História Perdition - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Hayes Grier, Jack & Jack, Katherine McNamara, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Katherine McNamara, Shawn Mendes
Tags Colegial, Drama(tragédia), Mistério, Romance, Suspense
Exibições 51
Palavras 2.495
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oooie amores do meu ser!!! Pois é, eu demorei pra cassete e me perdoem por isso. Eu fiquei, tipo, mega enrolada e aí deu nisso. Mas voltei com esse capitulo que eu espero de coração que vocês gostem!!

Desculpe pelo atraso amores :)

Boa leitura chuchus :)

Capítulo 8 - Nightclub


Fanfic / Fanfiction Perdition - Capítulo 8 - Nightclub

Fiquei alguns segundos olhando para a garota que acabei de conhecer. A mesma estava sentada no sofá com uma xícara de café em suas mãos. Depois de um tempo conversando mantivemos o silêncio. Não era o tipo de silêncio constrangedor. Apesar de eu nunca tê-la percebido, Lauren Walters parecia uma boa pessoa.

- E se procurarmos saber mais dela? - A ouvi e franzi o cenho.

- Como assim? - Perguntei confuso.

- Você entendeu Shawn... Estou falando em investigar sobre a vida dela. Saber o que aconteceu e o que a trouxe pra cá. E principalmente tentar descobrir o porquê que você está tão ligado a ela. - Explicou.

- É... Não acho uma boa ideia... Não, com certeza não é. - Neguei com a cabeça - E não temos o direito de invadir sua privacidade desse jeito.

- Ah qual é, Shawn. - Ela revirou os olhos - Vai me dizer que você não está louco para descobrir mais sobre ela e sobre esse mistério todo que a ronda? - perguntou. Ela colocou a xícara na mesinha em sua frente e me olhou divertida.

- Olha, não é que eu não esteja a fim de saber. Mas, eu não quero me envolver mais do que já me envolvi. - Me deitei no sofá fitando o teto.

- Está de brincadeira, né? Então é assim que você quer viver todos os dias? Brigando, discutindo e indo atrás dela igual um cachorrinho? - A olhei com a sobrancelha arquiada e a mesma olhou-me com um olhar desafiador.

- Para de querer me manipular. - Ri.

- Não estou fazendo isso... - Começou a rir.

- Está sim. - afirmei.

- Não estou, não. - riu novamente - Só estou tentando enfiar nessa sua cabeça que se queremos acabar com essa confusão, precisamos saber com o que estamos lhe dando. - Deu de ombro.

- Desiste, Lauren Walters. - A olhei divertido.

- Shawn! - repreendeu-me - Qual o problema? Se ela pode invadir sua vida porque você não pode ao menos procurar saber sobre ela?! - A mesma se levantou vindo em minha direção. Ela levantou meus pés e se sentou no sofá os repousando em cima do seu colo.

- Que garota abusada. - Falei rindo.

- Você vai ou não aceitar? Eu não vou desistir, então provavelmente você vai me ouvir falar isso todos os dias. - Riu.

- Arght! - revirei os olhos - Tudo bem. Agora me deixa em paz. - Falei.

- Isso aí! - Ela fez uma dancinha maluca e ri - Agora preciso ir, Tchau Shawn.

  Ela se levantou quase fazendo-me cair no chão e riu da minha cara.

- Tchau Lauren.

  Um tempo depois me senti cansado. Então, resolvi tomar um banho, comer e ir dormi. Amanhã é sábado e temos compromisso, no caso, eu e meus amigos. Preferi dormi sem blusa. Desliguei o abajur e me deitei pegando no sono em seguida.

  Acordei um tanto sonolento. Não havia muito sol, na verdade nem sempre à sol. Depois de ter feito minhas higienes eu desci e comecei a preparar um café simples com bacon. Voltei a sala e me joguei no sofá, apesar de ter dormido cedo eu ainda  sentia-me sonolento. Então, fechei os olhos e acabei cochilando.

- E aí Shawn! - Ouvi alguém falar em voz alta.

- Aah cara, para de gritar! - murmurei.

- Qual é, mano. - Abri os olhos e fitei Cameron se jogando no outro sofá - Que milagre, pensei que você já estava acordado.

- Estava apenas cochilando. - Falei - O que veio fazer aqui tão cedo? - perguntei.

- Conversar. - disse.

- Sobre...? - perguntei curioso.

- Sobre mim, sobre você... Sei lá cara! - riu - Faz um tempo que não conversamos.

- Que tal então fazermos uma maratona de video game como antigamente? - Dallas é um dos meus melhores amigos e tenho sido ausente. Nós dois quase sempre conversavamos e isso quase não acontecido.

- Mano, por isso eu te amo! - Falou sentando-se no sofá com um sorriso no rosto.

- Ok. Então, iremos começar a partir de qual momento? - perguntei.

- Lembra daquele jogo que compramos quando terminei com Luisa? - perguntou-me e acenti - Então, que tal começarmos dessa época? Tem ótimos jogos.

- Ótima ideia! - Achei meio estranho ele comentar sobre sua ex Luisa e isso me fez pensar que talvez, ele esteja realmente precisando conversar.

  Pegamos dez jogos e os separamos por ordem de jogada. Dallas estava ao meu lado jogado no sofá enquanto iniciavamos um jogo de guerra. Alguns minutos se passaram e resolvi saber o que está havendo com ele.

- Então... Quer me falar sobre isso? - perguntei e mexi os braços pro lado com o controle.

- Estou em dúvida sobre qual assunto você está tentando tocar- respondeu acertando um tiro no grupo rival.

- Você sabe... Sobre ela. Faz tempo que você não toca no nome dela. Acredito que algo aconteceu. - falei o olhando de soslaio.

  O ouvi suspirar e apertar o botão freneticamente atirando para todos os lados. Como ele fazia quando lembrava dela, quando estava com raiva e quando não aceitava o modo do término.

- Eu a tinha superado. Ao menos eu achava que sim. Quer dizer, eu jurei que não sentiria mais nada. Nada de raiva, rancor, saudades e Porra nenhuma. - Falou com a voz meio emborgada de raiva.

- E o que te fez achar que não superou? - perguntei.

- Tê-la visto ontem. - Falou dando pause no jogo.

- Como assim? Eu pensei que ela tinha ido embora, sei lá. - comentei o olhando.

- Ela tinha ido. Mas, por algum motivo decidiu voltar.

- E como foi que você se sentiu assim que a viu? - perguntei. Seus olhos estavam tristes ou confuso. Eu tenho certeza que ele deve estar se sentindo abalado.

- Não sei lhe dizer exatamente. Foi como se tivesse estourado uma bomba de sentimentos dentro de mim. - Ele passou as mãos pelo cabelo e respirou fundo - Eu quase não dormi à noite. Eu não conseguia parar de pensar nela. Eu estava ansioso, sabe... Uma ansiedade que  deixa-me inquieto. Eu odeio isso. - Jogou sua cabeça para trás.

- Que frustante... Eu sei que deve estar sendo difícil, mas você também sabe que vamos ajudá-lo, não sabe? - falei o olhando.

- Sei... - sorriu de lado - Vocês sempre estão comigo. - Ele estendeu sua mão e fizemos um toque.

  Ficamos o resto da tarde jogando. Depois de um tempo Dallas ficou mais tranquilo e deixou o assunto de lado e se divertiu. Senti-me um egoísta por pensar só nos meus problemas e não perceber que meus amigos estavam com os deles e que precisavam de mim.

 Estavamos anciosos para ir a boate de stripers que o diretor vai estar... Talvez, eu realmente não seja um santo, quer dizer, não chego nem perto de um, mas isso não quer dizer que um cara precisa pertubar minha vida durante anos. O cara é insuportavel!

  Depois de um longo dia, finalmente nos encontramos em frente a boate. Estavam todos ali. Olhamos na cara um do outro e rimos.

- Lembrem-se quem o ver primeiro grava e manda uma mensagem avisando para cairmos fora. - Disse Nash caminhando rumo a entrada.

- Isso se ninguém se destrair. - Comentou Gilinsky e Lox o olhou de cara feia.

  Assim que adentramos o local meus olhos se ofuscaram por conta das luzes vermelhas e azul. Haviam várias mesas e sofás cheio de homens enquanto mulheres semi-nua caminhava pelo local os atendendo. Outras dançavam no palco e algumas chegavam até a fazer um showzinho um tanto particular para alguns clientes. Uma mulher loira parou ao meu lado; Suas roupas eram estravagantes e chamativas, praticamente não cobria seu corpo.

- Quer fazer algum pedido? - perguntou com uma voz sexy. Bom, ela só é muito linda, nada demais... " Ok Shawn você não veio aqui pra isso... concentre-se... Lembra da Lox, ela está aqui" pensei.

- Por enquanto não. Obrigado. - a respondi e saí logo de perto dela. Matthew olhou para minha cara e riu.

- Difícil não é mesmo? - perguntou.

- Cara, lembre-me de nunca mais vir a esse lugar de novo. - comentei o fazendo rir.

- Não lhe garanto nada. - Brincou.

- Lox nos mata. - falei olhando em volta.

- Opa, esqueci dessa fera! - Riu.

- Cadê ele? Não estou o vendo. - bufei.

- Nem eu. - respondeu Matt.

  Peguei meu celular para conferir se havia alguma mensagem e nada. Andamos por meia hora pelo local e nada.

- E aí, o acharam? - perguntei para Aaron e Hayes assim que os encontramos.

- Nem sinal dele. - respondeu Aaron.

- Será que ele vai vir? - perguntou Hayes.

- Não faço ideia. - respondi.

  Coloquei minhas mãos no bolso olhando em volta e foi quando percebir uma morena encarando-me de longe. Merda... Tentei evitar olha-la mas a mesma não desviava seus olhos de mim.

- Que tal andarmos mais um pouco? - perguntei sentindo-me meio encomodado.

- Boa ideia. Vamos! - Disse Aaron andando na frente.

- A garota te deixou constrangido? - perguntou Matthew.

- Cara, você não deixa passar uma! - Eu ri.

- Com certeza não! - riu da minha cara - Tenho olhos de águia.

 Andamos mais alguns segundos e paramos um pouco. Eu estava sentindo que iria ir embora em breve. Eu estava sentindo-me encomodado aqui.

- Ei, acho que encrencou. - Disse Hayes. Olhei para frente e vi os jack's, Lox, Nash e Cameron correndo em nossa direção.

- Vem rápido! - Disse johnson correndo em direção a saída. Nós se quer pensamos, apenas saimos correndo junto com eles. Saimos todos correndo pela porta da saída até a esquina mais próxima.

  Paramos para respirar e apoiei minhas mãos no joelho. Respirando fundo. Segundos depois ouvi o barulho das risadas. Ergui a cabeça e vi os cinco rindo, enquanto os meninos que estavam comigo não entendia o que estava acontecendo.

- Por que a graça? - Perguntou Aaron.

- Vocês não vão acreditar! - Exclamou a Lox animada.

- Conseguimos com exclusividade um video do professor com uma stripper. - Disse Gilinsky.

- Como assim? Pensei até que ele não tinha vindo. - comentei.

- Então, aqui eles tem quartos privados caso os clientes queiram ficar mais a sós. - Explicou Lox - Então, como esse era o único local que não haviamos ido o Nash fingiu que queria ficar uma hora com uma das garotas - riu.

- Moral da história - interrompeu Nash - Eu olhei dentro dos quartos enquanto fingia ir para o quarto e peguei o professor no flagra com DUAS mulheres dançando pra ele! - comemorou.

- Ok... Mas, você não teria que ficar uma hora com a garota? - perguntou Hayes.

- Foi nessa parte que corremos! - Disse ele rindo.

- E você nem pagou?! - perguntou Aaron.

- Joguei 100 dólares para o cara. - Deu de ombro e todos começamos a rir.

- Nos mostrei o video. - Pedi.

  Fizemos um circulo e ele deu play. De inicio apareceu a mão de Nash abrindo a porta lentamente nos fazendo rir. Pela brecha da porta ele passou as mãos e começou a filmar. Logo, apareceu uma cama e um homem nele. Nosso diretor, Damn!! Haviam duas meninas, muito bonitas por sinal, que dançavam de modo sensual para ele. Em alguns momentos do video ele chegava a passar a mão pelo corpo das garotas. "Isso vai dar uma merda" pensei.

- Caramba! - exclamou Matthew. - Está melhor do que imaginavamos!

- Cara, isso vai ser show. - Falei sorrindo.

- Isso é apenas uma parte do Show. - disse Nash. Estavamos empolgados e felizes por ter conseguido o que queriamos.

- Ok, pessoal! - Disse Lox - Agora vamos para o parque!

- Uhuul! - Gritamos levantando as mãos como de costume.

  Davamos risadas, faziamos videos para o Snapchat e zoavamos um ao outro, como sempre. Alguns dos meninos estavam no colo um do outro encolhido. Colocamos uma música no rádio e começamos a cantar.

  Nash parou o carro no estacionamento. O local estava cheio de pessoas andando, rindo e nas filas.

- Ok galera, é o seguinte: Quem chegar por último na entrada vai pagar os ingressos da montanha-russa pra todo mundo!! - Disse Lox rindo e a mesma saiu do carro correndo seguida por Nash. O resto dos meninos como eu, estavamos enrolados. Empurrei Cameron que estava sentado nas minhas pernas e o mesmo bateu com a cara no banco da frente.

- Qual é Shawn! - reclamou. Tentei sair mais meu pé estava preso no de Dallas. Então, o carro virou uma bugança com os meninos tentando sair um por cima do outro.

- Saí de cima de mim, seu viado! - gritou Matt.

- Arght, Gilinsky!!! - reclamou Hayes.

 Abri a porta e comecei a sair, mas acabei caindo por conta do pé preso. Me apoiei com as mãos no chão e puxei o meu pé. Levantei-me rápido e corri na direção da entrada do parque. Olhei para trás e fitei os garotos totalmente atrapalhados. Comecei a rir, parando pra respirar.

 Johnson e Matthew cairam um por cima do outro tirando a risada de todos nós e das pessoas que passavam. Os mesmos começaram a correr e isso foi a deixa para que eu voltasse a correr. Passei pelo portão sabendo que não seria eu. Apoiei as mãos no joelho e puxei o ar. Levantei-me devagar e tive tempo apenas para sentir algo se chocando contra meu corpo me levando de cara pro chão.

  Senti o peso dos garotos em cima de mim. Empurreu Gilinsky que não parava de rir. As pessoas começaram a nos olhar e rir da nossa cara. Apesar do mico não pude segurar o riso.

- Droga, machuquei o Deuvan! - Disse Dallas com a voz grossa.

- Quem é isso? - perguntou Hayes rindo.

- Minha máquina de fazer filhos - Voltei a rir em dobro por saber que meu amigo deu um nome para o pênis dele.

- Que gay! - disse Hayes.

  Após perceber que estavamos no chão ainda resolvi levantar-me.

- Precisa de ajuda meninão? - perguntou alguém. Fitei os pés a minha frente. Levantei a cabeça e fitei a morena olhando-me divertida.

- Lauren walters, eu adoraria. - respondi sorrindo. Ela estendeu suas mãos e a peguei levantando em seguida. Limpei as mãos e a roupa.

- É, acho que o destino está ao nosso favor. - Sorriu.

- Que azar. - brinquei nos fazendo rir.

  Ela estava linda, vestida com uma saia de couro de cintura alta. Um tênis da nike e uma regata branca de uma banda qualquer. Se tem algo que algo que estou aprendendo no momento é que ao mesmo tempo que coisas ruins podem acontecer, as boas também podem. Lauren é a simpatia em pessoa. E agora, vou esperar para ver onde tudo isso vai chegar.

- Obrigada, parceiro de investigação - disse fazendo referência a ideia maluca que concordei de procurar saber sobre a vida da Thayla.

 Talvez, quem sabe com essa nova amizade e essa agitaçao toda sobre o que vamos aprontar não me faça tirar a Thayla da cabeça. Preciso dar prioridade a quem me dá e é isso que vou fazer.


Notas Finais


Oeei de novooo, espero que tenham gostado minhas gatas :) Nao vou demorar tanto no prox capitulo ok???

Me digam o que acharam e ate o proximooooo !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...