História Perfect Imperfection - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, G!pcamren
Exibições 2.184
Palavras 1.725
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amores <3
É com saudade e realização que eu vim postar o último capitulo de Perfect imperfection pra vocês...
Eu amo tanto essa história que se fosse por mim nunca pararia de escrever, mas enfim, espero que gostem do final <3

FOTO DO NOAH na foto <3

Capítulo 37 - Final


Fanfic / Fanfiction Perfect Imperfection - Capítulo 37 - Final

Pov. Lauren

 

A vida é engraçada né?

Eu sempre fico me perguntando o quanto o destino pode nos surpreender, como as coisas podem mudar em questão de milésimos, ou como pessoas podem entrar na nossa vida tão de repente. Baseado nas minhas experiências passadas, eu nunca fui uma pessoa que se surpreendia com a vida, talvez por eu ser um tanto monótona, ou por eu não viver totalmente a minha vida.

Eu percebi que nunca vivi, eu apenas existia.

Me lembro das poucas vezes na qual eu me sentia viva, quando eu fui aceita na faculdade, quando consegui meu primeiro emprego, quando recebi a noticia que seria mãe pela primeira vez, o nascimento de Bea. Aqueles momentos ficaram marcados na minha mente e em meu coração de forma que me fizeram viver.

Mas como tudo que é bom dura pouco...

Quando eu perdi meus movimentos todo aquele inferno pessoal pareceu piorar, meu estresse, minha vontade de viver havia sumido e mais uma vez eu me sentia um nada.

Mais uma vez eu passava a somente existir.

E as limitações me faziam cada vez mais lembrar o quanto eu era inválida.

Taylor me fazia me lembrar o quanto eu era um nada.

Eu mesmo me julgava sempre por simplesmente não poder mais viver, eu realmente achava que estava destinada a morrer daquela  forma.

Triste.

Vazia.

Sabe a dor de não poder brincar com sua filha da forma que você queria? Correndo, pulando na piscina, correndo atrás do cachorro ou simplesmente ergue-la no ar enquanto ela soltava uma gargalhada.

Eu não podia fazer aquilo com Bea.

Mas ela sempre dizia que eu era a melhor mãe que ela poderia ter.

Eu era a super-herói dela.

Isso era um dos motivos pelo qual eu não poderia desistir, por minha filha, pelo sorriso doce no rosto dela, pelo olhar de amor que ela me lançava todas as vinte ou talvez trinta vezes que eu dizia o quanto eu a amava ou até mesmo quando eu a colocava pra dormir e ela repetia todas as noites o quanto me amava e o quanto eu era boa o suficiente pra ela . Aquilo não tinha preço, eu não poderia desistir.

 

Num belo dia, eu literalmente sentia que havia acordado diferente. Não fisicamente falando, mas sabe quando você acorda e o dia parece mais ensolarado?  Quando parece que mil passarinhos verdes resolvem se passar pelos seus olhos? Foi literalmente isso que aconteceu no dia em que meus olhos se cruzaram com aquela morena pela primeira vez.

Respiração calma, sorriso de lado, olhar genuíno, eu já sabia que ela não seria uma simples pessoa que cruzaria meu caminho.

Pelo menos, eu pedi aos céus naqueles segundos em que nos olhávamos.

E foi exatamente o que aconteceu.

Camila Cabello.

A garota que resolveu simplesmente tirar férias na casa dos pais, ela mesmo deixou claro que não poderia ficar, seriam apenas férias afinal.

Estávamos terrivelmente enganadas.

Na primeira semana.

O encantamento de ambas as partes, eu nunca tinha estado com um mulher como ela, não só falando em níveis de beleza, mas com aquela mente, com aquele jeitinho, com aquela cumplicidade, com aquele olhar que me deixava tonta. Que a fazia querer a fazer minha pelo resto da minha vida.

Eu não queria outra mulher, era a ela quem eu pertencia. Então eu me mantive livre para Camila, Taylor havia saído de minha vida.

Era somente eu e ela.

Na segunda semana, eu me sentia totalmente perdida naqueles olhos, naqueles lábios, eu queria me perder naquele corpo. Mas eu também queria ser o suficiente, mesmo ela me falando todos os dias ao pé do ouvido ou com os lábios pressionados aos meus, o quanto eu era suficiente para ela. Então eu resolvi retomar minha fisioterapia, era uma batalha interna que eu estava criando dentro de mim, mas que eu resolvi quebrar todas as barreiras exclusivamente por Camila e Bea.

Na terceira semana, foi uma coisa totalmente como posso dizer... Divina? Sim com toda certeza, eu finalmente me sentia em paz, com um sentimento totalmente novo dentro de mim, um coisa tão boa que era inevitável não sorrir.

Eu estava amando, eu estava me renovando como pessoa, e a cada vez que eu recuava um passo Camila parecia me empurrar três passos a frente.

Era isso que ela fazia a todo tempo, me guiar. Não atrás de mim, mas sim ao meu lado, de mãos entrelaçadas e dizendo.

Eu estou com você!

Naquele momento tive mais um certeza.

Ela era minha de corpo, alma e coração, do jeito mais puro que alguém poderia imaginar.

Eu todos os dias depois de agradecer a Deus por ter me sustentado até aqui, da mesma forma agradecia ao anjo em forma de mulher hoje era minha esposa, e mãe de meu filho.

Mãe de meus filhos.

Olhando Camila se espreguiçar na cama totalmente sorridente enquanto Bea e Noah cantavam parabéns para ela, eu agradeci novamente aos céus por ter me dado a melhor  família que alguém poderia ter.

Engatinhei  até ela com um cupcake preparado por mim e meus bebês que levava uma pequena velinha encima, Bea soltou um gritinho beijando a bochecha de Camila e Noah se jogou nos braços da mãe.

- Feliz aniversário ao amor de nossas vidas.

Falei e ela sorriu mordendo o lábio inferior com os olhos marejados.

- Parabéns Mama!

Nossos filhos falaram e Camila sorriu beijando o rosto dos dois.

- Vocês estão me fazendo chorar de manhã cedo.

Disse ela e rimos.

Me inclinei para selar nossos lábios e entreguei o cupcake a ela.

- Faz um pedido.

Bea falou e eu sorri assentindo segurando Noah, que apesar dos dois anos de idade continuava se desequilibrando.

Camila sorriu olhando para nós e apagou a velinha.

- Eu desejo que passássemos o dia no cinema.

Falou Camila e as crianças começaram a pular na cama me fazendo rir.

- Vou me arrumar.

Bea saltou da cama me fazendo negar com a cabeça, carreguei Noah e me sentei ao lado de Camila.

- Pega pra mim amor.- Camila pediu apontando pro celular que tocava sem parar.

-Cheeee!- Berrou Camila e  logo notei que era Dinah.- Obrigadaaa, sinto sua falta, você poderia ter vindo me ver!

Ri baixinho acariciando os cabelos agora castanhos de Noah, era bem louco, pois ele nasceu loirinho e careca, agora está cabeludo como nunca.

Verifiquei meu celular vendo as ultimas notificações, sorri vendo a foto que Vero havia de postar com Ally, elas estavam em Barcelona comemorando um ano de namoro, e mais felizes que nunca.

Curti deixando um comentário óbvio.

Lauren Jauregui Cabello : “ Um dos meus casais favoritos, aproveitem bastante, amo vocês!”

Vi também no feed a foto de Ed junto a Tori com a pequena Katty.

Noah babou minha bochecha em um sinal óbvio para que eu lhe desse atenção e eu ri baixinho beijando as bochechas gordinhas do meu filho.

- NORMANI E DINAH VÃO SE CASAR MÊS QUE VEM!

Camila berrou animada e eu gargalhei.

- Estava na hora!

- Sim, estou tão feliz por nossas amigas...

Falou Camila me puxando para deitar ao seu lado, Noah logo se embolou na mãe me fazendo rir.

Ele era muito apegado a Camila.

- Eu também, está tudo em seu devido lugar.

 

 

[.....]

 

Após chegarmos em casa, depois de passarmos o dia inteirinho no shopping comemorando o aniversário de minha esposa. Estávamos eu e Camila, havíamos deixado as crianças na casa de meus sogros já que eu queria uma noite somente nossa hoje, como eu havia preparado.

 

- Está cansada?

Perguntei tirando seu casaco e ela soltou um risinho negando.

- Tenho disposição para ficar acordada a noite toda.

Falou ela e eu arqueei a sombracelha segurando sua cintura.

- Tem, é?

Perguntei deslizando a mão por sua nuca.

-Uhuh, porquê?

Sorri com a boca colada na sua.

- Eu pretendia pedir comida japonesa, namorar um pouco e te entregar outro  presente mas...

- Mas você vai me deitar nesse sofá e me foder a noite inteira, ou eu arranco seu pau fora.

Sussurrou me fazendo rir baixinho e grudar nossos lábios.

Apertei sua bunda com força enquanto ela apertava minha nuca, bagunçava meu cabelo e se pressionava ainda mais a mim. Suas mãos logo começaram a desabotoar minha camiseta social e eu apertei novamente sua bunda por baixo do vestido florido.

Aos poucos as peças foram sumindo do nosso corpo e Camila já estava encostada na parede onde eu estocava nela com força, revirei os olhos de prazer quando senti Camila mais apertada que o normal.

- Faz isso novamente.- Pedi  e ela sorriu maliciosa me fazendo estocar com força.

Ela se apertava deliciosamente fazendo minha saída de sua pequena boceta totalmente difícil e sufocada mas gostosa na mesma intensidade.

- Porra.

Gemeu quando eu a carreguei no colo e comecei a subir e desce-la em meu comprimento, seu corpo suava e podia ouvir ela murmurar palavras desconexas, mas quem disse que eu parei, com rapidez a deitei no sofá e comecei  a bombear rápido e fundo, meus golpes eram certeiros no seu ponto G, que eu conhecia muito bem.

Camila começou a tremer e gritou antes de se derramar me fazendo ver estrelas poucas estocadas depois.

Sorri beijando sua testa e me deitando no sofá, Camila trocou de posição e se deitou por cima de mim.

Foi questão de minutos até recuperarmos nossas respirações e começarmos tudo denovo. Após mais 4 orgasmos caímos exaustas na cama.

 

- Eu te amo...

Murmurou Camila contra minha boca e eu sorri abraçando seu corpo. Deixei um selinho em seus lábios.

- Eu também te amo...

- Lo... eu tinha uma coisa pra te contar.

- Conta.

Acariciei seus cabelos e ela sorriu.

- Eu meio que...parei de tomar os anticoncepcionais, e hoje transamos sem camisinha.

Falou me fazendo rir baixinho.

- Não se preocupa amor, eu compro uma pílula pra você amanhã...

-Lauren...não vai mais adiantar.

Arregalei os olhos franzindo a sombracelha

- Ai meu Deus, v..você tá grávida amor? Vamos ter outro bebê?

Ri nervosa mas feliz na mesma intensidade.

- Bem...não.

Fiz bico mas ela estava com um sorriso estranho nos lábios.

- Camila...

- Lauren, você vai ser mãe de mais dois bebês.

 

 

Porque tudo de mim,

Ama tudo em você.

Ama suas curvas e todos os seus limites,

Todas as suas perfeitas imperfeições...

 

 

 


Notas Finais


Amo vocês <3 Eu não parei okay?

Já estou escrevendo outras, uma mais antiga que é Squeeze <3 e outra mais novinha que é Scared Of Happy


OBRIGADA POR TUDO <3 Vou sentir tanta falta dessa fic, tô tão triste de ter que terminar mas enfim, até breve quem sabe? Amo vocês<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...