História Personal Soldier - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias X-Men
Personagens Anna Marie (Vampira), James "Logan" Howlett (Wolverine), Katherine "Kitty" Pride (Lince Negra), Ororo Monroe (Tempestade), Personagens Originais, Piotr "Peter" Rasputin (Colossus), Robert "Bobby" Drake (Homem de Gelo), Warren Worthington III (Anjo)
Tags Logan, Marie, Rogan, Rogue, Romance, Vampira, Wolverine, Xmen
Exibições 42
Palavras 2.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Super Power, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura.

Capítulo 2 - Nossos medos.


Logan estava quase em seu destino final, porém diminuiu a velocidade da moto e começou a pensar no que diria diante de perguntas. Se alguém perguntasse o que ele tinha feito esse tempo todo, se Marie perguntasse, o que ele devia dizer? A verdade? Contar que passou o tempo vivendo um dia de cada vez, bebendo, não dormindo no mesmo hotel por mais de uma semana, jogando e brigando para conseguir dinheiro. Ele sabia que mentir era errado, mas não se importava em fazer isso a não ser para Marie. Ele não podia mentir para ela, não era justo. Resolveu então que fugiria do assunto ou não daria detalhes de nada. Esconder não é mentir, ele repetia para si mesmo. Acelerou a moto voltando ao normal. Depois de quase uma hora na estrada ele chegou. O grande e alto portão se abriu e ele parou a moto em frente à mansão. Fora o barulho vindo da área de esportes tudo estava quieto, ou seja, as aulas do dia já tinham começado. Logan desceu da moto e colocou o capacete em cima da mesma. Não que ele precisasse proteger a cabeça dura, literalmente dura, só não queria problemas com a polícia por não seguir as normas de segurança. Subiu as escadas e abriu a porta da casa. Encontrou rostos conhecidos o encarando, alguns sorriam e outros mantinham apenas um olhar amigo.

– Logan! Seja bem vindo de volta! – Tempestade o cumprimentou animada, sendo a líder.

Ele estava surpreso por todos os X-men estarem ali esperando sua chegada. Surpreso e um pouco desconfortável.

– Logan... – Marie falou de forma doce o nome que estivera em seus pensamentos desde que o conheceu. Num movimento rápido e inesperado para todos, principalmente Logan, a menina o abraçou forte. Passado o choque inicial, Logan retribuiu o abraço apertado e aconchegante, se afundando no cabelo com cheiro de morango dela. Uma coisa estranha alcançou o coração de Logan. Ele precisava daquilo. Não sentia nada de bom a tempos e nada seria tão bom quanto aquilo. Chegara a duvidar se poderia sentir algo novamente, mas seu coração estava aquecido agora. A garota afrouxou o abraço e olhou para cima se prendendo nos olhos escuros de Logan. – Senti sua falta. – Ela falou baixo envergonhada se soltando dos braços fortes dele. Marie se conformava com o jeito distante de Logan, mas sentia uma enorme necessidade de que ele fosse mais carinhoso com ela. E aquele tipo de proximidade era ousada. Logan sentiu falta da menina também, mas não se permitia falar de emoções como essas assim abertamente, na frente de outras pessoas.

– Eu disse que voltaria. Sempre volto. – Ele sorriu de lado sendo charmoso ao extremo sem perceber. E a menina retribuiu o sorriso.

– O time está completo novamente! – Bobby se aproximou e estendeu a mão para um aperto firme.

– Não deu conta do serviço sem mim, garoto de gelo? – Logan zombou.

– Fiz meu trabalho perfeitamente. E é HOMEM de gelo, Wolverine. – Bobby respondeu um pouco incomodado com a brincadeira e todos riram.

Depois de cumprimentar a todos com acenos e apertos de mãos um pequeno e constrangedor silêncio se fez presente. Logan estranhou um pouco o fato de Bobby estar perto de Kitty e não de Marie, mas ignorou a observação boba.

– É bom tê-lo de volta. O seu quarto está exatamente como você deixou. Sinta-se a vontade, Logan. – Ororo tomou a frente da situação.

– Vou pegar minhas coisas na moto e subir. Obrigado. – Logan respondeu feliz pela recepção estar no fim.

– E vocês podem ir para a aula. – Ororo disse autoritária olhando para os mais novos.

– Mas Tempestade, você falou que não iríamos para aula, porque receberíamos o Logan! – Kitty reclamou.

– Verdade, então como vocês já fizeram isso, podem ir para a aula. – Tempestade sorriu vitoriosa.

Kitty bufou, mas obedeceu assim como os outros. Todos se dirigiram para o corredor e Marie deu um doce sorriso para Logan antes de ir andando. Ele pode observar que as mãos de Bobby e Kitty se entrelaçaram antes que eles virassem na dobra do corredor. Não tinha sido uma observação besta. Bobby e Marie não estão mais juntos, ele pensou e sentiu algo próximo de raiva e decepção para com o garoto de gelo.

– Garoto idiota. – Ele murmurou baixo. Tempestade ouviu, mas ignorou.

– Vou estar na minha sala se precisar de algo. – Ela sorriu antes de sair pelo corredor oposto.

O mutante das garras pegou a bolsa com seus pertences, guardou a moto na garagem e foi para o quarto. Ao abrir a porta encontrou tudo no lugar, exatamente como ele tinha deixado. Jogou a mochila num canto, fechou as cortinas e se deitou na cama. Confortável e aconchegante, nem parecia que há muitos meses ele não se deitava ali. O sono chegou rápido já que ele tinha viajado pela madrugada também.

No andar de baixo, Marie tentava prestar atenção na aula, uma explicação maçante sobre Revolução Francesa, mas não obtinha sucesso. A garota só sabia que a aula tratava desse assunto pelo enorme título no quadro negro. Ao mesmo tempo em que torcia para que a professora não fizesse perguntas para a turma ou percebesse que ela estava dispersa, ela pensava em Logan. Como seria agora com a volta dele? Ela queria conversar com ele à sos, o que se torna difícil numa casa tão cheia de gente. O velho ditado “As paredes têm ouvidos.” aqui era praticamente literal. Sem contar o fato de Logan normalmente rejeitar qualquer tipo de intimidade. Talvez a menina fosse a pessoa que mais tinha se aproximado de conhecer o verdadeiro Logan que se esconde atrás do jeito selvagem e sarcástico que todos vêem. Se correspondeu ao abraço já é uma pista que ele pode conversar comigo sem problemas. Posso ir ao quarto dele depois da aula, ela se decidiu tentando não esperar o pior de Logan.

Assim que as duas últimas aulas passaram como um borrão, ela correu para o quarto de Logan. Parou em frente à porta respirando fundo e tomando coragem.

 

POV LOGAN

Acordei e percebi que não havia dormido muito. Meu corpo ainda dava alguns sinais de cansaço, mas os ignorei. Tomei um banho me livrando do suor e relaxando. Quando saí do banheiro, ouvi uma respiração pesada que vinha de trás da porta e um cheiro familiar de Morango. Abri a porta e dei de cara com Marie, parada e assustada.

– Procurando alguma coisa garota? – Perguntei quebrando o silêncio.

– Eu... – Ela percorreu os olhos pelo meu corpo. Eu estava apenas com uma toalha enrolada na cintura e ela parecia admirada com o que via. – Eu quero conversar com você, Logan.

– Entra. – Dei espaço pra que ela passasse e fechei a porta. O quarto ainda estava escuro pelas cortinhas fechadas, então as abri deixando a luz entrar. Marie correu os olhos pelo ambiente com o olhar curioso que lhe é peculiar, largou a mochila no chão e me encarou.

– Quer isso de volta? – Ela perguntou tirando minha placa de identificação que estava pendurada no pescoço dela de dentro da blusa preta. As mãos delicadas tratavam o objeto com certo carinho e por um momento senti falta das luvas que costumavam cobrir essas mãos, mas estava melhor assim. Agora ela podia tocar quem quisesse e ser tocada, como sempre quis.

– Ainda não. Você gosta tanto disso... Pode continuar usando. – Respondi enfim e ela colocou o colar dentro da blusa novamente. – Como você está? – Fiz a pergunta que tanto tinha me perturbado nos últimos dias.

– Bem. – Marie respondeu com um sorriso fraco.

– E você e Bobby?

– Nós terminamos. Ele terminou comigo, na verdade.

– Moleque! Depois de tudo que você fez por ele... – Reclamei a interrompendo. Não era justo.

– Não, Logan. Não fiz nada por ele, fiz por mim. Eu queria aquilo.

– Ele terminou com você e já está com a Kitty. É um idiota.

– Não foi tão rápido assim... Nós namoramos uns seis meses apenas depois de tudo e não faz muito tempo que eles estão juntos... Não foi uma troca.

– Você ficou muito triste? – No segundo seguinte me arrependi da pergunta. É obvio que ela tinha ficado triste, não seja idiota Logan.

– Foi difícil no inicio, mas passou. – Ela sorriu realmente parecendo bem.

– Não te incomoda ver os dois juntos? – Por experiência própria eu sabia que ver quem se ama com outro alguém pode ser muito ruim.

– Isso não. O que me incomoda é o fato das pessoas acharem que ainda gosto dele. Que estou triste por eles namorarem... – Ela parecia sincera novamente.

– Você vai conhecer alguém legal... – Me impedi de continuar. Dar conselhos amorosos? Isso não é coisa para mim. O amor nunca foi bom comigo, e eu não esperava que um dia ele fosse. – Você está saindo com alguém? – Minha boca foi mais rápida e curiosa que meu cérebro pode impedir.

– Não. – Marie sorriu tímida com as bochechas levemente coradas. – Não sou boa nisso.

– Mas alguém te chamou pra sair?

– Sim... O Warren¹. Ele é legal, mas sei lá... – Marie não terminou a frase pensativa.

– Vocês... – Me impedi de continuar novamente. Eu perguntaria se eles já se beijaram??! Isso faria alguma diferença para mim??!

– Não. Nós somos só amigos. – Ela riu com meu leve constrangimento.

– Se ele ou qualquer outro idiota te magoar vai ter que se entender comigo. – Sorri gentil e me surpreendi por falar tal coisa. O sorriso dela agora podia iluminar todo o Instituto ou talvez a cidade inteira. Vê-la feliz me deixava feliz também.

– Você vai ficar por quanto tempo? – A expressão dela e tom de voz mudaram levemente. Eu sabia que toda vez que ia embora a deixava triste.

– Não sei. – Fui verdadeiro e ela abaixou o olhar.

– Logan... – Ela disse meu nome e respirou fundo. – Meu poder esta voltando. – Marie confessou voltando a me encarar. Fiquei surpreso com a revelação, mesmo que já tivesse ouvido rumores sobre os poderes de mutantes que tomaram a cura estarem voltando. Pensei que seria coisa de alguns casos apenas, entretanto estava enganado. Me aproximei dela que estava perto da cama.

– Como você descobriu? – Tentei entender a gravidade da situação.

– Eu fiquei brava com uma garota que não parava de me provocar dizendo coisas em relação ao Bobby namorar a Kitty... Tentei sair de perto dela, mas a menina agarrou meu braço me impedindo... Nisso nós duas sentimos uma sensação estranha, diferente dá que sempre senti ao absorver os poderes das pessoas. E então eu podia controlar a água, assim como ela.

– Durou muito tempo?

– Pouco mais de 2 horas apenas.

– Pode ser que não evolua... – Tentei confortá-la, mas incertezas e suposições não tranquilizam ninguém.

– Logan, estou com medo. – Marie sussurrou desviando o olhar. – Não quero ser como antes.

– Você tentou usar os podres por vontade própria depois desse acidente?

– Sim, mas consegui apenas uma vez.

– Pegou os poderes de quem?

– Tempestade. – Ela deu uma risada leve. – O céu ficou nublado por algumas horas.

– Você estava triste? – Me lembrei que as emoções de Ororo afetavam e se combinavam com as habilidades dela.

– Brava e assustada. – Não respondi tentando achar algo para falar. Marie tinha gostado de não ter poderes e se eles retornassem totalmente ela voltaria a não gostar de si mesma. – Eu estou assustada, Logan.

Ela me olhou demonstrando todos os receios que carregava, como se me implorasse por ajuda, essa que eu não podia dar. Sem pensar, me aproximei mais e puxei o corpo dela delicadamente a abraçando. As mãos macias e quentes deslizaram pelas minhas costas até acharem um lugar confortável e ela encostou a cabeça no meu peito. A respiração tranquila se chocou com minha pele quase a arrepiando pela diferença de temperatura. Fiz um leve carinho na nuca dela através dos cabelos pesados e ela respirou fundo se aconchegando mais ainda em meus braços. Aquele contato ultrapassou um limite. Meu corpo correspondeu de forma inesperada. Cada parte de mim sentiu algo novo. Envolvente. Desde quando eu desejava Marie?! Isso nunca tinha acontecido. Sempre olhava para ela com os olhos de um velho amigo, bem mais velho amigo. A afastei com certa rapidez e grosseria, ela me encarou surpresa e sem entender. O que está acontecendo comigo?


Notas Finais


n/a¹: Warren que convidou a Marie para sair é o Anjo. Sabe, aquele que aparece no 3º filme. Que o pai dele estava envolvido na criação da cura... O nome dele é Warren W. III. E o nome mutante é Anjo ou Arcanjo. Ele tem as asas de anjo, força fora do comum e propriedades curativas no sangue. Essas são características do personagem dos quadrinhos, até porque no filme não se aprofundam muito nele.

Vou postando a medida que vocês forem demonstrando interesse ok?
Espero que tenham gostado. Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...