História Photograph - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, Sia
Exibições 13
Palavras 1.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Capitulo 5


Fanfic / Fanfiction Photograph - Capítulo 5 - Capitulo 5

Estávamos ali a pouco mais de meia hora e Edward e eu não nos falamos direito nesse tempo. Enquanto eu não tirava os olhos de Alexis saltitando entre as pessoas, Ed estava falando com os amigos com a Barbie pendurada no braço dele.

Jay e Bey saíram a uns dez minutos para o seu jantar e eu me isolei com a Maddie em um canto. Não que eu fosse antissocial, mas eu não via a hora de irmos pra casa. Já estava mesmo quase na hora de Alexis ir para a cama.

Mandei Madison atrás de Alexis e fui encontrar com o Ed. Ele conversava com uns caras ao lado da mesa de bebidas. Pedi licença e nos afastei até o cantinho que eu estava antes, para conversarmos sem que ninguém nos ouvisse.

- Estou indo com as meninas.

- Ainda está cedo.

- Pra você. Alexis precisa jantar antes de dormir. E eu tenho muitas coisas pra fazer amanhã.

- Tudo bem então. Mas eu quero te ver.

- Nós precisamos mesmo conversar, então venha até a minha casa quando se livrar de todo esse álcool no organismo.

- Mas você não tem muitas coisas pra fazer?

- Só que eu vou fazê-las em casa. Aqui o endereço. Agora eu preciso ir.

- Espera.

- O que?

Ele não respondeu. E não se importou com a sala cheia de gente ao me puxar para um beijo. Ele era muito bom em beijar. Mesmo que o gosto da cerveja fosse predominante, eu podia distinguir do gosto inebriante dele. Doce e forte. Como ele.

- Ed, eu preciso ir.

- Tudo bem. Eu te vejo amanhã?

- Sim. Até amanhã.

As meninas se despediram e nós fomos embora. Chegamos em casa um pouco mais cedo pois o trânsito estava bom. Jantamos e Alexis foi dormir. Maddie e eu assistimos a um filme até que ela foi para o seu quarto e eu me encolhi na minha cama pensando no Ed.

Como não pensar?

Eu não imaginava que a noite seria daquele jeito. Depois de tanto tempo, me reencontrar com Ed reascendeu aquele sentimento de uma forma rápida e ainda mais desesperada que a dois anos atrás.

O toque do celular me fez perceber que eu dormi. O que me irritou quando vi no relógio que eram apenas duas da manhã.

- Edward Sheeran, isso são horas?

- Me desculpe, mas você pode vir abrir a porta?

- O que?

- Gregory tem que voltar para o hotel. E eu estou com sono.

- Espera, Ed. Você está dizendo que está me ligando da frente da minha casa?

- Sim. – Quase caí da cama na pressa de tentar vê-lo pela janela. – Não queria tocar a campainha pra não acordar ninguém.

Senti o coração falhar uma batida ao ver, mesmo naquela distância, um carro estacionado enfrente ao portão.

- Você não disse que viria amanhã?

- Tecnicamente já é amanhã.

- Não sei se lembra, mas combinamos em ir devagar dessa vez.

- Que culpa eu tenho se quero te ver?

- Você é tão fofo.

- Eu prometo que vamos só dormir.

- Ok. – fui até o painel e digitei a senha de entrada. – Estou abrindo os portões.

Deixei o celular encima da cama e desci para espera-lo na porta. Ele estava sozinho, com a mochila nas costas e uma carinha fofa de sono.

- Gostei do pijama.

Ele me beijou ao entrar e entrelaçou nossas mãos enquanto eu digitava os códigos da porta e portão.

- Gregory chegará bem ao hotel?

- Ele estava bem descansado. Bonita casa.

- Fica melhor com as luzes acesas. Cuidado na escada.

Quando entramos no meu quarto ele quase se jogou na cama, mas o impedi empurrando-o para o banheiro.

- Eu te avisei para vir sem álcool, se lembra? Você vai tomar um banho antes de deitar. E escove os seus dentinhos também.

Ele não reclamou porque eu estava certa.

Demorou cerca de vinte minutos pra ele sair do banheiro. Vestia apenas uma camisa e cueca pretas. Os cabelos bagunçados e não mais molhados indicavam que ele havia encontrado o secador.

Ele se enfiou nas cobertas e me virou de costas pra ele para que pudesse se aconchegar. Sua respiração quente e calma no meu pescoço quase me fez esquecer que ele estava enfiando a mão por baixo da minha camisa.

Quase.

- Não abusa não.

- Só um pouquinho.

- Não. – entrelacei nossos dedos e ele bufou indignado. – Vamos dormir.

Ficamos em silêncio por um tempo. Edward soltou minha mão e eu pensei que ele fosse tentar outra investida, mas apenas nos virou para me olhar de cima e me beijou apaixonadamente. Aquilo estava tão gostoso que eu quase arranquei a sua camisa, mas ele se afastou de mim com um sorriso irritante no rosto, me abraçou e puxou o lençol sobre nós.

- Boa noite, linda.

- Boa noite. – beijei seu peito e me aconcheguei mais ainda nele. – Estou feliz que você veio.

- Eu também.

Na manhã seguinte, deixei o ruivo dormindo no quarto e desci para tomar café. Estavam na cozinha apenas Adam fazendo suco e Sarah batendo a massa das panquecas. Ambos estavam sorridentes demais para aquela hora da manhã.

- Existe algo que eu preciso saber?

- Se você se refere ao motivo do nosso jantar de ontem, sim.

- E vocês vão dizer ou eu preciso adivinhar?

- Aqui está. – Adam me entregou um envelope e, assim que eu bati os olhos na marca d’água, o coração acelerou.

- Ai meu Deus. – abri rápido e eu não podia acreditar. – Você está grávida!?

- Sim!

- Sarah! – abracei a minha irmã e Adam ao mesmo tempo. Que queimassem as panquecas. – Parabéns aos dois. Deus, eu não acredito que você vai ter um bebê. Você está bem? Quantas semanas?

- Seis.

- Não acredito. Já contaram à Alexis?

- Vamos fazer isso hoje. Estamos preparando esse café e vamos levar pra ela.

- Ela vai ficar tão feliz. É o melhor presente de aniversário.

- Agora me fala sobre o ruivo no seu quarto.

- O que?

- A que horas ele chegou? – Sarah perguntou de novo e Adam sorriu pra mim. – Porque eu realmente não percebi nada.

Pra que negar, não é mesmo?

- Mais ou menos, às duas. Mas eu dou os detalhes depois, eu vou conversar com ele primeiro.

- Vocês estão realmente precisando.

- O que?

Adam apontou para trás de mim e puxou a Sarah para o quarto da Alexis.

Eu quase surtei ao encontrar o Ed segurando as minhas perucas com uma expressão estranha no rosto. Ele as colocou na bancada à minha frente e passou a mão pelo cabelo em um sinal de claro nervosismo.

- Eu abri a porta errada. Você pode me explicar o que está acontecendo?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...