História Perfect For Me - Camren (G!P) - Capítulo 108


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Ally Brooke, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Norminah, Vercy
Exibições 1.655
Palavras 3.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus amores...tô voltando com mais um capítulo pronto... Bom,como eu falei... :( Preparem os corações...
Espero que gostem eeeee
Boa Leitura.

Capítulo 108 - Capítulo 108


Fanfic / Fanfiction Perfect For Me - Camren (G!P) - Capítulo 108 - Capítulo 108

Cinco meses depois...
P.O.V Camila
Cinco meses haviam se passado e até agora não consigo entender como os dias tendem a passar voando,dentro desse tempo muitas coisas aconteceram,tipo,eu e Lauren resolvemos tirar férias e fomos para a casa dos pais dela em Londres,tive a oportunidade de conhecer melhor meus sogros e o outro irmão da Lauren,bom,o Mike eu já conhecia pessoalmente,mas só o lado profissional dele,não conhecia seu lado família,um pai super protetor e um marido muito carinhoso,quanto a dona Clara,também gostei muito dela,confesso que por causa de toda aquela confusão no passado por causa da Taylor,imaginei que ela seria uma mulher difícil de lhe dar,rígida e bem reservada,mas não,acabei me surpreendendo.
Mesmo sabendo que ela havia aceitado o namoro da Tay com a tal garota,eu tinha um certo medo de conhecer minha sogra,porque no fundo eu temia que ela não gostasse de mim,mas aí eu vi que estava muito errada a seu respeito.
Me lembro que logo quando chegamos na casa deles Taylor estava deitada no colo da mãe enquanto a mesma fazia carinho em seus cabelos...de longe percebi que não era nada do que eu pensava,e isso só se confirmou quando a vi toda sorridente vindo nos receber,ela me deu um abraço tão gostoso que meu nervosismo passou na hora.
Ah,e devo falar que a Tay agora está namorando sério com Cara,uma menina super legal,simpática e muito bonita,ela estava lá quase a maioria do tempo.
Lauren é claro que ficou um pouco enciumada mas aos poucos ela foi se acostumando com a ideia da irmã mais nova estar namorando.
Enfim...os dias que passamos lá ficarão pra sempre em minha memória,sem contar que dessa vez sim eu pude visitar os pontos turísticos de Londres,pude aproveitar cada pedacinho daqueles lugares com minha Lo.
Da outra vez que vim não quis ir visitar nada porque não teria graça nenhuma sem ela,mas Deus me deu a oportunidade e sou muito grata a isso,foram momentos lindos e inesquecíveis.
Depois que voltamos para Miami aproveitamos o resto das férias com meus familiares,até um almoço fizemos aqui em casa com os amigos da Lo e os meus,foi um dia incrível que acabou na piscina em meio a muita mais muita diversão,depois naquele mesmo dia fomos em uma boate onde nos divertimos ainda mais.
Enfim...os dias foram passando e com eles foi chegando o fim das nossas férias,Lauren voltou ao trabalho dois dias antes que eu,já que tive duas audiências na cidade vizinha,então tive que ficar por la uma noite onde dormi num hotel,mas depois voltei e o resto da semana foi tranquila pra mim.
Porém hoje não sei o que está acontecendo comigo,desde quando acordei sinto um aperto no peito e um nó na garganta,era como um mal pressentimento,nunca me senti tão estranha quanto estou hoje.
A primeira pessoa que passou na minha cabeça foi a Lo,será que ela está bem? Foi o que me perguntei enquanto procurava meu celular para ligar pra ela,encontrei o mesmo em cima da cama e coloquei pra chamar.
-Oi amor,bom dia! _Ela falou e só pelo seu tom de voz percebi que estava tudo bem com ela.
-Bom dia amor...Lo onde você tá?
-Em casa me arrumando,por que? Quer que eu passe ai pra te pegar?
-Não Lo,é que eu tava com um mal pressentimento e quis te ligar,saber se você está bem.
-Eu tô bem princesa,fica tranquila.
-Tem certeza? _Perguntei
-Tenho amor...tô indo tomar café e depois vou para a empresa.
-Tá bom Lo,e olha,toma cuidado enquanto dirige tá. _Ela deu uma risadinha.
-Pode deixar Camz,eu me cuido,e você também,se cuida.
-Eu vou...então...até logo Lo.
-Até logo pequena...beijo.
-Beijo! _Falei e desliguei.
Depois de me arrumar pro trabalho desço para cozinha onde minha mãe está terminando de passar o café,eu sei que é café porque o cheiro da bebida me embrulhou o estômago,esse era um dos problemas que eu estava tendo que lidar nessas últimas semanas,já fazia algum tempo desde que comecei a sentir algumas coisas estranhas,mal estar,cansaço constante,as vezes tenho tanto sono que me sinto como se tivesse anos que eu não dormia.
Ontem mesmo quando fui comer um pedaço de torta de frango na casa da Ally meu estômago embrulhou na hora e corri para o banheiro. Normani e Troy que também estavam lá,teimaram em dizer que eu estou grávida,e a verdade é que estou mesmo desconfiando disso,minha menstruação está atrasada a um mês,mas eu nem me preocupei nem falei nada com a Lauren porque as vezes isso era normal,fiquei algumas semanas sem tomar o remédio para não engravidar e a menstruação fica desregulada mesmo.
Mas mesmo assim,já marquei uma consulta com a minha ginecologista para ver o que tem de errado comigo e tirar essa dúvida.
Assim que entro na cozinha vejo meu pai sentado na mesa,ele está tomando seu suco e lendo o jornal,até estranhei o fato dele estar ali porque ele sempre saía para trabalhar antes de mim.
-Bom dia pai! _Me aproximo e beijo sua bochecha.
-Bom dia filha! _Respondeu sem tirar a atenção de seu jornal.
Minha mãe coloca a garrafa de café sobre a mesa e beija o topo da minha cabeça.
-Bom dia filha!
-Bom dia mãe! _Eu estava sem muito ânimo mais mesmo assim forcei um sorriso.
-Meu amor será que dá pra soltar esse jornal e tomar café com a gente? _Minha mãe dá uma bronca no meu pai que dobra o jornal deixando o mesmo num canto da mesa.
-Desculpe querida. _Pediu de forma engraçada e minha mãe balança a cabeça negativamente com um sorriso convencido nos lábios.
Me servi de um pouco de suco e algumas torradas começando a comer sem pressa.
-Eu vou levar a mamadeira pra Sofia e já volto,já está quase na hora dela acordar para mamar. _Ela avisou e saiu subindo as escadas,eu acompanho seus passos até ela sumir da minha vista.
Quando volto meu olhar a mesa meu pai está me encarando sério,então desvio o olhar pra onde estavam as panquecas pegando uma e levando ao meu prato.
-O que você tem filha?  _Ele pergunta.
-Nada papá...Por que a pergunta? _Corto um pedaço da panqueca e levo a boca.
-Você está estranha,quieta demais quase não ouvi sua voz hoje.
-Só estou com um pouquinho de dor de cabeça...nada de mais.
-Hum...dor de cabeça,sei. _De cabeça baixa ele diz essas palavras num tom de voz baixo e foi quase inaudível enquanto mechia o açúcar em sua xícara de café,eu preferi ficar quieta,não falei nada,meu estômago parecia querer sair pela boca só de ver ele mexendo aquele líquido.
Depois que tomou um pouco voltou a me questionar.
-Você e a Lauren andaram brigando?
-Não papai,isso nunca...o senhor quem está estranho hoje sabia? Não para de fazer perguntas.
-Tem alguma coisa acontecendo com você e eu quero saber o que é,por favor não me esconda nada. (Caramba,como ele quer que eu responda uma coisa que nem eu mesma sei?)
-Não está acontecendo nada papá eu juro.
O problema é que não acordei bem hoje,sabe quando uma coisa muito ruim está prestes a acontecer? Sabe,é uma sensação estranha,por isso estou assim._Expliquei e ele assentiu porém sua expressão ainda era de desconfiança.
-Pode até ser esse,parte do seu problema,mas o que está me preocupando é essa sua aparência filha,e isso não é de agora.
De umas semanas pra cá todas as manhãs você fica meio pálida,pouco abatida,e isso só muda com o decorrer do dia já que quando te vejo em casa à tarde você já está mais corada,mas em compensação anda muito cansada e dorme até o horário do jantar...isso é que é estranho minha filha porque nunca te vi assim. Camila você anda se alimentando direito?
-Sim,da mesma forma que sempre me alimentei...Não se preocupe papai,estou bem.
-E a Lauren? Eu não acredito que não tenha percebido nada. _Dei uma risadinha divertida ao ver tanta preocupação dele.
-Não pai,a Lo nunca me falou nada...e o senhor está se preocupando atoa,vai ver como vou ficar melhor.
-Posso saber o que os dois tanto falam? _Minha mãe apareceu do nada na cozinha,justamente na hora que meu pai ia me responder,eu deveria estar tão distraída que nem vi ela se aproximar.
-Querida você não acha que nossa filha está mais pálida que o normal? _Minha mãe me olha com ternura como se estivesse lembrando de algo,ela se senta ao meu lado na mesa e pega em minha mão.
-É verdade filha,eu e seu pai já queríamos ter tido essa conversa com você a mais tempo.
-Mas mãe,vocês estão se preocupando atoa,é natural eu me sentir cansada,aliás eu sou um ser humano é comum isso acontecer,o meu trabalho exige muita dedicação e isso acaba tomando demais o meu tempo que resulta nisso tudo. _Falei intercalando o olhar entre os dois,e minha mãe me olhava fixamente dentro dos olhos.
-Tem razão,talvez seja isso mesmo. _Sorriu sincera e quebrou o contato de nossas mãos pra logo começar a se servir.
-Mesmo assim eu quero que você vá ao médico,isso é estranho porque nunca aconteceu antes e você sabe bem disso. _Meu pai disse.
-Eu já marquei uma hora com a minha médica papai,mas fora isso vou pedir um hemograma completo na clínica se isso te deixa mais tranquilo. _Falei despreocupada.
-Ótimo. _Levou um pedaço de bolo a boca depois de responder e eu voltei minha atenção a minha mãe.
-Eu estava falando pro papai que hoje acordei com um mal pressentimento.
-Como assim? _Ela colocou um pedaço de mamão na boca e ficou me fitando enquanto mastigava.
-Não sei explicar ao certo,é como se alguma coisa inesperada fosse acontecer,só não sei se é coisa boa ou ruim.
-Que isso filha,nem pense numa coisa dessas.
-Mamãããe?  _Sofi chamou manhosa do topo da escada.
-Eu não acredito que ela se levantou da cama! _Minha mãe comentou enquanto se levantava.
-Pode deixar mamãe,eu pego ela._ Ela sorriu agradecida e eu fui até minha irmã que esfregava os olhinhos com uma mão enquanto a outra segurava a mamadeira que ainda estava pela metade.
-Vem meu amor! _A peguei no colo e beijei sua bochecha em seguida enchi seu pescoçinho de beijos fazendo ela dar uma risadinha gostosa.
Voltei a me sentar na mesa porém agora com minha princesa no colo,pois era só assim que ela ficava.
-Muito bonito hein dona Sofia,o que foi que eu disse sobre você acordar cedo demais? Depois vai pra escola caindo de sono. _Minha mãe disse séria pra Sofi que se encolheu um pouco,meus pais nunca foram de educar batendo,eles sempre optaram pelas broncas,castigos e rigidez e pra falar a verdade isso causava mais efeito do que uma surra.
-Mas...mas é que eu fiquei com medo de ficar na cama sozinha mama,eu fui no quarto da kaki mais ela não estava lá.
-Awnnn...mamãe não briga com ela. _Sorri com a fofura da Sofi,a abracei mais forte cheirando seus cabelos.
-Dessa vez vou deixar passar baixinha. _Minha irmã abriu um sorriso lindo.
-Mas assim que terminarmos aqui você vai voltar pra cama,ainda está cedo pra você estar de pé! E aproveita pra terminar essa mamadeira mocinha.
-Menos mal meu amor _Cochicho em seu ouvido para nossa mãe não ouvir e ela ri baixinho confirmando com a cabeça.
-Não vai dar um beijo de bom dia no seu pai? _Minha mãe perguntou e Sofi assentiu positivamente descendo do meu colo.
-Eu pensei que você não estava me vendo! _Ele se fez de ofendido afastando um pouco sua cadeira para receber a pequena.
-Desculpa papá...Bom dia! _Sofi disse enquanto meu pai a segurava em seu colo,ela abraçou seu pescoço dando um beijo em sua bochecha e ele deu outro em sua testa.
-Eu te amo tá? _Ela disse pra ele.
-Te amo mais minha preciosa. _Sorriu beijando seu rostinho,passou a mão para tirar alguns fios de cabelo da franja dela que caía em seus olhos.
Ele a colocou no chão e ela correu pro meu lado sorrindo alegremente,me inclinei um pouco pra pegá-la a colocando de volta no meu colo.
-Fiquei com ciúmes! _Fiz carinha de triste pro meu pai que soltou uma risadinha negando com a cabeça.
-Ciumenta...As duas são minhas preciosas. _Sorri convencida pela resposta e joguei um beijo no ar pra ele.
-E eu? Vou ficar sobrando? _Minha mãe se fez de ofendida.
-Isso é um complô contra mim? _Ele riu impressionado fazendo todos rirem.
...
Nosso café continuou assim,entre brincadeiras e risadas,tudo estava tão bom que até consegui me distrair daquele sentimento bobo que não sei por qual razão estava me dando medo.
Depois de um tempo meu pai se despediu da gente e saiu pro trabalho deixando avisado que hoje chegaria mais tarde.
Minha mãe esperou ele sair e conversou comigo,disse que também é mulher,teve duas filhas e sabe que tenho grandes possibilidades de estar grávida,meu Deus,até a minha mãe acha isso,estou começando a me preocupar de verdade,não que eu não queira estar grávida,eu quero,e quero muito ter um filho meu e da minha Lolo,mas não sei qual vai ser a reação dela,vai que ela ache que ainda é muito cedo ou essas coisas do tipo,sabe,eu tenho medo.
Minha mãe então me disse que a Lauren não vai pensar dessa forma e que eu fico colocando paranoias na cabeça,me pediu para fazer o exame e como a minha consulta é só amanhã e eu não vou aguentar esperar,resolvi que vou comprar o teste de farmácia pra fazer na empresa porque aqui em casa não dá mais tempo,caso contrário eu vou chegar atrasada,falei pra ela que ligo para falar o resultado do teste e quando eram 7h e 55m eu sai de casa,ouvindo ela pedir umas dez milhões de vezes pra eu me cuidar e dirigir devagar.
Passei na farmácia e comprei o teste,pouco mais de dez minutos eu já estava na empresa.
Desliguei o carro e desci,quando coloquei o pé no chão senti uma tontura fraca e para não caír e passar vergonha na porta do meu trabalho me apoiei no carro.
-Mas que droga está acontecendo comigo? _Resmunguei pra mim mesma e ainda bem que ninguém ouviu,eu já estava começando a me assustar com esse mal estar.
Ao me recuperar da tontura continuo a andar dando a volta no carro,vejo o manobrista vindo de encontro comigo um pouco apressado.
-Bom dia Senhorita ! _Carlos desejou sorrindo da mesma forma simpática de sempre.
-Bom dia Carlos. _Devolvo o sorriso e ele entra no meu carro saindo em seguida.
Respiro fundo e começo a caminhar.
-CAMILA?  _Uma voz até então infelizmente conhecida por mim me chama e eu me viro não acreditando no que estava vendo,era ela,Amanda,fiquei parada enquanto ela descaradamente ia se aproximando,ela estava vestida numa calça jeans branca com alguns rasgos e justa,uma blusa de frio cinza um pouco larga pra ela e vans vermelhos,o cabelo preso num rabo de cavalo e algumas olheiras,ela parecia bem agitada.
-Sentiu saudades Camilinha? _Perguntou irônica e eu revirei os olhos sem paciência.
-O que é que você quer dessa vez? _Perguntei demonstrando toda minha irritação e impaciência.
-Calma querida,só vim conversar um pouco com você...não vou tomar muito seu precioso tempo !_O sorriso estampado no rosto dela era traiçoeiro,me causava arrepios.
-Acontece que não me interessa saber de nada!
-Não seja mais mal educada do que você já é Camilinha! _Respirei fundo contando mentalmente até dez pra não perder a paciência.
-Será que você é surda? Garota eu não tenho nada pra conversar com você,como já te falei não me interessa saber,não me interessa te ouvir,nada que venha de você me interessa,alem do mais eu não tenho tempo pra você! _Falei séria e me virei pra sair dali porém ela me puxa pelo braço com violência me fazendo voltar a olhar pra ela. -Me solta sua psicopata! _Puxei meu braço pra ver se ela soltava mas mesmo assim ela continuou apertando.
-Eu não perguntei se tem tempo,eu quero falar com você e não vou sair daqui até que isso aconteça! _Ela disse e soltou meu braço abrindo um sorriso simpático e fingido,no momento fiquei sem entender,mas assim que percebi a presença de alguém atrás de mim pude compreender sua reação.
-Algum problema aqui? _Adrian,um dos seguranças perguntou pra mim.
-Nada,só estamos conversando! _A cínica respondeu mas Adrian não deu muita atenção e olhou pra mim como se estivesse esperando uma resposta minha.
-Está tudo bem Adrian ! _Ele assentiu positivamente e saiu,eu esperei ele se afastar um pouco pra poder falar com aquela insuportável.
-Não tenho nada pra falar com você Amanda,o que tinha pra falar já falei,aliás eu não esperava voltar a olhar pra sua cara tão cedo. _Sorri debochada ao me lembrar do dia em que brigamos e que ela saiu na pior,dia esse que acho que ela nunca vai se esquecer.
-Você não perde esse ar de superioridade não é garota? Quem você pensa que é?
-Isso só pode ser sacanagem! _Pensei alto enquanto ria irônicamente.
-Você pode enganar a idiota da Lauren com essa sua carinha de santa,mas a mim você não engana,eu sei perfeitamente o tipo de mulher que você é,e sei o que você quer com ela,mas se depender de mim você vai quebrar a cara logo-logo.
-Não me iguale a você! _Falei e ela fechou a cara inflando as narinas.
-Eu te odeio garota,você me irrita tanto que dá vontade de acabar com a porcaria da sua vida agora mesmo! _Seus olhos estavam vermelhos e lacrimejados,transbordando ódio,enquanto falava levou uma das mãos até as costas onde pareceu ajeitar alguma coisa,eu estava realmente ficando com medo daquela louca,tudo que eu queria era sair logo dali então tratei de cortar o assunto.
-Eu estou no meu horário de trabalho e tenho mais o que fazer então me dá licença. _Dei as costas e sai andando,ela não iria me tirar do sério outra vez.
-EU AVISEI QUE AS COISAS NÃO IAM FICAR ASSIM E SE EU NÃO POSSO FICAR COM A LAUREN VOCÊ TAMBÉM NÃO VAI FICAR... _Ela gritou enraivecida enquanto eu me afastava,essa frase seguida de dois estrondos e os gritos dos seguranças da Lauren foram as únicas coisas que escutei antes de sentir uma dor imensa nas costas,meu ombro esquerdo queimando dolorosamente e tudo ficar escuro.
...
P.O.V Lauren
-Tudo bem então,se cuida e melhoras! _Termino de falar com a DJ e finalizo a chamada no painel do meu carro,ela não viria trabalhar hoje porque pegou um resfriado,passou a noite inteira com febre e segundo ela mal consegue levantar da cama,eu insisti pra ela ir ao médico mas como é cabeça dura não quis ir,eu sempre me perguntei como uma mulher daquele tamanho pode ter tanto medo de médico assim.
Bom,de qualquer modo mais tarde eu passaria na casa dela.
-Mas o que é isso? _Perguntei pra mim mesma ao virar a esquina da rua que dá na minha empresa,haviam vários carros de polícia,uma ambulância e uma multidão de gente,mudei a marcha do carro e acelerei pra chegar mais rápido até lá,já na entrada fui barrada por um policial que fazia sinal para que eu parasse com o carro,impaciente abri a porta e desci.
-Alguém pode me dizer o que está acontecendo aqui? _Perguntei preocupada,eu tentava ver o que era mas a multidão de pessoas não deixavam,eu só via os meus seguranças falando e mostrando alguns pontos no chão para os policiais e ouvia a voz de um homem pedir pra alguns se afastarem.
-Não podemos dar maiores informações sobre o caso agora! _ Um policial disse. (Que piada. (Pensei)
-Como não? Todo esse exército em volta da minha empresa e eu não posso saber o que aconteceu?
-Ah,desculpe Senhorita,eu não sabia! _Estendeu a mão e prontamente apertei.
-Agente Symon.
-Lauren Jauregui. _Falei e ele assentiu.
Eu estava com a cabeça a mil,nunca jamais havia acontecido uma coisa como essa,eu estava tão assustada quanto todos que estavam ali.
- Me acompanhe por favor. _Ele pediu educadamente,e assim eu fiz.
-Bom,ao que parece tivemos uma tentativa de homicídio aqui. _Eu não podia acreditar no que ele estava me dizendo.
-Como assim? Tentativa de homicídio? Contra quem? _Disparei uma pergunta atrás da outra.
-Sim,infelizmente..._Ele parou de falar quando uma moça parou em sua frente entregando uma prancheta,o som da sirene se fez presente e eu olhei por cima de seu ombro vendo a ambulância saindo.
-Já recolhemos todos os depoimentos e os projéteis,a moça já está a caminho do hospital! _Ela falou e o agente assentiu,não sei o que me deu mas ouvir aquela última frase senti um aperto no peito,uma angústia,medo,a boca secou na hora e...meu Deus...Não Lauren,deixa de pensar besteira.
-Então não foi apenas um disparo?  _Perguntou e a moça negou.
-Foram dois! _Respondeu
-As imagens das câmeras mostraram alguma coisa? Deu pra identificar a pessoa que praticou o ato?
-Um dos seguranças nos passou as características do autor dos disparos que foi também uma mulher,mas quanto as câmeras,ainda não vimos nada,as imagens serão analisadas no departamento. _Essa história estava ficando séria demais.
-Tudo bem Jhenna...Obrigado! _A moça sorriu assentindo e saiu. -Tentativa de homicídio! _Ele confirmou em voz baixa pra ele mesmo enquanto lia algo na prancheta mas eu ouvi.
-Contra quem foi isso? _Perguntei rezando pra ele não dizer o que eu não queria ouvir.
-Camila Cabello! _Em choque...essas duas  palavras me definiam no momento,eu entrei em choque,um desespero imenso tomou conta de mim e eu tive que arrancar forças da onde não tinha pra me manter de pé,eu não conseguia pensar em mais nada,eu tinha que estar com ela,meu Deus a minha Camz...eu não acredito que isso estava acontecendo.


Notas Finais


Agora Amanda vai sumir da Fanfic igual a Alexa...Vocês estão livres dela...
Comentem amores...
Logo terá sequência...
E a Camz tadinha...tem mais surpresas... AGUARDEM


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...