História Perdoe-me - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Naruto, Revelaçoes, Romance
Visualizações 252
Palavras 3.930
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O capitulo de hoje vai ser especial, e no final a música "Oração do bebê, nove meses" aparecerá. Vai ser lindo escutarem ela, é uma das músicas mais linda que já escutei.
Boa leitura, e espero que gostem

Capítulo 20 - Capitulo Vinte


Fanfic / Fanfiction Perdoe-me - Capítulo 20 - Capitulo Vinte

QUATRO ANOS ATRÁS

Enjoada... completamente enjoada era assim que Sakura estava

-Você devia ir ao médico – Hinata falou sentando na cadeira ao lado da prima na cozinha da casa de Mebuki

-Deve ser alguma coisa que eu comi – Sakura resmungou se levantando e vendo se o molho do macarrão estava no ponto. Mebuki como sempre desde o dia em que Kizashi morreu estava no quarto, só se levantava para tomar banho e comer migalhas de comida. Anko e Shisui estavam nos seus quartos também. Iria tentar pelo menos dessa vez tirar a mãe do quarto para poder comer direto

-Você sabe que não deve ser só isso – Hinata falou mexendo em uma flor que estava na mesa – desde que ele foi embora, seus enjoos estão frequentes. E também você está saindo muito de noite, só Deus sabe lá aonde.

Ah! Se Hinata soubesse que ela estava um pouco melhor por causa de suas saídas a noite

-Depois conversamos sobre isso – Sakura foi em direção ao quarto de sua mãe para ver como estava seu estado – mãe... – Sakura foi entrando aos poucos, e vendo a sua mãe deitada e olhando a foto de seu marido. Se ela estava sofrendo, imagine a sua mãe? – vamos comer

-Estou sem fome

-Mais é preciso mamãe. – Sakura suspirou e se aproximou da cama da progenitora – a senhora não come direito a dias. No final, vai acabar morrendo

-Não seria mal ideia – Mebuki resmungou e uma raiva se apossou de Sakura

-Como tem coragem de falar isso? – Sakura falou alto e rude, fazendo Mebuki a olhar – não é só porque o papai morreu, que precisa a senhora morrer também. E Shisui e Anko? E eu? Já fazem três meses mãe. TRÊS MESES. Ficar se desfiando não trará o papai de volta

Mebuki a olhava sem expressão fazendo Sakura bufar e sair do quarto de sua mãe batendo a porta

Encontrou Hinata na sala que a esperava – está tudo bem?

Sakura negou

-Já chamei os dois que falta. Eles estão na cozinha

-Pelo menos eles saíram do covio. Hina?

-Hum?

-Desculpe por meter você nos meus problemas

-Sakura Uchiha

Sakura serrou os olhos

-Desculpe... força de habito. Deixa eu começar de novo – Sakura deu um sorriso mínimo – Sakura Haruno, não fale besteira. Sempre estarei aqui por você

-Obrigada Hina

Sakura e Hinata foram para a cozinha vendo Shisui e Anko mexendo em seus celulares. Os dois estavam magros já que Mebuki não se levantava para fazer comer, então a responsável da alimentação era de muitas vezes de Sakura, ou Anko que fazia macarrão instantâneo

-Porque não largam esses celulares principalmente na mesa?

A única que a olhou foi Anko – ela não vem comer?

-Deve saber a resposta né?

Hinata pegou de supetão o celulares dos mais jovens

-EI – os dois reclamaram

-Primeiro comer, depois vocês ficam com esses demônios tecnológico

-Como se você não fosse uma viciada – Anko resmungou colocando sua comida, enquanto Sakura fazia o mesmo com o do casula

-Ela não vai comer mesmo? – Shisui perguntou cabisbaixo. O coração de Sakura apertou olhando para o casula. Ele era um dos eu estavam tentando ser os mais forte. Ele era muito apegado ao pai, e perdê-lo está sendo até agora doloroso para ele

-Ela vai sair dessa Shi – Sakura alisou o cabelo do irmão – temos que acreditar nisso. Agora coma... daqui a pouco você vai sumir

-E você também vai se não comer – Hinata reclamou com Sakura que revirou os olhos

Todos com sua comida no prato começaram a almoçar.

Do nada Sakura levantou correndo para o banheiro mais próximo, levantando a tampa da privada e colocando todo seu café da manhã para fora. Seus cabelos foram posto para trás por Hinata, que começara a alisar as costas da antiga Uchiha. Sakura deu descarga e sentou em cima da tampa esperando a tontura passar assim como sua ânsia de vomito

-Anko – Hinata chamou a mais nova

-O que é? – Anko respondeu na porta do banheiro olhando a irmã assim como Shisui. No momento que a mais velha correu para o banheiro levou todos a segui-la preocupados

-Vamos em uma farmácia agora

-O que pensam que vão fazer em uma farmácia? – Sakura perguntou rapidamente

-Um coisa que era para ter feito a muito tempo – Hinata saiu marchando do banheiro com Anko ao seu encalço

Shisui entrou no banheiro e começou a mexer em algumas coisas que Sakura não fez questão de abrir os olhos para ver

-Toma um pouco disso – Shisui ofereceu um copinho com enxaguante bucal – devo imaginar que sua boca está com um gosto horrível

...

-SAKURA HARUNO – Hinata abriu a porta de supetão  

-AI MALUCA – Sakura colocou a mão no coração – se quer me matar, mata logo de vez

-Chega de papo furado – estendeu um sacola cheia de caixinhas – vá no banheiro agora e vá fazer o teste

Sakura arregalou os olhos – você não fez isso

-Para de fugir Sakura – Anko reclamou com a mais velha

-Você está enjoada desde que Sasuke foi embora, Saky. E se você esta gravida precisa de vitaminas, você está perdendo peso demais

-EU NÃO ESTOU GRAVIDA – Sakura gritou tremendo da cabeça aos pés. Passos de longe foram escutado e quando olharam para trás vinha Mebuki

-Você está gravida? – Mebuki perguntou com uma sobrancelha arqueada

-NÃO

-SIM

-EU NÃO ESTOU GRAVIDA HINATA

-Se você não está gravida – estendeu mais uma vez a sacola – vá fazer o teste agora

Sakura pegou brutalmente aquela sacola – quantos testes você comprou?

-Comprei de cinco marcas – Hinata falou inocentemente

-Dois de cada cinco marcas ela quis dizer – Anko quis rir com a cara que a irmã fez

Sakura suspirou e foi ao banheiro mais devagar o possível

...

Cinco minutos. É o tempo que vai mudar ou não a vida de Sakura

-Se você estiver gravida – Mebuki quebrou o silencio que estava na sala – procurara Sasuke?

-Não – Sakura respondeu prontamente fazendo todos a olharem

Resolveram não falarem nada, ainda nem sabiam se a garota estava gravida.

Sakura tentava colocar na cabeça que todos os acontecimentos da sua vida estava lhe afetando emocionalmente, por isso que ela estava tendo os enjoos frequentes. Mais o que podia dizer dos desejos estranhos que estava tendo? carne com banana? Sorvete em plena madrugada?

O celular a tirou dos seus devaneios avisando que os cinco minutos já havia passado

-Você não vai ver o resultado? – Hinata perguntou a prima que estava tentando se controlar a todo custo

-Pode ver para mim? – Sakura pediu com a voz tremula – eu não tenho coragem

Hinata assentiu com a cabeça e foi ao banheiro ver os testes. Anko não aguentando de curiosidade correu ao local que Hinata estava

Um minuto se passou e Anko correu com um sorriso que Sakura não via a três meses. A menor pulou ao lado da irmã e a abraçou forte. O coração de Sakura batucava em seu peito e ela não sabia se queria saber o motivo desse sorriso. Hinata chegou pulando na sala e Shisui a parou segurando seus braços

-E então?

-VAMOS SER TITIOS – Hinata gritou batendo as mãos

Shisui sorriu e correu para abraçar irmã mais velha que estava petrificada no sofá

-Está chorando mãe? – Anko perguntou a Mebuki que tentava enxugar o rosto com um sorriso no rosto – A SENHORA VAI SER VOVÓ

-PAREM – Sakura assustou todos e se levantou rapidamente olhando para Hinata – por favor... diz que um daqueles testes deu negativo

-Por que Saky?

-Por que assim posso ter esperança que o resto dos testes estavam com defeito, e posso não estar gravida

-Sinto muito. Mais dos dez, todos deram positivos

-Você não quer está gravida? – Anko perguntou. Sakura saiu dos braços dos irmãos e começou a andar em círculos tentando ignorar a ânsia de vomito, segurando os cabelos fortemente

Não, não, não, não, NÃO

-NÃO – Sakura gritou com os olhos marejados – EU NÃO ESTOU GRAVIDA

-PARA DE TENTAR SE ENGANAR SAKURA – Hinata gritou pela primeira vez com a prima – deixa de ser cabeça dura. Se você esta gravida precisa começar a se cuidar caralho. Você não está sozinha mais, tem uma vida dependendo de você

A respiração de Sakura pesou. Não, ela não podia estar grávida

-Você precisa procurar Sasuke, Sakura – Mebuki tentou falar, mais foi interrompida

-Não vou procurá-lo. Ele deixou com todas as letras para eu não procurar nenhum dos Uchihas mais. Acham que ele irá me aceitar chegando do nada até ele dizendo que vai ser pai? Aliás, ele não vai ser pai, por que não vai ter criança nenhuma

-O QUE? – todos exclamaram

Sakura correu para pegar sua bolsa. Não, ela não podia estar gravida

Um filho

Um filho de Sasuke

-Aonde você vai? – Mebuki pegou o braço da filha que foi puxado de imediato

Sakura não falou nada, correu o mais rápido o possível longe de todos, sem ligar para os gritos da mãe, de Hinata, e dos irmãos

Não...

Aquela criança, não podia existir. Não agora. Seu pai morreu, sua família não quer mais viver, seu marido a abandonou. Não...

Agradeceu que ninguém a seguiu e foi para a praça mais próxima. A praça estava movimenta, pais estavam com seus filhos correndo, comendo, conversando, e as crianças corriam para lá e para cá. Sentou embaixo de uma arvore, e observou... casais sentavam próximos para ver seus filhos. Uma mãe passou ao seu lado com o filho nos braços o beijando fazendo o pequeno rir

Não... ela não podia... não podia ter essa criança 

As lagrimas queriam cair, mais ela não permitiu.

Em cima de sua cabeça um barulho se fez presente, quando olhou para cima viu um ninho com dois pássaros, eles pareciam chorar pedindo que a mãe voltasse. Um tempo depois a mãe chegava com algo em seu bico, dando para seus filhotinhos que pararam de chorar. Sakura estava absorta em seus pensamentos, mais foi tirada quando uma bola bateu em seu pé. Um menino e uma menina vinha correndo sorridentes. Viram a bola e olharam para Sakura, sem nenhuma expressão no rosto Sakura pegou a bola e jogou devolvendo as duas crianças que sorriram em forma de agradecimento.

Não...

Sakura levantou rapidamente, decidida em ir ao lugar que necessitava

...

-Sakura Haruno – uma mulher de idade na recepção fez a mais nova levantar – pode entrar

Sakura foi em passos lentos a sala, e quando chegou viu uma médica com uma aparência simpática com um sorriso no rosto

-Olá senhora Haruno – comprimentou a médica sorridente

-Senhorita

-Oh! Sim. Sentisse por favor – Sakura fez o que a médica mandou – o que a traz aqui?

-Estou gravida. – Sakura foi logo ao ponto vendo a medica abrir mais o sorriso – pelo menos é isso que os testes diz. Tem possibilidade dos testes estarem errados?

-Bem... alguns testes de farmácias podem estar equivocados. Quantos testes a senhorita fez?

-Dez – a medica arregalou os olhos, e Sakura imaginou que ficara assim por causa da quantidade de testes

-E quantos deram positivos?

-Dez

-Oh! Então, acho muito difícil eles estarem equivocados. Vamos fazer o seguinte, deite-se naquela maca, levante sua blusa e iremos ver quem está por ai, do que precisa, e com quanto tempo esta

Sem pensar duas vezes Sakura foi para a maca, deitando na mesa e levantando a blusa. A medica muito experiente começou a mexer em alguns aparelhos ligando uma tela igual de computador 

-Vai dar um arrepio mais logo acostuma – a medica se referiu a o gel gelado que foi colocado na barriga da menor

Uma pequena maquina foi posta em sua barriga e na tela apareceu a imagem. O coração de Sakura parou um momento de bater mais voltou com tudo

-Olha só o que temos aqui

Os olhos da menor se encheram de lagrimas vendo aquele corpinho, mais o que a surpreendeu é que tinha mais outro corpinho ao lado

-Parabéns mamãe. Está gravida de gêmeos

Seus filhos

-Agora vem a melhor parte – a medica sorridente apertou em um botão e um sonzinho foi escutado

Era o corações de seus filhos

-Agora eles estão muito magrinhos mãe. – a doutora falou olhando para a menor – desde que entrou na sala vi como estava pálida. Eles estão muito magros para seu tempo, por isso que sua barriga não está muito visível, mais tenho certeza com a dieta certa podemos mudar isso

-Com quanto meses... – Sakura até tentou completar a frase, mais a voz estava presa

-Estão com três meses. Mês que vem será possível ver o sexo. Onde está o pai?

-Está voando – Sakura sussurrou ainda emocionada com a imagem de seus filhos.

Seus filhos

-Bem... – a medica falou sem graça, mais sorriu em seguida – o importante é que a senhora foi abençoada com essas duas pessoinhas. Vou deixa-la um pouco sozinha

A medica saiu deixando a futura mamãe sozinha.

Todo arrependimento saiu do coração de Sakura ao ver aquela imagem. Toda a raiva, toda a magoa, o medo, tudo se evaporou quando pois os olhos naqueles dois corpinhos

Seus filhos

Lagrimas começaram a cair de seus olhos, e pela primeira vez depois daqueles meses eram lagrimas de felicidades

Tocou na tela dedilhando cada pedacinho. As mãozinhas, perninhas, tudo estava se formando dentro da barriga dela. Aquelas duas criaturinhas iriam depender dela totalmente. As perguntas começaram a surgir, como serão seus rostinhos? Será que vou ser uma boa mãe? Qual será a primeira palavra? Como ela pode cogitar a ideia de se livrar deles como se fossem lixo?

Um sorriso sincero apareceu no rosto de Sakura depois de tanto tempo sem conseguir dar um, mesmo quando era casada.

...

Com as recomendações dadas, e fotos de seus pequenos saiu uma nova mulher daquele hospital. Sakura se lembrou da cena dos passarinhos, e ela percebeu que lutaria com unhas e dentes, por quem quer que seja que estaria dentro dela nos próximos seis meses

Pegou o celular que estava no silencioso e viu a quantidade de ligações e mensagens de Hinata, sua mãe e seus irmãos. Ligou para a primeira pessoa que a ligou

-SAKURA, GRAÇAS A DEUS, ONDE VOCÊ ESTÁ, O QUE VOCÊ FEZ, PENSA BEM, NÃO FAZ BESTEIRA

-Hinata respira – Sakura falou sorrindo – onde está?

-No mesmo lugar onde estávamos

-Todos estão ai?

-Sim, ESTAMOS PREOCUPADOS

-Calma – Sakura sorriu acenando para um taxi – coloca no viva voz – Sakura entrou no carro e falou o endereço ao taxista – estão todos ai?

-Sakura minha filha, não faz mais isso comigo – Mebuki estava com a voz angustiada

-Cadê você Sakura? – era Anko

-Cadê Shisui? – Sakura perguntou sentindo a falta do caçula

-Estou aqui

-Estou gravida – Sakura sorriu olhando para o espelho capitando o olhar do motorista que sorriu como se a parabenizasse

-Disso nós sabemos né Saky – Hinata falou mais aliviada e sorrindo

-De dois bebês

-AAAAAAAAAAAAAAAH! – gritos de Hinata e Anko foi escutado junto com fungares

-Quem está chorando? – Sakura perguntou gargalhando

-Mamãe e Shisui

-AAAH! DOIS CARA, QUANTOS MESES SAKY?

-Para de gritar Hina – Sakura riu – estou de três meses. Mês que vem, já podemos saber o sexo

-Aonde você está?

-Estou indo para casa

-Chego lá logo

-Não Hina. Hoje quero ficar sozinha tudo bem? Shisui, Anko?

-Oi? – os dois falaram

-Podem ir com Hinata amanhã para me ajudarem a empacotar algumas coisas?

-Empacotar? – todos perguntaram

-Sim... a partir de amanhã, estarei preparando a minha mudança

-Ah Sakura! – sua mãe falou – tem certeza?

-Tenho sim mãe... por que a senhora não vai? – perguntou esperançosa para ver se a mãe saia um pouco de casa

-Amanhã eu não posso

-Porque?

-Irei ao banco!

Já era um progresso.

-Pode passar em uma farmácia por favor? Será rápido, só preciso comprar alguns remédios – Sakura falou com o motorista que concordou com a cabeça

...

Ao chegar em casa Sakura foi direto para cozinha preparar uma refeição saudável que seus filhos estavam necessitando

A medica tinha passado várias vitaminas para consumir na gestação, como os alimentos certos.

Depois de tudo feito, Sakura comeu depois de meses com gosto. Ela estava comendo por três. Três. Ao pensar isso sorriu, desde que casou sonhava em ser mãe, e claro que sonhava ter gêmeos, e compartilhar com Sasuke, já que tinha o mesmo sonho de ser pai. Descartou logo o pensamento para não ter a possibilidade de ficar triste. Depois de comer, arrumar a cozinha foi em direção ao quarto, mais parou no caminho olhando a sala. Quantas coisas fizeram ali? Quantas lembranças estavam espalhadas pela casa? Mais aquilo tudo iria acabar, por que agora uma nova vida iria ser feita. Sakura foi para o quarto, e entrou no banheiro para tomar o primeiro banho alegre depois daqueles meses. Mesmo se sentindo uma pessoa diferente quando conheceu Toy e Yuna, um sentimento melhor foi reconhecido. E pensar que esse tempo todo, seus filhos estavam sofrendo com as bebias alcoólicas fortes que estava tomando recentemente, agradeceu a Deus por nada de ruim ter acontecido com ambos por causa de sua irresponsabilidade.

Quanto tempo ela ficou ali? Nem ela sabe, mais quando saiu, saiu revigorada. Olhou para o espelho e repetiu diversas vezes “eu vou conseguir”

Colocou uma roupa confortável, secou bem os cabelos, pois odiava dormir com ele molhado, e quando terminou, decidiu que o deixaria crescer, nada de cortes. Desligou as luzes, e a única coisa que ficou ligada foi um pequeno abajur ao lado de sua cama. Apenas ficou sentada em posição de índio e colocou as mãos na barriga

Um mês e o tempo voa
Eu já sou
E você nem descobriu
São dois e chega perto
Mas eu ainda sou
Pequeno demais, viu?

-Oi... eu sou a mamãe de vocês! – Sakura sorriu lindamente com os olhos marejados – Vocês nem imaginam o quanto estou feliz por saber que estão agora comigo. Mais primeiramente, eu quero que me perdoem, por pensam em me livrar de vocês. Por favor, desculpem a mamãe, ela não estava bem quando pensou aquela grande besteira

Três meses e o tormento
Esse teu sofrimento
Eu também já posso sentir
Vê se aquieta o coração
Pra quando eu sair daqui

-E desculpem também pelas as coisas ruins que a mamãe ingeriu. Tudo que eu consumo, vão para vocês. E mamãe promete que enquanto estarem dentro de mim, só irão ingeri coisas saldáveis e nutritivas, para quando vierem para o mundo serem crianças fortes e saudáveis.

Talvez eu dê trabalho
Uma vida de despesas
Mas por favor me deixa ficar
E se por um acaso
Eu não tiver seus olhos
Você ainda vai me amar

-Eu não sei se irão ser meninos, ou meninas, ou os dois, mais fiquem cientes que eu irei os amar com todo o meu ser. Irei os proteger de todo o mal do mundo, e quando pensarem em cair, estarei lá antes que isso aconteça. Eu vou voltar a fazer faculdade, mais não por mim, mais por vocês para ter um trabalho que nos ajude. Não importa o quanto eu chegarei cansada, mais chegarei com um sorriso no rosto para brincar com vocês. Eu prometo que nada vai os faltar, eu darei uma de mulher maravilha, e farei o possível para os fazerem felizes

Eu sei que a ansiedade
É quase uma inimiga
Mas eu não quero ser confusão
Então, por favor
Me deixa na sua vida
Mas vê se aquieta o seu coração

-Eu não sei o que pode acontecer daqui em diante, mais vou tentar virar a melhor mãe do mundo. Podem vim todos tentarem os atacar, mais chegarei lá com espada e escudo para os proteger do mal. A partir do momento que eu os vi, eu os amava. A parti do momento que eu os descobri, comecei a amar vocês, mais a mamãe estava com muito medo, porque agora está em uma situação delicada. O papai não está mais com a gente. Em falar no papai...

Se é tempestade, todo medo
Se for arrependimento
Por favor tira daí
Você ainda não me tem inteiro
Nem me conhece direito
Mas já posso te ouvir
E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
Eu nem preciso te ver
Seca o choro e fica aqui comigo
Que até assim tristinha eu já sei
Que eu amo você!

-Desculpem a mamãe por não ter feito o papai ficar – as lagrimas caíram novamente, e ela se perguntou quando aquilo tudo iria passar – a mamãe fez de tudo para ele continuar aqui. Tenho certeza que se ele soubesse que vocês estariam vindo, ele estaria aqui, mais chegou a hora da mamãe e o papai separarem. Eu prometo que serei a mamãe e o papai de vocês

Quatro meses tempo
Eu te imploro paciência
Eu vim do céu por causa do amor
No quinto faltam quatro
E eu aposto que os presentes
Já tão vindo em rosa ou azul
E quando chega o sexto
Todo mundo já vê
Que você não anda sozinha
No sétimo eu já tenho lencinhos com meu nome
Desculpa pai mas ela é só minha

-O papai conheceu novas pessoas, um novo mundo, e não teve mais razões para ficar com a mamãe. Desculpem, mais mamãe não ira procurá-lo. Estarei sendo egoísta agora, mais não posso compartilhar o meu ponto de felicidade, de força com ele. Vocês vieram para salvar a mamãe, mesmo a mamãe falando aquilo tudo, pensando em se livrar de vocês, mais eu agradeço por estarem comigo agora

Oitavo mês aguenta
Que eu já to chegando
Só quero um jeito de te encontrar
No nono vem a pressa
A dor, o choro, a gente
Desculpa você ter que sangrar

-Amanhã a mamãe começara a procurar uma nova casa para gente. Um lugar com espaço para vocês brincarem. Vou esperar o mês que vem chegar, para quando eu descobrir o sexo de vocês eu comece a escolher o rosa ou o azul... – Sakura deu uma risadinha – ou as duas cores

E por mais uns anos
Você vai fazer planos
Pensando se eles servem pra mim
E eu vou te acordar
Bem de madrugada
Você vai me amar mesmo assim

-Estou ansiosa por terem em meus braços, meus pequenos. Estou pensando quando vira o primeiro dentinho, a primeira palavra, o primeiro passo. Eu só sinto que o papai de vocês não estará aqui para disputar comigo a atenção de vocês, apostar se falarão mamãe ou papai. Mais dependendo o resultado eu iria ficar feliz tanto como agora. A mãe, o pai e os irmãos do papai iriam ficar felizes ao saber de vocês, mais infelizmente, não darei essa oportunidade a eles também. Perdoem a mamãe por isso

O meu primeiro passo
Vai ser no seu abraço
Me segura quando eu cair
E no final do dia só a tua voz
Que vai me poder fazer dormir

-Eu estou pronta para as noites mal dormidas. Para os choros sem razões, pelo trabalho que me darão ao desarrumar a casa, os brinquedos espalhados, e até as birras. Estarei pronta para vencer o cansaço e passar meu dia com vocês. Não terei outra prioridade na minha vida a não ser vocês.

Se é tempestade, todo medo
Se for arrependimento
Por favor tira daí
Você ainda não me tem inteiro
Nem me conhece direito
Mas já posso te ouvir

Sakura foi se deitando aos poucos ficando segura em suas cobertas pensando que a partir de hoje sua vida começou a tomar um novo rumo. Agradeceu a Deus por mais um dia, e pela a notícia que a fez tornar uma pessoa melhor. Colocou as mãos na barriga novamente e fechou os olhos – eu amo vocês meus filhos!

E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
Eu nem preciso te ver
Seca o choro e fica aqui comigo
Que até assim tristinha eu já sei
Que eu amo você!


Notas Finais


Até a próxima Girls


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...