História PERNICO & VALGRACE — I LOVE YOU, ALWAYS. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Frank Zhang, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Poseidon, Sally Jackson, Thalia Grace, Will Solace, Zeus
Tags Pernico, Valgrace
Exibições 72
Palavras 1.717
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Lemon, Yaoi, Yuri
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ohayo Nekos '-' *olha para os lados nervosa*

Olha quem resolveu voltar!! Euzinha!! A idiota safada que ficou sem postar por... Nem sei quantas semanas :v

Desculpem pela demora meus amados, mas eu fiquei sem criatividade! A minha imaginação resolveu tirar uma folguinha :x podem me apredejar eu deixo!!

Enfim meus amados. Perdoem essa jovem semideusa que sumiu porque ela não vem andando muito bem :(

~Leavy minha fofa, tá aí, como o prometido. Espero que goste :3

CHEGA de papo e bouaa leitchura mi amores :3

Capítulo 5 - CAP V: THE WAY YOU MAKE ME FEEL GOOD


≈ VALGRACE ≈

LEO ON.

Piper estava do meu lado, afagando meus cabelos enquanto eu apenas me afogava em minhas lágrimas. Um mês. Um mês. Não podia ser verdade, só podia ser alguma brincadeira dos deuses. Ela me apertava contra si enquanto Will me explicava o quanto era perigoso e arriscado para mim. Aliás, eu era apenas um garoto de dezessete anos, um semideus filho de Hefesto, e que agora podia gerar filhos...

— Se quiser, você pode abortar… — “abortar” muitas vezes escutei essa palavra, quando menor, e nunca senti tanto nojo e tanta atração por esta simples palavra. Pisquei algumas vezes e olhei para o Will, seu semblante admitia que ele esperava que eu negasse e tinha certeza de que Piper também. Mas eu era apenas um garoto, um moleque. E não um moleque normal, eu era um semideus. Era um grande problema para mim. Piper me apertou mais uma vez e eu levei minha mão até minha barriga, tocando-a sobre o tecido e inspirando fundo.

— O que preciso fazer... — perguntei, assustando a ambos — Para que ele nasça com saúde?? — continuei e Piper me abraçou com carinho, soltando um suspiro aliviado, e Will sorriu grandiosamente...

~ 3 SEMANAS DEPOIS ~

Eu e o Jason agora vivemos brigando, e sei que tudo isso é culpa minha, mas não me sinto bem ao lado dele sem poder contar sobre a gravidez. Eu ainda estou nervoso e preocupado quanto a isto. Nem sei se terei condições físicas para gerar esse bebê. Will disse que é muito perigoso. E isso de certa forma me assusta.

Era hora do café, mas toda aquela comida estava me enjoando, então peguei apenas uma fruta e sai da mesa. Atraindo o olhar do Jason, o olhei e ele desviou rapidamente. Havíamos discutido ontem à noite e ele chegará a quebrar uma das minhas invenções. Tenho medo de que ele termine comigo por não dar-lhe a devida atenção que ele merece. Mas, eu estou muito preocupado com o meu bebê.

Entrei no Bunker e fui direto para minha mesa, sentei-me e sem resistir, levei minha mão para minha barriga. Não dava para sentir o volume, já que ainda era novinho. Acariciei minha barriga imaginando meu menininho, agitei as pernas animadamente e olhei para trás, certificando-me de que não tinha ninguém.

— Oi bebê! O papai ta louco pra te ver… — sussurrei sorrindo abertamente, pressionando meus dedos contra minha barriga.

— Leo?? — quase cuspi meu coração tamanho o susto que levei. Olhei para trás vendo o Jason ali.

— Aahh J-Jay! O-o que faz aqui?? — perguntei nervoso. Ele arqueou uma sobrancelha e entrou, fechando a porta atrás de si.

— Quero conversar, com você. — senti uma fisgada no meu coração e não resisti a gemer de dor. Sentei-me melhor no banco, desconfortavelmente.

— Sobre…? — perguntei e ele mordeu o lábio inferior, escorando na mesa ao meu lado.

— Sobre nós. — gelei e engoli em seco. — Sobre o que está acontecendo.

— Oh… — murmurei e evitei olhá-lo.

— Leo, eu não sei o que está acontecendo com você. Há algumas semanas atrás estávamos tão unidos. Tão felizes, mas de repente… Você ficou estranho comigo. — comecei a me sentir um idiota por estar fazendo isso com o amor da minha vida. Mas como minha gravidez era de risco todo cuidado é pouco. E eu queria fazer uma surpresa para ele. — O que foi, Leo?? Eu estou te incomodando?? Há outro em seu coração é isso??

— O que?? Não... Não Jason… Eu amo você… — o olhei fixamente e ele suspirou, reprimindo os lábios. — Me desculpe por estar te tratando assim… Mas eu não estou bem comigo mesmo… É um problema pessoal que você não pode me ajudar… Aliás, ninguém além de mim mesmo pode ajudar… — sussurrei e agarrei o tecido da sua camisa, o puxando para mim, escondi meu rosto em seu peito e suspirei — Me desculpe Superman… — sussurrei e ele inspirou fundo, me abraçando também.

— Tudo bem meu anjo… E me perdoe por ser insensível e pensar em besteiras…

— Tudo bem. — ergui minha face e sorri para o loiro que continuou sério — Eu te amo, Jason… — sussurrei sorrindo e ele dessa vez sorriu.

— Eu também te amo, Leo… — senti meus olhos arderem com sua declaração e não aguentei e o beijei, puxando-o desesperadamente para meus lábios. E ele retribuiu da mesma forma. Agarrei seu cabelo com um pouco de fúria e mordi seu lábio, ele me empurrou para cima da mesa, derrubando minhas canetas e algumas pecinhas de ferramentas enquanto se posicionava entre minhas pernas. Enlacei sua cintura com minhas pernas enquanto seus braços seguravam firmemente meu quadril, raspei as unhas em sua nuca, sentindo seus cabelos eriçarem. Abracei-o desesperadamente. Precisava senti-lo. Precisava amá-lo. Ou iria ficar louco. Encerramos o beijo eufóricos. E olhei fixamente em suas safiras eletrizantes. Notando o desejo e a saudade em seus olhos.

— Me desculpe por tudo, Superman… — pedi novamente enquanto voltava a atacar seus lábios, ele gemeu e agarrou meus cabelos, e a sua outra mão foi em direção a minha coxa, arranhando-a. Gemi, parei de beija-lo e o empurrei, fazendo-o tropeçar e cair no chão. Desci da mesa rapidamente e sentei em seu colo, ele se sentou e me abraçou pela cintura, tomando novamente meus lábios em um beijo desesperado e faminto. Me arrependia de tudo que fiz ele passar. De todas as noites que eu o negava sexo. De todos os dias que o negava carinho. Como pude ser tão cruel? Justo com alguém que tanto me ama??

— Por que está chorando, anjo? — perguntou o loiro me olhando preocupado. Funguei um pouco e beijei seus lábios.

— Por nada. — respondi-o — Acho que estou feliz em finalmente ceder aos meus desejos insanos… — sussurrei e ele sorriu.

— Então, vamos aproveitar… Por que hoje eu vou te comer todinho. Em várias e várias posições. — sussurrou eroticamente enquanto me deitava no chão e deitava-se por cima de mim, voltando a atacar meus lábios. É, acho que o dia ainda estava longe de acabar…

≈ VALGRACE ≈

≈ ∆ ≈

≈ PERNICO ≈

NICO ON.

Tá, ok! Se controla! Respira fundo! Ok. O Percy daqui a pouco vai chegar e o infeliz do Jason não apareceu para me ajudar a vestir a porra dessa fantasia! E como que diabos eu vou conseguir fazer o Percy usar esta outra?? Ahh eu quero me matar…

Entrei novamente no banheiro e tirei toda minha roupa. Vou ter que me virar sozinho. E assim vesti aquela fantasia de gato. E poxa, nunca achei que aquela roupa iria destacar tanto minhas curvas. Eu não usava nada para esconder meu tronco. Usava apenas uma saia e uma calcinha rendada preta. Cinta-liga e meias calças com desenhos obscenos bordados nelas. Usava pequenas luvas com as pontas afiadas, simulando garras. Havia uma coleira em meu pescoço. Assim como nas luvas. Havia uma corrente fina solta em cada pulso. É, tá legal. Bufei e ajeitei a pequena tiara sobre minha cabeça.

Vou fazer uma nota mental: matar o Jason quando tudo isso acabar.

— Nico? Nico! — Ahh que lindo ele chegou!! Coloquei a cabeça para fora do banheiro e avistei aquela figura morena parada na porta do quarto.

— Oi amor… — sorri sem graça.

— O que está fazendo aí, Nico?! — perguntou-me.

— Ahn… — olhei para os lados e tentei pensar em alguma coisa — Tenho uma surpresa para você… — sussurrei e um sorriso malicioso surgiu em seus lábios — Mas tem que fechar os olhos, Jackson…

— Jura que não posso ficar com os olhos abertos??

— Não. Fecha logo. — ordenei e ele obedeceu. Sai do banheiro com a outra sacola nas mãos e corri ate o moreno. Andei até ele e coloquei o pacote em suas mãos — Não abra os olhos. Aí tem uma fantasia e quero que você vista ela, ok?

— Fantasias sexuais, Niquito?? Que história é essa?? — perguntou dando um sorriso cafajeste. Levei minha mão até seu membro e o massageei.

— Não gosta, Jackson? — perguntei, apertando de leve seu membro, sentindo-o aumentar. Ele gemeu baixinho e gargalhou.

— Ok… Me leva até o banheiro. — o obedeci e o empurrei para dentro do banheiro, fechando a porta em seguida. Fiquei ali, esperando-o. Estava nervoso. E eu me sentia um virgem. Mas como o Jason disse. Relaxe. Apenas relaxe. Ouvi a maçaneta girar e senti meu corpo arrepiar da cabeça aos pés. Só queria ver qual era a fantasia do Percy…

— Wow. — sussurrei sentindo minhas bochechas esquentarem ao ver a roupa que ele usava. Senti minha boca salivar, ao vê-lo vestindo uma calça social azul escuro, usava uma camiseta branca e um blazer da mesma cor de sua calça. A roupa destacava seus músculos, fazendo questão de marcar seu corpo. Percy me olhou provocativo e sorriu, um sorriso tão malicioso que eu quase gozei.

— Wow você é meu gatinho, Niquito? — perguntou ele me analisando. Engoli em seco, sentindo a saliva descer com dificuldades pela garganta. Ele me analisava atentamente. Parecendo devorar-me com os olhos. Ele agarrou a corrente da coleira e me puxou, por sorte ela não machucava — Estava com saudades do seu dono, Nico?? — perguntou, dando um sorriso tão cafajeste que quase que me derretia — Hm? Não ouvi?

— Sim mestre, estava com saudades… — ronronei fazendo manha. Ele sorriu maliciosamente e puxou a corrente para mais perto de si, enlaçou minha cintura me obrigado a ficar na ponta dos pés, sua mão se encheu com a minha nádega direita e um sorriso perverso bailava em seus lábios. Suas safiras estavam nubladas de desejo.

— Bom, muito bom. Então acho melhor saciarmos essa saudade, sim?? E espero que aguente pequeno Di Angelo porque você só vai sair daqui quando eu ordenar, ouviu?? — sussurrou rente minha orelha. Me arrepiei todinho e assenti, ele deu uma risada meio que maléfica e me jogou na cama com fúria. O olhei e ele estava me olhando de um jeito tão luxurioso que até me deu medo… Acho que essa cama não vai aguentar o tranco…

CONTINUA HEUHEUHEUHE :3


Notas Finais


Bem curtinho só para matar um pouco a saudades de vocês mesmo :v

Tá, eu me odeio. Podem me odiar a vontade.

Isso ta uma droga!! *chora litros*

Eu estou com um sério problema emocional e espiritual :'( quero me matar!!

Vikturi é real!! Êêêba :3

Beijocas meus lindos, amo vocês :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...