História Pesadelo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Short Fic
Visualizações 7
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É a primeira fic que publico e foi baseada em um sonho (pesadelo) que tive. Desculpem qualquer coisa.

Capítulo 1 - Pesadelo


Aqui em Busan, eu tenho uma vida simples e normal. Faço faculdade de Dança na Pusan National University (PNU) e estou no meu último ano, já preparando o trabalho de conclusão. Estou trabalhando nele, para falar a verdade.

Meus pais saíram e Jihyun ainda não chegou da casa dos amigos, mas não estou sozinho. Na sala, estou sentado à mesa, com meu notebook aberto em um vídeo meu dançando e um caderno em mãos, onde estou fazendo anotações sobre a coreografia. Na cozinha tem alguém cozinhando. Um alguém que, inconscientemente, reconheço como meu namorado, mas não sei como é seu rosto, nome, nada. Só sei que o reconheço como meu namorado, e por isso, confio cegamente quando ele vem todo sorridente em minha direção com um prato na mão.

O rosto ainda não me é familiar. Na verdade, só consigo olhar para o sorriso. E que sorriso! É largo, com dentes branquinhos e muito bem alinhados. A única coisa que consigo reparar além do sorriso é sua pele negra e macia. Seu corpo, aparentemente, é bem trabalhado.

Sorrio de volta por causa da ansiedade. Estou faminto e, por incrível que pareça, o não reconhecimento não me assusta.

- Coma tudinho. Você vai gostar! - Ele diz, depositando o prato ao lado do notebook. Faço uma cara de repulsa ao ver carne. O cheiro era maravilhoso, mas aparência era estranha. Tinha o formato de um feto. - Não julgue antes de experimentar... É mais gostoso do que parece. - Falou com um pouco de amargura na voz.

Olhei novamente para o prato e, indeciso, peguei o garfo.

Este é meu namorado, certo? Não iria me fazer mal, não é? Que besteira, Park Jimin! Ele não lhe daria um feto para comer. Deve ser um formato infeliz para este pedaço de carne.

Cortei um pedaço e o levei, relutante, à boca. Ao Sentir seu sabor, foi como se cegasse meus instintos e só meu paladar existisse. Comecei a comer com gosto, até ouvir o barulho do portão e, logo em seguida, a porta da frente se abrindo, revelando Jihyun como um semblante confuso. Senti uma imensa alegria em vê-lo. Queria apertá-lo em um abraço firme e não soltar. Sentia sua falta e uma vontade enorme de sanar a saudade, que não sabia que sentia, do meu dongsaeng. Estranho esse sentimento, já que o tinha visto essa manhã e só estávamos na hora do jantar.

Levantei-me e saí correndo para abraçá-lo, sem dar atenção aos meus pensamentos. O tirei do chão em meio ao abraço e, dpois de depositá-lo de volta em seu lugar, ele me olha curioso, ainda com um sorriso no rosto, que chegava aos olhos de forma adorável.

- O que faz aqui, Hyung? Recebeu folga e veio de surpresa? - Falou animado. - Ah, estou louco para ver a cara da Omma e do Appa ao te verem em casa! - Começou a dar pulinhos de emoção.

- Do que está falando, Hyunie? Eu disse que ia ficar em casa para trabalhar na coreografia. - Disse meio atordoado.

Antes que ele pudesse responder, um barulho de algo metálico caindo veio da cozinha e ambos viramos para prestar atenção.

- Quem está aí? O Appa ou a Omma já chegaram? - Sua feição, de curiosa, tornou-se triste. - Nem me avisaram que você estava aqui. Teria vindo mais cedo, se soubesse.

- Hyunie, pare de falar coisas estranhas. - Falei em tom de gozação. - Meu namorado está na cozinha. Ele cozinhou um tipo de carne deliciosa, para mim. Você quer? Ela tem uma aparência estranha, mas é saborosa. Só tem mais um pedaço, mas se quiser, peço para ele cozinhar mais para você. - Ditei, dirigindo-me para o prato.

- Jungkook-ah também está aqui?! - Jihyun ficou ainda mais alegre. - Ainda não o vi depois do hyung contar que estavam se relacionando. O que deu na empresa para dar folga a todos vocês? É algum feriado em Seoul ou data especial, que eu não sei ou lembre? - Ficou pensativo.

Estava mastigando o último pedaço de carne, ouvindo meu irmão tagarelar sem entender bulhufas do que ou de quem ele estava falando. Porém, algo me chamou atenção. O nome do meu namorado não era Jungkook. Era... Era...? Qual é o nome do meu namorado??

Parei para refletir o que meu dongsaeng estava dizendo. Foi como uma bomba expandindo meu cérebro. sabe o Homem Transcendental? Então, sou eu, no momento.

Quem é a pessoa que está na cozinha? Comi essa carne estranha que ele me deu. O que está acontecendo??

Estava prestes a explodir em mais pensamentos, quando ele aparece com aquele sorriso, que logo se desfaz. Estaca em seu lugar, encara o prato vazio em cima da mesa e seu rosto relaxa.

- Oh, Jiminie, pelo menos você comeu tudo. Logo tudo o que nos separa desaparecerá e teremos, finalmente, um ao outro. - Fala em um tom esperançoso.

- O QUE TEM NESSA PORCARIA??? - Desesperadamente, cuspo o último pedaço de carne que ainda tinha na boca. - QUEM É VOCÊ? COMO ENTROU AQUI?? - Estou surtando. O que está acontecendo comigo? Eu quero chorar. Espere... Eu já estou chorando!

- Jimin! Por que você cuspiu? Agora não fará efeito direito. - Falou meu suposto namorado, levando as mãos à cabeça.

Veio correndo em minha direção e pronunciou umas palavras que eu não entendi. No mesmo instante, perdi o controle do meu corpo. Estava ciente de tudo, mas não tinha controle de nada. Fiquei no modo automático e me encaminhei para cozinha. Conseguia ouvir Jihyun vindo atrás de mim, alternando entre perguntas para mim, sobre o que iria fazer, e àquele homem, sobre o que ele tinha feito comigo. A voz dele estava me dando raiva e eu só pensava em querer desligá-la. Foi com esse pensamento que peguei a maior faca do conjunto que estava depositado na bancada da pia.

- Jimin Hyung, o que vai fazer com isso? - Fui andando em sua direção lentamente. -Hyung, por favor, pense no que está fazendo! - Ele está com os olhos cheios de lágrimas. Tropeça nos próprios pés e cai sentado. - O que você fez com o meu irmão? - Ele pergunta, desesperado, ao homem, já deixando as lágrimas rolarem livremente por seu rosto.

- Só o estou ajudando a eliminar todas as pessoas que nos afastam. Em breve, seremos só nós dois e nosso amor. - Respondeu o homem com uma voz assustadoramente emotiva.

- Jiminie Hyung, sei que você não quer fazer isso e que está sendo controlado por algo. - Falou quando o alcancei e me ajoelhei diante dele. - Saiba que eu te perdoo e nunca se culpe por isso. - Levanto a faca, as lágrimas abandonam meus olhos. - Eu te amo, Hyu... - Desço faca com força em seu peito, mirando seu coração.

- Eu te amo, Jihyun. - Desabei cima de meu dongsaeng.

Acordei assustado, suado e chorando. Ter um pesadelo onde você mata seu próprio irmão não é fácil. Acendi o abajur no criado mudo, liguei o celular e vi que eram 2:45 da manhã. Um pouco cedo para ligar pro meu irmãozinho e dizer que o amo.

Pensei em voltar a dormir, mas não queria fazê-lo sozinho. Me levantei eu fui em direção à cama do Hobi Hyung, para buscar abrigo e consolo com ele, mas ele não estava lá.

Provavelmente foi ao banheiro, deve voltar logo.

Volto ao meu criado mudo para pegar o celular, coloco no criado-mudo do Hyung e subo em sua cama. Estranho ela estar fria. Ele deve ter saído já faz um tempo. Já deve estar voltando.

Se passaram 15 min. O Hobi não deve ter dormido aqui. certamente deve estar no quarto do Yoongi Hyung ou do Tae. Eles estão muito próximos, ultimamente.

Não vou atrás deles. É impossível dormir com o ronco do Namjoon Hyung, só o Tae consegue. E se eu acordar o Yoongi Hyung, eu é que vou morrer. Só me resta... AISH!

Já é complicado pedir uma pessoa para dormir com ela por ter tido pesadelos, ainda mais pedir uma pessoa por quem você tem sentimentos, para dormir com ela por ter tido pesadelos. E se ele pedir para contar como foi o sonho? Como vou contar a parte em que meu irmão acha que ele era meu namorado?

Indeciso do que fazer, me vejo sozinho no quarto, no meio das cobertas de meu hyung. De lá, olho para os lados, observando cada detalhe do quarto. As sombras assustadoramente grandes, devido a pouca luminosidade. O quarto banhado em um mar escuro que, a cada segundo, parece se fechar ao meu redor. O pânico toma meu corpo e começo e tremer de medo. Decido me dar logo por vencido e ir ao quarto de Jungkook.

Talvez eu dê sorte de ele não me ouvir entrar, talvez eu consiga deitar em sua cama e me embrenhar nas cobertas sem ser notado. Apenas ter a companhia de alguém já é o suficiente.


Notas Finais


Desculpe a capa bosta. Tive que fazer tudo no celular, porque meu Pc desistiu de mim e não quer mais ligar.

Não vou marcar dia para atualizar porque a faculdade toma bastante tempo.
A fic já está completa, mas preciso de tempo para postar. O cap. seguinte já está betado. Devo postar semana que vêm.

Quero agradecer a minha alma gêmea por betar para mim e me incentivar a postar. Obrigada, @ScarletMoon.
OBS: Se eu demorar para postar os outros, a culpa é dela por demorar para betar os outros capítulos. Kkkk <3

Espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...