História Photograph - Clexa - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Bellamy Blake, Clarke Griffin, Dra. Abigail "Abby" Griffin, Lexa, Marcus Kane, Octavia Blake, Raven Reyes
Tags Alycia Debnam-carey, Clarke Griffin, Clexa, Eliza Taylor, Elycia, Lexa, T100, The 100
Visualizações 183
Palavras 2.402
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Dois pro fim galeraaaa

Capítulo 32 - Peace


Depois de deixar, a sala de Maia só tinha um lugar, para onde Clarke podia ir naquele momento. E ela não tinha a menor duvida de onde era, a sala de Lexa Woods. Griffin pegou o elevador e desceu no ultimo andar da Honey, e assim como fez com Maia não esperou ser anunciada. Deixou Lucas, o assistente de Lexa falando sozinho e adentrou a sala. Lexa estava em meio a uma reunião com alguns de seus funcionários, e não percebeu a entrada da loira. Griffin foi em direção à empresária que, estava de costa em pé mostrando alguns gráficos aos demais que estavam na sala. Lexa só se deu conta da presença de Clarke quando a mesma já estava bem a sua frente.

— Clarke o que faz a... — Lexa não teve tempo de terminar, pois os lábios de Clarke a calaram com beijo de tirar o fôlego. Quando respirar se fez necessário elas se largaram.

— Vim ver minha noiva Woods, e convida-la para almoçar comigo. — Clarke respondeu, e viu um sorriso lindo se formar nos lábios de Lexa. — E é claro mostrar para todo mundo a quem você pertence. — A ultima parte Clarke fez questão de sussurrar no ouvido de Lexa.

E por mais que fosse antiprofissional aquele tipo de comportamento, a morena tinha adoro a atitude de Clarke. As duas foram tiradas, daquela atmosfera mágica pelos resmungos dos funcionários que também estavam presentes na sala.

— Desculpem a todos a intromissão na reunião, mas devem compreender uma pessoa apaixonada e com saudades. — Clarke se adiantou dizendo algo, antes que Lexa pudesse falar qualquer coisa.

Todos na sala mostraram sorrisos admirados pela atitude ousada da futura senhora esposa de Alexandra Woods.

— Deve supor então que continuaremos a reunião amanhã, Sra. Woods? — Um dos funcionários questionou Lexa, mesmo já sabendo a resposta.

— Sim John, todos estão dispensados por hoje. — Lexa finalmente disse algo.

Logo todos os funcionários se levantarem e foram deixando a sala, para alegria de Clarke que queria ficar a sós com Lexa. Quando todos se retiraram, Lucas o assistente de Lexa entrou na sala com uma cara assustada. Certamente o rapaz estava com medo de levar um esporo.

— Sra. Woods me desculpe, mas a senhorita Clarke não me ouviu quando a informei que estava em reunião e não podia ser interrompida.

— Lucas relaxe você não levara bronca e nem será demitido por isso. — Lexa tranquilizou o rapaz.

— Na verdade você vai receber um aumento Lucas. Tudo que tem que fazer é dizer para todos que Lexa estará ocupada nas próximas duas horas. — Clarke completou. Lexa a olhou incrédula sem ter ideia do que a loira estava falando.

— Estou? —Lexa disse parecendo mais se questionar do que a Clarke.

— Sim você está Woods. — Griffin respondeu.

E depois foi ate Lexa e a abraçou pela cintura,  e descansou seu queixo em seu ombro. Lexa era só sorrisos pelos gestos repentinos de carinho de Clarke diante de todos. Ainda havia certo receio, pois, lidar com a loira ultimamente era como andar em um campo minado, um passo em falso e tudo podia ir pelos ares, mas não iria reclamar estava feliz e isso era o que mais importava no momento.

— Está tudo bem Lucas pode fazer o que a senhorita Griffin disse. — Lexa finalmente deu as instruções a seu assistente e o rapaz deixou a sala.

— Finalmente sozinhas Sra. Woods. — Clarke confessou dando um beijo suave sobre o pescoço de Lexa. A empresária sentiu seu corpo inteiro se arrepiar, mas a dúvida ainda não a deixa relaxar totalmente.

— Clarke o que significa tudo isso? — Lexa se virou e perguntou de uma vez, mesmo temendo a resposta.

Clarke a olhou de forma profunda, a loira viu o medo e a duvida nos olhos de Lexa. E sabia bem o que devia dizer para espantar seus medos e acabar com qualquer dúvida que a morena ainda pudesse ter.

 — Isso significa, chega de ter medo, chega de duvidas e chega de esperar. Sem teatros ou fingimentos. Eu quero você Lexa, eu quero nós. E acima de tudo significa que eu amo você! E quero passar o resto da minha vida ao seu lado.

Todas as palavras de Clarke atingiram Lexa de uma forma intensa e profunda, e sem si quer que sentisse, as lagrimas vieram, como um rio em direção ao mar. A reação de Clarke foi ir até Woods e abraça-la forte e com todo carinho do mundo. Lexa afundou o rosto na curva do pescoço de Clarke e sentia como se tivesse voltado para casa. 

— Não precisa chorar amor. Eu prometo que eu não vou fugir Lexa. — Clarke lhe disse como se fosse um segredo. —  Eu estou aqui é real eu, você e nosso filho. — Clarke fez uma pausa, e buscou o rosto de Lexa. Secou as lágrimas teimosas que rolavam pelo rosto da empresaria, e olhou diretamente em seus olhos. — A nossa família é tudo para mim agora.

 E a morena deu um sorriso.

— Eu só estou feliz Clarke, e meu pai me disse uma vez que chorar de alegria é algo bom. — Lexa foi até uma gaveta e retirou de lá o velho porta retrato, com a foto dela e de Clarke.

O porta retrato que olhara com dor e tristeza por tantos anos. Aquela foto era a prova que fora feliz um dia com Clarke e desperdiçara sua chance, e nunca a teria de volta. Ela olhou por alguns segundos e continuou a falar.  

— Eu esperei tanto tempo para que você me perdoasse, nunca achei que daria uma chance para nós de novo. Ou até mesmo uma chance de fazer parte da vida de Aiden. Essa foto fora meu martírio por anos, mas, agora eu posso colocar ela de volta sobre minha mesa e olhar para ela com alegria.  E eu prometo honrar essa nova oportunidade a cada dia da minha vida.

Clarke olhou para porta retrato, a foto que estava lá lhe trazia lembranças boas.

— Logo você terá outras mil fotos Lexa porque iremos criar novas lembranças e seremos felizes em cada uma delas. E mesmo quando houver momentos difíceis enfrentaremos tudo juntas.

Não houve mais palavras apenas um beijo profundo que demonstrará tudo que sentiam uma pela outra, e que selava o recomeço e solidificava o que tinham uma vez mais. Ainda sim Woods sentiu necessidade de declarar a Clarke o sentia por ela.

— Eu te amo Clarke!

Às duas horas seguintes foram usadas para se relembrarem, as tórridas tardes de sexo que tantas vezes tiveram no escritório de Lexa anos atrás.

 

***

 

— Mamãeee. — Aiden gritou assim que viu Clarke e correu para seus braços. Ela logo pegou o filho nos braços o enchendo de beijinhos.

— Oi meu amor. — Clarke cumprimentou o garotinho.

— Você veio me buscar hoje mamãe?

— Sim filho.

— Mais onde está minha mamãe Lexa?

— Então hoje eu quis fazer uma surpresa para os dois amores da minha vida. E vim buscar você e sua mãe, só que ela ainda está ocupada lá em cima com o trabalho. Dai eu vim te buscar um pouquinho mais cedo, para te encher de beijos.

— Ai mamãe, isso faz cosquinhas. — O menino reclamou se encolhendo todo no colo da mãe.

— Então como foi seu dia filho?

— Foi muito legal, eu aprendi a juntar as letrinhas mamãe. E agora já sei escrever meu nome sozinho.

— Então quer dizer que meu príncipe está crescendo e aprendendo tudo rápido é. — Uma voz familiar chamou atenção do menino, e Aiden sorriu olhando para porta.

— Mamãe Lexa. —Desta vez ele gritava a outra mãe.

E corria para Lexa, com mesmo entusiasmo que fizera com, Clarke poucos minutos atrás. Clarke olhou cena feliz, e tinha ainda mais certeza da decisão que tomara em seguir em frente com Lexa. Clarke foi até sua família e beijou Woods de leve nos lábios em frente a todos no local, Aiden tampou os olhinhos com as mãozinhas fazendo uma careta, e arrancando gargalhadas de suas mães.

— Vocês podem namorar depois eu to aqui. — Aiden disse com a carinha emburrada.

— Ok, nervosinho, que tal irmos para casa agora. — Lexa sugeriu.

Em seguida abraçou Clarke e saíram da Honey felizes, iam para casa. Todos a volta viam a doce felicidade de uma família comum, no final de mais um dia, querendo apenas a paz de seu lar e nada mais.

 

***

 

Duas semanas depois...

Lexa dera ordens especificas, a Gutus sobre o que fazer com a relação a Carl. Primeiro deveria comprar as dividas do playboy e vender ao pior agiota de Boston, a coisa ficaria feia para ele com os credores barra pesada em seu encalce. Com eles a regra era simples toda divida era cobrada, mesmo que o pagamento fosse a própria vida. Com isso Carl acabou saindo de Boston e isso deu mais paz a Lexa, quanto segurança de Aiden. A segunda parte das ordens de Lexa a Gutus, era denunciar Carl de forma anônima pelo que tinha feito a Clarke e acrescentando a gravação que tinham como prova. A resposta veio rápido, e apenas alguns dias depois a noticia estava todos canais de televisão importantes de Boston. Quando Clarke assistiu a noticia ficou estarrecida.

"O playboy Carl Emerson foi preso esta manhã tentando deixar o país. Ele foi acusado de inúmeros crimes entre os mais graves: fraude, falsificação de documentos, tentativa de abuso sexual e por dar um golpe na empresária Maia Benson, que deixou à executiva a beira da falência. As autoridades não deram detalhes sobre o nome da vítima que sofreu a tentativa de abuso. Sabe-se apenas que existe uma gravação que incrimina o Sr. Emerson. O nome da vítima foi mantido em sigilo absoluto para proteger sua privacidade e não afetar mais o caso. De acordo com o promotor responsável pelo caso, o acusado pode pegar de quinze a trinta anos de cadeia e sua condenação é certa"

A loira se sentou no sofá ainda em choque, mas ao mesmo tempo aliviada. Carl estava preso e não poderia fazer mais nada, nem contra ela nem contra seu filho. Lexa aquela altura já tinha visto a noticia e acreditava que Clarke também, correu imediatamente para casa para conversar com a noiva.

— Clarke eu vim assim que vi a noticia na tv. — Lexa disse assim que encontrou Clarke sentada no sofá.

— Você sabia disso? — Clarke a questionou.

— Sim eu sabia que ele seria preso, mas cedo ou mais tarde. Eu fiz uma denuncia anônima sobre o que ele fez com você. E claro eu mesma prestei queixa pelos golpes que aplicou usando o nome de minha família.

— A policia disse que tem uma gravação sobre a tentativa de abuso Lexa.

Clarke estava confusa com relação a isso ainda queria entender melhor as coisas.

— Amor, calma. — Lexa tentava consolar Clarke. – Eu vou te explicar tudo. Gutus encontrou essa gravação no nosso antigo apartamento por acaso. Eu achei melhor não citar o seu nome, o importante é que ele vai pagar por isso. Mas eu quero que você saiba que ele não conseguiu te machucar. Você desmaiou, ele desistiu depois disso.

 Cinco anos de duvidas e sofrimento chegaram ao fim, Clarke finalmente se viu livre do sofrimento e da duvida que a perseguiram por cinco anos. E embora Carl a tivesse deixado traumatizada por um tempo, Lexa a fizera esquecer aquela parte ruim de seu passado.

— Obrigado por isso Lexa. — Clarke agradeceu e Woods a abraçou forte.

Para Lexa era como compensar por todo sofrimento que ela fizera Clarke passar por duvidar dela, á libertará de uma dor e se libertara da culpa junto. Elas podiam seguir em frente agora e enterrar aquele passado amargo para sempre.

— Finalmente teremos paz meu amor. E eu prometo que seremos felizes daqui para frente. — Lexa disse e beijou a testa de Clarke em seguida. Elas estavam finalmente em paz.

 

***

 

Quatro meses depois...

Clarke e Lexa tiveram uma grande surpresa quando Bellamy e Raven baterem em sua porta. O casal voltara da África sem avisar e a surpresa maior foi quando olharam a barriga evidente de Raven. A Woods mais velha estava grávida.

— Eu não acredito que você está grávida Raven. — Lexa comentava extasiada com á noticia.

— Deviam ter ligado para contar que estavam voltando e sobre o bebê. Isso não se faz Bellamy Blake.  — Emma completou.

— Me desculpem aconteceu tudo rápido demais, e estávamos em um local isolado. Não tinha como se comunicar lá. — Bellamy se justificou. — E ao menos vocês duas se acertaram não né Lexa. Espero que todos os meus conselhos tenham dado certo. — O moreno deixou escapar.

— Sim seu chato, nós estamos muito bem obrigado. —Lexa respondeu abraçando Clarke.

— Então quer dizer que ele te deu conselhos Woods? — Griffin perguntou a noiva e Lexa se fez de desentendida.

— Vocês ainda se casaram sem que estivéssemos presentes maninho. — Lexa tentou mudar de assunto. Clarke a olhou com uma cara que dizia... Mais tarde resolvemos isso, e Lexa pensou estou ferrada.

 — Ai Lexa dá um tempo, você está parecendo à mamãe. Casemos apenas no civil, e ainda tem o religioso então sem dramas. — Raven finalmente se pronunciou.

— Isso não justifica nada, sua irmã desnaturada você está com quase cinco meses de gravidez. E eu sou a ultima á saber. — Lexa respondeu a irmã fingindo falsa indignação.

Todos caíram na gargalhada, ate Aiden chegar com a babá e Gutus e roubar toda atenção de todos.

— Eu vou ter um irmão primo. Isso é demais. Êêêeeee. Glandão vamos comemorar. — O garoto gritava correndo pelo apartamento e puxando Gutus de lado para outro. Todos riam da situação.

Bellamy estava feliz de verdade pela reação do filho. O moreno temeu que o menino não aceitasse bem a noticia. Não queria que garoto achasse que as coisas tinham mudado, no coração de Bell, Aiden sempre seria seu filho e isso jamais iria mudar. Mas para sua tranquilidade tudo ocorrera bem e Aiden parecera feliz com a ideia de ser irmão mais velho.

Já Gutus fez uma nota mental de não desobedecer mais as ordens da patroa em fazer as vontades de Aiden com relação aos doces. O menino quando comia açúcar ficava pra lá de elétrico e ele via o resultado disso agora, já que pequeno o fazia de gato e sapato naquele momento. E tudo era resultado dos inúmeros doces que menino comera no passeio que deram logo cedo. O resto do dia fora sem maiores acontecimentos, para todos o que importava é que todos estavam juntos em família e tudo estava em paz.

 


Notas Finais


Agora só ciclos se fechando, para finalizar a historia. Espero todos nos comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...