História Perfect Man - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bangtan Boys, Jungkook
Exibições 19
Palavras 1.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Favoritem e comentes se gostarem e me desculpa a demora mais uma vez.

Capítulo 5 - Capítulo 4


Eu estava completamente bobo, não podia deixar de pensar que Angel não era só um corpinho bonito, tudo nela era lindo, tudo. Eu odiava os finais dos desfiles, era sempre a mesma coisa chata, falavam o nome de todas as marcas e pessoas que nos patrocinavam, homenageavam quase todos os funcionários, isso era realmente chato.

- E Park Jimin, o dona da ParlModel- disse a moça de cabelos cachados no palco, sempre deixavam meu nome por ultimo, por isso eu sempre tinha que ficar até o final, levantei da minha cadeira e acenei aos publicitários, me reverenciei e sai em seguida, tinha que encontrar Angel antes que ela fosse em bora, tinha que entregar a ela um presente dos designers, eles deram esse presente para todas as outras, mais disse que o dela eu mesmo daria.

Cheguei a frente da porta do camarim de Angel, segurando a maçaneta, queria fazer uma surpresa para ela, carregava em minhas mãos, o cheque avaliado em cinco mil reais, era um presente do design para ela já que havia tido um bom rendimento o desfile, abri lentamente a porta e vi ela olhando para fora da janela parecendo ver algo muito bonito do lado de fora, pude ver ela sorrindo com sigo mesma, devia estar feliz.
- Posso entrar?- bati na porta mesmo já tendo entrado, não queria assusta-la.
- Claro- falou assim que me viu.
- O que você estava olhando?
- É que é tudo tão diferente- acho que eu estava bobo a admirando, caminhei até ela e fiquei ao seu lado, era uma vista bonita- tão bonito- acho que eu estava apaixonado.

- É realmente lindo- me olhou assentindo. - Ah, um presentinho pra você. - dei o cheque a ela, que me olhou meio incrédula.

- Mais tudo isso?

- Pelo visto estão gostando do seu trabalho não é mesmo?- sorri pra ela vendo ela me retribuir com um sorriso, o mais lindo que eu já havia visto.

- Nem sei como agradecer- bom eu poderia dizer a ela como me retribuir.

- Não se preocupe com isso, como eu disse isto é um presente. - ela sorriu novamente e se curvou, saindo de perto da janela, pegou seu casaco que estava estirado na bancada e sumiu de minhas vistas, sorri de lado.

Girei a enguiçam do carro, saindo do estacionamento, estava realmente cheio de carros, me impressionava as pessoas ainda não terem ido em bora, bastou somente eu virar a esquina e ver Angel caminhando sozinha, de ombros erguidos e olhando para baixo, parecia com medo, me dava vontade de protege-la.

- Devia parar de andar sozinha á noite- falei chamando sua atenção para mim. – vamos, entra aí. -Ela deu a volta no carro e abriu a porta do carona entrando em seguida. Dei mais uma vez a partida no carro. - Você ta se saindo melhor do que eu esperava, todos estão te adorando.

Ela sorriu envergonhada. Passamos o resto do caminho em silêncio, ela observava as ruas pela janela,  ela ficava ainda mais convidativa olhando para fora, estacionei na sua casinha. - Obrigada pela carona Jimin, até mais!

Ela abriu a porta e saiu, fechei os olhos e pensei muito bem no que eu iria fazer, eu queria me segurar mais se eu não fizesse o que eu vinha pensando desde que a conhecia, bom, eu não o faria nunca mais. Abri a porta do carro, antes que ela abrisse o portãozinho, virou-se em minha direção e parou, fui até ela.

- Seria muita idiotice... - parei um minuto-... Se eu te beijasse agora?

Ela ficou me olhando, como se pudesse enxergar algo dentro dos meus olhos, talvez ela visse o desejo nas minhas órbitas escuras, não pude mais me conter, aproximei meu rosto do dela vendo o peito de Angel subir e descer apressadamente selei nossos lábios, ela estava completamente paralisada mais eu não desistiria, forcei minha língua contra seus dentes, não queria que ela me entendesse mal, eu estava planejando ser doce e não assusta-la; mais ela não estava me dando muito opção. Finalmente ela me cedeu espaço e com certo receio da parte dela, finalmente estávamos no beijando, segurei seu pescoço com delicadeza apenas para ditar o ritmo do beijo, com minha mão livre segurei em sua cintura. Céus, eu poderia beija-la a noite toda, ela não era como qualquer outra mulher que eu tenha ficado, ela tinha um gosto tão doce, terminei o beijo deixando alguns celares em sua boca, ela não abriu os olhos imediatamente, parecia que não queria me ver ali.

- Angel, abra os olhos- forçou suas pálpebras mais ainda não abriu os olhos- por favor, me diz que eu não estou me apaixonando sozinho- minhas palavras logo foram ouvidas por ela, que abriu os olhos alarmada – Angel, eu gosto de você, e o que eu faço? Diga-me o que eu devo fazer?! – falei impaciente, ela ainda não havia falado nada, eu sabia, tudo era um erro, eu sofreria no final,” eu agora eu não sabia o que fazer eu nunca havia sido rejeitado, talvez eu estivesse quase surtando porque nunca tive esse vazio no estomago quando vejo alguém, nem vontade de proteger alguém que parece com medo, nem vontade de sorrir junto com ninguém.

- Eu não sei...

- Eu gosto de você Angel, o que eu faço agora?!

- Eu também- alterou sua voz- eu também gosto de você, e o que eu faço?- me perguntou, não sabia o que falar, era primeira vez que eu me sentia confuso.

A beijei novamente, ele havia dito que gostava de mim não via motivos para não o fazes, segurei seu pescoço com cuidado, ela retribuía mais não mexia suas mãos, eu queria cuidar dela, como minha própria vida. Não lembrava o quão bonito era gostar de alguém, principalmente alguém como ela, que parecia tão frágil, e desprovida de como era a vida real.

Eu explorava cada canto da sua boca, me sentia feliz por ela não me dizer não como eu pensei que diria a minutos atrás, terminei o beijo pela falta de ar.

- Eu preciso ir- falou com um sorriso amarelo.

-  Boa noite Angel- ela já ia saindo quando comecei a falar- e tenho uma pergunta- ela me encarou um pouco boba com a situação- será... Que eu estou apaixonado por você?

 


Notas Finais


Comentem e favoritem se gostarem, prometo atualizar com mais frequência.
Mas, o que acharam, fico bom?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...