História Permita-me! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hopega, Jikook, J-suga, Namjin, Yoonseok
Exibições 278
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora pessoas lindas que eu amo.
Relembrando como será dividida a fick, a cada capítulo serão narrados três dias deles juntos.
Ao todo quero narrar o mês inteiro aos pouquinhos. >...<
Espero que gostem e que não me batam no final. Tudo vai ser explicado aos poucos.

Capítulo 4 - Qual a cor que tem o ciúmes?


Fanfic / Fanfiction Permita-me! - Capítulo 4 - Qual a cor que tem o ciúmes?

Havia muito mais naqueles olhos do que eu mesmo pudesse descobrir, Hoseok era um completo mistério e agora mais do que nunca. Suas marcas estavam mais do que na pele, estavam em seu ser. E eu sabia disso, sentia isso. E o pior de tudo era não poder tratar dela, aliás quem eu pensava que era? Não podia simplesmente me intrometer assim na vida dele. Como se aquilo fosse uma batalha minha. Mas pelo tempo em que eu estivesse vivendo com aquele garoto, eu tentaria ao menos quebrar um pouco daquela casta que o cobria. Eu estava curioso, eu era a curiosidade personificada. E tinha ciência de que não iria gostar nada do que viesse a descobrir, mas eu estava disposto a arriscar. E pelos céus se Jin fosse o culpado, mesmo eu tendo tamanha consideração por ele...Não sei do que seria capaz. Mas quero pensar que isso não estará acontecendo que a culpa não é dele e nem de NamJoon, pelo pouco que vi, pelas poucas frestas que me foi dado aquelas marcas eram coisas de meses. E parando bem para pensar, Jin nunca me apresentou seu irmão, por mais que falasse dele, por mais que colocasse aquela criança em um pedestal. Eu o conhecia, mesmo nunca o tendo visto.

- Hoseok, vem aqui por favor. Preciso de ajuda. - era de tarde, já tínhamos almoçado e eu estava concertando um cano que estava quebrado, no banheiro. Sempre fui bom com trabalhos manuais, então não vi porque não concertar aquilo eu mesmo. O moreno caminhou até mim. Estava terminando de fazer a sua lição de casa, ele era muito aplicado e parecia que fora sempre aquela pessoa que nunca deu ou dera trabalho aos pais. Era a melhor companhia para alguém como eu que sou um completo sedentário que se mistura com a paisagem.

Logo eu e o menor estávamos cuidando dos reparos, alias ele apenas me passava as ferramentas e eu ia fazendo o que devia ser feito. Só que como nada nesse mundo é perfeito em uma hora não sei como isso ocorreu, o cano estourou e foi água para todos os lados, como resultado disso, tanto eu quanto Hoseok saímos bem molhados dali. Eu tive de rir da cena, e o mais impressionante foi que ele riu também e sua risada foi linda de se ouvir. Gostosa demais. E eu fiquei feito um bobo, parado.  Observando ele rindo, enquanto o seu corpo molhado me dava uma das melhores visões que eu poderia ter. Sua blusa branca colada ao corpo, assim como o calção fino que ele trajava. Os fios negros grudados no rosto e aquele sorriso radiante. Fiquei sem reação, sendo a cada vez mais molhado por aquela água toda. Nossos olhos se encontraram e nossos rostos mostravam uma expressão diferente da sentida antes. E eu me perdi no profundo daquelas íris castanhas. Naveguei naquele sorriso e quis me perder mais e mais. Depois de um tempo, depois de passado o meu transe, ele saiu de perto de mim. Voltando ao seu estado natural. Indo em direção ao quarto para se secar e trocar de roupa.

...

...

...

No dia seguinte as coisas andavam do mesmo jeito, normais demais até. Só que diferente dos outros dias Hoseok parecia um pouco mais a vontade. Já estávamos a cinco dias juntos e isso não era pouca coisa. Amanhã seria sábado e eu queria muito convidá-lo pra sair. Confesso que aquela imagem de ontem não saiu da minha mente. Me senti quente e sabia bem como era se sentir atraído por uma pessoa, como estava me sentindo por ele. Não estava apaixonado, apenas atraído. Acho que nos sentimos assim por coisas que normalmente não nos pode ser concedidas, ou que nos parecem proibidas. Isso chama mais atenção, nada de paixão. Coisas diferentes demais. E que droga. Nunca fui disso e nem tinha pretensões de ser, mas ele me deixou desconcertado com um pequeno sorriso, imagine se ele falar normalmente comigo? Acho que iria morrer e estava me sentindo um completo idiota. Já que eu senti um pouco de inveja do jeito que ele tratou um dos amigos dele que sempre vem deixa-lo aqui. Esse era Jimin, todo alegre e sorridente demais. Cheio de abraços e beijinhos no rosto aqui e ali. Me pergunto se Jin não sentia ciúmes dessa interação toda.

- Amanhã é sábado. - eu disse terminando de pintar um quadro. Aquele sorriso me deu bastante inspiração. - Gostaria de sair um pouco? Não sei, para algum lugar... - soltei a pergunta sem olha-lo. Ele estava na janela, olhando a chuva fininha que caia. Pra mim aquela era a melhor época do ano, quando chovia regularmente.

- Não quero incomodar hyung. Eu fico bem onde me colocarem. - ele disse mais seco do que o de costume. Nem parecia o bobo sorridente a horas atrás, quando o baixinho alegria veio todo saltitante lhe deixar aqui.

- Não me incomoda. Podemos ir a um lugar qualquer. Estou meio que cansado de ficar aqui o tempo todo. - menti descaradamente. Se havia algo que eu detestava era sair do meu sossego.

- Tudo bem. - seu tom de voz saiu baixo e ele nem sequer me olhou de novo. Entenderam? Era isso que me atraia. A ideia de algo que eu não conseguia ter. Aquilo me deixava aflito demais.

- Gostaria de ir a um local em especial? - perguntei mesmo sabendo que não obteria respostas.

- Nenhum hyung, onde você puder me levar eu vou. - nesse momento vejo que Maw foi quem foi a mais privilegiada da situação. Ela ganhava todo o carinho e atenção que eu queria ter.

...

...

...

O tempo estava bom naquele dia, ameaçava chover e eu tinha plena consciência disso, mas mesmo assim quis me arriscar a tirar aquela criança de casa. Optei por ir ao local que mais conveniente, um shopping. Mesmo eu sendo daqueles que detesta lugares assim, abertos e com excesso de barulho e movimentação. Eu precisava de mais uma tintas, havia uma cor que eu queria, só que ainda não sabia ao certo qual era. Talvez vasculhando por ai eu achasse. Quem sabe? Meu companheiro de apartamento estava adorável. Estava bem mais arrumado do que eu, que parecia um velho resmungão. Mas isso não veio ao caso, o que me deixava mais bolado era o fato de que ele chamava atenção demais. Por ser muito bonito e alto para sua idade. Além do seu jeito misterioso, que chamava sua atenção a parte. No caminho ele vinha ouvindo musica com os olhinhos fechados, não resisti e tirei uma foto sem que ele percebesse. Seria um passeio difícil.

- Tem algo que você queira?

- Nada hyung. Meu irmão compra tudo que eu preciso. Não tem mais nada que eu queria. - ele disse simplista.

- Tudo bem. - dei de ombros e parei antes em uma livraria. Onde nela encontrei uns exemplares que queria. Observei  o moreno ao longe. Ele estava interessado em alguns também. Se ele os queria ou não, não tinha como eu saber. E confesso que daria tudo para que ele viesse me pedir algo. Mas ele não o faria e eu tinha certeza. Ainda era o nosso sexto dia juntos. Quem sabe mais adiante? Sonhar é de graça, não é mesmo?

Caminhamos em silencio pra fora do local, eu sai com dois livros e um desejo. Comer qualquer coisa.

- Vamos comer alguma coisa?

- Sim hyung.

- O que você gostaria?

- Ah, não sei. Qualquer coisa serve; - aquilo realmente estava me cansando. Bufei baixinho e avistei a loja de produtos para artesanato.

- Vamos aqui antes Hoseok. Preciso de uma cor. - ele fez que sim com a cabeça e quando íamos adentrar a loja ouvimos o seu nome ser chamado.

- Hoseok? Jung Hoseok? - quando olhei na direção da voz avistei um rapaz de cabelos em um loiro acinzentado, muito bonito, magro e alto. Trazia um sorriso diferente e seus olhos brilhavam. Quando olhe para o garoto ao lado ele sorria de igual maneira. O que me deixou desconcertado foi o que veio a seguir. O outro correu como uma criança até o Jung e o abraçou de maneira exagerada. Ele era um pouco menor do que o irmão de Jin. O pior foi o que eu tive de presenciar. O desconhecido deu um breve selinho no outro e eu fiquei boquiaberto. Jin não me falou nada sobre se o outro estivesse namorando. Me senti um pouco traido...Não sei porque.

- Baek Hyun hyung pare com isso, está me deixando sem jeito. - o outro disse baixinho enterrando sua cabeça na curvatura do pescoço alheio.

Qual é mesmo a cor que tem o ciúmes?


Notas Finais


Calma pessoas lindas. BaekHyun não é nada do nosso Hobi, entenderão mais adiante.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...