História Perfect For Me - Camren (G!P) - Capítulo 109


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Ally Brooke, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Norminah, Vercy
Exibições 1.752
Palavras 3.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiii meus amores...voltei...acabei de terminar esse...eu ia esperar pra postar com o cap 110 mas pra falar a verdade pra vcs,eu nem sei quando vai ficar pronto...
Essa semana agora quase não vou ter tempo para escrever,então,por isso tô postando esse tá...pra vcs não ficarem tão ansiosos...
Mas ok...
Vamos lá...
Boa leitura...espero que gostem e perdoem todo e qualquer erro ok :)

Capítulo 109 - Capítulo 109


P.O.V Lauren
Já faziam cerca de três horas que eu estava impaciente dentro daquele hospital,cansada de ficar sentada,agora andava pra lá e pra cá na recepção esperando por notícias da Camz,meus sogros também estavam aqui,ambos desesperados e inconformados e eu não estava diferente,o medo de que algo de pior aconteça está me corroendo,e pra ajudar não sabemos do estado da Camz,até agora a única informação que tínhamos era que ela estava no centro cirúrgico.
Meu deus do céu eu ainda não estou acreditando no que estou vivendo,isso só pode ser castigo,como foi acontecer uma coisa dessas com a minha pequena.
-Lauren... _Ouço a voz da Vero e logo me viro para ela que vinha correndo ao meu encontro,abriu os braços e me abraçou apertado,meus olhos automaticamente se encheram de lágrimas,eu estava precisando de um abraço,um amigo,alguém que me dissesse que tudo iria ficar bem.
-Como ela está? Eu fiquei sabendo assim que cheguei na empresa e vim direto pra cá.
-Ela está no centro cirúrgico Vero,essa é a única coisa que sabemos sobre ela. _Minha amiga me olhou de maneira compreensiva.
-Ela vai ficar bem Laur. _Sorriu fraco e me abraçou novamente,eu queria chorar,gritar,pra ver se essa angústia passava mas eu tinha que ser forte,tinha que ser forte por mim e pela Camz.
-Eu vou ali buscar um café,você quer? _Vero perguntou ao nos separamos,bem nessa hora meu celular começou a tocar,era número desconhecido.
-Não Vero,obrigada._Respondi enquanto deslizava o dedo na tela para atender e minha amiga saiu.
-Alô?
-Viu só o que acontece com quem me afronta Lauren Jauregui? _Ódio mortal,foi tudo que senti quando ouvi a voz dessa imunda.
-Sua desgraçada,foi você?
-Sim,fui eu...mas e aí? A vadia já morreu? Ou ainda está agonizando com a dor das balas? _A infeliz ria como se estivesse falando a coisa mais engraçada do mundo.
-Quem vai agonizar vai ser você Amanda,assim que eu te pegar...e se alguma coisa acontecer com ela aí sim vou te matar sua maldita eu juro.
-Eu vou fugir sua imbecil,você nunca vai me achar,e isso foi pra você aprender a nunca mais me fazer de idiota,te feri onde mais iria te doer e não precisei relar a mão em você pra isso.
-Seu lixo,sua imunda. Como você pôde? O que foi que ela te fez?
-Ela nasceu Lauren...Simplesmente...nasceu para atrapalhar a minha vida e ela mereceu. E eu espero que sua namoradinha morra,ouviu Lauren,eu quero que ela morra. _Disse e desligou.
-Infeliz,desgraçada,maldita. _Esbravejei olhando para a tela e não acreditando que ela tinha desligado.
-Que foi Lauren? Você está pálida! _Vero disse ao se aproximar com seu café.
-A Amanda Vero,foi ela quem atirou na Camila,ela acabou de me ligar,dizendo que deseja a morte dela. Eu já devia ter imaginado que seria ela ou a Alexa assim que fiquei sabendo que havia sido uma mulher quem atirou...Camila não tem inimigos nenhum.
-Lauren você tem que avisar a polícia,essa filha da mãe não pode escapar.
-Familiares de Camila Cabello! _Um médico aparentemente jovem fala chamando a atenção de todos,meus sogros levantaram na mesma hora dizendo que eram os pais eu nem tive tempo de responder a Vero e já corri pra perto do médico também,só consegui ouvir minha amiga dizendo que iria avisar a polícia pra mim,fiquei mais tranquila por isso.
-Somos os pais dela,e essa é a namorada. _Meu sogro disse e o homem assentiu positivamente.
-É um prazer...Doutor Charlie. _Se apresentou e nos cumprimentou.
-Como está minha filha doutor por favor,nós estamos desesperados? _Minha sogra perguntou e foi amparada por seu Alê.
-O estado da paciente é muito crítico,vocês irão precisar ter muita fé para que ela saia dessa. _Aquelas palavras me acertaram como um soco,eu fiquei apavorada,não só eu como todos a minha volta.
-Mas como assim? Qual a real situação dela doutor?_Perguntei desesperada.
-Bem,podemos dizer que não foi nada fácil extrair as balas,a que se se alojou no ombro foi difícil,mas a que acertou as costas perfurou o fígado e se alojou na região de trás do abdômen foi bem mais complicada e levou a paciente perder muito sangue,o que não é nada bom no caso dela que espera um bebê.
-C-como é que...Ela está,e-ela está grávida? _Sabe quando o mundo parece parar e você passa a ver e ouvir tudo em câmera lenta? Foi isso que aconteceu comigo,minha fala saiu completamente falha,minha garganta travou e se antes eu tentava segurar as lágrimas agora não consegui mais,elas rolavam dos meus olhos sem que eu pudesse controlar,eu sentia uma felicidade imensa dentro do meu coração,a Camz está esperando um filho nosso meu Deus,eu estou em choque,eu não acredito. Eu daria tudo para voltar no tempo e receber essa notícia de outra maneira,não aqui,dentro de um hospital e com a minha pequena nesse estado.
-Era por isso que ela andava estranha esse tempo todo. _Meu sogro comentou.
-Vejo que vocês não sabiam. _O médico disse intercalando o olhar entre mim e meus sogros,seu Alê parecia estar paralisado com a notícia,já dona Sinuh não,será que ela já sabia?
-Não doutor,ela ia fazer o exame hoje...ma-mas e o bebê? Não corre nenhum risco não é?_Ela perguntou me deixando numa tensão imensa,eu rezava mentalmente para ele dizer que meu filho estava bem e não corria risco algum.
-Então,era sobre isso que eu queria comentar com vocês...A paciente está completando duas semanas de gestação...mas é aí que está o problema,ela precisa urgentemente de uma transfusão de sangue,estamos fazendo de tudo para segurar o feto mas se ela não receber a doação dentro de quinze horas eu não garanto que ela consiga segura-lo. _Não existe palavras no mundo que fossem capaz de descrever o que eu estava sentindo naquele momento,a felicidade em saber do nosso filho era imensa mas não conseguia cobrir o desespero de perdê-lo,imaginem só que ironia,acabei de ganhar e já corro o risco de perder,eu não posso perder o meu bebê,não...Deus não pode fazer isso comigo,ele não pode.
-Não meu Deus. _Levei as mãos no rosto completamente desolada. E agora? O que eu vou fazer? Ouvir da boca de um médico que meu anjinho pode estar com as horas contadas dentro da barriga da mãe me mata,corta meu coração e minha alma,parece que minhas forças estão acabadas,mas eu não posso desistir agora,Camz está lá,deitada numa cama de hospital sem poder fazer nada para se salvar e salvar nosso bebê,então eu tenho que fazer por ela,tenho que fazer por nós três,correr contra o tempo pra manter minha felicidade viva,eu não posso,não quero e não vou perder as duas coisas que tenho de mais valiosas na vida.
-Meu deus,o tipo sanguíneo dela é muito raro. _Minha sogra disse em desespero afundando a cabeça no peito do marido.
-Querida temos que ter fé,não se desespere,nossa filha é forte,ela vai sair dessa. _Seu Alê disse confortando a esposa e beijou o topo de sua cabeça.
-Qual é o tipo sanguíneo dela? _Perguntei ao médico.
-Camila é do tipo O negativo,pessoas com o sangue desse tipo podem doar para todos os tipos,mas só podem receber de quem é O negativo também,por isso é muito raro...mas quinze horas é tempo suficiente para vocês encontrarem,lembrando que o tempo já está correndo,no banco de sangue do hospital não temos,mas já entramos em contato com outros hospitais para ver se há disponibilidade._O médico informou,e foi ai que me desesperei de vez.
-Calma Laur,você não pode fraquejar,pensa que logo os dois estarão salvos...olha,eu prometo ajudar a encontrar um doador,vou falar com o pessoal da empresa,e também vou perguntar pra Lucy se o dela é compatível,não fica assim. _Vero disse passando a mão em meu ombro,eu estava tão nervosa e apavorada que nem a vi chegar.
-Bom,agora tenho que ir,daqui a pouco volto para dar mais notícias.
-Ela não pode receber visitas? _Meu sogro perguntou.
-Sinto muito,estou vendo o desespero de vocês mas por enquanto não. A paciente permanece em observação na UTI,recebeu uma quantidade considerável de sedativo no sangue enquanto era operada já que tínhamos que mantê-la imóvel porque qualquer movimento a prejudicaria,e provavelmente só acordará de madrugada. É horrível dizer isso a vocês mas enquanto não fizer a transfusão não receberá visitas.
...
Pouco tempo depois...
-Lauren minha filha,eu nem tive cabeça para te parabenizar pelo bebê,me perdoe. _Dona Sinuh me abraçou apertado enquanto ainda chorava pela Camz,coitadinha.
-Imagina dona Sinuh,eu entendo,a senhora é mãe e devo imaginar como está se sentindo. _Falei e nos separamos,estávamos sentadas no sofa da sala de espera. -Mas muito obrigada.  _Falei e limpei as lágrimas de seus olhos. -A Camz vai sair dessa,acredite,ela e o bebê vão se salvar eu sei que vão...Olha,a Vero já foi atrás dos doadores e eu já falei com meu pai,ele vai tentar nos ajudar de lá,temos bastante tempo ainda,Deus vai nos ajudar e a senhora vai ver como daqui a pouco eles vão estar com a gente outra vez. _Sorri tentando passar mais confiança a ela que também sorriu,me deu um beijo no rosto e outro abraço,eu podia estar um caco por dentro,mas o quanto eu puder passar positividade para eles eu vou passar,eu sei que a Camz no meu lugar faria o mesmo.
-Você é um anjo em nossas vidas. _Ela disse e eu sorri,fechei os olhos e involuntariamente algumas lágrimas rolaram. Alguma coisa me dizia que a Camz e nosso bebê iriam sair dessa.
-Pronto Lauren,pode ir agora minha filha,nós ficaremos aqui e qualquer notícia te ligamos. _Meu sogro chegou com dois copos de café,entregou um para a esposa e eu me levantei secando os olhos.
Eu só estava esperando ele chegar da cantina para ir até a delegacia,Vero havia passado todas as informações e parece que foram atrás da maldita,mas chegaram lá tarde de mais. Segundo eles o porteiro do prédio os informou que ela havia saido de seu apartamento com duas malas em seu carro,mas disseram também que já mandaram fechar todas as saídas e farão buscas em aeroportos e rodoviárias caso ela tente fugir usando esses meios.
Eles não quiseram passar muitas informações pelo telefone então me pediram para ir até lá.
-Está bem seu Alê,eu não demoro. _Me despedi dos dois e segui para a delegacia.
...
Assim que cheguei fui direto falar com a delegada,eu queria saber o que eles iriam fazer com a desgraçada da Amanda,ela me disse que até o momento não há sinal da infeliz em lugar algum,mas que nenhum avião,ônibus ou qualquer tipo de transporte sairá sem antes ser revistado.
Estávamos revendo as gravações das câmeras de segurança da empresa pelo computador da delegada e eu fiquei pasmada,principalmente na hora dos disparos.
-E depois disso a garota sumiu,como você pode ver,as câmeras mostraram o carro que ela deu fuga e com a aproximação da imagem conseguimos pegar a placa,o... _Seu telefone toca interrompendo nossa conversa. -Só um minuto! _Pediu e rapidamente levou o telefone no ouvido.
-Pode falar....-Depois de alguns segundos ela então olha pra mim com um sorriso convencido nos lábios. -Ótimo,quanto mais rápido melhor....Estou aguardando. _Voltou por o telefone na base.
-Estão trazendo a garota pra cá!
...
Poucos minutos depois que recebi a notícia de que aquela  infeliz havia sido pega meu sogro me ligou dizendo que o estado da Camz se agravou,mesmo apavorada perguntei o que tinha acontecido e ele me disse que ela estava com muita febre devido aos ferimentos e eles estavam tentando fazer alguma coisa para cortar mas que por conta da falta de sangue estava sendo um processo muito complicado.
Meu coração quase saltou pela boca e nem tive tempo de me despedir da delegada,corri pro meu carro e voltei para o hospital.
Assim que cheguei lá minha sogra veio correndo me abraçar.
-Como ela está? _Perguntei
-O doutor Charlie ainda está examinando ela. _Ela respondeu e eu nem conseguia mais falar nada,nos separamos e dei graças a Deus quando vi o médico se aproximando.
-Como ela está doutor? Eu não entendo,minha filha estava bem._Meu sogro falou.
-Bom,felizmente a febre cedeu,como eu já disse os ferimentos as vezes causam isso o organismo não trabalha com tanta disposição e o processo de cicatrização tanto por dentro quanto por fora é lento demais,Camila está muito fraca e isso digamos que colaborou um pouco...Mas vou ser sincero com vocês,eu não garanto que essa febre não vá voltar,ela está em observação e qualquer indício terá que receber uma quantidade muito maior de medicamento na veia. -Foi como se algo me pedisse para ir ver a Camz na UTI,não sei explicar ao certo mas senti uma agonia dentro do meu coração,eu queria abraçar o meu amor e dizer no ouvido dela que tudo iria ficar bem,que eu estava ali com ela,eu sabia que ela estava se sentindo sozinha,eu sinto que ela está com medo,que precisa de alguém e esse sentimento é assustador demais pra mim.
-Eu preciso vê-la doutor,por favor,eu sei que está proibido visitas mas eu já não posso aguentar tanta angústia,me deixe vê-la eu juro que não demoro.
-Isso que está me pedindo é impossível senhorita...a paciente está em uma ala restrita onde somente médicos podem entrar,sabe que qualquer outra pessoa poderá vir a trazer bactérias e isso não seria nada bom.
-Mas eu garanto que isso não vai acontecer,e-e eu me responsabilizo por qualquer coisa,tudo que eu não posso é ficar assim,sem ao menos olhar pra ela,você precisa me entender. _O médico olhou para meus sogros que o pediam com o olhar para que ele fizesse o que eu estava lhe pedindo e em seguida olhou pra mim,pareceu pensar em algo e depois assentiu positivamente.
.....
Ele me levou até uma salinha onde eu troquei de roupa e fiz toda higiene.
Entramos num corredor frio e o médico me apontou a imensa parede de vidro.
-Ela está ali,não demore mais que dez minutos lá dentro ok...eu vou estar na sala ao lado. _Disse e eu assenti,logo ele saiu e eu segui.
Parei em frente a parede e meus olhos teimaram em não acreditar no que estavam vendo através daquele vidro.
Minha boca secou e minha garganta queimava querendo gritar e me aliviar de todo aquele desespero...Meu Deus,era a minha Camz ali,com uma máscara de oxigênio no rosto e inúmeros fios ligados em seu corpo,respirava tão devagar e estava tão pálida que meu coração não se aguentava de tanta pena,e eu pedia a Deus para aquilo ser um sonho.
Coloco a mão na maçaneta e giro devagar,entro no quarto fecho a porta e vou até ela.
Havia uma cadeira ao seu lado então eu puxo para me sentar,pego em sua mão e me assusto com sua temperatura,para me certificar de que não estava imaginando coisas levo a mão até sua testa,ela estava tão quente que parecia pegar fogo,não preciso dizer o quão aquilo me apavorou,na mesma hora uma enfermeira entra no quarto e eu dou um pulo da cadeira.
-Enfermeira ela está queimando em febre,você precisa fazer alguma coisa. _A mulher arregalou os olhos e correu pra perto da Camz pondo a mão em sua testa.
-Meu Deus,essa febre acabou de ceder e já voltou,ela pode ter hipotermia,eu vou chamar o doutor Charlie. _Ela disse e saiu depressa,olhei para minha pequena e abracei seu corpo.
-Camz...eu estou aqui minha princesa,não precisa ter medo,você é forte,vai sair dessa meu amor. _Segurei mais firme ainda sua mão,puxei minha máscara e tirei a dela apenas para dar um selinho em seus lábios depois coloquei de volta,seu rosto não tinha cor,nem mesmo suas bochechas que deveriam estar coradas devido a temperatura quente de seu corpo,não estavam,ela dormia apenas,tão calma,com aquele rostinho de menina.
-Amor eu sei que você não está me ouvindo,mas eu sinto que você percebe que eu estou aqui...Olha,todos estamos rezando por você pequena,todos estamos aqui esperando você acordar e lutar pela sua vida Camz,sua mãe e seu pai também estão aqui pra ver você dar a volta por cima...Por favor meu amor,seja forte,eu sei que não deve ser nada fácil mas...Lute Camz. _Enxuguei minhas lágrimas e entrelaçei nossos dedos repousando nossas mãos agora em sua barriga e sorrio. -Nosso anjinho está aqui,dentro de você Camz,ele também está lutando para não ir embora. _Nessa hora eu já não aguentei mais,as lágrimas escorriam feito cachoeiras molhando nossas mãos,beijei sua barriga e limpei minhas lágrimas.
-Ajuda a sua mamãe anjinho...dá forças pra ela meu amor. _Logo a porta foi aberta e Charlie entrou correndo acompanhado de mais três enfermeiros.
-Por favor senhorita saia,ela precisa ser medicada.
...
Algumas horas depois...
Eram exatamente dez horas da noite,todo esse tempo havia passado e nada de encontrarmos um doador de sangue,pelas minhas contas Camz tem só até a 01h da manhã para fazer a transfusão,caso contrário...Não,eu não quero nem pensar nisso.
Todos ali estavam quase sem esperanças,a febre da Camz passava e voltava mas graças a Deus não era nada forte,nem os médicos sabiam mais o que fazer,não podiam ficar aplicando remédio na veia dela a toda hora.
-Lauren? _Levantei a cabeça para olhar para minha sogra que estava parada em pé na minha frente,meus olhos queimavam de tanto que eu chorava,o desespero me invadiu sem que eu pudesse fazer nada para impedir.
-Vem aqui minha filha. _Me estendeu as mãos e eu me levantei,ela sorriu fraco como se agora fosse ela quem estivesse tentando me dar forças. -Vamos juntas pedir a Deus para que salve minha filha e meu neto...sua namorada e seu filho...A gente só pode contar com ele agora meu amor. _Eu assenti enquanto derramava mais e mais lágrimas,a maneira que ela usou as palavras tocaram diretamente em meu coração me fazendo tirar forças de dentro de mim.
Nós duas fomos até uma capelinha que ficava dentro do hospital e nos ajoelhamos para rezar,eu...confesso que não era acostumada a fazer isso,eram poucas as vezes em que eu rezava,sei lá,acho que o dinheiro sempre me proporcionou tudo que sempre quis e acabei me esquecendo um pouco de Deus,mas agora ele está me ensinando que dinheiro não é tudo nesse mundo,ele não compra tudo,ele não compra o mais essencial de todos que é a vida.
Minha sogra rezava baixinho olhando para a imagem de jesus na parede e eu fechei os olhos,e comecei a conversar com ele.
-Por favor meu Deus,não tira eles de mim,a Camz e meu anjinho são tudo que tenho na vida e se eles forem embora eu também irei,se o meu filho não sobreviver o que vai ser de mim e da mãe dele? Ele acabou de chegar meu Deus,não tira da gente...eu te imploro,te peço com todo meu coração que salve os dois. _Fiz o sinal da cruz e abri os olhos,vi que dona Sinuh estava ascendendo uma velinha no altar,e quando fui me levantar o meu celular toca e eu desesperadamente pego para atender. Era a Vero.
-Oi Vero, e aí?
-Laur graças a Deus encontrei uma pessoa com o sangue compatível,avise o pessoal do hospital,estamos indo aí agora.


Notas Finais


Gostaram? :)
Espero que sim...Comentem... Eu quero saber de vcs...
Até logo meus amores...bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...