História Perdendo a inocência - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Exibições 99
Palavras 1.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Perdendo a inocência - Capítulo 5 - Capítulo 5

Entrei no banheiro e me olhei no espelho o que estava acontecendo comigo eu não sou uma pessoa pervita e estou agindo como uma Cris e meu irmão eu posso fazer isso com ele. 

Porque saiu daquele jeito laur, eu te machuquei? 

Camila olha e melhor você volta eu não pos- sssh falou ela colocando um dedo na minha boca e começando a acariciar meu rosto descendo seus dedos finos para minha boca onde contornou a com eles.

Você é tão linda laur, eu amo esse seu jeito inocente de ser tenho vontade de mordela inteira quando faz isso, e aproximou sua boca do meu pescoço onde começou a dar beijos e pequenas mordidas, segurei em seu ombro para parala mas ela me olhou com intensidade com os olhos cheios de desejo como se fosse um felino e eu sua carne, ela puxou meu braço e me jogou dentro de uma cabine no banheiro e atacou meus lábios ela pediu passagem e eu dei sua língua aveludada se enroscava na minha, e suas mãos foram para o meu cabelo onde ela dava pequenos puxões causando uma dor prazerosa, automaticamente minhas mãos foram para sua cintura onde apertei nos gemiamos em meio ao beijo, quando paramos por falta de ar ela prendeu meus lábios entre seus dentes o sugando logo em seguida. 

Nossas testas ficaram coladas e minha erecao já era evidente no short, Camila desceu sua mão abrindo o short eu tentei impedila mas ela me beijou novamente e colocou mão dentro da cueca box e começou a fazer movimentos de vai e vem nele me deixando louca eu gemia baixinho sua boca até que ela cessou o beijo com alguns celinhos e se baixou olhou em olhos e em seguida desceu a o short com a cueca deixando meu membro ereto livre de frente para ela que em um único movimento segurou na base e o colocou na boca eu me segurei para não gritar ela colocava cada vez mais fundo na garganta e eu explodia de prazer eu nunca tinha sentido algo tão bom antes estava a beira do precipício, ela devorava meu pau como se fosse um pirulito gostoso e soltava pequenos gemidos enquanto continuava com os movimentos tando na base com a mão como o restante com a língua até que ela colocou tudo encostando seu nariz em minha barriga aquilo foi a gota meu corpo convulcionou e eu senti um formigamento em minhas bolas e em seguida soltei três jatos de pora em sua boca ela continuava chupando meu pau não deixando escapar nem uma gotinha engolindo tudo. 

Camila levantou e abriu a porta da cabine e saiu e eu fiquei tentando me recuperar e me ajeitando, sai do banheiro e ela estava se recompondo ajeitando os cabelos tentei fazer o mesmo, ela girou em minha direção falou em meu ouvido antes de sair.

Eu nunca tinha provado um gosto tão delicioso como o seu laur, definitivamente você é o meu sabor preferido. E saiu me deixando totalmente perdida em meus pensamentos depois de me recompor voltei para sala Camila não tentou mais nada, o filme terminou e fomos todos para comer pizza, quando terminamos nos despedimos e fomos embora.

Sentei no sofá da sala e me deixei ser levada para a cena no banheiro com Camila, oh céus só poderia estar ficando louca, ou ela está me deixando louçã, eu nunca pensei em ter um contato mais íntimo com alguém e gora tudo isso está acontecendo, resolve tomar um banho e me deitar na cama, quando meu celular vibrou e tinha mensagens de mani, desbloquei o celular e visualize as mensagens.

Mani: jauregui, você não vai acreditar mas acho que a treinadora esta afim de mim.

Mani: você viu o jeito que ela ficou comigo no cinema e como foi atenciosa quando estávamos comendo a pizza.

Mani: aí acho que eu realmente estou apaixonada por essa mulher ela é linda.

Mani: laur se quiser responder já pode, me ajuda o que eu faço?

Jauregui: mani primeiro tenta não surta, depois talvez eu também acho que a treinadora estava dando mole pra você e segundo deixa rolar.

Mani: que deixa rolar o que tá doida? E se aparecer outra e levar ela de mim.

Jauregui: qual é mani vocês nem tem nada ainda, então baixa o facho e tenta sondar ela ou vai acabar assustando ela, não esquece que ela é professora e não pode se relacionar com alunos.

Mani: por esse ponto você tem razão eu não quero prejudicar a Dinah, eu gosto dela de verdade.

Jauregui: então vai aos poucos chegando nela da espaço e quando você tiver certeza aí chega nela tá bom, pode deixar que eu vou ajudar :)

Mani: obrigado laur ja perdi as contas de quantas vezes já te disse isso mas você é a melhor amiga que alguém pode ter :).

Jauregui: eu também gosto muito de você como uma irmã :) 

Jauregui: boa noite mani.

Mani: boa noite laur.

Desci as escadas para jantar e me deparei com Cris na sala.

Ei laur queria falar com você depois do jantar.

Claro Cris tudo bem, meu sangue sumiu e meu coração queria sair pela boca será que ele descobriu ou ela conta ele vai falar para os nossos pais e eu vou ser expulsa de casa. Eu só posso ter jogado cuspido no prato do papa para acontecer isso o céus.

O jantar o correu tudo bem todos conversavam animadamente exceto eu pois estava imaginando ser enforcada por Cris e esquartejada por meus pais, quando terminou nos sentamos no sofá da sala e Cris se dirigiu a mim.

Laur eu queria te pedir um favor, eu realmente preciso de você.

Tudo bem Cris pode falar.

Eu já falei com nossos pais e queria saber se tem como você passar uns dias dormindo na casa da Camila com ela, por favor laur, os pais dela vão viajar para cuba a irmã menor dela que tem a idade da taylor vai morar com eles novamente, e ela não queria ficar, as amigas dela não podem dormir por um longo período lá e eu não quero desrespeitala ficando sozinho com ela lá você me entende não é? Camila e muito doce e gentil e também muito delicada.

Mas Cris porque eu e não a taylor?

A Camila me pediu para falar com você ela me disse que voce e aluna dela e que asim ela te levaria para a escola e te deixaria aqui e levaria para dormir com ela ficava mais fácil ela parece gostar muito de você laur.

E eu sei bem o que ela gosta em mim, pensei.

Laur não custa nada fazer esse favor para seu irmão não é mesmo meu amor, falou minha mãe carinhosamente pegando em minha mão, meu pai me olhou com expectativa é taylor mexia freneticamente no celular.

Tudo bem Cris quando quer que eu va? 

Os pai dela viajam na sexta pela manhã então ela virá com você para pegar suas coisas tudo bem?

Sim tudo bem pra mim, falei sentindo como será eu e Camila sozinha em uma casa oh céus. Logo após fomos todos dormir eu tinha uma semana inteira de aula pela frente mais alguns dias a sós com Camila. E que deus me ajude.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...