitaria,que inclusive ele a levaria de volta então eu me ofereci para ir junto.

- E o que isso tem demais?

- Nada até ai tudo bem só que quando nós estávamos indo para a confeitaria alguma coisa nos atingiu a gente não conseguiu ver o que era então Paul estacionou o carro e nós descemos, eu não sei a gente não via nada mas a sua mãe disse que estava escutando algo e de repente... ela sumiu.

- Aquela...

- Percy na vã... você tem certeza que era Anukis?

- Tenho Annabeth.

- Espera Percy é a mesma Anukis a esposa de Khonsu?

- Sim Rachel e aquele dia na caverna o cara da maldição era ele.

- Percy que maldição é essa?

- É uma história longa Piper.

- E a gente precisa saber Percy?

- Não Jason.

- Mas o que essa Anukis quer? - pergunta Piper.

- Ela quer se casar com o Percy. - diz Clarisse.

- O QUÊ? - pergunta Annabeth.

- Há valeu Clarisse.

- De nada Percyto!

- Percy que história é essa?

- Annabeth pra falar a verdade nem eu sei direito então eu vô começar desde o começo.

- Aleluia! - diz Frank.

- Bom à alguns dias eu tive um sonho esquisito eu e Annabeth estávamos presos em uma caverna quando a Anuket apareceu do nada e ela veio com esse papo de casamento, que eu sempre amei ela e que iríamos nos casar.

- Percy você sabe como Anuket se casou com Khonsu, não sabe? - pergunta Annabeth.

- Na verdade não.

- Ela tem uma certa magia de amor no olhar e quando ela quer que alguém se apaixone por ela basta ela te lançar um olhar, claro se ela quiser.

- Aí é que tá ela queria que eu me apaixonasse por ela só que não deu certo.

- Como?

- Bom, eu tava caindo mas quando eu ouvi a sua voz eu cai em si.

- Então se a Annabeth tiver com você não vai acontecer nada? - pergunta Nico.

- Mas se isso for verdade Annabeth não vai ter como sempre estar comigo.

- Eu não preciso necessariamente estar com o Percy o tempo todo.

- Mas como? -pergunta Nathalia.

- Nós podemos improvisar um comunicador. -digo e todos parecem surpresos.

- É isso mesmo Percy! -fala Annabeth.

- Sempre o tom de surpresa. -todos começam a rir inclusive eu.

- Mas falando sério agora como vamos fazer isso? - pergunta Clarisse.

- Eu posso fazer só que eu vou precisar que alguém solde. - digo e todos acham estranho e Annabeth pergunta.

- Tem certeza Percy?

- Tenho mas eu preciso ir em um lugar antes.

- É Percy... acho melhor não! -diz Rachel.

- Por que não? -eu tenho impressão que ela já sabia onde eu ia ir.

- Percy você sabe que é loucura, não sabe. Quer dizer você paro pra pensar um pouco, acho que não porque se tivesse pensado saberia que é pra lá que ela quer que você vá.

- E é por isso que eu vou. - peguei as chaves do meu carro já que pude ver que ele estava no lado de fora da minha casa mas quem o trouxe?

Eu saio antes que qualquer pessoa pergunte alguma coisa mas quando entro no carro percebo que Nathalia entrou junto e ela diz.

- Agora eu sei porque quiseram que eu viesse e você vai ter que me levar junto.

- Não, ela vai estar me esperando e eu não quero que você vá é muito perigoso!

- E porque você vai então? -eu não tinha uma resposta adequada e também eu não iria fazer com que ela mudasse de ideia então simplesmente liguei o carro e segui.


Notas Finais


Quem descobrir aonde eles foram tem a chance de dizer o que quer que apareça no próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...