História Perfeito e Amável - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JB, JR, Mark, Yugyeom
Tags Bnior, Got7, Jackbum, Jaeson, Jjproject, Markjin
Exibições 41
Palavras 1.572
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa a demora minha internet está uma merda , e parece que meu computador também se viciou na música Slow Motion só que ele levou a sério.

Capítulo 15 - Speculative and Fluffy


Jackson pov

Eu estava sentado na mesa com a cabeça baixa cutucando minha comida enquanto olhava de sobressalto  para o Jaebum que estava sentado do meu lado.

‘A comida está maravilhosa senhora Wang’ disse o JB fazendo minha mãe sorrir pela educação e meu pai me lançar um olhar duro que dizia <Se você não parar de brincar com essa comida e ser um menino educado eu tiro seu couro>.

‘Seu pai ainda têm aquela loja que seu avô deixou?’  perguntou meu pai mudando totalmente a face de vou te matar pra feliz.

‘Sim meu pai ainda trabalha lá e minha mãe comprou aquela padaria que fica na esquina’ respondeu entre as garfadas

‘Eu lembro dessa padaria foi lá que eles se conheceram’ o Jaebum concorda com a cabeça por estar de boca cheia ‘Sua mãe deve estar fazendo um ótimo trabalho lá, lembro que ela sempre se queimava quando usava o forno espero que ela tenha melhorado’.

E a conversa continuo assim por mais tempo do que eu desejava, eu agradeci aos céus quando minha mãe trouxe a sobremesa e o Jaebum terminou de comer, pois eu não estava mais aguentando ter ele tão perto de mim e não poder agarrar, pelo menos agora eu sei que se eu namorar com ele e meu pai não me matar por ser gay nossas famílias vão se dar muito bem.

‘Já é tão tarde assim’ minha mãe expressou quando começava a tirar a mesa ‘Está bastante escuro lá fora’

‘É porque começou a chover querida’ me pai começou a ajudar minha mãe ‘Porque você não passa a noite aqui Jaebum, um Im é sempre bem-vindo nessa casa’

‘Não sei’ ele respondeu olhando pra mim e depois pra fora pela janela.

‘Não se preocupe com Jackie ele não se importa de dividir o quarto dele com o amigo, né bebê’ minha mãe falou e eu vi o olhar do meu pai que estava bem atrás dela me mandou, por isso sorri e concordei com a cabeça.

‘Eu vou pegar outro colchão pra você Jaebum, você terá que nos perdoar mais é porque usamos o quarto de hóspedes pra guardar outras coisas já que não temos visitas frequentes’ meu pai falou saindo da cozinha.

‘Sem problemas, eu ajudo o senhor’ falou e saiu atrás do meu pai

‘Jack eu não sabia que você tinha amigos como o Jaebum’ minha mãe começou a falar quando eles desapareceram no andar de cima ‘Eu estava preocupada achando que você não tinha se adaptado aqui na Coréia e que não tinha nenhum amigo ainda, mais você enganou sua mãe direitinho’ disse bagunçando meus cabelos descoloridos ‘Estou orgulhosa de você, agora vai tomar um banho pra dormir’

Fui pro banheiro tomar logo um banho pra ver se passava o nervoso, não é todo dia que o Im Jaebum dorme debaixo do mesmo teto que você e seus pais ao mesmo tempo, eu ainda não acredito que meus pais gostaram dele é a primeira vez que isso acontece nem quando eu morava na China isso acontecia, e ó que eu nem era “rebelde” naquela época e mesmo assim meu pai não gostava dos meus amigos. Passei mais alguns minutos fantasiando como seria se estivéssemos juntos e como eu provavelmente ia amar conhecer seus pais e quando pensei que os meus devaneios estavam extremamente gay sai do banheiro e fui pro meu quarto.

Já ia tirando a toalha e abrindo a porta do guarda-roupa quando ele se manifestou:

‘Espera, espera que eu tô aqui’ disse ele se levantando da minha cama e se dirigindo á porta ‘Eu vou dar boa noite aos seus pais’

E ainda passei uns cinco segundos parado morrendo de vergonha e encarando a porta, não acredito que estava tão perdido em pensamentos que não notei que ele estava ali, vesti correndo qualquer roupa e fiquei encolhido na minha cama pensando em uma maneira de me desculpar sem parecer um idiota. Ele demorou quase uns vinte minutos pra voltar, deve ter ficado conversando com o meu pai.

‘Desculpa eu tive que ligar em casa pra avisar que ia dormir fora’ ele falou quando notou que eu ainda estava acordado

‘Achava que você morava sozinho’ disse seguindo com os olhos o caminho que ele fazia da porta até a cama armada do lado da minha.

‘É que a mãe do Yugyeom e ele estão meio que morando lá em casa’ disse ele sorrindo fraco  e se levantando da sua cama e indo pra minha ‘Seu cabelo ainda está molhado não devia dormir assim’ tocou levemente meus cabelos fazendo eu me encolher e abaixar a cabeça ‘Quer que eu seque pra você’ assenti de leve e apontei pra cômoda.

 ‘Têm um secador ali’ vi ele se levantar pegar o secador, uma escova e ligar ele numa tomada perto da minha cama.

‘Vem mais pra cá’ disse ele do outro lado da cama e eu me aproximei meio envergonhado ‘Prometo que não vou te queimar’ sorriu ao dizer.

Sentei de costas pra ele e ouvi o barulho do aparelho sendo ligado e logo o calor e seus dedos chegaram no meu cabelo, eu fechei meus olhos para sentir melhor o carinho.

‘Eu gostei dos seus pais eles são bastante legais’ concordei com um ronronar ‘Mesmo seu pai tendo cara de mau ele é uma ótima pessoa, mais confesso que no começo eu me senti como aqueles caras que vão conhecer o pai das namoradas’

Quando ele falou isso eu me assustei e virei de uma vez  fazendo ele se desequilibrar e cair da cama, já ia pedir mil desculpas quando ele começou a rir.

‘Seu cabelo está muito engraçado’  ele apontou e eu rapidamente olhei na direção do espelho que tem no meu guarda-roupa e vi o quando estava bagunçado.

‘E você está no chão’ revidei e um segundo depois nós dois começamos a rir, ele demorou um pouco pra se levantar e quando foi pegar a escova eu tirei das suas mãos e comecei a eu mesmo secar meu cabelo.

‘Gostei do seu casaco’ ele disse já na própria cama enquanto eu terminava de secar o cabelo ‘Eu tenho um bem parecido com esse , ou pelo menos tinha’

‘É-érr mesmo’ respondi entre um sorriso nervoso, eu não acredito que eu tinha sido burro o suficiente pra pegar logo a blusa dele, eu tinha me acostumado  a dormir com ela nos últimos dias então eu fui no automático e peguei ela. Mais eu sou muito burro.

‘É alguém pegou ela’ disse apagando a luz do quarto ‘Mais não têm problema ele é uma boa pessoa então eu sei que vai me devolver um dia’ ouvi o barulho dele afastando as cobertas e se deitando ‘Boa noite Jackson’

Demorou um pouco pra ajustar as batidas desse negócio no meu peito, mais logo me cobri e fui dormir sorrindo já que dessa vez não era só a camiseta com o cheiro dele que estava ali era ele todo.

Mark pov

Foi bastante difícil dormir essa noite, fiquei passando e repassando os momentos com Junior e imaginando se eu tivesse feito alguma coisa diferente algo teria mudado entre nós, e se essa mudança seria boa ou ruim era uma coisa que eu não tinha certeza nenhuma. Depois de desistir de dormir eu decidi ir assistir alguma coisa pra vê se meus pensamentos mudavam de rumo, por isso tirei todo e qualquer filme de romance da minha lista do netflix e fiquei horas olhando pra tela.

‘Filho levanta, você dormiu mesmo nesse sofá’ abri os olhos e vi meu pai se arrumando para ir trabalhar

‘Hurum’ concordei semi-acordado ‘Que horas são?’

‘Já são 9h30 você não tem aula hoje?’ perguntou me olhando pelo espelho enquanto dava um nó na gravata.

‘Não sei, acho que sim’ respondi vagamente já que nem me lembrava que dia da semana era.

‘Você está bem filho?’ concordei e ele se virou pra me encarar levantando a sobrancelha mostrando o quanto tinha acreditado na minha resposta ‘Okay, não precisa ir pra escola se não quiser você não é obrigado, mais se você precisar de alguma coisa é só me ligar’ pegou o paletó e saiu pela porta ‘Tchau filho’.

‘Tchau’ respondi antes de voltar a me jogar de qualquer jeito no sofá.

Eu sei que minha maior preocupação devia ser Que dia hoje? Onde é que eu tô? Será que eu tô em Alagoinha? Eu tenho aula de manhã?  Quais matérias eu tenho hoje? Será que têm prova? Será que meu pai fez café? Será que ele deixou alguma torrada pra mim? Ou coisas do gênero mais tudo que eu pensava era no Junior e como ele tinha agido no dia anterior, fiquei com raiva de mim mesmo por só ficar ali pensando e me levantei com um supetão e fui pro meu quarto atrás do meu celular que achei jogado debaixo do criado-mudo, como ele chegou até lá não me pergunte,  e liguei pro primeiro número da minha lista esperei chamar duas vezes antes dele atender.

‘Oi, quer tomar café comigo’ perguntei

‘Mark você não foi pra Fujii hoje não’ ele soltou do outro lado da linha.

‘Na verdade não, eu estou em casa no momento’ respondi apreensivo

‘No momento eu estou ocupado mais que tal almoçar juntos’

‘Claro, claro vai ser ótimo’

‘Okay, te ligo mais tarde tenho que ir’

‘Tá tchau’ eu desliguei o telefone e passei alguns segundos encarando o mesmo antes de descer pra tomar café.


Notas Finais


Sozinho - Caetano Veloso
Hotel California – Eagles
July – Kris wu
Eu era um Lobisomen Juvenil – Legião Urbana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...