História Percy Jackson e o Reino de Poseidon. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Percy Jackson, Poseidon, Tyson
Tags Percy Jackson
Exibições 107
Palavras 1.021
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Minha nova fanfic, continuação da Incrível Jornada dos Deuses em Nosso Acampamento. Está relacionada a profecia:
Professor, talvez.

Mas não desta vez,

O Herói procura a casa no mar

Tudo acabará,

Quando a resposta encontrar.

Espero que gostem!

Capítulo 1 - Reino de Poseidon, ai vou eu!


Fanfic / Fanfiction Percy Jackson e o Reino de Poseidon. - Capítulo 1 - Reino de Poseidon, ai vou eu!

"Quando pronto, Vá a praia e mergulhe, mergulhe, mergulhe... Saberá encontrar o que procura. Não se esqueça de falar com Quíron!

Poseidon.

Foi esta a carta deixada pelo meu pai. Falei com Quiron. Despedi-me dele, de Nico e de Annabeth e outros campistas mais chegados.

Fui no mar. Megulhei fundo. 15,20,30 metros... Se você for um filho ou filha de Poseidon não precisa se preocupar com a pressão. Sorte a minha. Um tubarão comunicou telepaticamente comigo. Disse que a corte aguarda minha chegada. Hã? Como assim, uma corte? Sou tão especial para o meu pai assim? Deve que estava comemorando a vida de solteiro, depois que largou de Anfitrite. Pelo menos, deram um tempo. Meu pai me contou que Anfitrite afastou-se dele por 500 anos. Só voltou quando ele conheceu minha mãe.

Comecei a avistar alguns tritões e ciclopes. Avistei Tyson, que foi o primeiro a mim ver.

-Percy! - ele chamou. Todos olharam em minha direção, inclusive meu pai. Apenas quem me olhou sério foi Tritão.

-Seja bem vindo! - meu pai veio em minha direção. Sons de concha soaram.

Foi uma apresentação rápida. Meu pai me levou para dentro do Palácio. Como lá era lindo. Diferente da Casa de Hades, as paredes eram decoradas com animais marinhos. Não fazia ideia de quantos metros de profundidade eu estava. E além disso, lá de alguma forma, havia ar para respirar! Tipo algumas cavernas marinhas que eu aprendi na escola;

-Este é o seu quarto. Tyson fez questão de ser perto do dele. - meu pai disse.

-Obrigada Pai! - agradeci.

Tyson chegou naquele momento. Ele não estava com sua armadura, o que eu achei muito bom já que ele me abraçou.

-Vou deixar vocês dois. Vocês tem muito o conversar!  - Poseidon disse e então saiu.

Eu e meu irmão ciclope conversamos alguns minutos, até que uma voz feminina disse, enquanto abria a porta.

-Tyson, onde esta... - ela se interrompeu e começou a fazer uma reverencia a mim - Herói do Olimpo, desculpe pelos modos. Eu não quis general...

General eu acho que ela quis se referir a Tyson. A garota era uma jovem ciclope um pouco menor do que meu irmão. Imediatamente, levantei de minha cama e ajoelhei-me perto dela.

-Ei! Pare, por favor. Não sou um deus. Pode me chamar de Percy! - disse.

-Sim, senhor Percy. - ela disse se levantando.

-Só Percy! - falei.

-Desculpas, Percy... - ela disse. - Meu nome é Caroline. Faço parte do exercito do general Tyson.

Oi? General Tyson? Estou precisando conviver mais com meu irmão.

-Caroline, você é minha melhor amiga. Não precisa se comportar dessa forma! - Tyson falou.

-O Senhor Poseidon, antes de Percy chegar mandou eu apresentar alguns lugares para ele. Pode ser agora? - ela perguntou.

-Claro! - ela então de puxou pelos braços.

Meu pai, depois da guerra contra Oceano, reconstruiu uma cidade. Desta vez, pude ver melhor o lugar. Eram um certo tipo de casas, como se fosse apartamentos, mas nem de longe tão altos.

-Bem vindo a Atlântida!  - Caroline disse.

-Espera ai, quer dizer... a cidade perdida?

-É claro! Depois de perder uma guerra contra a cidade de Atena, a senhora Atena fez com que o time adversário, no caso, Poseidon, destruísse a cidade. Então ele colocou ela sobre seu domínio, o mar.

-Isso foi bem... genial. - disse.

Por onde eu passava, todos os tritões e naídes do mar olhavam em minha direção. Eu era o único semi-deus ou humano de lá. Seria um pouco melhor se alguém pudesse vir comigo, mas ninguém do acampamento respira de baixo d´água como eu.

-Antes de você ir embora... - ela se interrompeu. - quero dizer... não que seja agora, você tem que comprar algo aqui.

- ela apontou para um lugar onde vendia colares de conchas e objetos encontrados no mar.

-Mas eu não tenho dinheiro. - falei baixinho.

-Sem problemas! Eu faço questão de comprar. - ela tirou um dólar de areia - Um presente! - ela me entregou a bolacha de areia. - dá para você comprar dois colares!.

Pensei logo em levar um para Annabeth!

-Obrigado!  - agradeci e entramos na loja.

O local era gigante por dentro. E quando eu digo gigante e porque é. Novamente todos me olharam. O atendente da loja tinha uma enorme barba e uma espécie de cauda de sereia. Tinha quase certeza que ele era um tritão.

-O que temos hoje! - ele disse com um sorriso - Filho de Poseidon. Olá general, olá Tenente Caroline. Vão querer comprar algum colar? Onde estão meus modos? Meu nome e Scott! Prazer

-Prazer, Percy Jackson! - disse

-Vê alguns bem bonitos para Percy! - ela disse.

Ele me mostrou, cada um mais bonito que o outro. Toquei em um que tinha uma concha parecida com uma coruja. Lembrei de Annabeth.

-Esse está ai há muito tempo. Ninguém o compra por causa de nosso ressentimento com Atena. - ele lamentou.

-Atena é uma deusa muito difícil de se entender... - disse.

-Ela quase fumegou Percy uma vez!  - Tyson disse.

-Quase... Se não fosse por Annabeth. - disse encerrando o assunto.

-Você tem um dólar de areia! Pode levar dois colares. - Scott disse.

-Vou levar esse! - apontei para o colar de "coruja".

-Mesmo com nosso ressentimento por Atena? Seu pai não aprovaria is... - ele se interrompeu ao ver Poseidon chegar.

Todos que estavam no local fizeram reverencia.

-Aprovaria. Com certeza!

-Mas senhor, é Atena de quem estamos falando. - O vendedor continuou.

-Eu concedi a Percy minha benção para ele namorar Annabeth Chase, a arquiteta do Olimpo. Sem ela teríamos sido um grande fracasso contra monstros de Chronos. Não vou manter mais um ressentimento de mil anos com Atena! - Poseidon saiu em minha defesa.

Todos ficaram em silencio. Scott então, apenas concordou:

-Sim, senhor.

Depois daquilo, Caroline me levou em alguns lugares. Me explicou algumas coisas. Falou a história de um monte de estátuas de Poseidon. Ah! É claro! Como pude esquecer. Havia tantas estatuas de meu pai em suas diferentes formas. Havia um templo também dedicado a ele.

Voltei para o palácio.


Notas Finais


Percyto leeerdo que só deuses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...