História Pessoas merecem morrer - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Hentai, Originais, Violencia
Exibições 31
Palavras 1.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 25 - Explosão


Fanfic / Fanfiction Pessoas merecem morrer - Capítulo 25 - Explosão

Pedro sai de sua casa e pega seu carro, liga ele e começa a dirigir pra longe dali, ele quer saber onde Lucas, Gabriel, Ester estão, ele pensa que só eles estavam dentro do carro que ele bateu pra cair no mar

Pedro - eu irei matar vocês... por tudo que vocês fizeram - fala friamente e com os olhos opacos

Ele continua a dirigir, enquanto isso no carro de Lucas todos estavam em silêncio observando a estrada

Lucas - se vocês verem um carro preto me avisem - fala 

Simone - ta, mas como sabemos qual vai ser o carro dele? - pergunta

Lucas - ...abrimos a porta do carro - fala sorrindo sem graça

Ester - prevejo que a gente vai morrer - fala 

Lucas - EI! confie em mim, eu sei oque faço ta?! - fala irritado

Ester - ta certo... - fala rindo baixo

Lucas continua a dirigir até que um carro preto passa por eles e Lucas para o carro e o carro preto também para, Lucas sai do carro e vai até aquele carro preto parado no meio da estrada

Lucas - ei, pode abrir a porta do carro e sair do mesmo por favor - pede seriamente

O dono daquele carro sai do mesmo e encara Lucas friamente, Lucas faz o mesmo ao perceber quem era o dono do carro

Lucas - olá... Pedro - pronuncia o nome dele friamente

Pedro - olá Lucas - pronuncia o nome do mesmo com nojo

Todos tinham saído do carro e Pedro encara cada um deles, Pedro ri baixo - parece que você não está sozinho nessa não é mesmo? - fala com os olhos opacos

Lucas - é, agora me diga, como você está vivo? - pergunta

Pedro - eu me fingi de morto naquele dia, e você nem percebeu - fala rindo

Gabriel - eu não achei graça nisso... - fala calmamente

Pedro para de rir e encara Gabriel, Gabriel faz o mesmo e vê Pedro fechar o punho e partir pra cima dele, Gabriel desvia mas Pedro se vira e dá um soco no rosto de Gabriel, ele coloca sua mão no local onde recebeu o soco e encara friamente Pedro e parte pra cima dele depositando socos em seu rosto, barriga, braço, perna

Gabriel - quer morrer? então é agora que você vai morrer! - fala friamente

Pedro põe o pé na barriga de Gabriel e o empurra fazendo ele cair pra trás, Pedro se levanta cambaleando por causa dos socos que levou e sua visão estava um pouco embaçada

Lucas - calma vocês dois! - fala em um tom alto 

Gabriel - manda ele se acalmar então! - fala irritado 

Pedro - eu vou te matar! - aponta pra Gabriel - se prepare...

Gabriel - já to preparado faz é tempo - fala 

Pedro - então eu vou te matar agora - dá uma voadora em Gabriel que o faz cair

Gabriel se levanta e dá um soco forte no braço de Pedro e depois um soco no rosto dele fazendo ele cair, Gabriel levanta o braço dele e sorri maleficamente

Gabriel - sabe oque eu posso fazer com esse braço? - pergunta inocentemente

Pedro - n-não faça isso... - fala suando frio

Gabriel - fazer oque? não irei fazer nada, apenas isso - quebra o braço de Pedro

Pedro grita de dor e Gabriel coloca o braço dele no chão e é retirado de cima dele por Lucas

Lucas - foi legal isso mas já chega - fala seriamente

Gabriel - ta - fala desviando os olhos

Juliana - você está bem? - pergunta

Gabriel - estou - responde e sorri

Pedro se levanta, ele segurava o seu braço quebrado e encarou todos que estavam ali, ele correu e entrou dentro do carro dele e começa a dirigir pra bem longe dali

Pedro - droga! eles vão ver só... - fala com uma expressão de dor

Lucas apenas via o carro dele se distanciar, ele suspira e vai até o seu carro junto dos outros, eles entram no carro e Lucas começa a dirigir seguindo a direção onde o Pedro foi

Gabriel - iremos seguir ele? - não entende

Lucas - sabe... ele quase nos matou e agora teremos que matar ele, é essa a opção que eu tenho - fala seriamente

Ester - espero que essa sua " opção " dê certo - fala 

Lucas - tenho certeza que dará - sorri

Pedro tinha ido ao hospital para os médicos tentarem consertar seu braço, ele estava em um quarto deitado em uma maca e olhando pro teto se lembrando dos momentos felizes que ele, Lucas, Ester e Gabriel passaram juntos quando eram crianças, eles não se lembravam de que tinham se conhecido quando eram crianças 

Lucas e Ester se lembram que ambos se conheciam, apenas eles se conheciam e não lembravam que tinham conhecido os outros em sua infância, Gabriel, Lucas e Ester se lembram de ter conhecido Pedro 

Eles eram apenas crianças brincando em um parque cheio de brinquedos, mas algo acabou com tudo isso... Lucas, Ester e Gabriel foram influenciados a matar suas famílias, eles fizeram isso e eles queriam vingança e decidiram que queriam acabar com todas as pessoas que existiam na Terra, queriam acabar com a impureza existente em toda a Terra

Com esse pensamento eles acabaram matando as pessoas e também mataram a família de Pedro, ele ficou em depressão depois disso e depois que descobriu quem foram os assassinos de sua família seu sangue ferveu, ele não pensou de uma forma calma, ele apenas decidiu que iria se vingar e ele imagina que esta é a chance perfeita dele acabar com todos que mataram sua família e que ele irá ser um herói que salvou o mundo

Mas ele está enganado, não será tão fácil assim acabar com eles... vai ser mais difícil do que ele pensa, eles tem inteligência, não seriam mortos assim tão facilmente

Pedro - tenho que aprender muita coisa daqui pra frente... mas eu ainda não irei desistir de matar eles! nunca irei desistir, eles tiraram algo muito precioso de mim e agora eu quero vingança - fala friamente

O médico chega no quarto e Pedro o encara seriamente, o médico pede para que ele relaxe que os outros médicos iriam fazer uma cirurgia no braço dele, Pedro apenas confirma com a cabeça e o médico deixa o quarto e Pedro dorme 

Enquanto isso Lucas parou o carro em uma pousada pois já estava ficando um pouco tarde, todos saíram do carro e quando Lucas ia pagar para ficar na pousada percebe que estava sem dinheiro, ele encara Ester sorrindo sem graça e a mesma suspira e dá o dinheiro para ficarem na pousada

Todos entram na pousada e vão para seus apartamentos e lá ficam, no apartamento de Lucas e Ester os dois conversavam sobre o Pedro até que ouviram a porta se abrir, era apenas o Gabriel, o mesmo fecha a porta e participa da conversa deles

Gabriel - em que hospital ele foi? - pergunta

Lucas - não sei, você quebrou o braço dele sem dó nem piedade... AQUILO FOI DEMAIS! - fala com os olhos brilhando

Gabriel - valeu, não é todo dia que eu quebro o braço de uma pessoa - sorri

Ester - ta, mas tipo... por que ele quer nos matar? - não entende

Lucas - talvez seja porque eu e você matamos a família dele - fala seriamente

Gabriel - eu matei a irmã dele, ela tinha uns 16 anos eu acho... - fala 

Lucas - e agora ele quer vingança - fala entediado

Gabriel - e teremos que matar ele... - fala no mesmo tom que Lucas

Ester - foi ele quem pediu pra ser morto, não temos culpa - fala 

Gabriel - é, bom eu vou pro meu apartamento dormir, até mais - fala se levantando e saindo do apartamento deles

Lucas - também - se levanta e vai pro quarto sendo seguido por Ester

Os dois dormem e se passam algumas horas até que no meio da noite Juliana acorda por causa de vozes novamente dizendo para ela se cortar, ela vai ao banheiro, pega uma lâmina e começa a se cortar

Ao parar de se cortar ela olha pro espelho e fica encarando seu reflexo no espelho fixamente - ...ás vezes eu penso... por que eu sou assim? - pergunta pra si mesma

Ela continua olhando seu reflexo mas fecha os olhos e suspira

Juliana - nem eu sei a resposta, mas talvez seja porque eu fui escolhida para matar - fala seriamente e saindo do banheiro

Ela pega o kit de primeiros socorros e enfaixa seu braço, ela guarda o kit de primeiros socorros, vai até seu quarto e dorme novamente mas não consegue dormir

Juliana - que droga... - murmura

Ela se senta na cama e ouve barulhos de trovões, ela suspira e encara o chão

Juliana - que tipo de mundo nós vivemos? - se pergunta - onde o amor é dividido pelo ódio...

Ouve outro barulho de trovões e se deita na cama novamente e fecha os seus olhos lentamente e depois de alguns segundos... dorme

Depois de algumas horas amanhece, todos acordam, tomam banho, se arrumam e saem de seus apartamentos ainda com vontade de dormir

Gabriel - então, iremos tentar encontrar ele novamente? - pergunta cambaleando por causa do sono

Juliana - parece que sim - boceja

Lucas - vamos pro carro logo - coloca Ester em seus braços e corre para o carro 

Simone - EI ME ESPEREM VOCÊS AI! - exclama mas ninguém a espera então ela começa a correr mais rápido - VOU PASSAR NA FRENTE DE TODOS VOCÊS SEUS DESALMADO!

Ela passa de todos e entra no carro primeiro - falei que ia passar na frente de vocês - Simone fala

Lucas bufa - ta certo, entra ai meu povo - fala colocando Ester no chão

Todos entram dentro do carro e Lucas começa a dirigir em direção ao hospital mais perto dali

Lucas - agora iremos pra um hospital perto daqui ver se o Pedro está lá - fala calmamente

Simone - e se não estiver lá iremos em outro hospital e assim vai - fala

Lucas - exato! - sorri

não demorou muito para que eles chegassem no hospital, eles entraram no mesmo e foram em todos os quartos que tinham ali e Pedro não estava em nenhum deles

Gabriel - onde esse desgraçado foi? - pergunta a si mesmo

Ele desiste e sai do hospital assim como os outros 

Lucas - conseguiram achar ele? - pergunta 

Gabriel - não - responde irritado

Lucas - ah mas esse cara não vai escapar! - fala entrando no carro e os outros fazem a mesma coisa

Ao entrarem no carro o Lucas começa a dirigir e ele vai para outro hospital, chegando nesse segundo hospital um homem encapuzado sai do hospital e Lucas o encara suspeitando dele

Lucas - vamos seguir esse cara - fala seriamente e todos concordam

Ele segue este indivíduo que estava andando pela estrada sem se preocupar se seria atropelado ou não pelos veículos que estavam passando por ali, ele para de andar, se vira e vê o carro onde eles estavam, este indivíduo sorri e tira uma bomba-relógio de seu casaco e lança no vidro da frente do carro onde eles estavam

Lucas tenta sair do carro mas ele tinha trancado o carro e todos estavam tentando sair do carro até que a boma-relógio explodiu junto com o carro

Este indivíduo que estava encapuzado tirou o capuz e ficou olhando a explosão acontecer, era o Pedro e seu braço não estava muito bom então mas ele conseguiu jogar a bomba-relógio mesmo assim

Pedro - adeus assassinos... - fala sorrindo e sai daquele lugar

Continua...


Notas Finais


BOOOOOM! Espero que tenham gostado e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...