História Perfeição - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Eren Jaeger, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Levi, Mikasa, Mikasa X Levi, Rivamika
Visualizações 67
Palavras 951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Vim aqui pedir a todos minhas sinceras desculpas pela demora, mas... aqui estou eu com o novo capítulo. Espero que gostem!

Capítulo 19 - ❉⊰Midle - Let her go ❉⊰


Fanfic / Fanfiction Perfeição - Capítulo 19 - ❉⊰Midle - Let her go ❉⊰

 ╔═════ ❖ ═════╗ 

Let her go:

 ╚═════ ❖ ═════╝ 

Com as mãos suando de nervosismo, Mikasa levanta da carteira bruscamente e se põe a arrumar o material.

-O que está fazendo Ackerman? 

- Indo embora.

- Sabe que o castigo mal começou, quanto mais acabou.

- Espera que eu fique aqui com um professor que fala coisas com uma conotação sexual para a aluna que não tem interesse nele?

- Assim você ofende. Não tem dó não? - Fala brincando.

- Quem tem dó é piano, eu estou pouco me fudendo. 

- Continua com a língua afiada, cuidado. Talvez para você aprender a lição eu tenha que aumentar mais uma hora da detenção. - Comenta enquanto a garota asiática posicionava a mochila em suas costas. 

Quando a mesma ia pôr a mão na maçaneta para abrir a porta, Levi puxa a outra mão da mulher, trazendo a garota para mais perto de si.

A verdade é que ele não podia deixar ela ir. Sentia que se ela pusesse os pés pra fora daquela sala ele nunca mais teria a chance de tê-la. Estava tão enamorado e necessitado dela. A feição da mesma era como uma droga viciante, não importava se estava triste, sorrindo ou sem expressão. Apenas a queria e queria mais. Mais a cada vez que a via.

Num gesto bruto, ele a põe mais uma vez contra a parede e beija seu pescoço. Trilhando um caminho com essas carícias do queixo e se aproximando mais a cada momento da região dos seios da mesma.

Mikasa não queria pára-lo, embora sentisse que devia. Estava rubra e seu coração palpitava forte entregando o jogo para o pedagogo, que parando perto de seu destino final, afasta seu rosto e diz:

-Parece que seus sentimentos não condizem com suas ações.

- Cale a boca. - disse virando a cabeça para esconder a vermelhidão.

Levi faz novamente a trilha de beijos enquanto a Ackerman se recusava a soltar qualquer ruído. Ele a queria falando seu nome e pedindo por mais, como se fosse o único capaz de satisfazer ela. 

 O Ackerman também aproveita o clima do momento e permite a si mesmo passar as mãos pela a estrutura daquele corpo perfeito e convidativo em sua visão. Ele passeia pelas coxas, a bunda, cintura e finalmente sobe mais um pouco, apertando os seios da garota, que contra sua vontade havia arfado e logo depois teve sua boca preenchida pela língua do professor que a explorava. 

 - Parece que está gostando. - Levi diz tirando sua mão daquele local, parando o beijo e olhando para o relógio de pulso. - Mas infelizmente nosso horário acabou. 

 Espanto, isso descrevia o que a asiática sentia. E como sentia, afinal como em sã consciência alguém faria aquilo? A culpa foi dela por ter se entregado. Mas ele era irresistível e também provocativo, em ambos os sentidos, por isso era impossível dar ao mesmo um não. 

 Como nas outras vezes, Levi se retira do local em que a garota que despertava seu interesse estava. Era mesmo um fujão, Mikasa pensava brincando ainda surpresa. 

 O mesmo não conseguia tirar um sorriso bobo do rosto que expressava um "venci". Infelizmente havia vencido apenas a batalha e não a guerra porque a morena de pele alva não desistiria de sua pose de durona tão fácil assim. 

 Ainda havia tempo, para ser exato uma semana antes do casamento da Ackerman com Eren Jaeger, tempo o suficiente para que os dois "amantes" frios pudessem desenvolver um grande e inegável afeto. Bastava que não surgissem obstáculos e o futuro com um relacionamento estaria garantido, mas como nem tudo pode ser como queremos talvez o destino desse um jeito de ferra-los, como sempre. 

Mantendo passadas constantes Levi Ackerman se encaminha direto para seu carro, entrando no mesmo e dando partida. 

 Ele não era tão firme como todos pensavam e por conta disso permitiu-se deixar corar e o coração disparar dentro do veículo. Pensamentos o invadiam e o deixavam tonto, porém continuava com a visão firme na estrada. Ele admitia e se arrependia de ter fraquejado na hora de torná-la complemente sua, mesmo estando com tesão naquele ponto, mas passado é passado e nada poderia ser feito agora.

De uma hora para outra o moreno já estava no seu apartamento e apesar de cansado se recusava a jogar-se no sofá, pois não queria contaminar o ambiente com a sujeira que havia trazido de fora. Assim, para evitar a infectação de sua casa ele não hesitou em tomar seu banho e após acabar vestir uma cueca box preta e finalmente se jogar na sua cama. Onde dormiu sem se tapar já que estava calor e ele não fazia questão de ligar o ar condicionado.

Enquanto isso, ao contrário do pedagogo, Mikasa não se aguentava de calor e por isso havia ligado o aparelho que por sinal era uma forma bem cara de resfriar o ambiente.

Ela vestia uma regata folgada branca que caia como vestido e prendia os cabelos num coque, até que se encaminhou ao banheiro e finalmente fez a loucura de se livrar do peso morto que eram seus longos fios escuros como a noite. 

Podia não ser uma profissional naquilo, mas havia ficado bom. Realmente bom ao ponto dela não acreditar que tinha sido ela mesma a cortar os cabelos que antes batiam na bunda e agora estavam daquela maneira na altura dos ombros. 

Agora surgia o novo trabalho de limpar toda aquela sujeira esparramada no chão e que incomodava a sola dos pés descalços. Era muita preguiça para pouca vontade.

Com muito esforço ela tirou cada fio largado pelo cômodo e os jogou fora sem hesitação como na hora de cortá-los.

Finalmente havia se libertado. Esse seria o primeiro de muitos passos até que sua máscara caísse diante de todos.




Notas Finais


Obrigada por terem lido! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...