História Petit - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags Chansoo, Jinout
Visualizações 136
Palavras 1.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


iai galerinha!¡ capitulo grande para compensar o tempo de espera kkkkrindo de nervoso.
se eu demorei é tudo culpa do bloqueio criativo, das crises existências, do fora que eu levei, e principalmente, de produce 101.

espero que gostem desse capítulo feito com muito amor, sangue, suor e lágrimas 👉💙👈

Capítulo 9 - [Sobre flores, jantares e boyfriend material]


 O barulho irritante do despertado ecoava pelo quarto, eu já estava acordado a alguns minutos apenas esperando para que Kyungsoo acordasse também, mas o mesmo parecia não querer acordar.

ㅡ Hyung, ㅡ chamei-o baixinho, passando aos mãos por seus cabelos escuros. Ele apenas resmungou algo e virou para o outro lado. ㅡ Hey, hyung, acorda.

Kyungsoo soltou mais um resmungo antes de abrir os olhos e me encarar por longos segundos.

ㅡ Bom dia. ㅡ sorri.

ㅡ Por que colocou o despertador para tocar? Hoje é sábado. ㅡ disse, com um pouco de rouquidão da voz.

ㅡ Hoje é seu aniversário!

Ele riu nasalado, coçando os olhos logo em seguida. Kyungsoo tinha marcas do travesseiro em seu rosto e parecia descançado, ele havia tido uma ótima noite de sono e isso bastou para me deixar ainda mais animado e contente. Fazia alguns dias que eu vinha pensando sobre o que fazer no aniversário do meu hyung, não era lá grande coisa, mas algo para deixá-lo feliz era o bastante para mim.

Enquanto Kyungsoo revirava-se na cama, eu me levantei e fui até a cozinha onde tinha deixado seu primeiro presente. Em cima da pia estava um havia um pequeno buquê de flores brancas, onde bem no centro encontrava-se uma flor azul que destacava-se entre as outras.

Fora idéia de Eujin comprar as flores, a pequena me contou que sua mãe era apaixonada por pela natureza e tinha uma pequena queda por flores azuis, isto me fez pensar que seria uma forma bonita de Kyung lembrar-se de sua mãe.

Quando voltei para o quarto, Kyungsoo estava sentado na cama, distraído, mexendo no celular. Pigarriei para chamar sua atenção, mas o mesmo estava concentrando lendo algo, então sentei ao seu lado, aproveitando para pegar meu celular que estava de baixo do travesseiro, e cutuquei seu ombro. Ainda nenhuma resposta.

Eu não tinha mais idéias para chamar a atenção de meu hyung, a não ser pegar seu celular - o que não daria muito certo, já que ele ficaria bravo comigo -, o que me resta é incomoda-lo.

ㅡ Hyung, ㅡ deitei em sua perna. ㅡMe da atenção!

No mesmo instante, Kyungsoo tirou o celular de seu campo de vista e começou a me encarar, como se pergunta-se o que eu queria.

ㅡ Trouxe um presente. ㅡ sorri, lhe entregando o pequeno buquê.

O semblante que formou-se no rosto de Kyungsoo era algo que eu nunca tinha visto antes, parecia feliz mas seus olhos brilhavam por conta de algumas lágrimas que ele tentava conter. Enquato o do estava distraído, maravilhado-se com as flores, aproveitei para pegar meu celular e tirar uma foto daquele momento.

Sem nenhuma palavra trocada,

Kyungsoo me abraçou. Logo pequenas gotas molhavam minha camiseta, ignorei isto e o abrecei de volta.

Acho que acertei.

[...]

ㅡ Soo, anda logo, ㅡ falei, batendo na porta do banheiro. Kyungsoo estava tomando banho a mais de meia hora. ㅡ Vamos nos atrasar!

Antes que eu voltasse a bater na porta, Kyungsoo saiu do banheiro com uma toalha enrolada na cintura e o cabelo meio úmido.

ㅡ Aish, já saí, feliz? ㅡ bufou, parando em minha frente.

Abaixei-me um pouco para ficar da mesma altura que ele, e roubei lhe um selinho.

ㅡ Muito feliz. ㅡ sorri.

Pude ver meu hyung corar antes de sair apressado e ir para o quarto.

Kyungsoo e eu tinhamos essa relação estranha desde que me mudei para a casa dele. Nós não eramos namorados, nunca teve um pedido oficial, mas dormiamos juntos e sempre rolava um beijo ou outro quando ninguém estava olhando. Eu gostava disso, é claro, mas não saber o que eramos um para o outro deixava-me um tanto agoniado.

Senti uma mãozinha puxar minha blusa, olhei para baixo e vi Taeyang com um bonequinho de pano. Peguei o mesmo no colo, com um pouco de dificuldade porque o mesmo estava na fase de querer ficar apenas no chão e se debatia toda vez qu alguém pegasse o no colo.

ㅡ Ya, Taeyang, você é igualzinho ao seu irmão sabia! ㅡ disse, fazendo cócegas em sua barriga. Ele soltou uma gargalhada fofa de bebê. ㅡ Principalmente seus olhinhos, são arregalados igual aos deles. ㅡ ri sozinho, devo parecer um idiota falando com uma criança.

Coloquei Taeyang de volta no chão, e ele saiu caminhando meio atrapalhado até sua avó.

Voltei para o quarto, encontrando Kyungsoo já devidamente vestido, sentado na ponta da cama encarando o buquê de flores em suas mãos.

ㅡ Hyung, ㅡ Kyungsoo passou aos mãos no rosto antes de virar-se para mim. ㅡ Vamos? ㅡ perguntei, ele apenas assentiu e caminhou até mim, logo em seguida me abraçando.

ㅡ Obrigado, por tudo que está fazendo por mim. À anos eu não aproveitava meu aniversário assim.

[...]

NARRADOR.

ㅡ Wow! ㅡ foi a primeira coisa que Kyungsoo falou, assim que entraram no restaurante.

O lugar era consideravelmente grande, bem simples mas muito bonito na opinião de Kyungsoo. Talvez muito chique para ele.

ㅡ Gostou? ㅡ Chanyeol perguntou, sorrindo, enquanto o garçom os levava até a mesa.

ㅡ Muito, mas ㅡ aproximou-se de chanyeol e sussurou: ㅡ Nós temos dinheiro para comer aqui?

Chanyeol não pode conter o riso, recebendo logo em seguida um tapa fraco de Kyungsoo.

ㅡ Não se preocupe, aniversariantes pagam metade.

O garçom indicou lhes uma mesa, e os dois sentaram, ali um de frente para o outro. eEquanto conversavam outro garçom apareceu para anotar o pedido de ambos.

Kyungsoo encarou o chão, nervoso e pensativo ao mesmo tempo. Não sabia se era o momento certo para por seu plano em pratica, mesmo planejando aquilo a dias nada parecia perfeito. Quando pensou em abrir a boca para falar algo, a comida chegou e então Chanyeol iniciou um assunto sobre como a comida dali era boa e o quão feliz estava por estar ali.

Entre uma conversa e outra, park puxou o celular do bolso dizendo para o seu hyung sorrir. Mais uma foto foi tirada.

Chanyeol sorriu contente, olhando para a foto recém tirada. Ele realmente gostava muito de seu hyung.

ㅡ Você deveria virar fotógrafo, sabia? ㅡ Kyungsoo murmurou.

Chanyeol o encarou com um belo ponto de interrogação na sua testa.

ㅡ Já é a segunda foto que tira de mim, só hoje, acha que eu sou bobo? ㅡ brincou.

ㅡ Eu acho que você é lindo.

[...]

ㅡ Para onde vamos agora? ㅡ Kyungsoo perguntou, assim que entraram no trem.

ㅡ Dar uma volta, passear por ai, ou, qualquer coisa assim. ㅡ respondeu rápido, setando-se no último banco vago saltando uma risada baixa.

Kyungsoo murmurou algum xingamento para o mais novo, bufando irritado tentando alcançar a merda do balaustre.

Quando o trem começou a andar, kyungsoo foi praticamente lançado para trás e acabou caindo em cima de Chanyeol.

ㅡ D-desculpa Chanyeol, e-eu não c-consegui alcançar o ferro e...

ㅡ Shh, 'ta tudo bem, hyung. ㅡ disse, passando os braços ao redor da cintura de Kyungsoo, logo depois depositando um pequeno celar no pescoço do mesmo. O Dyo riu nervoso, aconchegado em seu colo.

Não muito tempo depois, Chanyeol avisou que deceriam na próxima. Kyungsoo não fazia a mínima idéia de onde estavam, apenas que estava ficando tarde, ja passava das quatro e meia e daqui a mais algumas horas iria escurecer.

Os dois desceram, de mãos dadas, para fora do trem e caminharam pela estação até chegarem do lado de fora que dava direto para um parque, com um playground e um laguinho rodiado de flores.

ㅡ Uma vez, eu dormi no trem e quando acordei, desci nessa estação. Desde então, venho aqui quando estou entendiado. ㅡ Chanyeol explicou, enquato caminhavam até o parque.

ㅡ É bonito, aqui. ㅡ murmurou, abraçando Chanyeol pela cintura.

Ambos sentaram-se em silêncio em um dos bancos que haviam ali, Dyo continuava abraçado no mais novo com a desculpa de que estava com frio, o que não era totalmente mentira já que o tempo começará a esfriar.

ㅡ H-hyung, ㅡ Kyungsoo levantou seu olhar para Chanyeol, em um pedido silencioso para que ele prosseguisse. ㅡ J-já faz um tempo que eu queria te pedir isso, sabe...

Kyung encarou o mais novo confuso, em um ato quase irracional, ajeitou-se no banco e disse: ㅡ Chanyeol, você quer namorar comigo?

Park arregalou os olhos, assustado com o ato repentino de seu hyung. Foi ai que Kyungsoo percebeu o que havia feito, suas bochechas começaram a ficar vermelhas de vergonha.

Ele tinha acabado de pedir chanyeol em namoro, assim, sem mais nem menos.

ㅡ Ah meu deus, Chanyeol e-eu não...

ㅡ Sim. ㅡ murmurou Chanyeol, enquato encarava o chão.

ㅡ O que?

 ㅡ Eu aceito namorar com você, hyung!


Notas Finais


desculpem qualquer erro, o aplicativo que eu escrevo as vezes apaga algumas palavras/letras/frases.
ya, petit está no penúltimo degrau para alcançar o seu tão aguardado(?) final. o último capitulo ja começou a ser escrito e provavelmente sai esse mês.
espero que tenham gostado, esse capítulo foi feito do fundinho do meu coração.
(as fotinhos que o chanyeol tirou vao estar la no meu twitter para quem quiser ver @httpsjuho hihi
🌵ana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...