História Persuasão - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Broke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Drama, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Policial, Suspense
Exibições 59
Palavras 1.636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não vou mentir, adoooooro.
Gente, esse capítulo está pesado e tem um momento que ficará BEM pesado para algumas pessoas, eu coloquei uma pequena nota minha avisando. Espero que gostem!

Capítulo 19 - Capítulo 19 - Missão


A missão? Concluída! As infiltradas...?

Tudo se tornara um verdadeiro caos, a troca de tiros, sangue por todo canto, Lauren corria desesperada atrás da sua garota e de Dinah, sem nem ao menos se preocupar se algum tiro a acertasse.

As meninas haviam desaparecido, a hipótese que Florence levantara é que haviam sido mortas ou na melhor delas, apenas foram sequestradas e usadas como reféns.

-Merda, Camila! Cadê você? – Lauren gritava a pleno pulmões apenas tentando encontrar algo que levasse a garota. Muitos corpos no chão, um pequeno alívio passou pelo corpo da policial ao notar que não eram soldados seus, mas uma tristeza bateu ao ver que eram de jovens moças.

-Lauren, precisamos bater em retirada, elas não estão aqui! – Halsey dizia.

-Não! Você diz isso porque Ariana está segura dentro de uma sala, ninguém sabe o que aconteceu com elas! – Foi a vez de Normani gritar segurando mais forte ainda sua pistola. Um tiro passou raspando por sua bochecha.

Lauren que estava sem reação e escondida atrás de uma mesa caída, sentou-se de costas para a mesma ignorando o campo de guerra que se formara e batera sua cabeça com força contra a madeira dura em em gesto de raiva e desespero, começou a recapitular tudo.

Uma hora antes.

Camila e Dinah estavam há cerca de vinte minutos dentro da sala de reuniões, Ariana gravava as escutas, aquilo era o suficiente para incriminar Bennett e Christian e ainda por cima capturar a cabeça de todo o esquema, elas só precisariam sair dali intactas, a missão estava oitenta por cento concluída.

Mas como ninguém esperava, um dos agentes chamados por Normani entregou o jogo.

-Temos traidoras entre nós, entregaram o esquema! Há policiais em todo canto, estamos cercados!

Jane que estava sentava com o rosto parcialmente coberto levantou-se em um pulo pegando uma arma escondida em suas roupas, todos os seus seguranças fizeram o mesmo e todos se entreolharam.

Em um ato rápido Jane atirou na cabeça de Bennett, mas Christian a olhou incrédulo. O agente que entregou o esquema das policiais olhou a cena sem entender, Dinah cutucou Camila para que elas saíssem dali, era a última deixa.

-Garota está louca? Era meu melhor soldado!

-E um traídor. – Ela dizia calma. – Limpem isso, precisamos dar um basta nos policiais lá fora.

-Senhora, não era ele... Eram el... Ué? – O agente infiltrado olhou em volta e não viu as meninas, Jane deu um soco forte em sua mesa.

-Quero elas vivas, as tragam para mim, matem todos os policiais e limpem tudo. – Jane saiu e Christian foi atrás dela.

O primeiro grupo de agentes invadiu o local indo diretamente em direção a Jane, a troca de tiros foi intensa, um atingiu o pé de Christian que não conseguira mais andar. Florence correu até ele segurando um par de algemas.

-É chefe, sua hora chegou. – Christian se debateu mas foi levado com dificuldade para dentro do carro e a muito custo Jane havia sido pega também, porém os capanagas tentavam escapar eliminando os policiais, porém esses eram muito bem treinados, então a troca de tiros se estendera por longos minutos enquanto as responsáveis pela missão adentravam todos as salas e quartos do local, havia uma porta dos fundos e viram seis capangas e uma moça jogando Camila e Dinah dentro de um furgão. Lucy olhou chocada para a moça que aparentemente mandava nos capangas.

-Camila! – Lauren gritou correndo em direção aos capangas e conseguiu atirar contra um, mas outro acertou uma coronhada em sua nuca deixando-a zonza. Normani vinha atrás e acertou mais um dos homens gigantescos.

-Verô? – Lucy perguntou incrédula. A morena a frente pareceu congelar, mas não olhou para trás, em alguns segundos passou a correr para dentro do veículo branco que saiu cantando pneu.

O barulho de tiros ainda era intenso dentro do espaço atrás das meninas, Lauren sentiu um grande peso sob seus ombros, queria chorar, queria gritar, não sabia o que poderia acontecer a sua menina, mas o mais importante é que ela estava viva.

Normani? Ela chutou a cabeça de um dos capangas caídos no chão com tanta força que foram escutados ossos quebrados e soltou um grito angustiante. Ariana chamou na escuta.

-Meninas peguem a porra do carro estou seguindo o carro pelas câmeras, vão logo antes que eu o perca!

Lucy, Halsey, Mani e Lauren correram para uma das viaturas e saíram em disparada.

-Bater em retirada, missão concluída. Welch e Lovato levem Christian para o delegado de plantão e deêm um jeito em Jane. – Normani dizia com a voz entrecortada. – Vamos resgatar nossas infiltradas. – E desligou o pequeno comunicador.

Ariana ia dizendo para onde as policiais deveriam ir e em alguns minutos alcansaram o veículo branco.

-Acelera Lauren! – Halsey disse colocando a arma para fora do carro e mirando em direção ao motorista.

-Não faz isso, estão em alta velocidade! – Lauren disse desesperada. – Se perder o controle capota e as reféns não sobrevivem. Lauren viu Mani estremecer ao seu lado.

A verdade é que Halsey não estava interessada em recuperar de fato as réfens, sua missão ali estava concluída, embora o caso fosse de Lauren o mérito também era dela e ela estava muito orgulhosa, mas não ligava muito para Cabello e Hansen, afinal sua amiga quase matara sua menina.

Ela colocou braço para dentro do veículo e decidiu que não se esforçaria mais naquela missão.

-

Dentro do furgão Veronica Iglesias e mais dois capangas não mediam esforços para fazer Camila e Dinah admitir que haviam entregado a maior máfia da cidade.

Dinah chorava ao ver a amiga caída desacordada no chão, a moça havia dado uma pancada tão forte que Camila não resistiu e caiu desacordada.

-Por favor...! Não faça nada com a gente! – Dinah já não sabia o que fazer, sabia que seriam torturadas da pior forma possível.

A viagem foi em silêncio, encostaram em um pier abandonado e os capangas pegaram as duas meninas pelos cabelos e as levaram para dentro amarrando-as em duas cadeiras, Camila desacordada estava completamente alheia ao que estava acontecendo.

Colocaram vendas nas garotas e alguns minutos de silêncio passava.

[N/a] Gente as coisas vão ficar um pouquinho pesadas aqui, quem não gostar desse tipo de coisa pode e deve pular, viu?

Veronica se injuriou com aquilo, sabia que Dinah não diria nada e tinha pouco tempo, sabia que estava sendo seguida, ela tinha que tirar as informações dos policiais envolvidos e matar as garotas.

-Usem o pau de arara nas duas e tragam dois baldes um com água fervente e outro com água fria ANDEM!

Dinah estremeceu, enquanto dois homens tiravam as roupas de Dinah e  a colocavam em numa barra de ferro que atravessava entre os punhos amarrados e a dobra do joelho e de ponta cabeça, ela começou a se debater e gritar furiosamente e com medo, assim que terminaram com Dinah, fizeram o mesmo com Camila que acordou assutada e percebeu que sua cabeça sangrava e doía demais e que estava de ponta cabeça sentindo a pior dor do mundo em seus pulsos e joelhos, gritou desesperada.

Logos os dois baldes estavam a poucos centímetros do rosto das garotas.

-Agora vocês vão me dar o nome de todos os policiais envolvidos nessa missão. – Iglesias falou calmamente. – Ou vou começar a brincar com vocês, mas não pensem muito, tic tac tic tac. – Veronica riu e apontou para o relógio, as meninas se entreolharam e ficaram caladas. – James, comece pela baixinha ali.

James um rapaz alto e forte se aproximou pegou o balde com água fria e mergulhou a cabeça de Camila ali. Segurou por longos segundos, a garota se debatia sentindo os pulmões queimarem e arderem como nunca. O rapaz puxou sua cabeça para fora pelos cabelos e Camila gritou de dor engasgando-se com a água acumulada em sua garganta.

-Diga garota, eu não tenho a noite toda! – Camila continuou calada, a todo momento pensando em sua garota e no amor que ela tinha por sua equipe. Veronica bufou.

-Dj... Vamos ver se você coopera mais. – Dinah se manteve quieta, Iglesias estressada foi até Camila e pegou um pau com alguns parafusos que estava perto. – Não ajuda por bem, então as coisas ficarão piores. Eu. Quero. Um. Nome. – Dinah tinha seu coração dilacerado, mas não podia entregar o amor da sua vida e não podia ferir sua melhor amiga, a última pessoa que lhe sobrara. Olhou Camila e viu estampado o desespero em seus olhos mas ela fez um “sim” com a cabeça entendendo que Dinah não poderia entregar as policiais. E então Camila sentiu a pior dor de sua vida e apagou sem cerimônia alguma, talvez para sempre.

Dinah gritou furiosa mas teve sua cabeça mergulhada em um balde de água fervendo, sentiu seus olhos arderem como mundo e queimaduras forte em sua pele do rosto, gritou desesperada engolindo aquele líquido com uma força incrível fazendo-a engasgar muito e sentiu sua garganta fechando. Ela se debatia muito e então tiraram seu rosto da água.

-Hansen, essa é a sua única chance.

 

Enquanto isso, Lauren escutava as coordenadas de Ariana, haviam perdido o furgão de vista há quase duas horas, mas Ariana o encontrou em um pier abandonado e seguiram para lá, encontraram o furgão ali se armaram o quando puderam e invadiram o local sem cerimônia, mas só encontraram as garotas ali de ponta cabeça, desacordadas e sangrando gravemente. Normani e Lauren caíram de joelhos e choraram como nunca antes, Lucy correu por todo o balcão procurando por Veronica e seus capangas, mas nada encontrou. Em alguns minutos Lauren e Mani criaram coragem para ver se as garotas estavam vivas, se aproximaram dos corpos nus e suspiraram em choque, Lauren sentiu seu sangue pulsar em ódio e tristeza. Ela iria se vingar daquilo, seus olhos ficaram vermelhos de raiva, ela gritou, gritou a pleno pulmões.


Notas Finais


Meu Deus, meu Deus, meu Deus ~correndo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...