História Perfect Life - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Amizade, Amor, Dupla, Love, Novela, Relação, Relações, Romance, Saga, Sitcom, Sweet Celebration, Sweet Love
Visualizações 4
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - SEASON1EP09 - Pegue o pombo!


Fanfic / Fanfiction Perfect Life - Capítulo 9 - SEASON1EP09 - Pegue o pombo!

Sexta-Feira...

A 10 metros do restaurante...

Tudo bem, eu tinha esquecido meu celular no restaurante ontem a noite, provavelmente na mesa onde jantamos mesmo, o que é meio estranho. Eu estava com a mesma boína e óculos de sol, com medo de ser reconhecido por ela. Na hora de entrar, a mesma recepcionista estava lá.

— Bom dia, ainda estamos fechados, só abrimos a partir das 18h hoje.

— Pois é então, ontem eu esqueci meu celular aqui e...

— Ah, que sorte a sua, ontem encontramos um celular numa mesa aqui, nós o guardamos no escritório do gerente, se quiser eu posso te acompanhar ao escritório.

— Ah, por mim tudo bem.

O restaurante estava vazio, haviam alguns rapazes limpando o chão, mesas etc... mas nada que me incomodasse, por enquanto. A recepcionista estava no meio do restaurante, quando o gerente surgiu.

— Hey, aonde você tá indo? E quem é ele?

— Ele veio aqui ontem, foi ele que esqueceu o celular aqui e...

— Tudo bem, mas a recepção não pode ficar sozinha, volta lá que eu chamo outra pessoa pra acompanhar ele, já que eu tô meio ocupado. Ô MARIA! — Ele gritou olhando pro bar.

Ok, minha vida vive passando por altos e baixos, e agora... acho que já estou chegando ao abismo.

— Aqui, foi ele quem esqueceu o celular, você pode acompanha-lo, até meu escritório? 

— Tá tudo bem — Ela respondeu me olhando de cima a baixo.

É incrível, nem um óculos de sol e boína conseguem me disfarçar, talvez isso só funcione nos filmes. 

— Não seria mais fácil eu esperar lá fora, do que vocês me levarem até o escritório? — Perguntei tentando não olhar para ela.

— Talvez... — Ela respondeu.

Ela abriu a porta do escritório, o lugar era minúsculo, havia uma mesa no centro e um computador igualzinho ao que minha vó tinha, você sabe, daqueles com tela de tubo. Maria me deu uma caixa com 5 celulares diferentes, o meu era o único com uma capinha preta de couro. Peguei, estava prestes a abrir a porta quando.

— Você trancou a porta? Você tá louca?

— Não, você só vai sair daqui quando me pedir desculpas. Qual é, eu fui muito má com você no colegial.

— Não, nem fodendo, sorte a minha eu ter o telefone do restaurante no celular. 

Eu estava prestes a ligar para o restaurante quando ela JOGOU MEU CELULAR NA PAREDE.

— ÃN? Cê tá louca? Você é doida? Olha o que você fez, sua maluca!

— Isso mesmo, eu sou maluca!

Ela estava se aproximando de mim, como se tentasse alguma coisa. Eu, com medo, dei um tapa em seu rosto.

— Puta merda, OLHA O QUE VOCÊ ME FEZ FAZER! — Eu disse com medo.

Ela estava paralisada, não dizia nada. 

Ela me deu outro tapa, um tapa tão forte a ponto de fazer com que a marcada da sua mão ficasse em meu rosto.

— Vai me perdoar ou não?

— Quer saber? Beleza, eu te perdoo, FIM ACABOU! — Eu disse irritado.

— Não é o suficiente.

— Ô SUA VAGABUNDA ABRE ESSA MERDA! — eu gritava irritado — ABRE LOGO!

— Não me chama de vagabunda — Ela disse tirando uma faca do bolso.

— Opa opa, desculpa aí eu não queria.

Ela me beijou.

— SUA VAGABUNDA! — eu gritei — EU SOU UM CARA DE COMPROMISSO.

— Mas já é o suficiente pra mim — Ela abriu a porta.

Rapidamente saí do restaurante, com medo.

Voltei para meu apartamento, por sorte Melissa ainda estava dormindo, então corri ao banheiro para passar uma pomada que tire a marca do tapa do meu rosto. 

— Onde é que você tava? — Ela perguntou surgindo do nada.

— AH! Qual é a sua vida de fininho atrás dos outros?

— Onde, você tava? — Ela perguntou seria.

— Eu fui comprar pão, pro café.

— Ah, que bom porque eu tô faminta!

Ela mal acordou e já está faminta... Ela é magra, pra onde vai toda essa comida? 

Como sempre, preparei o café enquanto assistia tv, até que...

"A PM de São Paulo, hoje, recebeu agora a pouco imagens de uma possível agressão em um restaurante do bairro nobre da Capital de São Paulo, as imagens mostram um rapaz agredindo dando um tapa numa garota no escritório do restaurante. A garota, que prefere não se identificar diz estar abalada:

[voz distorcida com efeito] Nossa, eu tô abismada com isso.... realmente é uma situação que eu nunca vou esquecer.

— A Polícia já procura o suspeito, conhecido por Pedro Amorim, se você ver este homem, denuncie ligando no 181"

PUTA

QUE

PARIU

Quando eu falo que ela é uma vagabunda.

— Pedro que história é essa? — Melissa me perguntou.

— Calma, eu posso explicar, eu voltei pro restaurante pra pegar meu celular que eu tinha esquecido quando ela apareceu e

Ela me deu um tapa.

— DEIXA EU EXPLICAR — Disse sem paciência.

— E o que você  vai fazer? vai me agredir também?

— Depende, se você tentar me estuprar.

— Espera aí, ela tentou te estuprar? Isso é possível? Quer dizer, eu imaginava que só os homens faziam isso.

— Bem, foi quase isso. Ela me trancou no escritório e disse que só me tiraria de lá se eu perdoasse ela, bem eu acabei perdoando ela. FOI ELA quem começou tudo isso. Ai droga, que eu faço agora?

— Já sei — Melissa disse — O primo do amigo do vizinho to tio do meu pai é advogado, talvez ele te ajude nisso.

— Ótimo, ótimo! É o suficiente.

Toc-Toc-Toc

Abri a porta, haviam dois policias, um gordão e um magro, um policial bom e um mal.

— Você é o Pedro? — O gordo perguntou.

— Sim, e antes de mais nada, eu quero fazer uma ligação, vou chamar meu adv

— Cara, do que você tá falando? Nós viemos aqui pra te dar uma recompensa. Você nos ajudou a encontrar a Maria, uma das criminosas mais procuradas do pais

— É cara — O policial magro disse — Ela foi acusada de assassinato, zoofilia, pedofilia, e por estrangular mais de 4 pessoas com uma cobra morta. Bem, meus parabéns cara, aqui está..

Ele me entregou uma maleta com dinheiro, então saiu.

Eu fui até a cozinha com Melissa, abri a maleta e...

APROXIMADAMENTE 250 MIL EM DINHEIRO MEU CHAPA!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...