História Perdas - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!jeongguk, Hoseok, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Taehyung, Top!taehyung, Vkook, Yoongi, Yoonmin
Exibições 159
Palavras 1.834
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora, gente. AHHHHH! Sério, eu fico meio desesperada quando não tenho o mínimo de tempo pra atualizar a fic.

Eu estava MUITO atolada de coisas pra fazer na feira de ciências da escola (nós ganhamos, aeee). E também, eu tive simulado, provas, fiquei 2 dias sem internet e tive que escrever Wrong. Entendem? Eu não tive nem tempo pra pensar. Desculpem-me.

Aproveitem a leitura. <3

Capítulo 7 - Vamos Jogar


Fanfic / Fanfiction Perdas - Capítulo 7 - Vamos Jogar


     Taehyung



 

 Reviro-me pela milésima vez em minha cama por conta da maldita insônia. Eu deveria estar sonhando com coelhos espaciais depois de passar o dia todo treinando minha dança junto com os hyungs, mas infelizmente não conseguiu grudar meus olhos uma vez sequer. O escuro parece incomodar, logo não penso duas vezes antes de ligar o abajur. A luz se propaga pelo ambiente, iluminando-o. Viro mais uma vez, de costas para a porta e fecho meus olhos, tentando dormir.

 

— Você está bem, cara? Eu não paro de ouvir você se remexendo nessa cama. — Jeongguk pergunta num sussurro. Abro rapidamente meus olhos ao ouvir sua voz e encaro sua íris escura. Aqueles olhos negros e intensos me fitando me fazem perceber o quanto gosto deles.

 

— Sim. Apenas não consigo pregar os olhos.

 

— Você queria ser cego?

 

— O que? Não! Por quê? — Franzo o cenho.

 

— Você está dizendo que queria pregar eles.

 

Encaro-o sério e rolo meus olhos para cima. Sua risada divertida preenche o cômodo.

 

— Eu realmente ouvi isso? Quero dizer, você é realmente um idiota, Jeongguk.

 

— É costume meu de fazer piadas sem graça. — Dá de ombros.

 

— É notável. — Ele me mostra a língua.

 

 É tão ruim quando ficamos assim, em silêncio. Eu meio que passei a gostar da sua voz.

 

— Vamos jogar ou comer alguma coisa?

 

— Jogar enquanto comemos! — Exclamo, levantando da cama completamente animado. Paro por um instante e franzo o cenho em uma expressão confusa. — Ou seria comer enquanto jogamos?

 

— E não é a mesma coisa?

 

— Não. Sim! Talvez. Eu sei lá.

 

— Burro. — Rola os olhos e ri.

 

— Idiota.

 

— Vamos logo, Tae. — Choraminga.

 

— Não precisa chorar. — Zombo. — Vem.

 

 Chegamos na sala, deparando-nos com o total escuro. Seguro nos ombros de Jeongguk para que ele me guie sem que eu bata em algo. Repreendo a mim mesmo mentalmente por não ter pensado em pegar meu celular para ligar a lanterna do mesmo.

 

— Você trouxe seu celular?

 

— Sim. — Cessa os passos, ligando a tela de seu aparelho, iluminando minimamente o ambiente. Dirige-se até o interruptor, ligando-o. — Puta merda. Eu sou tão inútil, que esqueci que meu celular também ilumina.

 

— Ei, não fale assim! — Repreendo-o. — Agora liga logo esse vídeo-game. Ele faz uma cara de desgosto e caminha até a bancada, ligando os aparelhos para jogarmos.

 

 Sento no sofá, de frente para a televisão, Jeongguk senta ao meu lado e me dá um dos controles. Ao se ajeitar no estofado, o moreno acaba por roçar levemente seu braço no meu, arrepiando-me por completo. Eu sou sensível e ele está quente. Procuramos alguns jogos e optamos por corrida de carro. Seleciono um carro simples, com uma pintura esverdeada, enquanto Jeon seleciona um carro cor vermelha, com desenho de um raio em seu lado direito.

 

— Pronto? — Pergunta com aquele maldito sorriso de canto. Ele é competitivo, obviamente não aceita derrotas, o que torna tudo mais emocionante para mim. Lanço-o um olhar desafiador, direcionando meus olhos para a televisão.

 

— Pronto.

 

 Damos a partida quando a contagem progressiva chega no três e o sinal muda para o verde. Jeongguk está alguns centímetros a frente, o que me faz buscar todas as minhas técnicas para ultrapassá-lo. Agora estamos lado a lado. Bato algumas vezes na lateral esquerda de seu veículo na tentativa de diferenciar nossas posições, e ele acaba por bater no cercado, ficando para trás.

 

— Acho que alguém está um pouco distante. — Debocho. Ele ignora minhas provocações e logo trata de se recuperar, quase me alcançando. Eu realmente sou o melhor na corrida, sempre ganho de Jimin, Hoseok e Namjoon.

 

  Meus dedos suados deslizam pelo controle, fazendo com que a velocidade reduza e o menor me ultrapasse. Faltam apenas trinta segundos para que um de nós vença a corrida, pois pra mim, os outros realmente não contam, já que fazem parte do próprio sistema. Ao tentar recuperar a minha velocidade, bato em um dos pequenos obstáculos, ficando mais atrasado ainda. Jeongguk apenas ri e um pequeno desespero bate dentro de mim por eu estar perdendo pela primeira vez na corrida de carro.

5

4

3

2

1...

 Boquiaberto, encaro a tela mostrando a classificação dos jogadores. A corrida é finalizada com Jeongguk em primeiro e eu, em quinto lugar. Não consigo acreditar que perdi, quero dizer, logo na primeira partida chega a ser uma humilhação. Um pequeno fico triste se forma em meus lábios. Jogo o controle ao meu lado do sofá e ponho as duas mãos no rosto.

 

— Isso foi humilhante, cara. — Falo tendo minha voz abafada por causa das minhas mãos.

 

— Acho que eu ganhei. — O moreno ao meu lado diz completamente risonho.

 

— Jura?

 

— Qual é? É só um jogo. — Ignoro. — Criança.

 

— Você é mais novo que eu.

 

— E?

 

— E o quê? — Franzo o cenho.

 

— O que tem a ver? E você é mais velho apenas alguns meses.

 

— Sem sentido você me chamar de criança. — Resmungo.

 

— Está agindo como uma. — Insiste.

 

— Não estou, Jeon. E ninguém gosta de perder, principalmente por ser o melhor durante anos! — Bufo.

 

— Não, ninguém gosta, mas não precisa ficar com raiva de mim por algo que não tenho culpa. Quem se desclassificou foi você mesmo e não o jogo ou eu. — Suspira, largando o controle em cima da pequena mesa de vidro à sua frente.

 

 Parando para analisar sua frase, eu estou sendo estúpido. Eu nunca tinha presenciado uma derrota que fosse minha, é a primeira vez e sim, é algo humilhante, porém não devo culpá-lo por isso.

 

— Desculpe.

 

— Deixa disso e vamos comer alguma coisa. Não quero jogar Mario por puro tédio.

 

— Mas ainda tem o jogo de corrida. — Encaro-o confuso.

 

— Prefiro jogar com alguém além do próprio sistema, mas depois do seu quase choro eu decidi não arriscar mais ganhar de você, o que seria sem graça. — Há um certo tom de deboche em sua voz.

 

— Eu odeio você. — Murmuro.

 

— Você e mais outras mil pessoas.

 

— Vamos comer antes que eu quebre esse controle na sua cabeça. — Pego o controle e bato com ele levemente na testa de Jeongguk.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

— Eu só não consigo entender, Jiminie. — Limpo algumas lágrimas que teimam em escorrer pelo meu rosto, enquanto ele me faz um cafuné.

 

— Não é algo que se possa entender, Tae. Veja o que acontece entre mim e Yoongi... Eu mal sei como comecei a sentir isso, apenas aconteceu.

 

— Eu nunca senti isso, muito menos por garotos. Eu não sei se gostar seria a palavra certa. E se for algum tipo de atração física? Ou sei lá. Carência por nunca ter namorado ou ficado com alguém. Ele é alguém que ninguém conhece, que fala muito, mas é como se não falasse nada. Entende? Não sei nada sobre ele a não ser alguns gostos musicais ou manias, então como posso gostar de alguém sem conhecer? O desconhecido é simplesmente maravilhoso, mas não faz sentido.

 

— Eu estou soluçando. Simplesmente odeio estar tão confuso assim. Dói.

 

— Não se torture tanto. — Aconselha — Pense em como é bom poder ver ele todos os dias, em como é bom falar com ele sempre que quiser. Não precisa ter pressa para entender isso, Tae. É repentino demais para processar. Seu medo é pelo fato dele ser um garoto?

 

— Eu não sei...

 

 De fato, eu não sabia. Há tantas coisas, mas elas parecem ser apenas consequência da minha mania de pensar demais, de criar situações nas quais provavelmente não acontecerão.

 

— Durma aqui comigo hoje, se quiser.

 

— Yoongi não ficaria com raiva? — Pergunto receoso.

 

— Primeiramente, nós somos amigos e fizemos isso várias vezes, Segundo, nós não somos namorados ou coisas desse tipo, ele não teria motivos para ficar bravo com isso. Mas o que te faz pensar que ele ficaria com ciúmes?

 

— Ele gosta de você, seu idiota. Vocês dois se gostam e sabem disso e mesmo que se falem, não é a mesma coisa de antes.

 

— Eu acho que estraguei minha amizade com ele, Taehyung. — Sua voz soa completamente triste, como se fosse chorar a qualquer momento.

 

— Você sabe dá tantos conselhos bons para mim... por que não os usa?

 

— Eu não sei.

 

— Depois falaremos sobre isso, por agora eu quero dormir. Está tudo bem para você? — Levanto meu rosto para fitá-lo e ele me lança um sorriso fraco.

 

— Sim, está.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

— Você perdeu pro Jeongguk? — Hoseok cospe seu suco todo dentro do copo novamente, me olhando com os olhos arregalados.

 

— Não era você o vencedor da turma? — Namjoon dá ênfase na palavra "vencedor", fazendo as aspas com as mãos ao pronunciar a palavra.

 

— Quem é o vencedor aqui? Kim Taehyung. — Yoongi debocha usando uma das frases na qual eu usava sempre que vencia um deles.

 

— Aquilo foi literalmente um deslize. — Me defendo — Vão se foder!

 

— Olha a boca, criança. — Jin me repreende.

 

— Você tinha que espalhar isso, não é, Jeongguk? — Reviro os olhos.

 

— Não espalhei, quem espalhou foi Yoongi. Ele me perguntou como foi meu dia e eu contei tudo, inclusive sua maldita perda. — Dá de ombros.

 

— Isso é importante. Agora temos algo para usar contra você porque sabemos que você vai ficar puto com a gente. Tem algo melhor que isso? Você é um bebê chorão, Tae! — Zomba Hoseok.

 

— Eu perdi pro Jeongguk e não pra você, logo não se sinta poderoso por isso. — Sorrio de canto, vendo-o revirar os olhos. Todos ali presentes fazem questão de gritar um "ô" em um perfeito conjunto.

 

— Foda-se.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Estamos na sala saboreando um delicioso sorvete de creme enquanto vemos um filme de comédia em plena madrugada. Motivo? Todos dormiram de tarde, acordando por volta das sete horas da noite. E bem, eu estou triste por pensar na possibilidade de estar realmente gostando do meu amigo.

Gostar de alguém é doloroso, mas esse alguém, muitas das vezes, é quem te faz sorrir boa parte do dia. Por que gostamos de alguém? Isso não faz sentido. Há muitas pessoas parecidas no mundo, com personalidades incríveis, que se distinguem uma das outras. Algumas pessoas tem até um pouco de cada coisa, então por que nosso coração insiste em escolher apenas uma? E isso parece não ser algum tipo de convenção humana. Ah! Isso é tão estranho e confuso.

 Algumas vezes olho para Jeongguk, que se lambuza com o sorvete como uma criança e de fato, ele é uma. A forma como sorri por algo tão simples, seus lábios vermelhos manchados com o branco proveniente do sorvete de creme e seu sorriso. Eu realmente gosto do seu sorriso e acho que poderia viver para sempre admirando isso.

Já me peguei pensando qual gosto seus lábios devem ter e se ele beija tão bem quanto canta. Não pude deixar de me sentir estranho ao vê-lo sem camisa muitas das vezes ou até mesmo só de cueca durante a noite. Eu até acharia vergonhoso pensar isso, mas porra, ele também é muito gostoso.

Eu definitivamente odeio pensar nele assim, mais que amigo. Odeio pensar que ele talvez nunca vá gostar de mim por eu ser um garoto. Odeio quando meu coração acelera quando ele me olha nos olhos. 

O que é mesmo perder em um simples jogo de corrida quando perdi minha sanidade por gostar de alguém?


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAAAAA eu quero chorar

Tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...