História Perfect Killers - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~xblackswan

Postado
Categorias Elizabeth Gillies, Jeremy Irvine, Originais
Tags Assassinos, Gay, Lésbica, Romance
Visualizações 8
Palavras 1.947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quem sumiu e nunca mais se teve noticiais? Eu mesmaaaaaaaa.
Voltando, so sorry, ser ifiana faz com que meu tempo fique pequeno e gente... Preciso manter a pouca vida que tenho fora da escola, mas enfim, aqui está o capítulo.

Capítulo 3 - Uma Festa de Formatura.. Até que normal.


Fanfic / Fanfiction Perfect Killers - Capítulo 3 - Uma Festa de Formatura.. Até que normal.

Arya P.o.V.

    Vários dias se passaram, aquela onda de fim de ano surpreendendo a gente. Uma curiosidade, acho que não falei, mas realmente temos provas, claro, não são normais e não podemos repetir de ano, mas se um aluno vai muito mal... Bem, eles tem um jeito de corrigir a gente, não queiram saber. Quanto melhor suas notas, melhor as missões que você recebe quando sai dali, não preciso nem falar daa minhas não é? Como as do Alec, as melhores.

 

Falando em sair daqui, falta só uma semana para conseguirmos, hoje já é 6 de junho, finalmente ir embora, viver... Não posso dizer que seja de todo ruim aqui, mas é horrível ter sua vida controlada dessa maneira, claro que lá fora vamos ter as missões e etc, mas nada comparado a isso aqui.


    Sobre o Henry, a gente se encontrou algumas vezes durante a semana, mas nós dois sabemos que não vai dar em nada, em uma semana não vamos mais nos ver, eu espero. Uma coisa boa vai acontecer hoje pelo menos. PARTY! Teoricamente não deveríamos fazer essas coisas, mas como as duas turmas deste ano não vacilaram muito em missões e temos um pouco da adoração dos mestres, conseguimos uma brecha, mas claro, ninguém dos outros anos pode saber para não pedir.


    Vai ser na sala de treinamento 4, eu escolhi essa das 7 porque, além de eu gostar do número, tem umas cadeiras, é só levar um sofá para lá, coisa que não vai ser difícil. A luz eu vou dar meu jeito, o Alec vai programar e colocar as músicas para tocar sincronizando as luzes com a batida, além do que, as salas de treino tem isolamento acústico e fizemos um pacto, não se pode falar sobre a festa para ninguém que não esteja lá, se eu descobrir que alguém falou, a pessoa ta fodida, porque eu mesma vou fazer ela passar o inferno.
    

Claro que nem todo mundo foi convidado, tem algumas pessoas muito indiscretas e outras, como o Kami, que iam fazer algum tipo de barraco depois de beber. Beber? Pois é, conseguimos algumas bebidas também, apesar disso os mestres não saberem, foi até fácil pegar, mas eu juro, se alguém vomitar vai limpar, não sou obrigada! E sobre ressaca, já preparei uma mistura pra isso, só espero que ninguém fique muito mal.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- Conseguiu as músicas? - Perguntei
 

- Claro, foi fácil fazer esse programa. - Alec respondeu.
 

Já estava meio tarde, eu precisava me arrumar, estava só checando os últimos detalhes. Como esperavam que tivéssemos disfarces adolescentes, nós tinhamos um ultra acesso a tecnologia, obviamente, mas nossos aparelhos eram modificados e tinha uma zona de um quilômetro em volta dos prédios da organização que evitava a localização, fazendo parecer que estavamos na Califórnia. E tinha um monte de regras chatas que não quero explicar agora.

- Arya, são 18:20, relaxa, vai ficar tudo pronto. Agora precisamos nos vestir, eu to usando a mesma roupa o dia todo, mas ainda sim to melhor que você.


    Olhei para o meu corpo, eu estava com um casaco de plumas, um colar de pérolas, botas felpudas e um vestido preto brilhante. Era bem zoado, mas fazia parte do meu personagem na aula de disfarces. Hoje a professora resolveu nos por para trabalhar em duplas, um de nós fechava os olhos, enquanto o outro escolhia roupas aleatórias, depois tinhamos que criar um personagem em 30 segundos e interpreta-lo pelo resto da aula, enquanto éramos avaliados pela nossa dupla.
 

- Você sabe que as aulas com a Sra. Hyrre são bem doidas, mas dessa vez ela se superou. - comecei a rir.
 

- Realmente, mas sua dupla tentou te foder hoje né?
 

- Pois então, verdade, mas eu dei a volta por cima. Prazer, sou Luana Sinclair, a melhor contrabandista de animais raros ja conhecida, mas não conte a ninguém. - pisquei, fazendo o sotaque estranho que tinha criado para ela.
 

- Idiota - ele começou a gargalhar e eu também.

    Ele foi para o seu quarto e eu para o meu, havíamos mexido uns pauzinhos e os dois ficavam muito próximos, eram duas portas de diferença só. Comecei a me arrumar, eu normalmente sou discreta, mas hoje eu queria causar. Peguei uma blusa que havia separado antes com o Alec, ele escolheu a minha roupa e eu a dele, foi um trato. Era um cropped cinza escuro com desenhos de Aliens em branco, um shorts jeans preto com detalhes dourados, uma meia-calça preta, um All-Stars clássico e um casaco leve todo preto.
    

Tomei um banho rápido, pus algumas jóias, passei um pouco de base, corretivo e rímel, mas só, sem nem batom e abri a porta junto com o Alec, dando um sorriso por causa do nosso timming, sempre perfeito.
 

- Vamos, rei?
 

- Depois de você, rainha.

    Eu peguei a chave da sala e abri, esperando o resto da turma, tínhamos que ser discretos e rápidos, já que alguns alunos ainda saiam para comer ou correr a noite.

- Pois então, como os reis, acho que devemos ganhar os primeiros shots. - falei
 

- Com certeza. - ele sorriu

    Cada um pegou um copo de Big Apple, fizemos aquilo de entrelaçar os braços enquanto viramos a bebida... Senti minha garganta esquentar com o álcool e ouvi as pessoas chegando, agora era só curtir.
 

Tinham diversos drinks, Big Apple com Schweppes, Vodka com energético... Por aí vai. Detonei minhas coxas de tanto dançar (claro que eu já tava bem alterada quando isso aconteceu), mas uma hora todo mundo cansou um pouco, já devia ser 1:30. O Alec diminuiu a música e colocou aquela playlist que não é tão boa para dançar, só para dar uma acalmada.

- Então, que tal jogarmos? - Henry falou.

- Ah, e o que seria? - perguntei

- Verdade ou consequência - ele deu de ombros mas eu vi o sorriso malicioso.

- Okay... Chama as pessoas ai, vou juntar o resto que quiser.

    No fim tinha umas 12 pessoas fazendo um círculo no meio da sala. Entre elas estavam eu, Alec, Henry, Catarina, e alguns outros amigos nossos.

- Eu giro primeiro, fundo da garrafa pergunta, ponta responde. - falei pegando uma garrafa de Absolut vazia.

Primeira rodada: Agatha x Gustavo

- Verdade ou consequência? - ela perguntou
- Consequência
- Mas direto para a parte boa
- Sim, sou vida louca, anda.
- É, anda logo Agatha. - Eu disse.
- Ta bom, ta bom... Vamos começar com algo simples, tira a blusa.
- Ai, queria algo mais emocionante. - ele tirou.

Segunda rodada: Gizelle x Henry

- Verdade ou consequência?
- Verdade
- Quem nessa sala tem o melhor beijo, po que você já provou?
- Arya.
- Eita, nem exitou. - todo mundo riu e eu fiquei vermelha, mas não tanto pela bebida.

Terceira rodada: Catarina x Alec

- Verdade ou consequência?
- Consequência, vamos, não me ferra.
- Ok... Da um beijo de língua na pessoa que você acha mais gostosa daqui.
- Filha de uma puta. Preciso de um shot de coragem antes. - ele falou, pegando um copo de bebida, depois fechou os olhos e foi até o Gustavo, com muita pegada, foi foda de ver.
- Uiiii - a gente falou e ele voltou para o lugar tentando não aparentar vergonha, mas o Gustavo estava sorrindo.

Quarta rodada: Daemon x eu mesma

- Verdade ou consequência?
- Consequência - vida louca eu? Não, só com medo da pergunta que eu sabia que ele faria.
- Arrepia a Catarina sem encostar na boca dela.
- Que?
- Isso mesmo, só vai.
Alguém vai morrer hoje, é sério. Fui até o lado dela e sussurrei no seu ouvido para fechar os olhos, quando ela fez eu afastei seu cabelo e joguei para o outro lado, conseguindo expor e morder o lóbulo da sua orelha, passando a  chupar seu pescoço. Senti ela estremecer e me afastei.
- Nossa gente, e ninguém esperava essas coisas dela, né? - Daemon falou e eu queria socar ele, mas comecei a rir

... (Uns minutos depois)





Décima nona rodada: Eu x Daemon

OPA, VINGANÇA, DOCE VINGANÇA.

- E aí?
- Verdade.
- Affz, amarelão - ele sorriu.
- Esperto, só.
- O que você quer dizer para a Ágatha e não tem coragem? Seja específico.
- Que eu estou gostando dela, e eu não consigo sentir mais nada beijando outras pessoas, porque a única coisa que me vem a mente é ela. - ele riu, mas estava olhando para o chão na hora de falar, eu sabia que ele queria ela. Aconteceu uma coisa muito inesperada, a menina levantou, andando a passos largos, pegou ele pela camisa e puxou para um puta beijão...
- Podia ter falado isso muito tempo atrás não é? - ela riu, abraçando ele pelo pescoço e todo mundo bateu palmas, até os dois se sentarem de mãos dadas.

- É a última. - Alec disse antes de Daemon rodar a garrafa.

Vigésima rodada: Alec x Catarina

Ah não, aaaaaa naooooooo, fodeu, não pede consequência, pelo amor de Jeová.

- Consequência

- Então, eu te desafio a levar aquela pessoa que não nota que você quer ela, para o quarto e só sair de lá ao amanhecer.

    Suspirei aliviada, e fechei os olhos, até sentir uma mão puxando a minha e me fazendo levantar, quando me dei conta, estava no perto da porta com meu amigo dizendo que ia continuar a festa e cuidar de tudo.

    Segui ela em silêncio até o quarto, seria suicídio conversar no corredor. Chegando lá, consegui ver (com a visão meio desfocada) um quarto simples, não muito arrumado, tinha uma cama de casal, umas armas na estante, e algumas roupas estavam dobradas em cima de uma cadeira, mas isso foi tudo que eu pude ver antes de ser puxada pela cintura e colocada frente a frente com a senhorita minha crush.

- Espero não ter atrapalhado você e o loiro. - ela tava falando do Henry?
- Cala a boca
- Vem calar
- Vou. - grudei meus lábios nos dela, disputando por espaço, estava muito quente ali, não só em sentido figurado.
 

Caímos na cama e ela rolou para ficar por cima, me prendendo entre as suas pernas. Eu realmente estava tonta, mas agora consegui ficar mais ainda.
 

- Isso é injusto. - falei
- Por quê? - ela perguntou
- Por causa daquele desafio, eu estou bem mais bêbada que você.
- É verdade, mas a culpa não é minha. - ela riu e se afastou um pouco.
- Realmente. - concordei
- Melhor pararmos, você não tá bem e capaz de se arrepender amanhã.
(Até parece que eu iria, mas tudo bem né)


- Aff. Cara, ta muito calor aqui, o aquecedor está ligado ou o que? - falei tirando a minha blusa, o casaco eu já tinha deixado na festa, espero que o Alec pegue ele, amo aquele casaco.

 

- Não, mas vou ligar o ar-condicionado, pera.


    Enquanto ela procurava o controle eu ia deitando na cama, que amor, se não estivesse nesse estado ia até meu quarto, mas capaz de eu cair até chegar lá, sabia que não era boa ideia virar quase uma garrafa de catuaba direto. Senti o peso dela no meu lado e seus braços envolverem minha cintura, me puxando para mais perto.
 

Era bem agradável, dava para sentir sua pele, parando para pensar acho que ela tirou a blusa também. Fechei meus olhos, sentindo o cansaço vir com tudo, a maioria das vezes que eu bebo acabo ficando sonolenta, é chato isso, escuto ela dizer algo, mas não consigo definir o que é, então caio no sono.

 


Notas Finais


Espero que gostem, logo logo postarei no Wattpad. Até outra hora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...