História Péssimo Mentiroso (Imagine Jimin e Jungkook) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Adultério, Amor, Bangtan Boys, Bts, Drama, Jimin, Jungkook, Romance, Sexo, Sweetpandax, Traição
Visualizações 691
Palavras 1.161
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O capítulo está curtinho, mas foi feito com amor. ♥

Só digo uma coisa: se preparem!

Boa leitura ♥♥♥

Capítulo 11 - Confusões


Fanfic / Fanfiction Péssimo Mentiroso (Imagine Jimin e Jungkook) - Capítulo 11 - Confusões

Minha mente se torna um turbilhão de coisas. Não consigo nem raciocinar e lembrar meu nome. Meu estômago fica embrulhado.


“Você vai ser papai”


Essa frase ecoa em meus pensamentos, me trazendo sensações como em um filme de terror. Não que eu não queira ser pai, mas não quero ser pai de um filho da Lisa. Até porque sempre sonhei em construir uma família com a (S/N).


Merda.


– Fala alguma coisa, Jiminnie. – Lalisa tenta me encostar e eu a afasto.


– Não me encosta. – respondo ríspido.


– Jimin, você vai assumir nossa menina, não vai? Eu não posso cuidar dela sozinha. – Começa a chorar, e eu respiro fundo enquanto passo as mãos pelos meus cabelos.


– Você disse que se prevenia. Tem noção que conseguiu acabar com a porra da minha vida toda? – digo alto e ela se encolhe no sofá.


– Me desculpa, Jimin. E-Eu sempre me cuidei e..-


– Cala a boca, eu não quero ouvir. Vai embora, Lisa. – a expulso.


– Mas..-


– VAI EMBORA, PORRA! – ela se assusta e foi até a porta, porém, a mesma se abriu antes, revelando uma (S/N) cheia de bolsas e assustada.


– Que caralhos está acontecendo aqui? – sua expressão não é uma das melhores, Lisa fulmina a morena com o olhar e para em sua frente a enfrentando.


– Estava contando a novidade ao Jiminnie. – sorri cínica.


– Que novidade? – (S/N) me olha esperando alguma resposta.


– Eu estou grávida do seu maridinho. – o sorriso dela aumenta ao ver a expressão assustada de (S/N).


– O que.. – sua voz falha, e as sacolas que antes estavam em suas mãos, vão ao chão.


– Isso mesmo, sua vaca. Agora ele está ligado a mim de um jeito ou de outro. – empurra (S/N) que se desequilibra.


Lalisa vai até a porta pronta para ir embora, porém, (S/N) puxa seus cabelos fortemente e ela cai no chão. (S/A) aproveita e sobe em cima da loira desferindo vários tapas em seu rosto.


– Sua vadia! Isso é para você aprender a não se meter com o marido dos outros. – mais tapas são dados na garota – É tão ruim que não consegue segurar um homem e apela para gravidez, é?


(S/N) continua desferindo tapas e até socos no rosto de Lisa. Até que o jogo vira, Lalisa empurra (S/A) que cai sentada, a loira aproveita e inverte as posições ficando por cima e atacando minha mulher.


– CHEGA! PAREM. – me levanto com dificuldade e tento separar as duas que quase arrancam pedaço meu.


Eu não podia fazer muita coisa, as duas estavam bem machucadas e saía sangue de seus rostos. Lalisa estava mais machucada que (S/N).


Saí do apartamento correndo, ou tentando, ignorei as dores e fui atrás do síndico o chamar para me ajudar a separar as duas. Ele prontamente me ajudou e quando voltamos ao apartamento, as duas estavam mais machucadas que antes. (S/N) estava com o braço jorrando sangue e um pedaço de vidro no mesmo. Arregalei meus olhos e Seu Joaquim me ajudou a separar as duas. Lalisa estava com o rosto cheio de hematomas e sua perna estava sangrando.


Segurei (S/N) e o síndico pegou Lisa a levando embora, não antes dela deixar seu recado:


– Sua mulher não foi capaz de te dar um filho, então eu mesma fiz isso. E você irá assumir querendo ou não. Ou eu acabo com a vidinha miserável de vocês dois.


Quando a porta se fecha, (S/N) se solta de meus braços e vai para o quarto. A sigo até lá para ajudar a cuidar de seus machucados.


– Vem cá, meu anjo. Eu te ajudo. – seguro seu braço delicadamente, e a faço se sentar na beirada da cama.


– Não preciso de sua ajuda. Me deixa em paz. – sua voz fica embargada e meu coração se aperta.


Puxo seu corpo para junto do meu e a dou um abraço. Ela tenta me empurrar, mas permanece no abraço devido minha insistência. Beijo seus cabelos e acaricio seu rosto que está bem machucado.


Ela levanta e vai ao banheiro cuidar de seus ferimentos. Respiro fundo e me jogo na cama.


(...)


O dia amanhece bonito como nunca. (S/N) dormia tranquilamente, seu rosto estava bem melhor, só tinha alguns roxos perto dos olhos e corte nos lábios. Seu braço levou alguns pontos. E a única e melhor parte; ela está dormindo agarrada em meu corpo. Como se temesse que eu fosse a algum lugar.


O único lugar que eu quero estar é aqui, com ela. A vontade de beijar seus doces lábios é enorme, mas ela ainda está com o Jeon. Pode parecer estranho isso, mas eu respeito.


Jeon.. Como ele deve estar? Eu não me importo, mas é curioso o fato dele ainda não ter ligado ou enviado alguma mensagem a ela nesses dois dias.


– Bom dia. – sou despertado de meus pensamentos com sua doce voz.


– Bom dia, meu anjo. Como se sente? – acaricio seu lindo rosto e ela fecha seus olhinhos.


– Eu que deveria perguntar isso. Ainda está com dor? – permanece com os olhos fechados, aproveitando meus carinhos.


– Não. Vamos dar uma volta hoje? – peço animado.


– Você ainda não está bom, Park Jimin. E eu quero dormir mais um pouco. – se cobre até a cabeça.


– Vamos, preguicinha. Por favor. – falo manhoso.


– Não quero.


– É assim, então? Bom saber.


Chego mais perto dela de maneira suave, tiro seu cobertor, e a faço cócegas. Ela não ri normal, ela grita.


– PARA. Por favor, já estou passando mal. – diz com lágrimas nos olhos, de tanto rir.


Encerro a brincadeira e começo a rir junto.


– Vamos, preguicinha. – levanto da cama, pego minhas muletas e vou em direção da porta.


– Tá bom, Park Chato. – se levanta birrenta, e vai para o banheiro.


(...)


As pessoas encaravam (S/N) de forma estranha. Deve ser por conta de seus machucados que estavam bem aparente.


Estávamos em um parque, o clima estava ótimo. Tudo estava ótimo, tentei ignorar oque Lisa me disse pelo menos por hoje. Amanhã eu decido oque fazer. No momento, só quero aproveitar a mulher que eu amo.


Ficamos andando, conversando e rindo. Nem parecia que tinha acontecido algo entre nós dois. Já era horário do almoço e decidimos comer em um restaurante por perto.


Entramos, fizemos nossos pedidos e ficamos conversando sobre assuntos aleatórios.


– Já sabe o que fazer em suas férias? – indago curioso.


– Pretendo visitar meus pais. – sorri animada.


– Isso é ótimo. Melhor ainda se eu for junto. – pisco.


Ela apenas ri e revira os olhos enquanto nega.


Estava tudo bom demais para ser verdade. Reparo mais no restaurante e algo me chama a atenção. Tento disfarçar, porém, acho que (S/N) já viu.


Ela franze o cenho e me olha.


– Aconteceu algo, Chim? – questiona.


– Não, nada. Só apreciando o lugar. – rio nervoso.


Ela arqueia a sobrancelha e olha na direção que antes eu tinha visto. Seus olhos se arregalam e ela fica estática. No instante que eu tinha olhado para a cena não estava acontecendo nada como está agora.


Em uma mesa ao fundo do restaurante estava Jungkook e Meghan, e o pior de tudo; se beijando.


Notas Finais


Será que o Jungkook beijou a Meghan por vontade própria, ou foi armação?

Espero que tenham gostado. Desculpe qualquer coisa e até o próximo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...