História Perfect Poison - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Chrollo Lucilfer, Feitan, Hisoka, Kalluto Zoldyck, Kortopi, Machi, Phinks, Shalnark, Shizuku
Tags Feitan, Genei Ryodan, Hisoka, Hunter X Hunter, Kalluto, Machi, Romance, Shuzuku
Exibições 26
Palavras 975
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura^^

Capítulo 5 - A culpa é do álcool?


Fanfic / Fanfiction Perfect Poison - Capítulo 5 - A culpa é do álcool?

Kalluto abriu os olhos para olhar para Feitan. Seu cérebro tinha parado de funcionar. Isso não tinha acontecido. Feitan olhou para ela com olhos suaves por um momento antes de mergulhar de volta, apenas com mais força desta vez. Kalluto descansou as mãos em seus ombros e antes que ela percebesse, Feitan a prendeu com os braços, e a abraçou forte contra ele.

Feitan lambeu o lábio inferior fazendo Kalluto abrir a boca com um pequeno suspiro, que Feitan usou a seu favor. Abriu os lábios de Kalluto com a língua e tocou sua boca por dentro. Kalluto sentiu um barulho involuntário escapar dela, em algum lugar entre um suspiro e um gemido, que só parecia revigorar Fei. Ela sentiu sua língua lamber mais longe em sua boca e girar em torno de sua própria. A boca de Feitan tinha gosto de tequila.

De repente, Feitan se afastou e começou a atacar o pescoço. Beliscar, morder, chupar, lamber. Suas mãos, que estavam prendendo Kalluto contra si, viajaram para suas pernas sorrateiramente por debaixo de seu yukata, enviando arrepios através de sua pele.

- Fei, você... ah-

Os pensamentos de Kalluto foram interrompidos por um gemido quando a mão de Feitan roçou por de baixo da alça de sua calcinha. Ele deve ter notado a sua reação, porque ele se afastou para olhar para a expressão de Kalluto, quando ele fez isso novamente.
Kalluto engasgou novamente e, constrangido com Fei observando-a, inclinou-se para  beijá-lo.

 Ela se afastou para tentar falar de novo, mas Feitan usou a chance para  começar a atacar o pescoço de novo e começou a mover-se para a clavícula, o que tornava difícil de pensar, muito menos falar.

- Fei, eu- - ele parou de falar abruptamente para trazer de volta um gemido quando Fei afastou um pouco o yukata e timidamente lambeu seu mamilo. Ele olhou para os olhos de Kalluto e lentamente rodou sua língua ao redor do botão de rosa. Foi demais para Kalluto, que de repente percebeu que tinha sido lentamente provocada por Feitan. Ela engasgou quando Feitan mordeu de repente, e afastou-se, incapaz de se controlar.

 - Fei - espera-

- Tire suas roupas. - Fei rosnou. Foi a primeira coisa que Fei disse, e enviou pontada de excitação para seu intestino.

- Fei, é você? Tem certeza... - Kalluto respirava, mas Feitan já estava desfazendo o laço de seu obi e tirando com pressa seu yukata. Feitan inclinou-se para trás e olhou para o corpo de Kalluto com um olhar faminto em seus olhos.

- Baichi... - ele suspirou, mas soou mais como a apreciação do que qualquer outra coisa. Ele voltou a beijar Kalluto e elas sentiu as mãos trilhar até o peito para rolar suavemente emseu mamilo novamente. Ela gemeu na boca de Feitan, e sentiu outra mão de Feitan para baixo as alças de sua calcinha, ameaçando tirá-las. Ela engasgou, sua boca se abriu, e Feitan afastou-se para olhar para o seu rosto.

De repente Fei se inclinou, e ela sentiu o hálito quente em seu ouvido.

- Baichi. - ele queixou-se - Quero te provar.

O rosto de Kalluto se tornou vermelho, e ela o empurrou com mais urgência. 

- Fei... Oh, meu Deus.

- Eu posso? Eu posso provar? - ele sussurrou. Ele parecia muito mais tranquilo do que Kalluto sentia, mas era diferente Fei  pedir permissão para qualquer coisa. E também estava ridiculamente quente.

 - Fei... Sim, você p-pode ter o que quiser...

Feitan riu levemente com isso, e de repente ele estava ajoelhado entre as pernas de Kalluto, puxando o que sobrou de roupa. Kalluto levantou-se um pouco para ajudar. Fei puxou a calcinha para baixo, seguido por suas meias.

Ele afastou lentamente suas pernas, dando a primeira lambida em sua intimidade. Kalluto gemeu com os olhos fechados, incentivando-o a continuar.

- Oh meu Deus...

Era demais. Ela não poderia mesmo terminar uma frase, e foi levando tudo o que tinha para um impulso incontrolável na boca de Feitan. Um embaraçosamente curto período de tempo mais tarde, ele sentiu o enrolamento familiarizado em seu intestino.

- Fei... Eu... - ela disse ofegante. Feitan parecia entendê-la, mas apenas continuou a  passar a língua mais rápido e como ele estava fazendo que com sua língua?

Antes que ela tivesse a chance de refletir sobre isto, ela estava chegando ao ápice na boca de Feitan. Ela vagamente ouviu-se gemer o nome de Feitan. Feitan lambendo-a através de seu primeiro orgasmo e, em seguida, engoliu até a última gota do liquido antes de se retirar e sorrindo para o rosto de  Kalluto.

Alguns segundos depois, ela recuperou a capacidade de pensar, e olhou para seu amigo por quase um segundo antes de entrelaçar suas pernas no tronco de Feitan, e desajeitadamente o beijar. Feitan segurou Kalluto pelo quadril e a deitou na cama.

Feitan beijou de volta através de um sorriso. 

- Que bom, hein?

Em resposta, Kalluto apenas beijou-o novamente. Sentia-se tão calma e tonta, preguiçosamente beijando Feitan, até sentir Feitan retirar sua calça. Pensar em ver o rosto do amigo a fez ficar mais corada do que estava, e o beijo se tornou com mais fervor.
Agora, totalmente nu, ele acomodou quase todo seu peso contra Kalluto. E entrou nela sem nenhuma delicadeza e estocando-la da mesma forma, mesmo tendo consciencia de estar sendo sua primeira vez.

- Feitan! 

Agora já invadida pelo prazer, ela não pôde reprimir o gemido alto vindo de dentro dela. Feitan baixou-se para beijá-la e, então, para mordiscar o lóbulo da orelha. Um suspiro alto saiu de Kalluto, Feitan gostou. Estimulado, Feitan atacou novamente seu pescoço, mordendo e o lambendo, parando apenas para respirar.

- Fe-Fei-Feitan... - Kalluto disse ofegante, antes de ter um segundo orgasmo.

A última coisa que se lembrava antes de desmaiar era que a janela ainda deve estar aberta. Droga, estava muito frio.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...