História Pétalas de Girassol - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Hinata Hyuuga, Naruhina, Naruto Uzumaki
Visualizações 121
Palavras 750
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Gostos


— Então, agora que eu sei do que você não gosta, faltam as coisas que você gosta — ele disse abrindo e segurando a porta para Hinata entrar primeiro.

— Naruto-kun, eu sinto muito mesmo...

Pois eles tinham acabado de vir de mais um encontro que poderia ter terminado mal se ambos não tivessem tão dispostos a arrumar formas de estar um com o outro e aproveitar ao máximo esses momentos. Sem saber que Hinata não gostava de camarão e não era lá muito fã dos demais frutos do mar, ele havia aceitado a sugestão de Chouji e levado Hinata a um festival de comida de Kiri.

— Para com isso, hime. Você não tem culpa, eu que devia ter perguntado antes'ttebayo.

E ele havia perguntado — quando acabaram sua noite frustrada mais uma vez no Ichiraku's — todas as coisas de que ela não gostava e ela perguntou as dele, descobrindo que sabia bem menos do que se poderia esperar depois de tantos anos de stalk- er tímida devotada admiração. E ambos acabaram se divertindo horrores listando o que mais detestavam e sentindo aquela estranha, mas satisfatória conexão quando compartilhavam algum objeto de desafeto.

Quando ela pareceu abrir a boca para continuar naquela linha da discussão, Naruto a beijou uma vez e então, sorrindo de um jeito meio diabólico, o tipo de sorriso que fazia com que os dedos do pé dela se encolhessem em antecipação, ele, sem cortar o contato visual, a guiou com as mãos pelos quadris até o balcão da cozinha e se curvou em direção a ela que achou que seria beijada outra vez e não pode se impedir de sentir uma pontada de decepção quando ele apenas estava lhe alçando pela cintura para colocá-la em cima do balcão. Ela automaticamente separou os joelhos para recebê-lo mesmo não tendo muita certeza do que ele pretendia.

— Agora'ttebayo — disse ele afastando alguns fios da franja dela para o lado simplesmente porque podia — quero saber de tudo que você gosta.

Ela demorou alguns momentos para responder, capturada pelo olhar dele.

— Do que eu gosto? — Ela pestanejou. —Mas você já sabe.

— Eu achava que sabia de tudo que você não gostava e deu no que deu.

— Mas não sei o que te dizer. Eu gosto de um monte de coisas.

— Ok, vou começar então’ttebayo. Eu gosto de lámen, mas isso você já sabe, eu gosto de plantas, embora quando eu volte pra casa elas geralmente estejam mortas... Ah mais o Gaara me deu um cacto, o Midori-kun ele ainda está vivo. Eu gosto de sopa de feijão vermelho, de subir em lugares bem altos, de brincar com as crianças na academia, de quando todo mundo consegue se reunir mesmo que quase nunca aconteça, todo mundo é tão ocupado... Eu gosto de acampar em missões, de irritar a Sakura-chan, de quando eu consigo acertar um golpe que o Sasuke-teme não estava esperando, de ver o Kakashi-sensei interagindo com o Gay-sensei, de conhecer gente nova, de quando começa a chover em dias quentes, de como tudo fica bonito no inverno, da lua cheia, de você — ele terminou com um largo sorriso.

Ela engoliu em seco tentando conter as lágrimas, não queria estragar aquele momento tão terno, mas ainda era difícil acreditar que aquilo tudo era verdade e como se sentisse o turbilhão de sentimentos aprisionado dentro dela, Naruto se aproximou a beijando na bochecha e dizendo baixinho:

— Sua vez.

— Hmm, — ela limpou a garganta — ok.— Eu gosto das cores de outono, de sentir o vento na minha pele, do leve apimentado e doce da canela, da risada da minha irmã, eu gosto do cheiro do chá quente no fim da tarde e do som das asas dos pássaros voando perto de mim... — Eu gosto... — ela levou a mão ao topo da cabeça dele — de um homem alto... — a mão dela desceu pelos fios macios — do dourado dos cabelos dele — até se encaixar no rosto dele, o polegar o acariciando embaixo dos olhos — olhos tão azuis que me fazem pensar na imensidão do céu — ela então começou a seguir as linhas que ele tinha na bochecha com a ponta do dedo — adoráveis bigodes de raposa.

— Hinata...

— Hn? — fez ela ainda acariciando o rosto dele.

— O que eu fiz pra merecer você?

Ela riu.

— Coisas muito boas.

— É mesmo?

— Então porque eu só consigo pensar em coisas más quando olho pra você?

Ela corou da cabeça aos pés.

— Naruto-kun!

Ele riu e a agarrou pelas cochas a carregando em direção ao quarto ao som de risos e falsos protestos.


Notas Finais


Eu digo que não leio porn NaruHina (e não leio mesmo), mas eles vivem aparecendo em situações sexuais nas minhas fics, vai entender.

Mas essa fic tinha uma outra conclusão, acho, o problema é que eu não escrevi na hora e acabou ficando assim.

Mas o intuito mesmo era a cena deles dizendo o que gostam, é inspirado numa cena do dorama coreano Faith.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...