História Pernico: Amor e Ódio - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Calipso, Eros (Cupid), Frank Zhang, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper Mclean, Will Solace
Tags Frason, Pernico, Piperbeth, Valace
Exibições 36
Palavras 1.648
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Lemon, Magia, Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Super Power, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente! Tudo bem com vocês?
Voltei, seus virj! Falou o transante xD
Nem adianta eu tentar me desculpar com vocês, não tem justificativa além de falta de ideia ;-;
Espero que gostem :)

Capítulo 7 - Mudanças


Percy lembrava-se de quando perdeu a memória e começou a flertar com Di Angelo. O garoto ficava ainda mais bonito à luz do luar, enquanto gemia seu nome e rebolava sensualmente com Percy dentro de si.

*Flashback On - P.O.V Percy*

Hazel me apresenta a um garoto muito sexy, que aparentava ter 15 anos. Utilizava uma toga preta, que deixava seu corpo parcialmente exposto. O garoto tinha uma voz um pouco grave e muito atraente. Me cumprimentou e negou conhecer qualquer coisa sobre mim, apenas disse ter me visto uma vez.

...

Deuses, como esse tal Nico di Angelo era lindo! Sua pele pálida, seus cabelos negros grandes e bagunçados, seus olhos cor-de-mel, suas roupas quando ele não estava como embaixador de Plutão...

...

O chamei para um passeio vespertino. Claro, foi uma ideia estúpida, eu nem conheço direito esse lugar, mas ele não parece ter problemas com isso.

Ele me explicava sobre como funcionava tudo isso de semideuses romanos e eu continuava a encarar sua linda face pálida. Seus olhos, apesar de terem uma cor tão viva, mostravam dor, como se ele tivesse passado por maus momentos antes do Acampamento Júpiter.

O passeio se estendeu até a noite, quando fugimos de Nova Roma, dos olhares de Octavian, que segundo Nico era um peguete ridículo com o qual ele não gostaria de ter se envolvido.

Chegando ao seu dormitório, ele me perguntou:

- Gostou de Nova Roma? - Nico não me encarava. Seu olhar parecia triste.

- Um pouco, mas ainda prefiro ficar nas coortes. - soltei para chamar sua atenção.

- Por quê? - Nico perguntou. A luz da lua, ele parecia um fantasma. Uma fantasma irresistível.

- Por você. - Respondi o beijando. Ele logo se rendeu ao beijo e me agarrou ferozmente. Acho que ele queria isso até mais do que eu. Seu gosto tinha um sabor único, como se a dor que eu reparei haver em seus olhos tivesse um sabor na sua língua. E deuses, como a dor pode ser saborosa!

Mordi fraco a sua língua e ele deixou o beijo mais intenso, aprofundando ainda mais sua língua na minha e me agarrando de modo a colar os nossos corpos. Podia sentir sua ereção encostando na minha e isso me arrepiou um pouco. Eu ainda era virgem, mas esse parecia o momento certo para tentar...

Fomos até o seu dormitório, onde ele tirou a jaqueta de aviador enquanto eu tirava a minha camisa, revelando alguns músculos no corpo. Nico parava para olhar, mas eu não queria esperar. Nem mais um segundo. Tirei sua camisa e sussurrei em seu ouvido:

- Você...

- Nunca. - ele me cortou com uma voz tão provocante que minha ereção pulsou forte nas calças, muito apertadas no momento. - Eu quero ser o passivo.

Logo após, ele ficou de joelhos, indo de encontro ao meu membro ainda dentro das calças. Tirou-as, junto a cueca e começou a inserir meu pênis na boca, devagar, para se acostumar com o ato. Afinal, era a sua primeira vez.

Ele engasgava um pouco a medida que eu o encorajava a ir mais fundo com a garganta. E devo dizer: o que ele tem de frio na pele, tem de quente na boca. Senti que meu ápice poderia chegar mais cedo que o desejado, então o afastei e me deitei.

- Senta. - disse desfiando-o.

Ele tirou toda a roupa e lambeu os próprios dedos apenas para introduzi-los no ânus, a fim de se preparar para mim.
A visão de Nico se penetrando enquanto se masturbava para compensar a dor era delirante, fazendo meu membro pulsar forte novamente. Ia começar a me masturbar, mas Nico tirou minhas mãos do meu membro e lentamente começou a sentar em mim. Uma lágrima de dor descia pelo seu rosto e eu tentei me levantar para beijá-lo. O corpo nu de Nico e seu tremendo calor interno iam me arrancar o esperma rapidamente, então sussurrei:

- Devagar. Faça durar, Nico.

- Jackson, me beija de novo. - foi o que ele conseguiu dizer. Meu membro inteiro estava dentro dele.

Enquanto eu o beijava e sentia aquele gosto único, Nico começou a rebolar. Lentamente. Empurrando meu membro para onde seu ânus se movia.

E então ele começou a subir e descer, ainda lentamente, para se acostumar. Os gemidos reprimidos por ele já saíam, um pouco altos, mas completamente excitantes. Os meus também apareciam, o prazer de estar dentro de Nico era indescritível.
A velocidade dos movimentos aumentava conforme ele gemia mais e mais alto. Eu já não conseguia mais resistir a nada, conseguindo apenas olhar a face de Nico, o prazer e a Luxúria tornando um deus. Um verdadeiro deus grego do sexo.

Mas infelizmente veio o ápice, meu e dele ao mesmo tempo, deixando-nos cansados e satisfeitos na cama, onde eu esperava que ninguém nos visse amanhã.

- Eu te amo, Percy. - ele me disse ofegante, aninhando sua cabeça em meu peito.

- Eu te amo, Nico. - eu lhe disse, enfim dormindo.

*Flashback Off*

Agora, já perto da batalha final com os gigantes, era notável como Nico havia mudado. E não só na aparência. Estava menos tímido, apesar de ainda estar um tanto quebrado do Tártaro. No sexo, era mais provocante, mais agressivo (no bom sentido) e mais disposto, como se toda a carga de Eros sobre ele nos sonhos o enchesse de desejo e despertasse desejo em Percy.

...

Deuses, como era excitante colocar Jason e Frank na cama juntos! - pensava Eros, lembrando-se do que havia feito mais cedo ao casal.

*Flashback On*

- Quando eles finalmente têm tempo, eles o desperdiçam. - Eros reprovou o ato estalando a língua duas vezes. - Romanos...

O moreno estalou os dedos, fazendo brotar desejo no pensamento dos garotos, que logo se insinuaram, se agarraram e foram pro quarto.

...

- Depois dessa mudança, eu ainda nem pude ver como ficou o seu pau. - Jason disse após cessar o beijo.

Já estava com Frank, que se despia enquanto Jason pegava camisinha e lubrificante (já estava quase no fim. Jason cogitou pedir mais para o cinto de ferramentas de Leo, mas pela cara do garoto depois que seu relacionamento com Frank veio a público, achou melhor não pedir).

- Que tal isso? - Frank disse e fez Jason voltar o olhar para seu membro.

Jason engasgou.

- Caralho! - Jason exclamou abismado. Toda a extensão de seu pênis devia ter uns 20cm e 7cm de circunferência, o que já era grande antes. Agora tinha uns 30cm, e estava ainda mais grosso, provavelmente com 12cm de circunferência. - Agora entendi o porquê do caso de Vênus com Marte...

- Senta nele. - Ordenou Frank. Sua voz era ainda mais imponente desde a batalha contra os catóblepas, fazendo Jason se arrepiar. Definitivamente ele não foi feito pra dominar.

Jason pegou o que restava do lubrificante e encharcou o membro de Frank com o tudo o que restava no frasco. Seu ânus estava mais aberto com as vezes anteriores, mas isso exigiria ainda mais.

Sentou-se lentamente, a grossura do moreno já arrancando uma lágrima do loiro, cujo membro despertou e começou a pulsar. Frank sentia todo o esforço de Jason e como ele estava muito mais apertado agora, a pressão sobre seu pênis tornando essa penetração impossível sem lubrificante.

Quando terminou, mais lágrimas desciam por seu rosto, e seu pênis estava a um toque de liberar todo o esperma, tamanho era o prazer, que o fez se acostumar aos poucos com a dor. Frank se continha para não tremer, mas toda a excitação de estar dentro de Jason, agora muito mais apertado era alucinante, deixando seu rosto suado e corado, mas sem substituir o olhar malicioso e autoritário, que ordenava ao namorado que continuasse.

O loiro começou a rebolar, tentando deixar mais confortável e provocando com sucesso o moreno. Gemidos eram inevitáveis, tendo em vista o esforço apenas para conseguir introduzir tudo dentro de si.

A sala já tinha o cheiro familiar de sexo, a testosterona de ambos deixavam rastro de alguma atividade cansativa, junto aos lençóis da cama, agora úmidos com o suor dos semideuses.

Jason iniciou os movimentos de sobe e desce, mas dessa vez não o fez lentamente. Estava cansado de ser cuidadoso. Queria sentir a dor dessa penetração, queria gemer com vontade e principalmente queria agradar o namorado.

Começou a quicar sobre o pênis do namorado, um pequeno filete de sangue escapando por entre as nádegas, mas nada comparado a satisfação de cavalgar sobre Frank, sentindo a pulsação de seu membro dentro de si e ouvindo seus gemidos, não mais contidos junto a sua cara de prazer.

Frank pensou ter alcançado as estrelas quando Jason o beijou enquanto cavalgava. A sede em seu lábios, o sabor da sua boca, todo o calor de seu corpo espremendo e apertando seu pênis...

Jason Grace era irresistível. E  somente quem não o experimentou diria o contrário.

Frank segurou Jason e o fez cavalgá-lo cada vez mais rápido, até que ambos deram um último grito de prazer antes de gozarem juntos. O loiro melava o abdômen do moreno, que apenas levou o sêmen aos lábios com os dedos e começou a chupá-los, arrepiando o namorado, que o beijou lascivamente antes de cair no sono ao seu lado.

*Flashback Off*

Agora, junto ao mastro do Argo II, enquanto Eros lembrava-se dessa cena, outro deus aparecia ao seu lado.

Hipnos vestia camisa social lilás com gravata roxa, junto a um par de calças e sapatos sociais pretos.

- Eu sempre sei quando você tá assistindo, Hipnos. - Eros lhe disse sorrindo. - Eles sempre dormem no final.

- Tenho culpa? Você cumpre tão bem seu papel... Você e a sua filha... - Hipnos se inclinou para beijá-lo e Eros desapareceu, reaparecendo perto da proa, Festus.

- Você quer? - Eros perguntava mirando nos olhos sempre fechados de Hipnos. - Venha pegar...


Notas Finais


ADOOOOORO UM CASO ENTRE DEUSES! AI QUE DLC, CARA!!!
Frason tá vindo tão natural na minha mente, gente! Acho que eu vou escrever um romance deles algum dia xD chega de Frank hétero! Vamos fazer ele comer todo mundo no Argo ashuashuashua
Próximo cap só Deus sabe quando vai lançar, gente! Malz aí ;-;
Até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...