História Perfect illusion - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Chrollo Lucilfer, Hisoka
Tags Hisokuro, Kurokura, Síndrome De Estocolmo
Exibições 64
Palavras 2.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oioioi

Bom, sim, eu decidi continuar e ver até onde isso irá nos levar, leiam as notas finais que explicarei melhor XD

Boa leitura ♡

Capítulo 4 - I'm still haunted by the memories


Fanfic / Fanfiction Perfect illusion - Capítulo 4 - I'm still haunted by the memories

 

— Seus olhos sempre me encantaram muito, eles possuem uma tonalidade... peculiar, é uma pena que não possa os ver mais, ou ver através deles. — O mágico comentou com os dois globos oculares em mãos. — Bungee gum, desativar. 

Chrollo sentiu seus pulsos serem soltos, mas não conseguiu mover nenhum de seus dedos.

— Fique com eles, afinal, é uma das poucas coisas que realmente são suas. — Zombou, unindo as mãos do líder, colocando ali os olhos. — Perdeu a fala? Mas já?

Riu, achando engraçado como o ex amante já estava se parecendo como um "morto-vivo", e como a trilha de sangue, que escorria do vazio onde se encontrava seus olhos, se assemelhava com uma lágrima.

Sentado sobre o chão, Chrollo não tinha mais muita força, estava fraco, bastante fraco e submisso, fisicamente e mentalmente, mas mesmo assim reunia o restante de sua força, esperando o momento certo para realizar seu último ato. Não era bobo, sabia que se entregar ao mágico não era garantia de que deixaria a Trupe Fantasma em paz, teria que de alguma forma, o matar de uma vez por todas, mesmo não estando aguentando tudo aquilo. Se perguntava quantas horas já haviam se passado desde que se tornou o entretenimento de Hisoka, desde que seu corpo e sua mente começaram a serem usados de todas as formas possíveis. 

— Não irá demorar muito, a quantidade de sangue que tem perdido não é pouca. — Hisoka se abaixou. 

Chrollo automaticamente recuou. Quando foi que começou a sentir medo do mágico? Não sabia, mas não queria permanecer ali, para si aquele não era Hisoka, não queria acreditar que aquele a sua frente era o mesmo que o esperava dormir, mexendo em seu cabelo. 

— Ora ora, desse jeito irei pensar que é uma criança assustada, 'chefe', não tema, ainda temos muito o que brincar.

— Bonolenov, Franklin e Machi irão tirar o príncipe Woble e a rainha daqui. — Disse após escolher aqueles que o acompanhariam até Hisoka. — Feitan, Phinks e Kalluto irão comigo.

Kurapika chegou a conclusão de que a agilidade de Phinks e Feitan certamente seriam úteis para não deixar que ninguém o atrapalhasse ao tentar encontrar a localização do paradeiro de Chrollo, e Kalluto porque sabia ser o irmão mais jovem de Killua e poderia acabar morrendo facilmente em uma fuga. Já Bonolenov e Franklin tinham mais potencial para fuga, e Machi por ser sentimentalista segundo Franklin, poderia atrapalhar indo junto a si. 

— Existem alguns barcos para emergências do rei no último andar, fiquem com a rainha lá até que eu os avise que já podem sair. 

Feitan o olhou desconfiado, mas devido aos acontecimentos nada disse, apenas viu seus companheiros também concordarem e sumirem de suas vistas.

Kurapika então suspirou, sentindo o nen de Chrollo se intensificar. Estava a beira da morte, deveria lutar contra o tempo. Bastou apenas um sinal para que os três que sobraram consigo compreendessem que deveriam ir o mais rápido possível. 

— Tenham cuidado, os mais fortes usuários de nen estão por aqui, provavelmente tentarão nos assassinar, mas estamos enforcados pelo tempo, portanto irei na frente. — Explicou. — Sei que irão me encontrar logo após.

Phinks acenou positivamente. 

— Estamos confiando em seu potencial, nem todos concordam com sua liderança, portanto mostre que será um bom líder. — O mais alto falou, o vendo assentir e ir a procura do paradeiro do ex líder das Aranhas. 

… 

— Está tudo bem, eu irei acabar com sua dor de uma vez por todas, então pode aproveitar para dizer algo antes de morrer. — Hisoka se agachou para próximo do ex-líder, o suficiente para sentir sua respiração falha e sentir o odor que o mesmo emanava.

— Sabe Hisoka, eu até agora não o disse mas, eu o odeio, por tudo o que fez a trupe, eu o odeio, por fingir tantas coisas, eu o odeio, por ter me feito mostrar o meu lado mais frágil, mas eu me odeio, por saber que mesmo assim não é só ódio que sinto por você. — Com algum esforço fez com que seu livro aparecesse, abrindo em uma página que sabia que só seria aberta para tirar a vida do ruivo. — Eu não queria que as coisas tivessem acabado assim, mas não se preocupe, nos veremos no inferno.

— O que? Como você... — Antes de terminar sua frase, sentiu um formigamento em seu corpo, até o momento em que já não pode mais falar.

— Essa é uma habilidade que consegui somente para sua morte, ela é delicada, o ácido corrói seu coração e seguidamente seu corpo.

Só naquele momento notou que uma das mãos de Chrollo estava dentro de seu peito, mas já não tinha tempo para raciocinar, Hisoka perdeu todo o restante de sua vida um momento depois.

Ao sentir que do corpo do mágico só restava o pó, Chrollo apontou sua mão marcada pelo símbolo da técnica para si próprio, mas antes que pudesse agir, sentiu alguém segurar seu pulso. 

Trêmulo temendo se tratar de Hisoka, temendo ter falhado na tentativa de o matar, fez com que o símbolo e seu livro desaparecessem. 

— Não faça isso, acabou. 

Reconhecia a voz serena do loiro.

Kurapika soltou seu pulso assim que percebeu que o mesmo estava bastante ferido, até mesmo aparentando estar quebrado, e somente nesse instante percebeu o estado do homem e cobriu seu corpo com o sobretudo do líder.

Se abaixou ficando de frente para si, tentando ver o que poderia ali estar pior, e foi quando sentiu as mãos de Chrollo tocarem as suas, com o intuito de o entregar algo. 

Assim que viu os dois orbes acizentados em suas mãos, Kurapika arregalou seus olhos e acabou deixando que uma lágrima caísse por seu rosto.

— A que se faz, a que se paga. — Chrollo indagou com uma voz um pouco falha. — Para estar aqui vejo que acabou decidindo tomar o lugar que era meu, confesso que estou um pouco surpreso, eu agradeço por isso Kurapika mas eu devo morrer também.

— Você não tem que morrer, e você não vai. — O abraçou por instinto, ainda sentindo um tremor.

Hisoka  definitivamente havia causado muitos danos a aquele homem. 

— Agora pare de falar, tem sangue escorrendo de sua boca, ficar falando só irá piorar sua situação. — Sentiu que seus três acompanhantes haviam chego até ali.

Kalluto fez questão de usar seu leque para esconder sua expressão surpresa. Feitan ficou imóvel raciocinando e Phinks se aproximou dos dois rapazes.

— Existe alguém de minha confiança no andar médico, com tantos ferimentos e machucados externos e internos Machi não seria suficiente, então é para lá que o levarei. — Explicou. — E quanto a Hisoka. 

Fez um gesto para que olhassem o pó sobre o chão, vendo que o nen assombroso ainda se fazia presente nos restos.

— Joguem isso sobre o mar, as águas tenebrosas daqui colocaram um fim em seus restos. — Se assustou um pouco ao ver que Chrollo não estava acordado, mas para o seu alívio, seu coração ainda batia, e aproveitou disso para o pegar seu seu colo, e ir em direção ao andar médico. 

Chegando lá encontrou Leório dando ordens a alguns outros médicos, pelo visto era alguém importante agora. 

— Kurapika? — Seu semblante alegre se dissipou ao ver a figura em seu colo. — Vocês lutaram?

— Antes fosse… esse estrago foi causado por Hisoka. — Contou. — Sei que não estou em condições de o pedir algo pelo acontecimento com Gon mas… eu preciso que o salve.

Leório ficara surpreso. 

— Eu não sei quais são seus motivos para querer o salvar novamente ou o porquê de não ter atendido minhas ligações, mas, eu nunca negaria o pedido de um amigo. — Sorriu. — Eu farei o possível. 

Chamou alguns enfermeiros para colocar Chrollo na mesa de cirurgia, e então analisou seu estado. 

— Minha nossa… confesso que de tantos feridos que estão passando por aqui, nenhum tem um estado tão assombroso... — Avaliou, se surpreendendo ao ver que sangue seco estava escorrido de suas pernas, notando que até mesmo daquele ato o líder da Aranha não havia escapado. — Parece que ele acabou pagando por seus atos. 

— Eu só lamento não ter ouvido Gon, a vingança não é uma coisa bonita, e o ver nesse estado não foi justiça, agora sei o quanto desejar isso foi ruim. 

Leório quis rir um pouco mas se segurou, era engraçado como Gon havia optado pela vingança depois de a repudiar, e Kurapika havia se arrependido depois de a desejar. 

— Bom, eu aconselho a não ficar aqui agora, pode esperar fora, tenso da forma que está acabaria atrapalhando. 

— Certo, Leório... Obrigado. — Sorriu antes de sair do local, dessa vez ligando para Machi, ela era a única que ainda poderia colocar de volta os olhos de Chrollo.

Claramente disposta a fazer qualquer coisa para ajudar seu líder, a mesma apareceu algum tempo depois, esperando que o líder fosse liberado da mesa cirurgia.

Era agoniante esperar e imaginar todas as possíveis coisas, estava agitado, e lembrar que Hisoka foi o culpado de tudo aquilo fazia seus olhos escarlate ganharem vida por detrás da lente. Mas não adiantava mais nada se lamentar, Hisoka estava definitivamente morto, e agora tudo dependia de como o ex-líder fosse reagir.

Foram mais de seis horas de espera mas finalmente Leório avisou que havia acabado, avisando também que levaria um grande tempo de recuperação, dando espaço para Machi fazer sua parte e ligar novamente os olhos de Chrollo a suas artérias.

— Obrigada por… decidir salvar nosso chefe. — Disse Machi para Kurapika, após terminar seus 'curativos'. — Eu confesso que não tinha a intenção de o aceitar na Aranha mas, você provou ser capacitado, bem vindo a Trupe Fantasma, líder. 

Com um gesto de aceitação, a rosada saiu do andar médico, decidindo ir até Phinks, para ver se havia se livrado das cinzas de Hisoka. 

Kurapika então se dirigiu até Chrollo, acariciando seu rosto, afetivamente. 

— Eu vou cuidar de você agora… Eu espero que as feridas que estão ai dentro se curem com o tempo... Você não estar ouvindo é uma vantagem, eu posso admitir que estava errado em muitas coisas… Minha visão sobre vocês, motivar Hisoka, não se importar com as coisas que ele dizia, não enxergar que a vingança não é a melhor opção... Acho que assim como você deve pedir perdão, eu também devo, eu tinha tudo em minhas mãos, bloquear o nen de Hisoka e o matar eu poderia ter feito, afinal mesmo sendo falsa, ele também foi uma aranha. — Se culpou. — Eu poderia ter evitado, eu poderia ter admitido o que sentia, eu poderia ter ignorado a proposta de Hisoka… eu também fui culpado.

Kurapika sentiu um toque em sua mão. 

— Não se culpe, você não tem culpa de nada disso. — Chrollo ainda estava com os olhos fechados, havia acordado a algum tempo mas decidiu ficar em silêncio quando Kurapika começou a falar. — Era uma consequência desde o começo, e sua vingança era seu direito, Hisoka ter me enganado não era seu problema, e na verdade toda a culpa é unicamente minha, por ter acreditado, por ter o aceitado, por ter envolvido você e a Trupe, eu agradeço por tudo mas acho que já não sou digno de estar vivo.

— Não fique carregando tudo consigo, é difícil eu sei, mas, você não está sozinho, todos ficamos muito preocupados com você, desistir agora seria egoísmo. — Falou o loiro. — E eu sei que não é egoísta, essas feridas... vão se cicatrizar, eu quero poder ajudar se estiver em meu alcance, porque mesmo tendo péssimas experiências sobre amor, mas, eu ao contrário de Hisoka, entendo o que é esse sentimento, é ter paciência, é se preocupar, é desejar a felicidade, é cuidar, é se arrepender e admitir quando se está errado… Eu também não quero te pressionar a nada, isso não é algo que se escolhe ou muda de uma hora para outra, mas é algo que se deva pensar, e além de tudo isso, você é o criador da Trupe Fantasma, você é quem acima de tudo tem a maior voz ali, você é humano e humanos são enganados as vezes, isso não quer dizer que não tenha mais capacidade, eu posso ser o líder agora, mas a verdade é que você é a Trupe.

— Eu gostaria que realmente tivesse sido esquecido, mas está tudo gravado aqui em minha mente, eu queria te dar uma certeza, mas não a tenho, eu seria um grande peso pra você Kurapika, eu já não tenho certeza se posso ser firme como antes, sendo sincero na verdade eu não consigo, é inevitável, e seria realmente ruim para você e a Trupe Fantasma, eu gosto muito de você mas não quero que me carregue, além de tudo agora você é o líder, tem outras coisas para se preocupar, não deveria dar atenção a um peso morto.

— Eu não ligo, eu quero estar com você, se não for isso, eu vou me preocupar ainda mais, e isso daria na mesma. — Foi sincero. — Sabe, Hisoka me contava sobre você, sobre o verdadeiro você, e apesar de memorizar tudo que foi me dito, eu não conheço, eu não conheço esse de quem Hisoka tanto falava, parecia uma pessoa incrível, eu me perguntava como ele conseguia zombar disso, mas ficava quieto por achar que seria bom ver que alguém estava o fazendo sofrer, eu me arrependo disso também, então eu quero conhecer essa pessoa, o verdadeiro você.

Chrollo finalmente abriu seus olhos, vendo um borrão, qual sabia ser Kurapika. 

Tinha a plena consciência de que voltar a enxergar como antes seria impossível, por isso, não se incomodou. Kurapika já havia feito muito de procurar amenizar seu estado e ainda pedir para Machi remendar seus olhos, isso o fazia pensar em quanto estava sendo difícil para o loiro se desfazer de seu orgulho, tudo por causa de alguém como si.

Foi neste impasse que acabou aceitando ficar próximo do rapaz, de fato somente alguém com feridas poderia curar alguém com feridas.

A aceitação acabou sendo entendida por o pedido mudo de um abraço. 

— Está pronta. — O tatuador mascarado avisou, mostrando por alguns espelhos a tatuagem idêntica a de Chrollo, porém em sua nuca. 

Kurapika era oficialmente o líder da Trupe Fantasma, e a confirmação era a agora marca em sua pele.

Chrollo não podia ver nada mais que um borrão, entretanto sabia que deveria ter ficado muito bem marcada sobre a pele do rapaz. De alguma forma se pegou pensando que as tatuagens gêmeas pareciam uma confidência de que tinham alguma ligação.

— Agora você é oficialmente, meu sucessor, a cabeça da Aranha. 

— Parece que sim. — Viu Chrollo se levantar. — Eu tenho a ciência de que tudo ficará mais complicado daqui por diante, às vezes poderei acabar não voltando em alguns dias mas… Você sabe que poderá me esperar, porque não iria te deixar sozinho.

Chrollo estava passando a ter uma vida "normal", afinal por causa de sua obstruída visão não poderia roubar mais habilidades, não iria nem saber como ela poderia ser. Vivendo em Meteoro como se recusou a deixar aquele lugar, não tinha muito o que pudesse ser feito, somente ajudava o loiro em suas dúvidas por ter grande conhecimento, então Kurapika decidiu morar no mesmo lugar, ficando ausente quando tinha compromisso com a Aranha, mas Chrollo pôde descobrir algo novo. 

Ele verdadeiramente gostava de quando Kurapika voltava, mesmo sendo atormentado pelos pesadelos e lembranças de Hisoka.


Notas Finais


Enfim, decidi continuar depois de achar injusto acabar com Chrollo preso e amarrado em Hisoka enquanto passa por um período difícil de aceitação e auto-aceitação de tudo que ocorreu, e como Kurokura é meu maior OTP, queria mostrar também como será essa busca por se desfazer dos laços ruins e se ligar a Kurapika, como será o primeiro beijo, ou até a primeira noite, e é isso, provavelmente mais tarde atualizarei a capa da fic e adicionarei algumas coisas a sinopse XD

então, até o próximo O/

Bjos :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...