História Perfect Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Karol Sevilla, Luna Valente, Matteo, Ruggero Pasquarelli
Tags Karolsevilla, Ruggeropasquarelli, Soyluna
Exibições 94
Palavras 1.259
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Poesias, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demoraaaa, apenas consigo escrever com músicas fortes (de amor) e é meio difícil de encontrar e outro lado é preguiça mas aqui está! Boa leitura a todas (o)

Capítulo 5 - Siempre juego con mis reglas, hoy ya no


              Uma semana depois


               Ruggero Pasquarelli


  Uma semana sem sentir seu maravilhoso perfume, sem ver seu lindo sorriso que me anima todos os dias, sem ver aqueles olhos verdes que me encantaram no primeiro dia e me encanta a cada dia mais até hoje. Estou na Itália, a trabalho, e matando a saudade da minha família, mas queria mesmo que minha morena dos olhos verdes estivesse aqui, se divertindo comigo e com minha família, seria outra atmosfera. Engraçado chama-la assim, até parece que namoramos porém ainda somos melhores amigos, ainda namoro Candelaria, que ficou em Argentina por contactarnos do Fans en Vivo que a mesma apresenta. Agora estou no quarto com meu irmão, Leonado, que tanto senti saudades, sai do transe com ele me chamando...

 

— Ruggero???? Estou te chamando a horas – Falou estalando os dedos em frente aos meus olhos.

— Estou aqui, o que foi?

— Está tão fasinado, falando "morena" o tempo todo.

— Que? Sério? Desculpa cara, tava em outro mundo.

— Te juro que nem percebi... – Ri baixo 

— Passa o violão por favor? Estou afim de cantar 

— Pensando na morena?

— Talvez... – Ele pegou e eu pensei numa música, tudo que veio na cabeça foi On Purpose, da Sabrina, desde que gravamos com ela, que no caso é um amor de pessoa, essa música não saiu da minha cabeça.


Your eyes
Crashin' into my eyes
Was I accidentally falling in love
Your words
Didn't mean to hear but heard
Were coincidentally more than enough

All these days I never thought
That I would need someone so much
Who knew?
But I don't think I ever planned
For this helpless circumstance
With you

You're scared, I'm nervous
But I guess that we did it on purpose
On purpose, on purpose
Baby, I know it's weird, but it's worth it
Cause I guess that we did it on purpose
On purpose, on purpose
But I guess that we did it on purpose
But I guess that we did it on purpose

My dreams running into your dreams
It's as if we wished on the same star
And my time changing all of your time
It's a butterfly effect on my heart

All these days I never thought
That I would need someone so much
Who knew?
But I don't think I ever planned
For this helpless circumstance
With you
Oh, woah

You're scared, I'm nervous
But I guess that we did it on purpose
On purpose, on purpose
Baby, I know it's weird, but it's worth it
Cause I guess that we did it on purpose
On purpose, on purpose
On purpose
But I guess that we did it on purpose
But I guess that we did it on purpose

Lost in darkness
You're my focus
Love me hopeless
But I guess that we did it on purpose
Lost in darkness
You're my focus
Love me hopeless
Oh, you're scared

You're scared, I'm nervous
But I guess that we did it on purpose
On purpose, on purpose
Baby, I know it's weird, but it's worth it
Cause I guess that we did it on purpose
On purpose, on purpose

Lost in darkness
You're my focus
Love me hopeless
But I guess that we did it on purpose
Lost in darkness
You're my focus
Love me hopeless

But I guess that we did it on purpose


Toquei com coração, e violão, com alma, e tentando esquecer que estamos distantes. Meu irmão me acompanhou em cada nota, palavra, letra, eu sei, eu sei que ele sentiu o que eu estava transmitindo, que era amor, e saudade.

 

— Nada mal, carinha – Falei batendo em seu ombro.

— Você não é o único artista da família não viu, Ruggero. – Ele falou em meio de risadas e o acompanhei, eu realmente precisava dele, está sendo enquanto estou aqui, de férias. Todos do elenco tiraram férias de 2 semanas para matar saudade da família, que sempre é bom e deixa gosto de quero mais. Coloquei o violão no lado da cama e deixei, apaguei literalmente.


Dia seguinte


Karol Sevilla


Acordei, feliz e animada, estou na Itália, primeira vez sozinha, não literalmente, mas primeira vez com a minha família, sem tempo contado, sem avisos no celular, sem o mesmo está apitando até explodir de mensagens de Aldana e Ceci avisando que teria entrevistas, sessões de fotos e esses tipos de coisa. Não que eu não goste, mas na última vez que vim, que no caso foi a primeira, foi exatamente o que acabei de falar, mal pudi aproveitar a 8° maravilha do mundo chamada Itália, mas agora posso, ao lado das pessoas que mais amo. Confesso que estou com saudades de Rugge, ele viajou e acabou não avisando aonde ia, acredito que para casa dos pais, ou viajado para outro lugar com os mesmos, que sinceramente? Adoraria conhecer, pelo que ouvi o italiano tanto falar, eles são uns amores e amam conhecer gente nova, principalmente amigos de Rugge que ainda não conheceram.


 — Um passarinho me contou que um tal de Ruggero Pasquarelli está passando as férias com sua família em um lugar chamado... como é mesmo? – Revirei os olhos quando ela falou isso – Ah, Itália! – Ela riu e segui ela.

— Primeiro como você entrou no meu quarto, senhorita?

— Falei com sua mãe e ela me emprestou o cartão dela, que conhecidencia, abre seu quarto também!

— Ela pediu esse direito na recepção

— Foi o que eu pensei... – Ela fez cara de pensativa, lá vem com suas idéias malucas — Será que esse destino está conspirando ao seu lado para que encontre Ruggero?

— Suas ideais são malucas ou você mesmo que é?

— Acredito que os dois! – Ela falou e joguei um travesseiro na cara dela, que em seguida, riu.

— Deixa disso, estou aqui a dois dias e não o encontrei.

— Ainda temos uma semana, Karolzita! Tudo pode acontecer

— Como ainda sou sua amiga, Martinez?

— Primeiro, por que eu sou a melhor e segundo por que por mais que você negue, você me ama, Sevilla!

— Infelizmente sim – Falei levantando e indo até o closet que tinha no quarto do hotel e não, não sei por que tinha um closet, apenas tem.

— Aproveitando que você está aí, pegue uma roupa linda e confortável, vamos dar uma gira na linda Itália.

— Estou doida para conhecer essas praças e lojas de uma reta que você tanto fala, quando eu e o Ruggero estivemos aqui não tínhamos tempo de nada.

— Agora você tem pois veio a férias e nao trabalho, vou lhe esperar lá embaixo, por favor não demore! Beijos KS.

— Mais que você, claramente não.

— Idiota

— Beijos, KM.

  

Vesti um vestido florido rosado e rodado, com sapatilha e cabelo solto, já que passaríamos o dia todo na rua. Desci e a ruiva mais linda estava lá, também de vestido, coisa que ela mais ama na vida. Pegamos um táxi e paramos em frente à essas lojas que ela tanto falou no avião e chegada aqui.


Estou literalmente encantada, é lindo apesar de ser uma reta cheia de lojas ao lado, a vista da frente é linda, a ruiva tinha razão, é uma perdição aqui


— Não precisa falar nada, eu sei que aqui é demais!

— Literalmente. Até que você tinha razão Martinez, aqui é lindo.

— Aqui é Itália! – Ela me puxou pela mão e nossa tarde foi assim, loja em loja, comprando cada peça de roupa mais linda que a outra. Se fosse em Argentina, Katja me puxando assim, com certeza eu iria reclamar, mas não, estou amando, literalmente.


[...]


Ja está no por do sol, e é literalmente a 8° maravilha do mundo, tudo lindo e perfeito, cada coisa. Kati e eu estamos sentada no banco de uma praça, onde um cara está tocando piano na vista dessa perfeição de Deus. Nos levantamos para ir embora até que avisto uma pessoa pegando uma sacola que deixou cair. Quando o mesmo olhou reto, não pude acreditar, paralisei, nada me tirava do lugar, pois depois de semanas, ele estava na minha frente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e nunca se esqueçam de comentar e favoritar pois é muito importante!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...