História Photograph - Memórias Vazias - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran
Tags Edsheeran, Memoriasvazias, Photograph, Sheeran
Exibições 11
Palavras 816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Saga
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora.
Música do capítulo: Kiss Me - Sixpence None The Richer
Boa leitura.

Capítulo 30 - Promessas


Fanfic / Fanfiction Photograph - Memórias Vazias - Capítulo 30 - Promessas

Dessa vez era de verdade: Ed e eu estávamos nos beijando. Ele me beijava devagar, como se tivéssemos todo o tempo do mundo, era o beijo mais doce que eu já havia ganho na minha vida. Ele era tão delicado em seus movimentos, que quase não percebi quando ele me deitou na cama, quando vi, ele já estava em cima de mim, nós estávamos deitados na cama nos beijando.

- Viu? Não é difícil.

Eu dei risada porque ele tinha razão: não era difícil se fosse pensar só nessa parte.  Mas com ele era tudo mais fácil. Eu olhei para o lado, os braços dele estavam em volta de mim, e suas tatuagens estavam à mostra e eram de um colorido apaixonante.

- Elas são lindas!

- Bem legal não é? Eu sou legal baby... Você vai gostar de mim.

Foi quando a pizza chegou: Mozarela para as meninas e Pepperoni para nós. Ana como sempre ficou comendo em frente á TV junto com a Catarina, que a “imitava” em quase tudo. Levei o restante para o meu quarto, onde Ed ainda me aguardava.

- A Taylor vai me mandar um presente.

- É, ela me falou... Por falar nisso, foi ela quem me deu seu endereço.

- Ah! Aquela... Como ela pôde? Me trair desse  jeito.

- Isso só mostra que ela me ama mais. – Ele me mostrou a língua e depois mordeu um pedaço de pizza.

Nós conversamos tanto que eu nem percebi quando dormimos, só me lembro de ter acordado às 03h11 e ele estava dormindo também, a caixa de pizza estava aberta em cima da cama e ele dormia abraçado com o travesseiro, calçado com um tênis vermelho e com o pé em cima da cama... Um horror.

Levantei, levei a pizza na cozinha, olhei as meninas e voltei para o quarto. Tirei o tênis dele e o cobri, ascendi o abajur porque eu não dormia no escuro e depois me deitei do lado dele. O cabelo dele parecia que não via uma escova há dias, mas estranhamente eu adorava mesmo assim, cada mecha do cabelo dele que caia no meu travesseiro parecia estrategicamente arrumada para deixar ele mais lindo.

Não consegui dormir muito bem, levantei ás 06h00 para levar as meninas á escola: arrumei as duas e levei-as. Ás 07h30 eu estava de volta e ele ainda não havia acordado, então tentei deitar sem acordar ele, mas dessa vez não tive sucesso.

- Desculpa, eu não queria te acordar.

- Tudo bem... Eu não estou no hotel, não é? - Ele disse de olhos fechados.

- Não. – Eu sorri.

- Preciso estar na Austrália amanhã de manhã.

- Eu te levo para o hotel. Onde fica?

- Perto do aeroporto, mas eu não quero ir agora, quero ficar aqui... Por falar nisso, pra quem não sabia fazer carinho, até que você aprendeu rápido... Alguém fez carinho na minha cabeça a noite toda.

- Desculpa, eu não queria te incomodar.

- Tudo bem... Eu gostei. Eu vou sentir falta disso.

Ele não havia aberto os olhos ainda e me beijou, ficamos uns minutos deitados, até eu perceber que se a gente enrolasse mais eu ficaria atrasada para o trabalho.

Me arrumei, apesar de não querer sair da cama, afinal não era todo dia que o Ed podia estar nela, mesmo assim, fomos em direção ao aeroporto e ao hotel. Chegamos ao saguão, eu me despedi.

- Vamos subir um pouco? – Parece que ele não tinha entendido o meu “até logo”.

Subimos ao quarto dele.

- Eu só queria me despedir de você... Lá embaixo é meio... público.

- Eu sei como é.

Ele se aproximou de mim e colocou as mãos no meu rosto, que ficou bem aconchegado entre elas.

- Eu nunca tenho muito tempo, mas não é por isso que eu não sinto nada.

- Eu sou a menina que não se apaixona lembra?

- Mas eu não prometi nada, toma cuidado. – Ele riu como uma criança prestes a fazer uma travessura e então ele me beijou.

- Eu preciso ir. Trabalhar sabe?

- Sei como é. Mas antes de você ir embora, eu preciso te dar uma coisa.

- O que?

Ele sorriu e me beijou de novo.

- Eu odeio dizer isso, mas não sei quando a gente vai se ver de novo.

- Eu estou acostumada com isso.

Ele me beijou de novo, mas dessa vez em tom de despedida.

- Prometo que você não vai ficar sem saber de mim.

- Olha essa promessa hein! Não sou boa em esquecer as coisas.

- Essa é a intensão.

- Tenho que ir.

- Te vejo logo, prometo.

Nós nos beijamos e ele me levou até a porta, me dando um abraço cheiroso e apertado. Fui embora querendo ficar, ainda mais depois do último beijo que ele me deu, mas eu tinha que ir embora e ele também.


Notas Finais


Obrigado pela paciência.
Vou postando.
Bjos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...