História Perfeito - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Lemon, Romance, Sadomasoquismo, Sexo, Shonen-ai, Tragedia, Violencia, Yaoi
Visualizações 6
Palavras 2.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olar!! \o/ *desvia das pedras*
Okay, desculpas pela demora QwQ ,eu fui para Sampa e acabei escrevendo em um pendrive, e achei que tinha esquecido em Sampa quando achei no meio dos meus mangás ele mesmo fazendo a egípcia!
Tive que estuda bastante pra esse cap,pois quero que tudo seja mais real,então tive que fazer uma pesquise do mapa de metro de Toronto!(sim eles moram em Toronto meu amô!), pesquisei onde eles morariam etc,mas mano! que saco achar um lugar onde tenha metro e não seja no centro da cidade!
Então é isso! Até o final!!

Capítulo 4 - Desconhecidos


Fanfic / Fanfiction Perfeito - Capítulo 4 - Desconhecidos

--POV Daniel on --

   Quando saímos da escola  fui direto para a estação,estava preocupado com a minha mãe,tinha a deixado mais de 15 horas sozinha.Entrei no trem junto a algumas pessoas assim que ele chegou e como estava meio vazio tinha até conseguido um lugar para sentar.

    Chegando no prédio já fui subindo as escadas.

    Enquanto subia as escadas do apartamento meu por pura agonia e medo, eu poderia encontra la já morta,como poderia vela fritando um bife acebolado delicioso que ela fazia.Continuei até chegar ao meu andar,segui pelo corredor até chegar a porta do apartamento,respirei fundo e entrei já chamando por ela e recebendo uma pequena voz que declarava sofrimento me respondendo,corri até a sala da onde vinha a voz e a vi no sofá com a cara pálida,a peguei no colo e desci as escadas meio apressado porem cauteloso,quando cheguei no térreo me xinguei por dentro por não ter ligado para a uma ambulância ou algo do tipo,mas ai me lembrei e ri fraco : aqui a ambulância é paga e eu não tenho dinheiro pra isso.Deixei-a encostada na parede e peguei meu celular rapidamente abrindo o Uber. Em seguida e já pedindo um carro, peguei de novo no colo e indo para frente do prédio.

Esperamos alguns minutos e logo o carro já parou na nossa frente confirmamos tudo e ele acelerou de imediato quando contei o que estava acontecendo. Quando chegamos ao hospital já peguei a carteirinha do convenio. – A única coisa que aquele desgraçado pagava para nós. - Expliquei a situação para a mulher que nos atendia, e logo eu me encontrava na recepção esperando desesperadamente por informações que talvez eu não fosse querer receber.

--POV Lucas on--

    Já estava no metro voltando para casa quando recebo uma mensagem do meu chefe falando que um dos dançarinos não viria e que se possível eu poderia cobrir o turno dele ganhando uma grana extra com isso. - O que claro não foi recusado. -Expliquei para ele que iria para casa primeiro e logo iria voltar para a boate.

    Quando cheguei ao apartamento me deparei com a idosa tagarela,obviamente querendo saber onde estava nesses dias,falei que tinha pegado horas extras para poder fazer uma pequena reforma no apartamento,e no final da conversa ainda ganhei uma pequena marmita que meu Axabrás!Estava com um cheiro maravilhoso, puta comida de veia sempre é boa né.Chegando no meu cafofo já coloquei a marmita no micro-ondas e peguei meu cachimbo já jogando um pouco de erva dentro,acendi e puxei um pouco já sentindo um peso enorme esvaziar de mim,fui para o banheiro  e liguei o chuveiro procurando a temperatura certa,deixei o ligado e comecei a tirar a roupa,a cada peça tirada uma tragada maravilhoso,quando já estava nu fui para debaixo da água morna que junto a maconha me faziam relaxar e pensar que isso era muito melhor que uma transa comum.

    Depois de lavado fechei novamente e coloquei já a minha roupa de serviço por debaixo da roupa simples e comum que usava no dia a dia, coloquei tudo prono na minha mochila comi a marmita de macarrão com frango assado e salada, escovei os dentes e sai do prédio, prossegui pelo caminho normalmente até chegar na boate, entrei pelos fundo e tirei a roupa de pessoa normal pendurando a no meu armário,coloquei a mascara e me alonguei indo em direção a porta onde Mery me barrou :

-Viada você chegou a tempo, tem uma multidão lá fora puta por não ter ninguém lá pole!E bom hoje é a minha folga então, meio que...

-Você vai me largar aqui!?- Disse indignado, porém divertido, ela riu e me deu um beijo na bochecha e saiu pela porta que eu tinha acabado de entrar, dando pra ver ela fresta o seu “namorado” pegando pelo seu pulso fortemente e a puxando, me senti fraco, pois sabia que perderia para aquele brutamonte, e eu não poderia fazer nada além de vê-la definhar nas mãos daquele monstro.

Tentei ignorar o fato e entrei na boate indo direto para o bar, peguei uma vodka e bebi de uma vez indo depois direto para o meu palco, recebendo vários gritos de comemoração por eu ter chegado, sorri de canto e me deixar ser levado pelas batidas e toques, fiz alguns Phoenix* e, funky monkey* depois da primeira musica acabar tentei fazer menos movimentos que precisavam de muito esforço.

Deixei meus pensamentos vagarem enquanto fazia um Lean Back* junto a alguns movimentos de mãos, fechei meus olhos e deixei meu corpo fazer o que quisesse. Fiquei me perguntando o porquê de tudo isso, Mery poderia falar um basta para tudo isso e ir embora, terminar seu curso de psicologia e vazar, não precisaria nem me avisar, ela poderia deixar só uma mensagem escrito “vazei” que eu saberia que tudo ia acabar bem... Aquele “namorado” era perfeito demais, e com as catorze razões perderia sua TeddyBear*, o que deveria acontecer,mas por medo ela não vai. Eu diria que ela é burra, mas também não tenho muito direito de falar isso... Se não fosse tão teimoso estaria num luxo consideravelmente grande comparando com o que eu vivo hoje em dia, teria saúde e coisas do tipo, mas não sou de abaixar a cabeça para qualquer um, principalmente meus avós... Se eu larga-se a escola “ruim”, minha querida maconha, e meus sonhos tão distantes e tão idiotas, o meu eu, estaria com eles vivendo consideravelmente bem,Mery sempre fala para mim largar tudo e abandonar essas coisas “triviais”... Hehe, somos dois cabeças duras tentando falar o que não entendem.

Quando abri meus olhos já estava fazendo um Blade* , respirei fundo e tombei minha cabeça para trás e me deparei com aquele garoto da noite passada me encarando,sorri para ele e voltei para o chão fingindo andar sob o nada, quando a musica acabou olhei para a platéia que aplaudia e gritava por mais,olhei para a ala do meu chefe e ele estava me aplaudindo, puxei uma quantidade grande de ar para os meus pulmões e voltei a dançar mais sensualmente e sorrindo travessamente para todos, recebendo mais gritos e obviamente dinheiro.

Depois de mais uma musica desci do palco e fui para o bar pedir somente uma água, chegando lá percebi que o garoto ainda estava me olhando,devolvi o olhar e sorri para ele, porém ele não sorriu de volta,  apenas deu um gole na sua bebida e desviou o olhar suspirando...Estranhei por um momento e pedi uma dose de vodka e fui até ele que estava sentado em uma mesa mais afastado da pista.Recebi seu olhar confuso,quando sentei na sua frente e empurrei o copo de vodka para ele :

-Sei que a minha amiga psicóloga não está aqui, mas posso te fazer um bico, o que aconteceu?- Perguntei já recebendo um leve riso.

-Problemas cotidianos... - Ele abaixou o olhar para a vodka ainda intocável a sua frente. –

Obrigada. - Ele tomou de uma vez e voltou a olhar para mim.

-Deixe-me eu ver... Família?- Ele concordou e acabei sorrindo cúmplice de toda a merda de hoje em dia.

-Minha vez. - Ele falou sorrindo. -Por que você parece tão cheio de energia quando está no palco?- Me surpreendido com a pergunta e acabei desviando o olhar para pensar.

-Acho que... Até mesmo fora dele, aqui... Nessa boate, eu posso ser quem eu sou,e poder pensar e esvaziar todo o peso que sinto...-Depois de falar isso voltei o meu olhar para ele e sorri, ele sorriu de volta como se entendesse.- Minha vez....É uma questão que te deixa com amargura,raiva ou triste?

-Acho que os três, mas tristeza prevalece mais... Amargura por eu não poder fazer nada, raiva de um filho da puta insolente, e tristeza por ela não merecer isso... - Me surpreendi, pois isso até se encaixava na situação na Mery...

-Você está falando da Mery?- Acabei perguntando e ele me olhou confuso.

-Nem sei que é essa pessoa... -Ele sorriu e franziu a testa ao mesmo tempo, acabei rindo pela minha burrice, como ele saberia o nome dela se antes eles nem se conheciam?!

-Minha vez... Você me parece ter a mesma idade que eu, você estuda?

-Eu tenho  19 e sim eu estudo... -Ri um pouco pela surpresa dele.

-Ér, posso perguntar qual?

-Não, mas eu posso te dar uma dica... Fica a duas ou três estações sentido St.Georgie daqui! –Acabei dando uma dica meio obvia se ele pesquisasse, naquela região só existe uma universidade. -E você ?

-Também estudo, estranhamente a 3 estações do mesmo sentido.

-Então a gente pode até acabar se vendo mais né... Olha, eu tenho que ir trabalhar mais um pouco, mas sobre a sua situação...Se o caso for alguém que você realmente ama e é algo recíproco,para ela só de você estar ao seu lado já ira fazer ela ter mais forças para lutar... –Falei calmo ao me levantar recebendo seu olhar já melhor. Abaixei-me e dei um beijo na sua bochecha aproveitando para sussurrar ao pé de seu ouvido. –Agora sai dessa boate e vai vê-la hum? -Me levantei e fui em direção ao palco novamente, acho que temos muito em comum...

POV Daniel

Nunca tinha imaginado que um dançarino de boate me faria tão bem sem nem dar o cu, foi à melhor conversa que eu já tive, me fez pensar e refletir. E depois de descobrir que ele é da mesma escola que eu, vou procurá-lo como louco, mas também não duvido que ele falou aquilo da boca pra fora e esteja só mentindo... Do jeito que sou trouxa hahahaha.

Eu saí da boate e fui direto para o hospital onde minha mãe estava, chegando lá fui conversar com o recepcionista e eles me mandaram direto para a sala do doutor,já entrei preocupado no consultório e vi que a cara dele já era muito boa.

-Olá, você é o filho dela certo?-Ele perguntou ao me ver e já me indicando uma cadeira na frente dele.

-Sim, eu vim saber se ela vai ficar bem logo...

-Receio que não muito rápido, o tumor acabou se espalhando um pouco mais... Porém com os tratamentos certos poder manter por um pouco mais de tempo estável... Mas disso você já sabe não é. Bom eu te chamei porque houve uma pequena descoberta, não foi comprovada que funciona em todos os casos, mas podemos tentar nela...

- Se isso não for inserir mais algum tipo de custo...

-Não irá, já falei com o seu pai e ele concordou que  partir daqui ele encobrirá esse custo, e como ele paga em dia demos um desconto para ele...

-Okay... Quando ela poderá voltar para casas?

-Olha, para ser sincero acho que ela só voltará quando realmente melhorar... Ela ainda não consegue se lembrar de você também e está sendo complicado manter ela estável.

 Suspirei para encarar o fato, ela estava morrendo e a não ser por um milagre tudo se perderia.

~

 Acordei cedo e fui para a faculdade, e por esse fato não tinha ninguém ainda nos corredores ou na frente da escola, alguns funcionários ainda terminavam de limpar o primeiro andar. Passei por eles e comecei a perambular pela escola, passei por todos os lugares possíveis no segundo andar – Até no banheiro das meninas – E segui até a ultima escada do corredor e fui para o terceiro. –Que nunca tinha ido antes, pois ele é voltado apenas para artes. –Segui até o final do corredor e acabei ouvindo alguns barulhos...digamos que estranhos, gemidos e arfadas,e uma voz conhecida.

   Chegando mais perto percebi que era a voz do Kaio arfando e dando pequenos gemidos, quando acabei olhando pela fresta,vi ele recebendo um boquete de algum garoto...mas...ele não era hetero?!Que diabos está acontecendo aqui!

   Dava pra ver nitidamente naquela posição,o garoto estava sugando e o engolindo por inteiro, olhando nos olhos de Kaio e ao mesmo tempo se tocando por cima da calça, era uma cena mais que erótica, e se não estivesse tão chocado acabaria ficando duro também!

   Acabei abrindo a porta e no mesmo momento os dois olharam pra mim se espantando,o garoto desconhecido que estava fazendo no Kaio se levantou e vazou, enquanto o mesmo ainda estava sentado no chão com o olhar assustado e espantado, mesclado ao medo:

   -Mas que merda!?-Disse ele após se todas na situação que estava, já guardando seu membro dentro da box e abotoando a calça ao se levantar desajeitado.

   -Mas que merda eu pergunto pra você!-Disse ao chegar mais perto.

   -Eu eu-Ele começou a gaguejar e dar passos pra trás.

   -Quer saber....-Disse já me virando de costas.

   -Daniel!

   -Cara nem começ-

   -Eu sou bi e espero que você me aceite, poxa você é meu amigo, sempre esteve comigo e por eu gostar de pinto você vai vacilar cara!?

   Me caeli por um instante e virei meu corpo de lado para ouvi-lo melhor,quando eu vi que ele não falaria nada eu me aproximei dele e o abracei, dando umas palmadas em suas costas logo me afastando.

   -Okay,mas nada de brotheragem ou algo do tipo em cario!-Disse rindo sendo acompanhado por ele.-Agora vamos embora.

   -Claro depois de você cortar o clima!

   Saímos rindo despreocupados, nem me lembrando do que aconteceu minutos atrás, até tocar naquele assunto de novo:

   -Mas sério Daniel,não conta pra ninguém,já está sendo difícil lá em casa então...me ajuda nisso....

  -Claro...Aliás, não está sendo diferente comigo esses dias....

 


Notas Finais


1*-Phenix ,movimento do poledance.
2*-Funky Monkey ,outro movimento
3*-Lean Back ,outro movimento
4*-Teddy Bear ,É uma homenagem a musica a Heize <3
5*-Sumo Squat ,mais um movimento de pole kk

Então gostaram!?
Espero que sim viu viadas! ^3^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...