História Pessoa Errada - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Kris Wu
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kris Wu
Tags Abo, Chanchen, Chanyeol, Chen, Chenchan, Chenyeol, Exo, Jongdae, Krisyeol
Visualizações 51
Palavras 2.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Uma pequeno aviso: todos os capítulos a partir desse, contem um pequeno começo em itálico.

O texto em itálico é tipo uma cena "extra" do capitulo anterior.

Isso vai ficar melhor de se entender nos próximos capítulos.

Capítulo 3 - Capítulo 2 - Excuse Me


Fanfic / Fanfiction Pessoa Errada - Capítulo 3 - Capítulo 2 - Excuse Me

"Jongdae, seu cheiro está se tornando insuportável..." Kris o informou colocando o torso da mão em seu nariz "A mãe e o pai logo vão sentir, como o resto da casa. Porque não disse que estava perto do seu cio? Eles iriam entender."

"Cale a boca, eu só preciso sair daqui e respirar um pouco."

[---]

Jongdae não voltou até o término do jantar.

O líder dos Kim conversava com Park ChungHo as últimas exigências para que Yifan se comprometesse com o ômega de sua linhagem, afinal, uma vez casados não poderiam se renegar.

Os dois mais jovens apenas se encaravam um tanto opacos e sem ação, a negociação tinha sido muito mais rápida do que eles haviam pensado que seria. Não tinham ideias de como começar uma pequena conversa entre eles, tanto Chanyeol quanto Yifan pareciam tímidos demais para falar.

O jantar acabou um tanto tarde, mas tudo fora definido e as exigências supridas. ChungHo sorria alto batendo na mesa, contando histórias constrangedoras pelo ponto de vista de Chanyeol, e Jongsuk o acompanhava com o riso um pouco mais baixo junto a mulher. Pouco tempo depois o dono da casa se pronunciou.

"Baekhyun venha até aqui." chamou em alto e bom som, fazendo o mesmo parar ao seu lado "Mostre o quarto em que Yifan irá ficar." Disse ele olhando para o empregado, logo desviando à vista para Yerin e seu marido. "Eu mesmo mostrarei o aposento destes."

Chanyeol, um tanto incomodado com aquela ordem, se intrometeu.

"Eu o levarei ao meu aposento, pai." Sua voz saiu acanhada e pouco falha, mas ainda assim conseguiu manter os olhos para o loiro que o encarava surpreso. "Ele será meu companheiro daqui para frente, essa é minha função, nada mais justo." Explicou.

O homem lhe olhou assustado, concordando sem contestar, afinal o filho tinha razão.

E já que a primeira tarefa fora descartada, Baekhyun fora designado a encontrar Jongdae, que ainda não tinha voltado, e mostrá-lo aonde dormiria aqueles dias.

"Jongdae é sempre importuno." Difamou a mãe do garoto. "Desculpe-nos por lhe darmos tanto trabalho."

ChungHo negou com a cabeça, e balançou as mãos confirmando o ato. "Não é nada, eu acho que Jongdae apenas fora tomar um pouco de ar puro. Os lobos de hoje são assim, não aguentam ficar tanto tempo presos como antigamente."

O ômega estremeceu com o nome citado, lembrando vagamente do cheiro que lhe era estranhamente agradável que o menino tinha e o modo como seu corpo se comportou a ele.

Yifan se pôs ao seu lado e os mais velhos presentes sorriram.

"Boa noite Yifan..." Disse sua mãe, agora agarrada a um braço de Jongsuk. "Chanyeol."

"Sra. Kim."

A mesma lhe ofereceu um sorriso caloroso, antes de se virar e seguir ChungHo junto ao marido.

Baekhyun pediu licença e saira pela grande porta para completar o pedido do dono da casa, deixando finalmente o casal a sós.

[---]

Chanyeol tentou ao máximo ficar calmo enquanto caminhava devagar ao lado de Yifan. Era um silêncio constrangedor. Chanyeol não queria isso, era fato, logo ele que tinha planejado um final totalmente diferente daquele. Por fim, quando tomou coragem de falar e ia se prestar a pigarrear e perguntar qualquer baboseira, escutou o loiro ao seu lado se direcionar a si.

"É uma loucura não é?"

O ômega lhe olhou confuso.

Tudo era uma loucura agora, não tinha como negar. Desde o começo quando seu pai lhe disse que o seu compromisso fora arranjado e ele casaria com um desconhecido para o bem da alcateia. Até a parte em que estava levando o tal desconhecido para seu quarto.

Não havia nada que lhe dissesse que aquilo não era uma loucura de fato.

"Você está bem com isso?" Perguntou Chanyeol, vendo o rapaz sorrir de lado. "Dormir na mesma cama com um desconhecido?"

"Você não é de se jogar fora." Brincou "Esta tudo bem. Eu não me importo."

O ômega queria ser mais como ele, não se importar. Mas era a sua vida ali, e mesmo não tendo a escolha, Chanyeol pensava em um dia ser feliz ao lado da pessoa destinada a ele, mas que agora ficaria para trás por causas maiores.

"Porque eu não sinto o seu cheiro Wu Yifan?" Não se conteve.

O rapaz lhe olhou "Por favor me chame apenas de Yifan" pediu e suspirou ao mesmo tempo. "Eu fui treinado como alfa, mas meu gênero é de apenas um beta, por isso você não sente cheiro algum. Pensei que seu pai havia lhe contado"

"Não, me desculpe, eu não sabia."

"Está tudo bem, você é quase meu noivo agora, pergunte tudo o que quiser saber." Sorriu.

A conversa não durou muito, mais alguns passos à frente eles chegaram ao quarto de Chanyeol. Yifan deixou a mala perto da porta e pediu para usar o banheiro, estava se sentindo sujo e totalmente cansado. O mais novo lhe entendia perfeitamente, e quando o loiro se pôs dentro do banheiro, ele mesmo pegou uma toalha e seguiu para o banheiro do corredor. Precisava de um banho agora.

[---]

Chanyeol não tinha dado nem dois passos no corredor, quando voltou às pressas para dentro do quarto novamente deixando a porta entreaberta. Baekhyun andava rindo baixinho, acompanhado de uma voz ainda mais risonha que a dele, era Jongdae. Eles pareciam bem a vontade pra quem tinha se conhecido a momentos atras, o ômega não pode deixar passar a vontade que tivera de espiar pela porta.

"Esse é o seu quarto, senhor." Disse o empregado se recompondo do riso.

"Me chame de Chen." Ele sorriu, enquanto alisou o queixo do ruivo "E eu quero a sua companhia está noite."

Baekhyun corou no mesmo instante, surpreso em como o homem fora direto em suas palavras e sem qualquer filtro. Mesmo que ele não tivesse deixa explícito o que queria, o mais alto, por apenas 1 centímetro, havia entendido tudo. Tentou falar gaguejando uma resposta negativa ao alfa descarado, mas não via porque negar o convite alheio, já que seu destino fora mudado.

Chanyeol sentiu raiva passear pelo seu corpo, vendo que Baekhyun estava pensando naquela possibilidade. Quando o beta se tornara tão fácil assim?

"Geralmente eu não sou tão direito assim, mas preciso disso agora." Constatou Jongdae, comunicando sua situação, e imprensou o empregado contra a porta. "Por favor."

Chanyeol achou que aquilo estava indo longe de mais, e quando viu o rosto do mais baixo totalmente em transe, sabia que ele iria ceder a qualquer momento, o beta tinha que tomar consciência do que estava fazendo. Foi aquele momento que resolveu realmente ir tomar banho.

O dois seres se afastaram quase que instantaneamente quando escutaram a porta se abrir totalmente. Chanyeol sorriu contido, aliviado com o afastamento deles e a possível volta da consciência de Baekhyun. Caminhou olhando os dois de frente, encarando o beta que abaixou os olhos aos pés e o modo como Jongdae parecia... estranho. O cheiro familiar apareceu em segundos quando passara por ele, e quando estava perto de virar o corredor, pode ver o alfa soltar o ar que segurava em seu peito e puxar Baekhyun para dentro do quarto, mesmo que o menino não tivesse respondido nada, fechando a porta.

Chanyeol rosna rude com a ideia que acabara de falhar.

Sua vontade era de ir lá e parar com tudo aquilo, mas sabia que não tinha motivo nenhum. Baekhyun estava fragilizado e desolado, o aparecimento de Jongdae foi realmente convidativo. Embora não tivesse gostado nada de ver Baekhyun ser puxado contra a vontade, sabia que o garoto não faria nada que ele não quisesse. E mesmo que tivessem prometido um ao outro que suas primeiras vezes seriam os dois ao primeiro cio do ômega. O destino fora traçado para outra direção.

O ômega bufou mais uma vez seguindo finalmente ao banheiro.

[---]

Não sabia ao certo quanto tempo ficou em baixo do chuveiro, a água fria batia contra a sua pele estranhamente quente lhe dando uma sensação muito boa para terminar aquele banho rápido. Por fim, ele desligou a água passando uma toalha pela cintura e foi ao espelho secar o cabelo com outra.

Chanyeol observou seu corpo enquanto secava o cabelo, estava em boa forma. Ele pensou levemente o que Yifan pensaria dele quando o visse assim. Estaria aceitável? Yifan sentiria prazer em vê-lo? O ômega balançou a cabeça para afastar tais pensamentos, não queria pensar nisso agora. Virou-se para vestir a roupa.

O rapaz se bate mentalmente ao perceber que não trouxe roupas limpas com ele, por conta da cena que presenciou antes de vir ao banheiro. Yifan já devia ter terminado e estaria deitado esperando a sua presença na cama. Como entraria em seu quarto assim?

Haviam roupas no quarto de hóspedes do corredor que sempre guardava lá, mas fora ocupado por Jongdae, e ele não tinha coragem de ir interromper o que provavelmente estava acontecendo lá.

Mas era isso, ou Yifan lhe olhar como veio ao mundo antes do tempo.

Ele seguiu para o quarto de Jongdae.

[---]

Depois de ficar um pouco mais de tempo no banheiro fazendo absolutamente nada, Chanyeol seguiu pelo corredor um tanto tenso e parou em frente à porta do convidado que estava hospedado lá. Não tinha sons vindo de dentro do quarto, então ele julgou está tudo totalmente bem para bater na porta.

Foram três batidas contidas, e poucos segundos para a porta ser aberta. Baekhyun lhe olhou surpreso quando o viu parado lá, encarando a parte despida do corpo atraente do ômega sem qualquer constrangimento. Chanyeol corou por um momento, mas logo percebeu o estado do beta a sua frente. Ele estava corado também, levemente suado e as roupas extremamente amassadas. Estava totalmente visível o que aconteceu ali.

"Eu preciso ir" disse ele mais vermelho do que antes, logo depois esbarrando no ômega sem deixá-lo responder.

Chanyeol seguiu Baekhyun com os olhos, até o menino desaparecer na virada do corredor. Pela segunda vez na vida, Chanyeol sentia raiva de Kim Jongdae.

"Posso ajudá-lo?"

Chanyeol seguiu a voz que lhe chamara e estava pronto para gritar com o homem a sua frente sem qualquer educação que lhe foi dada. Mas tão rápido o pensamento se foi, as palavras fugiram de sua boca e ele virou a cabeça para o lado fechando os olhos.

"Me desculpe." Disse ele a última coisa que pensaria em falar para Jongdae.

Na verdade o homem não teve a decência de se vestir, estava totalmente nu a sua frente. Cabelos colados a testa, corpo molhado, não identificado se era água ou suor pela olhada rápida, e uma marca avermelhada que ele agora tinha no pescoço. O ômega não olhou mais nada naquele corpo, percebendo que o cheiro de Jongdae estava mais contido também.

"Te desculpar, pelo o que?" Jongdae riu abafado.

"Eu não sabia que estaria desse jeito" Disse Chanyeol ainda sem olhá-lo. "Você pode se vestir?"

"Nós temos a mesma ferramenta, não é como você nunca tenha visto." Brincou Jongdae andando até o banheiro, e saiu de lá coberto por um roupão. "Em que posso ajudar a essa hora?"

O ômega não tinha percebido mas havia ficado horas no banho.

Chanyeol viu quando os caninos de Jongdae apareceram em sua boca no meio da frase, e ele tentou virar o rosto para não mostrar o que acabara de acontecer. A resposta demorou mais do que o previsto em seu pensamento e o ômega notou que o moreno lhe observava contido. Isso fez o mais alto ali perceber que ele estava com o peito desnudo.

"Eu apenas vim pegar algumas roupas que ficaram aqui." Disse ele um tanto apressado, indo em direção às cômodas e pegando as primeiras peças que vieram a sua frente.

Ele não se despediu ou agradeceu, apenas seguiu para fora do quarto o mais rápido possível, sentindo o cheiro de Jongdae impregnado naquele quarto e seu corpo aquecer de repente. Algum tempo a mais naquele cômodo o levaria à loucura.

[---]

Depois de outro banho e estar totalmente vestido, Chanyeol caminhava agora em direção ao seu quarto. Ele percebeu que Yifan dormia em sua cama, mas deixara um espaço para que ele pudesse se acomodar.

Mesmo reluntate o ômega se deixou a escorregar pelo edredom e acomodar a cabeça no travesseiro. Estava morto de cansado. Eram coisas de mais acontecendo de uma só vez.

E quando estava prestes a dormir Yifan lhe abraçou pelo estômago e se acomodou ainda mais perto de Chanyeol. Ele não iria dizer isso em voz alta nunca, mas a posição pareceu bastante confortável e em minuos o ômega estava dormindo.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...